Conecte-se agora

Projeto ‘Olhar Diferente’ entrega 4 toneladas de alimentos em bairros carentes de Rio Branco

Publicado

em

Um projeto que começou como parte de uma atividade escolar de quatro adolescentes, em Rio Branco, tornou-se uma das maiores associações de cunho solidário do estado. O projeto ‘Olhar Diferente’ hoje é uma associação com CNPJ e já atendeu mais de 10 mil pessoas na capital acreana. A última ação aconteceu nesse final de semana. Foram três dias de doações e mais de 4 toneladas de alimentos entregues à famílias carentes.

A ação da campanha Natal Solidário 2019 durou três dias e encerrou neste domingo (22). Esta foi a quarta campanha de Natal realizada pelo grupo. Na quinta-feira, 19, foram entregues 100 cestas básicas – cada uma com um frango, e fraldas para as famílias dos alunos matriculados no Centro de Ensino Especial, Dom Bosco, que atende crianças com necessidades especiais.

No sábado, o projeto entregaram cestas básicas em quatro locais: Beco do Sabiá, invasão do Conjunto Universitário III, invasão do Tucumã e no Aterro de Inertes de Rio Branco, mais conhecido como ‘lixão’.

“No domingo [22] encerramos as entregas na comunidade Favelinha, localizada atrás do Ginásio do Sesi e na Sapolândia”, explica Gleice Oliveira, uma das organizadoras e fundadoras do projeto.

Durante esses três dias de entrega, foram 4 toneladas de alimentos doados, em forma de cestas básicas, cada uma acompanhada de um frango. “Essas 4 toneladas foram distribuídas em 250 cestas”, afirma Oliveira. Ela diz que a ação só foi possível devido à parceria com empresas locais.

“Muitas empresas que fizeram campanhas solidárias dentro de seus empreendimentos arrecadaram os alimentos e doaram para o nosso projeto. Juntando tudo, conseguimos montar as 250 cestas básicas”, pontua Gleice. A empresa PVT, por exemplo, doou uma tonelada de alimentos não perecíveis para que o projeto pudesse dar um destino final até as famílias mais necessitadas.

“Essa ação mostra que de pouco em pouco conseguimos o muito. Chegamos num número alto de entregas mesmo diante de uma crise que atinge todo mundo porque cada um fez sua parte de doar um quilo de alimento. Se todo mundo fizer a sua parte, podemos fazer muito mais pelo próximo”, salienta a organizadora.

Gleice diz que é gratificante ter a certeza de que na noite de Natal essas famílias terão o que comer. “Isso nos deixa muito felizes, por isso buscamos trabalhar com muita transparência”, garante.

“Trabalhamos com cadastro. Cadastramos as famílias e selecionamos pelo perfil socioeconômico. Priorizamos as pessoas que vivem de benefícios do governo, com filhos ou pais desempregados, que passam necessidade. Crianças e famílias é o público”.

O projeto ‘Olhar Diferente’ também realiza ações durante todo o ano, atingindo até mesmo pessoas em situação de rua, com distribuição de marmitas, campanha Volta às Aulas – que ajuda crianças carentes com material escolar e o ponto alto do projeto, que é o Dia das Crianças.




Propaganda

Cotidiano

CRM divulga nota contra agressões sofridas por médicos em atendimento a PM morto

Publicado

em

A direção do Conselho Regional de Medicina do Acre (CRM-AC) divulgou nota na manhã desta terça-feira, 28, repudiando as agressões sofridas pelos médicos Erasmo Vidal e Marizete Oliveira dos Santos, na noite desta segunda-feira, 27, no hospital Epaminondas Jácome, de Xapuri.

Os profissionais são os responsáveis pelo atendimento ao policial militar da reserva remunerada Sebastião Oliveira da Silva (Pingo), de 59 anos, que morreu dentro de uma unidade do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), quando o militar era transferido, em estado grave, para o Pronto Socorro de Rio Branco.

Revoltada com uma suposta demora no procedimento de transferência do paciente para a capital acreana, uma irmã do policial ofendeu moralmente os dois médicos e os acusou de negligência, além de tentar agredir fisicamente a médica Marizete Oliveira, que acompanhava o militar na ambulância do Samu no momento do óbito.

A presidente em exercício do CRM-AC, Thereza Neuma, lamentou o falecimento do paciente, manifestou solidariedade à família, mas ressaltou que é inadmissível que profissionais de saúde, que trabalham diariamente em busca de cumprir sua missão exercendo a medicina, sejam agredidos ou sofram qualquer tipo de violência.

O médico Erasmo Vidal, que não estava de plantão nessa segunda-feira, mas foi chamado para dar suporte no atendimento ao paciente, nega que tenha havido qualquer tipo de negligência. Ele, que também é policial militar, afirmou que Sebastião recebeu toda a assistência possível, mas que seu quadro era muito grave.

“O paciente deu entrada na unidade de saúde com um quadro de etilismo crônico associado a diabetes, provavelmente com falha renal, pois ele não tinha diurese, ou seja, a situação dele era bem grave e por isso a regulação do Samu não liberou o transporte antes da estabilização do paciente. O que estava ao nosso alcance, com certeza foi feito”, explicou o médico.

Sebastião Oliveira da Silva (Pingo), de 59 anos, que morreu dentro de uma unidade do SAMU quando o militar era transferido, em estado grave, para o Pronto Socorro de Rio Branco.

Um sobrinho do policial falecido, de nome Marcos, disse à reportagem que seu tio deu entrada no hospital de Xapuri pela primeira vez na noite do último sábado, 25, quando teria sido medicado e depois fugido da unidade de saúde durante a madrugada. No domingo pela manhã, ele foi encontrado desacordado por uma vizinha e novamente levado ao hospital, onde foi novamente atendido e medicado.

Marcos diz que as acusações de negligência contra os médicos se deram unicamente por conta de os profissionais não terem encaminhado o paciente para Rio Branco quando a família solicitou. Quanto a isso, o médico Erasmo Vidal voltou a explicar que a liberação para a transferência de um paciente via Samu não depende deles (médicos), mas da regulação do Serviço Atendimento Móvel de Urgência.

O caso deve parar na Delegacia de Polícia de Xapuri, uma vez que os médicos foram orientados pelo Conselho Regional de Medicina a registrar boletim de ocorrência em casos de agressão contra os profissionais de saúde no exercício de suas funções.

O corpo do policial está sendo velado na capela do cemitério municipal São José, onde será sepultado ainda nesta terça-feira, 28, segundo informações dos familiares.




Continuar lendo

Cotidiano

Acrelândia abre processo seletivo na área de assistência social, saúde e educação

Publicado

em

A Prefeitura de Acrelândia, por meio do Diário Oficial do Estado (DOE), desta terça-feira (28), tornou pública a abertura de inscrições para o processo seletivo simplificado, destinado à contratação por tempo determinado de profissionais de nível superior, para atender às necessidades temporárias de excepcional interesse público, das Secretarias Municipais de Assistência Social, Educação e Saúde.

As inscrições começam nesta terça-feira (28) e encerram nesta sexta-feira (31). O prazo de validade do processo é 12 meses, podendo ser prorrogado por igual período.

São ofertadas 16 vagas. Os valores da remuneração vão de R$ 2.500 a R$ 8.500.

São três vagas são para assistentes sociais, três farmacêuticos, um fisioterapeuta, um nutricionista, dois odontólogo, um pedagogo, três psicólogos, e dois médicos, um na área de clinico geral e outro em psiquiatria.

Os candidatos interessados devem entregar no horário de 07h às 11h e das 13h às 17h no Prédio da Secretaria Municipal de Assistência Social, localizado na Avenida Edmundo Pinto nº (498) Centro, em Acrelândia.

Para mais informações, clique aqui. 

acrelandiasaude




Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required
Propaganda
Propaganda

Mais lidas