Conecte-se agora

Cheia nos rios alerta riscos de choque elétrico, doenças e animais peçonhentos

Publicado

em

FOTO: SÉRGIO VALE

Chegado o inverno amazônico, é natural a incidência de cheia nos rios acreanos. As inundações provocam inúmeros transtornos aos ribeirinhos e moradores de bairros próximos aos mananciais. Com isso, alguns riscos são mais iminentes no início das alagações, como choques elétricos, doenças e proximidade de animais peçonhentos.

Ao ac24horas, o Major Cláudio Falcão, porta-voz do Corpo de Bombeiros, explicou algumas das situações em que as pessoas atingidas com a cheia dos rios devem ficar atentas. A primeira delas diz respeito ao perigo da água junto à eletricidade.

“Existem muitos riscos nesse momento de inundação, a começar pelas pessoas que estão em casa. Elas devem ter preocupação com choque elétrico, pois quando a água chega às residências, pode atingir as tomadas e provocar choques fatais”, fiz o Major. O choque elétrico na água tem uma intensidade muito maior e, consequentemente maiores danos.

Segundo os Bombeiros, os moradores devem observar quando a água atinge suas casas e prestar atenção se a água alcança as tomadas ou os padrões de energia elétrica, para assim evitar contato e acidentes.

Outra situação que deve ser evitada, de acordo com o Major, é o contato com a água, uma vez que o contato direto com água poluída também acarreta riscos à saúde. “São muitas doenças que podem afetar os moradores, como a leptospirose ou doenças de pele”, salienta Falcão.

Muitas vezes, as crianças acabam aproveitando os quintais alagados para se divertirem e até nadar, situação vista como perigosa para as autoridades. “Esses locais podem se transformar numa grande fonte de infecção”, pontua.

Por último, a aproximação de animais peçonhentos nas residências próximas da inundação ou parcialmente inundadas. “São cobras, caranguejeiras, aranhas e escorpiões. Nesse momento, as pessoas devem ter muito cuidado em locais alagados, tanto pela água do rio como água da chuva para ficar sujeito a riscos de saúde”, finaliza Cláudio Falcão.

Às 9 horas desta quarta-feira, 8, o rio Acre na capital acreana já ultrapassava cinco centímetros a cota de transbordamento, marcando 14,05 metros. Em Brasileia, o rio registra 11,56 metros. Sena Madureira mede, conforme a última avaliação, 11,95 metros. Tarauacá saiu da cota de alerta, baixando para 6,40 metros. Já em Cruzeiro do Sul, o rio Juruá segue em transbordamento, marcando 12,94 metros.

Anúncios

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Mais lidas