Conecte-se agora

Em Xapuri, secretarias municipais vão a campo contra mosquito da dengue

Publicado

em

Preocupada com a eliminação de criadouros e a diminuição do número de notificações de casos de dengue, a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) e a Vigilância Epidemiológica de Xapuri estão intensificando esforços para combater o mosquito Aedes aegypti.

Agentes de endemias e agentes comunitários de saúde, além de representantes de todas as secretarias municipais auxiliarão nas rondas domésticas em busca de objetos e locais que possam acumular água.

O trabalho em conjunto foi definido em uma reunião realizada recentemente para traçar um plano de combate ao mosquito e representa um esforço que deve contar com o apoio da população, segundo alerta Wagner Menezes, secretário municipal de Saúde.

“As pessoas não podem esperar os agentes irem às suas casas e realizarem a limpeza. É preciso haver uma conscientização de toda a comunidade para que as próprias pessoas cuidem dos seus quintais e eliminem os focos de mosquito”.

O gestor da pasta da Saúde diz ainda que basta que o morador faça uma busca atenta de “no máximo dez minutos” por toda a casa e terreno, duas vezes por semana, para garantir que sua residência esteja livre de objetos e locais que acumulem água.

“Mesmo assim vale lembrar que o uso de repelentes é importante, ao menos três vezes por dia”, completou.

Os casos de dengue notificados até o mês de novembro do ano passado eram mais que três vezes os noticiados no município no mesmo período do ano passado.

Em 2018, Xapuri teve notificados até novembro 136 casos de dengue. Em 2019, até novembro, foram 436, dos quais 391 foram confirmados, segundo informações da coordenação de Ações Básicas em Saúde da Semusa.

Os bairros mais afetados em Xapuri são o Pantanal e o Laranjal, as regiões mais populosas da cidade.

Propaganda

Cotidiano

Residência Médica da Fundhacre: prova escrita será realizada nesta terça-feira (21)

Publicado

em

Os inscritos no Programa de Residência Médica da Fundação Hospital do Acre, deverão ficar atentos, pois a prova escrita será aplicada nesta terça-feira, 21. A Comissão de Residência Médica do Estado Acre (Coreme), divulgou ainda a retificação da data de realização das entrevistas.

O Programa de Residência Médica existe há vários anos e foi responsável pela formação de mais de 450 médicos especialista em todo o Acre. Segundo o coordenador do Coreme, Thadeu Moura, o programa é fundamental para a atuação de médicos especialistas no Estado.

Ainda, segundo Thadeu Moura, são 45 vagas nas diferentes especialidades como anestesia, cirurgia, infectologia, clínica médica, ortopedia, pediatria, entre outros. “Esses médicos passam dois ou três anos de sua formação se qualificando na especialidade que gosta”, explicou Moura.

“A presença do médico residente dos hospitais e unidades de saúde em todo o estado promove a melhoria e qualidade no serviço prestado”, disse Thadeu Moura. Ele considera ainda a importância e excelência desses profissionais que se destacam em hospitais e outras regiões do país.

Na prova, os candidatos deverão mostrar concentração ao responderem as cercas de 100 alternativas de múltipla escolha. Deverão ainda estarem preparados para a entrevista e análise de currículo na quarta-feira, 22.

Hoje o Coreme oferece um total de 145 vagas para médicos residentes, sendo que, atualmente, existem 85 médicos residentes em atuação na Fundhacre.

Para mais informações os interessados podem entrar em contato pelo telefone: (68) 3226-3383, em dias úteis, no horário das 8 às 12 horas e das 14 às 17 horas.

O e-mail para contato é: [email protected]

Saiba mais: http://portal.mec.gov.br/residencias-em-saude/residencia-medica.

 

Continuar lendo

Cotidiano

Médicos se reúnem nesta segunda para exigir segurança nas unidades de saúde

Publicado

em

O sindicato dos Médicos do Acre (Sindmed/AC) irá se reunir com o Promotor de Justiça de Defesa da Saúde na noite desta segunda-feira, 20, para tratar de alguns assuntos que estão incomodando a categoria no ambiente de trabalho. Um deles é a questão da segurança. O objetivo é encaminhar ao Promotor do Ministério Público do Estado, Gláucio Shiroma, o pedido de garantia da segurança dos profissionais e a continuidade dos serviços em unidades afetadas pela violência, como a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) situada no bairro Cidade do Povo – que teve o atendimento ambulatorial suspenso após um homicídio na entrada do hospital.

Segundo a diretoria do Sindmed no Acre, “é inadmissível que profissionais que trabalham diuturnamente para salvar vidas sejam coagidos, ameaçados e tenham suas vidas em risco”. De acordo com a categoria, em menos de três dias, dois casos de violência foram registrados contra servidores da UPA na Cidade do Povo. Após o homicídio que provocou danos à infraestrutura do local, na tarde desse domingo, 19, eles afirmam que houve uma tentativa de invasão e intimidação aos profissionais após o serviço ambulatorial ter sido suspenso. “Sofrem terror por medo de invasão à unidade de saúde”, diz o sindicato.

Os médicos dizem já ter pedido providência junto a Secretaria Estadual de Saúde (Sesacre) e garante que irá recorrer às demais autoridades para que o problema seja solucionado.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required
Propaganda
Propaganda

Mais lidas