Conecte-se agora

O mundo mágico do circo invade o ac24horas: conheça o Circo Broadway que chega a capital

Publicado

em

Robert Ramito é o claro exemplo de quem nasceu em uma família circense. Veio ao mundo em Pernambuco, porque era por lá que o circo de seus pais estava no dia que veio ao mundo. De seus mais de 30 anos de idade nunca passou uma semana longe do circo.

Foi no picadeiro que cresceu e hoje é o apresentador do Circo Broadway que está em cartaz pela primeira vez em Rio Branco, no estacionamento do Via Verde Shopping. Robert conta a magia e os desafios que é rodar o país inteiro em uma caravana que conta mais de 30 artistas. Assista essa Boa Conversa.

video

Propaganda

Destaque 2

Piloto de helicóptero dos famosos diz que seguro não deve cobrir o acidente do Harpia 1

Publicado

em

O acidente entre o caminhão-baú e o Harpia 1, do Governo do Estado do Acre, virou assunto nacional. Após conferir as imagens do acidente , o instrutor e youtube do Canal VHD, do maior canal de helicópteros do mundo, Victor Hugo Dias, soltou o verbo e não economizou nas críticas.

“Nenhum acidente na aviação acontece apenas por um fator, são sempre diversos fatores, que vão se somando até acontecer o acidente”, afirmou.

Em entrevista exclusiva ao ac24horas, Victor afirmou que houve sim erro das duas partes envolvidas no acidente, principalmente, pelo motorista de caminhão.

“Você tá vendo uma aeronave sendo acionada, pra quê, você vai chegar tão perto da aeronave? Se for olhar o tamanho do recuo que tinha ali, o recuo era gigante. Não tinha necessidade do caminhão chegar tão perto como ele chegou do helicóptero. Houve, sim, um erro da tripulação que tem que zelar pela máquina, e isolar melhor a área. Naquele momento, a aeronave estava sendo preparada para decolar. Poderia ter alguém lá na ponta travando esse trânsito? Sim! Quem poderia ter feito? agente de trânsito, Polícia Militar ou Civil”, destacou.

Victor afirmou que também ficou “abismado com a falta de noção” dos próprios colegas pilotos de aeronave.

“As vezes eu fico abismado com os próprios pilotos que não tem noção espacial do tamanho com o negócio que ele tá voando, de onde as partes podem pegar e, eu vejo vídeo direto de pilotos que vai manobrar e pega o motor de cauda na árvore”, afirmou.

Em sua análise, a possibilidade de explosão do helicóptero na hora do acidente era muito baixa devido ao casco do tanque de gasolina ser bem protegido.

“Esse modelo de helicóptero é muito seguro, existe há mais de 30 anos, que é uma AS50 não é atoa que a maioria das forças públicas dos diversos estados e emissoras de TV usam”, ponderou.

Victor avaliou o local usado para o pouso e a decolagem, do ponto de vista da lei, como tranquilo, já que a aeronave estava exercendo uma atividade de interesse do governo.

CMTE. HAMILTON E VITOR HUGO – FOTO: CEDIDA AO AC24HORAS

Victor explicou, em outro trecho, que o prejuízo do helicóptero deve ser enorme. Ele estimou por volta de R$ 6 milhões de reais.

“Quando acontece um tipo de negócio desses não é simplesmente trocar o que estragou. A transmissão vai ter que fazer um rebite nela, devido essa parada rápida. Tudo que integra desde a hora que sai do motor tem que haver uma inspeção minuciosa e nesse caso com o impacto que foi, provavelmente, tem que trocar muita coisa. As vezes chega a ficar 70% ou 80% do valor do helicóptero, por questões de justamente as peças mais caras que estragaram ali. Quanto à chassi dá realmente uma estragada, porque ela chega a entortar devido ao impacto”, ponderou.

Em relação ao seguro da aeronave, Victor Dias, afirmou que se o seguro for o da maioria das aeronaves, não devem cobrir o prejuízo, pois segundo ele, o seguro só cobre lugares homologados, e o lugar que ocorreu o acidente não estava homologado.

“Nesse caso não é homologado, é um lugar não homologado, que a gente chama de “zulu” que recebe o nome de pouso não ocasional. Se funciona que nem o seguro de aeronaves não paga, não vai pagar”, afirmou.

 

Continuar lendo

Acre 01

Segurança divulga identidade dos foragidos recapturados após fuga em massa em Rio Branco

Publicado

em

Seis dos 26 presos que conseguiram fugir da unidade penitenciária Francisco D’Oliveira Conde, na madrugada de ontem, em Rio Branco, já foram reconduzidos ao presídio. Eles foram recapturados durante diligências das Polícias Penal e Militar do Acre, que entraram pela madrugada desta terça-feira (21). A secretaria de Segurança Pública do Estado revelou a identidade dos reeducandos já localizados:

Os detentos fugiram do pavilhão L, onde cumprem pena em regime fechado. Agora, 19 seguem foragidos. A Polícia Penal encontrou Marcos da Costa Ferreira e Vagner Tércio de Moura na noite de segunda, na BR-364. Anderson da Silva Velasquez estava num matagal no bairro Custódio Freire, próximo do presídio, e foi encontrado na madrugada de hoje. Francisco dos Santos Coimbra foi recapturado na manhã desta terça, assim como Adam Smith Oliveira da Silva também foi localizado. Adalcimar Oliveira de Almeida foi recapturado ainda no momento que tentava escapar, segundo os policiais penais.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Seguem foragidos:

Francisco Santos Braga

Rogério Furtado dos Santos

Ariclene Firmiano da Silva

Dheyci de Angelo Lima e Lima

Aloísio Lucas Mesquita

Diego Oliveira da Silva

Mirleson Nascimento da Silva

Saymon Wallace Fonseca do Nascimento

Valber de Aguiar Morais

Anderson de Souza Alves

Raimundo Nonato dos Santos Fonseca

Jaciel Batista do Nascimento

Wellington de Souza Lima

Lucas Souza da Silva

Joel Menezes de Queiroz

Francisane Rocha Ribeiro

Ronicley Ribeiro da Silva

José Valdenes Viana da Silva

Gerilto Caetano da Silva

Sebastião Weverton Lima de França

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required
Propaganda
Propaganda

Mais lidas