Conecte-se agora

FIEAC faz balanço de 2019 e apresenta relatório de visita técnica à ponte do Rio Madeira

Publicado

em

Em Café com a Imprensa nesta terça-feira, 10, o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Acre, José Adriano, fez um balanço das atividades do setor industrial em 2019 e falou das perspectivas do segmento para o próximo ano. Durante o encontro na sede da FIEAC, as instituições que participaram da 2ª visita técnica à ponte do rio Madeira também apresentaram um relatório sobre o andamento da obra e os encaminhamentos que serão feitos para que as intervenções sejam concluídas em 2020.

De início, o presidente José Adriano agradeceu a imprensa pelo apoio às ações da FIEAC e do setor produtivo como um todo. Entre as principais iniciativas protagonizadas pela instituição ao longo do ano, o empresário citou as discussões levantadas pelo Fórum Permanente de Desenvolvimento, a Caravana do Desenvolvimento (que neste ano teve a parceria do Sebrae e Fecomércio), convênios firmados com o Tribunal de Justiça para inclusão social de jovens infratores, revitalizações, melhorias e ampliações das unidades do SENAI e do SESI no Acre, a posse da nova diretoria da FIEAC, entre outras atividades relevantes.

Ao fazer uma análise de como foi o ano de 2019 para os empreendedores do setor industrial, o presidente destacou que a classe empresarial conseguiu colocar de forma positiva suas propostas em debate, no entanto, enfatizou que ainda falta um pouco de maturidade por parte dos poderes Executivos para discutir com os segmentos e entender como isso pode ser feito de maneira mais eficaz.

“O governo que entrou tem uma proposta clara que quer fazer diferente, porém, ainda precisa de um amadurecimento em algumas questões. E também precisamos de uma política fiscal de resgate da condição financeira das empresas, pois não adianta fazer nenhum tipo de parcelamento com viés arrecadador e dizer que é um Refis, já que o Refis é algo que recupera devedor baseado em seu faturamento, e não um parcelamento que dá condições temporárias para fazer um resgaste da sua condição de pagamento junto ao governo estadual ou municipal”, frisou José Adriano.

Já o relatório da segunda visita técnica à ponte do rio Madeira, que aconteceu no dia 21 de novembro, foi apresentado pela presidente do Sindicato das Empresas de Logística e Transporte de Cargas do Acre (Setacre), Nazaré Cunha. Ela assinalou que a ponte já está pronta, entretanto, ainda falta a construção das cabeceiras, o que requer um investimento de R$ 23 milhões.

“Esse relatório já está nas mãos do Dnit e precisamos lutar para eles aprovarem o valor deste aditivo até o fim deste mês para que a obra seja concluída ainda em 2020. Se não ocorrer isso, não temos previsão de data para entrega. E se continuarem adiando, o nosso prejuízo é imensurável. O tempo para o empresário é muito valoroso. Com a tecnologia que temos hoje, não dá para admitir termos que entrar em um Estado em uma balsa”, ressaltou Cunha.

Também participaram do encontro com a imprensa diretores da FIEAC, presidentes de sindicatos industriais, além de representantes do Comitê do Plano Acreano da Cultura Exportadora (Pacex).

Assessoria FIEAC

Propaganda

Destaque 4

Jovem acreano faz farinha cantando músicas e sonha em participar do Programa do Faro

Publicado

em

De origem humilde, o jovem acreano Dudu Camargo, morador da zona rural de Sena Madureira, sonha em ser cantor profissional. Dudu já compôs mais de 40 músicas, e sonha em construir uma carreira no ramo da música.

Dudu tem o sonho de conhecer os seus ídolos, como o apresentador Rodrigo Faro, e os cantores Eduardo Costa, Zé Felipe e Marília Mendonça, dos quais se diz fã.

O jovem vem batalhando por um espaço no mundo da música e pede ajuda para que seus vídeos sejam compartilhados. O sonho dele é que o vídeo chegue até o apresentador Rodrigo Faro, da Record,  e desta forma venha a ter a sua tão sonhada oportunidade no programa.

Com informações do Portal Fatos & Notícias do Acre

Assista ao vídeo:

Continuar lendo

Destaque 4

ACISA cobra mais segurança e diz que empresários têm medo de abrir seus comércios

Publicado

em

A violência no Acre chegou a um ponto tão alarmante e preocupante que a cobrança por mais segurança e tranquilidade vem de todos os setores da sociedade.

O mais recente a manifestar preocupação é a Associação Comercial do Acre (ACISA). Em uma nota divulgada na manhã desta segunda-feira, 20, a entidade afirma que seus associados tem medo de abrir seus comércios por medo de não conseguir voltar com vida para suas casas.

A ACISA revela que pelo menos 40% das empresas que são associadas já sofreram algum prejuízo, oriundo da violência e cobra o fortalecimento da segurança pública para reduzir os índices de criminalidade e violência no Acre.

Leia a nota:

O medo da violência é uma realidade no Acre. Diante de um cenário preocupante relacionado a Segurança Pública do estado, a Associação Comercial do Acre – Acisa, se manifesta, temendo pela vida da população em geral e dos comerciantes, que estão vulneráveis e totalmente amedrontados com a onda de criminalidade. A entidade vem lutando para buscar o apoio necessário e dar suporte aos associados, que rotineiramente, relatam o medo de abrir as portas de seus comércios, com dúvidas se vão conseguir retornar com vida para casa.

Um levantamento feito nos primeiros 18 dias do mês de janeiro, mostra que 30 pessoas foram assassinadas no estado. Em relação ao comércio, a Acisa revela que pelo menos 40% das empresas associadas a entidade já sofreu algum prejuízo oriundo da violência. São números alarmantes. A diretoria da Acisa entende que existe a necessidade de fortalecimento do aparelho da segurança pública nesse momento, com recursos materiais e humanos para neutralizar a expansão da criminalidade e da violência no estado.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required
Propaganda
Propaganda

Mais lidas