Conecte-se agora

Acre não teve dinossauros, mas teve outros animais gigantes, diz paleontólogo da Ufac

Publicado

em

FOTO: INTERNET

O ac24horas consultou especialistas em pré-história para ajudar no esclarecimento da polêmica das estátuas de dinossauros na entrada de Rio Branco. Um deles é o pesquisador Jonas Filho, paleontólogo da Universidade Federal do Acre com trabalho reconhecido no mundo inteiro. Mesmo em férias no Peru, o pesquisador e ex-reitor da Ufac respondeu á consulta afirmando não ter acompanhando o debate posto à mesa pela Secretária de Turismo do Acre, Eliane Sinhasique. Ele deixou claro que o Acre não teve dinossauros, mas animais de igual relevância. “Não tenho acompanhado essa discussão,  mas, pelo que estou entendendo, o governo desconhece o reconhecido trabalho dos paleontólogos da Ufac”, disse Jonas. “Lá, em uma exposição, está a maior coleção de fósseis da Amazônia do mundo. Jacarés gigantes. Preguiças, jabutis….uma fauna fóssil reconhecida na bibliografia internacional”, completou.

Para o pesquisador, se o governo quiser fazer algo sério e com credibilidade ter a que envolver a Ufac e seus pesquisadores. “No Acre não tivemos dinossauros mais existiram animais tao importante quanto eles como o Purussaurus, o maior jacaré já existente”, relatou.

Jonas lembra que há um projeto em andamento entre a Ufac e o Museu da Amazônia para a reconstrução, em tamanho natural do Purussaurus, que deve ter 12 metros de comprimento.

Eliane Sinhasique criou uma enquete em seu perfil para saber se as pessoas aprovam ou não a ideia de um portal com dinossauros. Até o fim da tarde desta sexta-feira (10), 68% votaram sim e 32% disseram não à instalação dos dinossauros. Ou seja, a população aprova a proposta.

Citado por Jonas Filho, o Laboratório de Pesquisas Paleontológicas da Universidade Federal do Acre foi criado em maio de 1983 com o objetivo de estudar o rico material fóssil presente nas formações geológicas que cobre toda a Amazônia Ocidental.

A coleção de fósseis no Acre, que hoje possui mais de 5.000 peças, começou a partir das pesquisas realizadas pelo pesquisador Alceu Ranzi no final da década de 1970 ao longo dos rios e estradas que cortam todo o Estado do Acre.

E Ranzi também se manifestou sobre a questão. “Certamente, o nosso Purussaurus rivaliza com os Dinossauros. Questão de valorização e marketing. Na Ufac, hoje está em elaboração uma réplica de Purussaurus pela artista gaúcha Maria Alice Matusiak”, informou Alceu Ranzi, que promoveu grande avanço no conhecimento dos geoglifos do Acre.

Como Jonas Filho, ele lembra que o Acre tem maior preguiça gigante registrada nas Américas. “Temos o Purussaurus de Assis Brasil, Alto Acre; Mastodontes do Juruá; Toxodontes do Juruá… uma fauna gigante que orgulha o Acre”, concluiu o pesquisador.

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas