Conecte-se agora

Com que cor de roupa a Socorro vai para a eleição? 

Publicado

em

A prefeita Socorro Neri está com um abacaxi no colo que tem de descascar no mês de janeiro, que já está batendo na porta para entrar: qual será a sua composição política para a eventual disputa da reeleição? Até aqui se esquivou em entrar neste debate – no que não lhe falece razão – tinha que se dedicar só à gestão da PMRB este ano, mas não pode mais alongar a sua decisão. Quanto mais retardar, maiores serão as especulações. Até porque não tem muitos caminhos a seguir. Ou se junta ao PT e seus puxadinhos, e como contrapeso leva o desgaste deste grupo para o seu palanque ou busca alianças alternativas. Nas alternativas está uma coligação do PSB com o PSD, e dependendo das conversas até com o MDB. O senador Sérgio Petecão (PSD) disse ao BLOG DO CRICA que conversou com o deputado federal Flaviano Melo (MDB) sobre o assunto e este se dispôs a abrir discussão. O presidente do diretório municipal, deputado Roberto Duarte (MDB), também já disse que admite conversar. Uma coligação com dois partidos importantes, sem o desgaste da derrota da última eleição, com lideranças de peso na capital e chapas para vereadores fortes é uma opção tentadora. Chegou a hora de ser perguntar: com a qual cor da roupa que vai a prefeita Socorro Neri á eleição de 2020? O guarda-roupa tem de ser aberto em janeiro. Depois disso a roupa mofa. 

ROMPIDOS DEFINITIVAMENTE

Os dois partidos já não se entendiam, depois dos ataques proferidos pelo vice-governador Major Rocha (PSDB) contra o prefeito Mazinho Serafim (MDB), as reações deste e dos deputados Antonia Sales (MDB) e Roberto Duarte (MDB), devolvendo os ataques, o rompimento entre MDB e PSDB passa ser não só em Sena Madureira, mas em todo Estado.

CAMINHOS DIFERENTES

Mesmo porque os caminhos são diferentes, tanto o MDB como o PSDB miram as eleições municipais, com reflexo maior para a disputa do Senado e do Governo, em 2022. O que tudo isso embute? Resposta simples: o desmoronamento da aliança que elegeu o atual governador.

O QUE ESTAMOS VENDO? 

Estamos vendo a aliança que elegeu o atual governador se desmoronar de forma prematura, antes de completar um ano de governo. E o próprio governador, que seria o primeiro a lutar para manter incólume o seu arco de aliados; chuta o balde, quando troca farpas com o senador Sérgio Petecão (PSD). Não é o caminho certo para quem tem aspirações em 2022.

ROMPANTES DE CENSURA

O espírito da censura, lamentavelmente, baixou no líder do governo, deputado Gerlen Diniz (PROGRESSISTAS), que poderia fechar o seu ano eleitoral com a chave de ouro; porque foi atuante, mas com seu rompante ditatorial,  ele vai fechar com um ato negativo. Uma CPI para apurar notícias falsas sobre o projeto do Instituto da Saúde? Desencarna deste encosto, Gerlen!

LAMENTÁVEL

E isso é mais lamentável, porque o Gerlen Diniz (PROGRESSISTAS) até aqui se mostrou um deputado do debate, bom tribuno, bom deputado, e troca isso por um ato emocional com arcabouço ditatorial. Vai controlar as redes sociais? Vai controlar a oposição? A mídia? Nunca!

ESTAMOS NUMA DEMOCRACIA

Ninguém mais do que o deputado Gerlen Diniz (PROGRESSISTAS) teve um mandato crítico contra as posturas dos governos do PT de perseguição, de rancor com os adversários, por isso é o político menos indicado para buscar meios não ortodoxos de procurar calar a oposição.

INSTITUTO DA SAÚDE

Vamos colocar os pingos neste projeto do Instituto da Saúde. Pode absorver, mas não resolve juridicamente a situação dos servidores do PRÓ-SAÚDE, os incluindo no quadro efetivo do governo e nem reverte a sentença do MTB que foi pelas suas demissões. Os servidores que forem para o órgão não perderão vantagens. Não significa obrigatoriamente na terceirização de todo o sistema de Saúde. O funcionário só adere ao Instituto se quiser. E se não for aprovado, o Estado terá que demitir. O Instituto não pode é ser vendido como a varinha de condão que vai resolver todos os problemas de má gerência da SESACRE. O resto é firula.

DEMOCRACIA É CONTRADITÓRIO

O que não se pode é querer demonizar os deputados de oposição e os chamados “independentes”, por terem outro entendimento, de que o projeto será maléfico para o servidor. A ALEAC é uma casa de debates, não é uma casa do amém e sim senhor ao governo.

EXPOSTO E SEM ÊXITO

Indo para outro contexto. Foi uma derrota do líder do governo, deputado Gerlen Diniz (PROGRESSISTAS), que queria a matéria sendo votada ontem e não retirada. E foi quem mais teve abalo na imagem por ser o único a se expor na tribuna no debate com os manifestantes.

NEM A BASE ESTAVA COESA

O presidente da ALEAC, deputado Nicolau Junior (PROGRESSISTAS), ao retirar o projeto da pauta de votações, evitou um desgaste do governo, porque muitos deputados da base estavam se recusando votar, ressabiados com o desgaste sofrido ao votarem na PEC da Previdência. Refugavam por se desgastarem com os servidores da Educação, na aprovação da PEC da Previdência, e agora com a categoria da Saúde. Gato escaldado tem medo de água fria. 

VOTOS CONTRÁRIOS

Pelo que se ouviu nos bastidores da ALEAC ontem, seis deputados da base do governo estavam propensos a não votar na matéria. Os deputados Neném Almeida e Luiz Gonzaga (PSDB) estavam neste grupo. Dedução: a unidade da base morreu na PEC da Previdência. 

VAMOS VER A GESTÃO

A senadora Mailza Gomes (PROGRESSISTAS) destinou 16 milhões de reais para a SESACRE, a serem aplicados em reformas de unidades de Saúde, compra de equipamentos para os hospitais e de VANS para atender os pacientes do TFD. Agora é cobrar da gestão da pasta

FALTOU O CONTRAPONTO

O fato de deputados da oposição terem vendido a aprovação do Instituto de Saúde com a falsa premissa de que a sua aprovação redundaria no fim dos concursos, prejudicaria os servidores, deveria ter sido combatida com o contraponto da base do governo, faltou a combatividade.

NÃO ENTRO NUNCA NO PESSOAL

Neste episódio, lamentável as falas como a de um sindicalista de que o governador estava com o capeta e tem como meta destruir os servidores, e com agressões pessoais. Posso discordar no campo das idéias, de decisões tomadas, mas não entro e condeno os ataques ao pessoal.

O MUNDO ESTAVA ACABANDO

Comentava ontem com colegas as falas dos deputados Jenilson Lopes (PSB) e Edvaldo Magalhães (PCdoB), sobre o projeto do Instituto de Saúde. Em transes messiânicos pregavam na tribuna da ALEAC, como se a aprovação redundasse no fim do mundo e dos funcionários públicos. Como conhecedor do que estava sendo votado, coloquei no balaio do cômico.

REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA

A MP da Regularização Fundiária do presidente Bolsonaro, defendida pelo deputado federal Alan Rick (DEM), será importante para o Acre, onde a falta de documentação da terra acarreta um prejuízo para o produtor de ter acesso ao crédito dos bancos para as suas atividades.

PESO DAS COSTAS

Ao fim da sessão, ao encontrar com um deputado da base do governo antes de entrar no elevador, este colocou a mão no meu ombro e comentou: “ao retirar este projeto o presidente Nicolau me tirou um peso das costas, não entraria em mais um desgaste”. E saiu lépido rindo.

OPOSIÇÃO PROPOSITIVA

O deputado Daniel Zen (PT) fez três colocações pragmáticas em meio aos debates de ontem na ALEAC, sobre a Saúde: pagar os médicos por produtividade, descentralizar as decisões da SESACRE (dando autonomia financeira a gestores das unidades para pequenas compras) e só terceirizar serviços médicos de alta complexidade. Espera-se que o governo ao menos analise.

CARA DA MÔNICA

Para o deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB), o projeto do Instituto de Saúde tem a “cara da Mônica”. Se referiu não à personagem dentuça da revista infantil “A Turma da Mônica”, mas á a figura da ex-secretária Mônica Feres, defensora da terceirização. “Este projeto veio da Secretaria de Saúde, mas não tem a cara do secretário Alysson Bestene”, disparou Magalhães.

ESPERANDO A CONJUNTURA

O vereador Rodrigo Forneck (PT) me disse ontem que permanece na base da prefeita Socorro Neri, que defende a sua aliança com o PT, mas ressaltou que, se o seu partido tiver candidatura própria à PMRB, neste caso entregará a função de líder da prefeita na Câmara.

QUANDO JANEIRO CHEGAR

A prefeita Socorro Neri só fala sobre sucessão quando janeiro chegar. Posição a ser respeitada.

PODE SER FATAL

A aprovação da PEC da Previdência era essencial, até para pagar os aposentados e pensionistas, Mas deixou um desgaste forte do governo na área da Educação. O Instituto da Saúde se aprovado também deixará um desgaste entre os servidores da Saúde. Desgastes em categorias numerosas do funcionalismo pode ser fatal a quem o governador apoiar à PMRB.

HOMEM DO CAMPO

A deputada federal Vanda Milani (SD) tem cumprido o seu discurso que voltaria seu mandato também para o homem do campo, destinou 2 milhões de reais para a adequação de ramais do município de Xapuri. O investimento vai beneficiar oito comunidades rurais, três escolas, uma unidade de Saúde, localizados em assentamentos e unidades de conservação.

FRASE DO DIA

“Se o adversário é uma formiga trate-o como um elefante”. Ditado turco.

Propaganda

Blog do Crica

Petecão: “não há pressa em definir alianças” 

Publicado

em

FOTO: SÉRGIO VALE

O senador Sérgio Petecão (PSD) disse ontem ao BLOG DO CRICA de que não tem pressa em definir com que partido o PSD vai se coligar para disputar a PMRB, na eleição municipal deste ano. Negou que tenha fechado indicar o vice na chapa do deputado Roberto Duarte (PMDB) para a PMRB. “Tenho que ter muita cautela para não errar, tenho pretensões políticas para 2022, tenho que primeiro observar as pesquisas mais próximas das convenções partidárias, para tomar uma decisão sobre alianças, antes de discutir indicar um nome para vice”, revelou ao BLOG.  Petecão destacou que estar no mesmo palanque da prefeita Socorro Neri, a princípio já foi descartado. “Ela me disse que não vai sair do PSB, e neste caso impede de estarmos juntos”, destacou. Petecão não vê como de muita importância política ter numa eleição majoritária um prefeito do próprio partido. E cita os prefeitos André Maia (PSD) e Marilete Vitorino (PSD), que na sua visão em nada colaboraram para a sua eleição ao Senado, depois que foram eleitos. “Por isso, estou sem pressa”, diz em tom de cautela o senador.

CONVERSA PROGRAMADA

Para cumprir o que tinha prometido, o senador Petecão (PSD) afirmou ontem que deve conversar ainda com o ex-prefeito Angelim para reiterar o convite para que dispute a PMRB pelo PSD, mas acha muito difícil do convite ser aceito. Mas, não custa conversar,” ponderou.

NUNCA ACREDITEI

Nunca acreditei que o ex-prefeito Raimundo Angelim aceitaria disputar a prefeitura de Rio Branco pelo PT, e muito menos por um outro partido. Angelim sabe ler o cenário político

NADA DE EXTRAORDINÁRIO

A entrevista coletiva de ontem do governador Gladson não trouxe nada que possa ser considerado como extraordinário para a gestão. Uma pincelada sobre apoio à Segurança, e só.

APOIO IRRESTRITO

Gladson Cameli vai continuar dando apoio irrestrito ao secretário de Segurança, Paulo César.

NÃO PODE SER REGRA GERAL

A realização de mutirões para diminuir as filas de cirurgias não deve ser vista como regra geral na SESACRE, mas como exceção. O que tem de ter é um atendimento perene, ágil e de qualidade. O governo passado abusou dos mutirões e não resolveu os problemas da Saúde.

QUEM NÃO SE LEMBRA? 

Quem não se lembra dos mutirões, nas mais diversas áreas de cirurgias, no governo passado? Era um atrás do outro em várias especialidades, não resolveu e a gestão da SESACRE fracassou.

COISA QUE NÃO SE EXPLICA

Um dos baleados do grupo que foi vítima de um fuzilamento domingo na Baixada da Sobral tinha sido preso com 18 quilos de drogas e três armas no ano passado e não se sabe por qual razão estava na rua. O Judiciário costuma se melindrar com críticas, mas isso é inaceitável.

ACUSAÇÃO GRAVE

Não sabia do detalhe de que o grupo da Força Nacional que se encontra no Acre, não se reporta ao secretário de Segurança, Paulo César. Não tem mesmo sentido a permanência deste contingente sem estar integrado com as forças de Segurança do Estado. Por isso, o desabafo do secretário de que, no Acre, a Força Nacional ”não servem para nada”.

PETECÃO VAI AO MORO

O senador Sérgio Petecão (PSD) considerou a acusação do secretário Paulo César “gravíssima, porque em vários Estados a Força Nacional debelou crises nos sistemas de segurança, e no combate ao crime organizado. “Vou perguntar ao Ministro Moro se é isso mesmo que o secretário falou, de que no Estado a Força Nacional serve só de enfeite”, prometeu o Petecão.

MESMA MEDIDA

A demissão do agente penitenciário Renê Fontes do cargo de confiança no governo seguiu o mesmo roteiro da demissão do ex-diretor do DETRAN, Isaias Brito: crítica a setores do governo. Renê tinha o direito de apontar mazelas no IAPEN, mas não num cargo de confiança.

CATEGORIA RACHADA

O IAPEN é uma categoria rachada entre os grupos do diretor Luca Gomes e dos que criticam como vem conduzindo o sistema. Lucas é um protegido do vice-governador Major Rocha.

QUEM FAZ AS CONTAS BANCA

Este projeto do governador Gladson Cameli que será enviado á ALEAC para normatizar a cessão de policiais e agentes penais para ficarem à disposição de autoridades, prevê basicamente que, quem estiver com um policial disponibilizado terá que pagar os custos.

ALGO ABSURDO

O número de policiais à disposição dos demais poderes e de outras autoridades é superior ao número de PMs que estão nas ruas combatendo o crime, o que é algo absurdo.

NADA MAIS JUSTO

Uma autoridade ter um monte de policiais ao seu dispor e a conta ser bancada pelos cofres do governo, não tem mesmo sentido. Considero este projeto como pragmático financeiramente.

DEFINIR PRIORIDADES

Na conversa ontem com um amigo de larga experiência política, este comentou com sabedoria de que, o que falta ao governador Gladson é deixar de agir sob impulsos e definir prioridades.

NÃO SE TRATA DE INTERVENÇÃO

O chefe do gabinete civil, Ribamar Trindade, desmentiu ontem o boato que circula que atua numa espécie de interventor na SESACRE, pelo fato de estar mais próximo ao secretário Alysson Bestene, nas visitas que faz às unidades do sistema. “Nossa presença é para ajudar na solução de problemas na gestão, nada mais que isso”, explicou Ribamar ao BLOG.

PRESENÇA MAIS PERTO

Ribamar disse que este tipo de ação já acontece entre o Gabinete Civil e outras secretarias.

PESQUISA AGORA É FURADA

Os partidos estão se programando para começar a fazer rodadas de pesquisas para saber a tendência do eleitorado da capital somente após o carnaval, no final de fevereiro. Até porque não se sabe quem será o candidato do PT, e se os demais partidos manterão os atuais nomes.

FORA DA MARGEM

É bom os policiais e os professores concursados tomarem calmantes por não haver como o governo abrir no momento a porta para contratações, pelo fato de estar no limite da Lei de Responsabilidade Fiscal. Enquanto não baixar deste patamar as contratações são inviáveis.

NÃO DEPENDE DA VONTADE

Esta é uma situação fiscal e que não depende do governador querer ou não nomear.

FRASE DO DIA

“Pior do que o político em época de eleição só eles mesmos durante os anos de mandato”. Frase de O PENSADOR.

Continuar lendo

Blog do Crica

Saber o que o Gladson pensa é acertar na loteria 

Publicado

em

O governador Gladson Cameli tem dito de que primeiro vai avaliar os resultados de pesquisas que vai mandar fazer para medir a popularidade dos candidatos a prefeito de Rio Branco, para saber se algum dos nomes que estão se colocando à disposição para disputar a PMRB, aparecerá bem avaliado. Se não aparecer, ele deve sepultar de vez a Ideia da candidatura própria do PROGRESSISTAS, para apoiar. Até ai morreu Nero. Se nenhum nome não decolar vai restar ao governador duas vertentes: a da prudência, não apoiando ninguém do seu campo no primeiro turno, deixando para apoiar no segundo turno, ou o caminho estabanado da contenda com os aliados, já tendo uma candidatura debaixo do braço no primeiro turno. Como o Gladson é um ser político que age por impulso, indecifrável, difícil saber que caminho tomará na eleição municipal para a prefeitura de Rio Branco. A eleição de 2020 tem reflexos em 2022. Agora, saber o que o Gladson pensa para esta eleição, é tão difícil de acertar como na MEGA.

O FILHO É DO ROCHA

O governador Gladson Cameli abriu mão da sua autoridade e fez do vice Major Rocha o tutor da Segurança, com carta-branca para nomear e demitir. A violência desandou sem controle na capital. E o Rocha tem fugido deste debate, mas é dele que as soluções devem ser cobradas.

PASSOU DO TOLERÁVEL

Todo mundo sabia que a questão da violência não dizia respeito a partido político, mas a chapa Gladson-Rocha vendeu para a população na campanha que o crime organizado tinha tomado conta da cidade por culpa do governo do PT. E a gestão atual não difere em nada da que saiu.

CONTINUA PERDENDO

O governo passado perdeu a guerra contra o crime organizado, e a gestão atual também está perdendo. Vamos cruzar os dedos para que a estratégia de mais presença policial nos bairros dê certo. Quem tem de resolver é o Estado. Intervenção federal é apelar para o populismo.

NÃO SOU EXPERT, MAS SOU POVO

Não sou expert em segurança pública, mas não é preciso ser para se sentir que a violência na capital está deixando a população acuada. Os assaltos já são na cara limpa e durante o dia. Não se quer milagres, mas apenas que as ações levem à população a sensação de segurança.

NÃO PODEMOS PERDER A INDIGNAÇÃO

O que aconteceu com o jornalista Rogério Venceslau e um grupo de pessoas, vítimas ontem de um arrastão em frente a um restaurante, às 10 horas da manhã, é algo que virou rotina. Para completar, uma família foi fuzilada em casa. Não podemos perder nunca a indignação.

AFASTANDO O DESGASTE

A prefeita Socorro Neri deu mostra de que quer uma solução para o transporte público que não seja o reajuste das passagens, por isso a iniciativa de se discutir o assunto em Audiência Pública com os envolvidos e a população. Um reajuste seria um baque na sua popularidade.

NADA MAIS ANTIPÁTICA

Não haveria medida mais antipática à população e com reflexos na imagem da prefeita Socorro Neri do que ela sancionar o aumento do preço das passagens num ano eleitoral.

SERIA A FESTA

Não extrapola o deputado Daniel Zen (PT) no seu artigo quando diz que, os dois projetos da deputada federal Mara Rocha (PSDB) – que reduz o tamanho da Reserva Chico Mendes e o que transforma em APA o Parque Nacional da Serra do Divisor, se aprovados, seriam a festa para grileiros e latifundiários transformarem as duas unidades em regiões devastadas.

O QUE MOVE ISSO?

 A manutenção do Parque da Serra do Divisor em nada impede a rodovia Cruzeiro – Pucallpa.

QUE NÃO SEJA FOGO DE PALHA

A SESACRE está com um mutirão de cirurgias em Senador Guiomard e levando os serviços para o Alto Acre. Aos poucos o secretário Alysson Bestene vai derrubando entraves antigos e que emperram a gestão, como a fila de cirurgias. Tomara que não seja o chamado fogo de palha.

NÃO PODE IR ALÉM DISSO

A ASSECOM deu á Agência de Notícias do Acre uma dinâmica com farto material de atos do governo, bem escrito, mas não pode ir além, porque não há com os órgãos de imprensa da iniciativa privada nada que os obrigue ao aproveitamento do material. E assim caminha.

PROTETOR DO CPF

Há segmentos políticos que torcem a cara para o chefe do gabinete civil, Ribamar Trindade, mas a sua permanência no cargo tem como um dos princípios pontos básicos, não deixar que o CPF do governador pegue alguma nódoa por conta de ato administrativo errado. Cumpre bem.

VERDUREIRO SEM VERDURA

Enquanto o pré- candidato a prefeito da capital, secretário Thiago Caetano, não conseguir que o governador Gladson se manifeste publicamente a favor da sua candidatura, o Thiago vai continuar a ser o verdureiro que oferece verduras sem ter nem cheiro-verde na sua banca.

MEMÓRIA FRESCA

Seja com qual for o nome o PT vai ter dificuldade na campanha deste ano para a prefeitura de Rio Branco. Não só pela falta de um nome forte para a disputa, mas também por estar muito vivo na memória do acreano da capital, principalmente, o fraco último governo dos petistas.

NÃO PODE FICAR FORA

Mas, ainda com toda a dificuldade de rejeição que vai enfrentar, o PT não poderá deixar de ter candidato próprio para a prefeitura de Rio Branco. É o maior partido da oposição e com certeza deverá vir orientação da direção nacional para que nas capitais o PT tenha candidato.

DEBANDADA CONTINUA

Continua forte a debandada de lideranças do PT. Agora foi a antiga militante, Socorro Lima, que foi presidente do partido, a pular do barco, e anunciar a entrada no PSB. Socorro sentiu na pele quando foi candidata a rejeição interna de apoio, por não integrar os grupos dominantes.

QUEBROU TODAS AS PONTES

A avaliação do grupo mais fechado do poder é de que pela sua belicosidade com o governo, o deputado Roberto Duarte (MDB) quebrou todas as pontes para vir a ter um apoio do governador Gladson Cameli na eleição. Duarte não deu trégua em 2019 e não vai dar em 2020.

CUMPRINDO AS METAS

O secretário do Meio Ambiente, Israel Milani, chegou ao cargo rotulado como representante do agronegócio e com desconfiança dos setores ambientais. Quebrou todos os paradigmas, não protege setores, segue a lei, e virou um dos destaques do governo do Cameli.

PESQUISAS VÃO NORTEAR

O que vai nortear se o prefeito de Senador Guiomard, André Maia, disputará ou não a reeleição serão as rodadas de pesquisas próximas da convenção partidária. Se aparecer com boa aceitação tem o aval do senador Sérgio Petecão (PSD) para disputar pelo PSD.

SHOW DE AMADORISMO

A oposição está dando um show de amadorismo em Xapuri ao lançar vários candidatos a prefeito, porque com a enxurrada de nomes só vai favorecer o prefeito Bira Vasconcelos (PT).

É QUEM VAI DITAR

Sites, ZAP, BLOGS, enfim, as redes sociais, se usados com inteligência, serão os instrumentos mais poderosos da campanha para a prefeitura da capital e para a Câmara Municipal de Rio Branco. Uma notícia nestes espaços atinge em tempo real milhares de internautas.

 TUDO TEVE SEU TEMPO

Tudo teve seu tempo. Ainda peguei o tempo em que o jornal impresso fazia o poder tremer e tinha uma importância eleitoral grande, hoje sucumbiu a modernidade e é pouco lido.

MAIS UMA CHACINA?

Os quatro baleados na SOBRAL estão em estado gravíssimo no PS. Caso venham a falecer se terá a segunda chacina somente neste mês de janeiro. A guerra entre as facções recrudesceu.

FLUACRE

Torcedores do time mais seletivo do Brasil, o nosso glorioso tricolor das laranjeiras, o Fluminense, fará no próximo dia 9, na capital, um encontro da torcida FLUACRE, com feijoada, e poderá ter a presença do eterno ídolo Romerito. Falar com o Eduardo no ZAP 99997-3153.

ONDE O PT FOR

Em Rio Branco, o destino do PCdoB na eleição não tem muito mistério. Edvaldo Magalhães e companhia limitada deverão estar no mesmo palanque em que o PT estiver. E, ponto final.

PARA TODOS OS GOSTOS

A eleição para a prefeitura de Rio Branco terá profissionais para todos os gostos. Entre os candidatos estarão professores, advogados, engenheiro, jornalista e deputado.

CANDIDATURA CONFIRMADA

Confirmado que o ex-deputado Jamil Asfury disputará a PMRB pelo PSC.

NÃO APOSTE NA HIPÓTESE

O presidente regional do PSB, César Messias, é um “vianista juramentado”, mas não esperem que na reunião programada pelo PT com ele, vá desautorizar a candidatura da prefeita Socorro Neri (PSB), como sonha segmento petista. Não há como brecar uma candidatura legítima.

 APOSTANDO EM 2022

A mira do deputado Jenilson Lopes (PSB) é a reeleição da prefeita Socorro Neri e, com isso alavancar uma candidatura sua a deputado federal em 2022. Sonha com vôos mais altos.

CURIÓ EM MUDA

Depois da trombada com a prefeita Socorro Neri o ex-senador Jorge Viana deu uma recuada nas articulações para a formação de uma chapa próprio do PT para a eleição de prefeito da capital. Deve deixar a poeira baixar, ver a posição oficial do PSB, para emergir novamente.

FRASE DO DIA

“Nada mais cretino e mais cretinizante do que a paixão política. É a única paixão sem grandeza, a púnica que é capaz de imbecilizar o homem”. Nelson Rodrigues, dramaturgo e jornalista.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required
Propaganda
Propaganda

Leia Também

Mais lidas