Conecte-se agora

Mara Rocha pede a ministra Tereza Cristina mais fiscais do MAPA para agilizar exportação

Publicado

em

A Ministra da Agricultura, Tereza Cristina, recebeu, na noite dessa segunda-feira (09), representantes do Estado do Acre para tratar sobre a questão da Aftosa no Estado, além da criação da AMACRO, reunião dos recortes territoriais dos estados do Amazonas, Acre e Rondônia, visando um melhor aproveitamento dos potenciais de desenvolvimento dessas unidades federativas.

A reunião contou com a presença do Vice-Governador, Major Rocha, da deputada federal Mara Rocha (PSDB/AC), do senador Márcio Bittar (MDB/AC), do Secretário de Produção e Agronegócios – SEPA, Dr. Edivan Maciel, do deputado estadual Luiz Gonzaga e do Superintendente do Incra no Acre, Sr. Sérgio Bayum.

Na ocasião, a deputada Mara Rocha encaminhou solicitação à Ministra para aumentar o número de funcionários nos postos de fiscalização fitossanitária do Acre.

“Esta é uma demanda dos produtores acreanos que exportam produtos para a Bolívia e o Peru. Eles estão sendo prejudicados pela falta de profissionais do MAPA para realizar a fiscalização fitossanitária e análise visual da carga, bem como o desembaraço da documentação para a exportação, lembrando que estamos tratando de mercadorias perecíveis, que podem se perder em função da demora na fiscalização”, informou a parlamentar.

A Ministra informou que há uma falta de servidores mas que tentará encontrar uma solução que atenda à demanda dos exportadores do Acre.

Ainda na reunião o Dr. Edivan Maciel tratou sobre as demandas da SEPA para garantir um tratamento adequado à questão da aftosa. Segundo o Secretário, o Governo de Estado do Acre está reformando a infraestrutura básica da Secretaria e solicitou o envio de veterinários do Ministério para auxiliar no trabalho de cumprimento dos protocolos internacionais.

Sobre o assunto a Ministra garantiu que os Estados do Acre e Rondônia serão atendidos com profissionais que irão garantir o cumprimento das exigências internacionais de controle da aftosa na região norte.

“Essa ajuda, prometida pela Ministra, nos ajudará a tornar o Acre uma área livre de aftosa sem vacinação. O Governo do Estado está reformando nossas estruturas, estamos conseguindo material e insumos para trabalhar e, com a chegada dos médicos veterinários, nosso Acre estará apto para entrar no mercado de carne”, afirmou o Secretário de Produção e Agronegócios.

Anúncios

Destaque 4

Justiça acreana nega habeas corpus a menor que ajudou matar mãe e filhos bolivianos

Publicado

em

A desembargadora Waldirene Cordeiro indeferiu o habeas corpus impetrado, com pedido de liminar, em favor de um menor de 17 anos de idade acusado pela prática de ato infracional análogo ao crime de homicídio. O menor está internado provisoriamente, por ordem do Juízo de Direito da Vara Criminal da Comarca de Acrelândia, por ser acusado de desferir disparos de arma de fogo contra cidadãos bolivianos.

O adolescente é acusado de tentar resgatar um familiar acusado de estupro, que ocorreu em 13 de setembro de 2020. De acordo com os autos, o menor utilizou-se de meios que dificultaram a defesa das vítimas, desferindo disparos de arma de fogo contra duas pessoas, sendo considerado um homicídio consumado e o outro uma tentativa de homicídio.

No pedido, a defesa alega padecer de ilegalidade a decisão que decretou a internação provisória do menor, a ensejar sua imediata soltura, por violação ao art. 108, parágrafo único do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

A desembargadora ressalta sobre a questão da extraterritorialidade da lei penal brasileira, principalmente referente ao alcance também de ‘atos infracionais’ cometidos no exterior e diz existir indícios suficientes de autoria infracional praticada pelo menor e considerou um ilícito gravíssimo. “Ainda que seja o paciente primário, sua atuação no evento, segundo se extrai dos autos, apresentam uma escalada meteórica ao mundo do ‘crime’”, diz trecho da decisão.

Entenda o caso

O menor, segundo os autos, teria participação no resgate de um familiar acusado de estuprar uma adolescente de 14 anos, em uma cidade boliviana, próximo dos municípios de Acrelândia e Plácido de Castro, na região de fronteira com a Bolívia. O acusado de estupro e outro membro da família trabalhavam com a retirada de madeira em uma propriedade boliviana.

O pai da menina, que é boliviano, flagrou o ato de estupro e amarrou o homem em um tronco de árvore enquanto se dirigia até o lado brasileiro para pedir ajuda da polícia. Nesse intervalo de tempo, o outro homem acreano que estava no local, soube do ocorrido e avisou aos outros familiares, que foram até a propriedade boliviana para resgatar o suspeito.

No local, os familiares do acusado de estupro mataram a mãe da adolescente, dois irmãos da vítima e ainda atiraram contra a menor. Os corpos foram jogados próximos a uma árvore, e a casa da família foi queimada. A vítima, mesmo feriada, conseguiu fugir.

Continuar lendo

Destaque 4

Do mais rico ao mais pobre: os bens dos candidatos a prefeito do município de Brasiléia

Publicado

em

Manoel Prete e Leila Galvão triplicaram patrimônio, enquanto Fernanda Hassem teve menor evolução

Com o maior eleitorado da regional do Alto Acre, o município de Brasiléia terá uma disputa de peso nessas eleições, que será marcada por embates entre velhos conhecidos.

A atual prefeita e candidata à reeleição, Fernanda Hassem, do PT, já foi assessora de comunicação da ex-petista Leila Galvão, hoje MDB, quando esta administrou o município.

O empresário Manoel Prete, do PSDB, foi um adversário duro para Fernanda Hassem na última eleição, em 2016, quando obteve 6.013 votos contra 6.819 da petista.

Se os bens patrimoniais declarados à Justiça Eleitoral fossem critério para um bom desempenho nas urnas, Prete estaria com larga vantagem sobre as duas adversárias.

Da declaração que fez em 2016 para a atual, o empresário triplicou o seu patrimônio, que passou de R$ 1.120.703,94 para R$ 3.455.380,03.

Entre os bens declarados, destacam-se áreas de terra rurais e lotes urbanos, além de capital aplicado na própria empresa. Ele declarou um terreno de R$ 500 mil e uma antena parabólica de R$ 1.040,97.

A ex-prefeita e ex-deputada estadual Leila Galvão também triplicou o seu patrimônio desde a declaração de bens que fez à Justiça Eleitoral quando foi eleita para administrar o município, em 2008.

Naquele ano, ela declarou R$ 340.164,76 que evoluíram para R$ 504.110,53 quando foi eleita deputada estadual, em 2014, e para R$ 914.685,22, quando não conseguiu se reeleger, em 2018. Na atual declaração, ela cadastrou R$ 921.788,61 em bens.

Entre os bens declarados por Galvão, estão três propriedades rurais avaliadas em R$ 296 mil, um lote de terra urbano avaliado em R$ 219 mil, além de prédio comercial, casa residencial e veículos.

Já a atual gestora, Fernanda Hassem, tinha R$ 178.500,00 quando foi eleita vereadora, em 2012, evoluiu para R$ 366.595,00, em 2016, quando se elegeu prefeita, e decaiu para R$ 341.925,90 na atual declaração de bens.

O patrimônio declarado por Hassem consta de uma casa com terreno, avaliados em R$ 250.000,00, e um carro Honda FIT – Cor Preta – Ano 2018/2019 financiado, no valor R$ 71 mil, além de investimentos e aplicações bancárias.

Vale lembrar que o valor dos imóveis declarados nem sempre significa o que valem hoje. Normalmente se declara o quanto se pagou pelo imóvel na época da compra – ou no máximo se adiciona ao valor da compra o que foi gasto com obras e reformas.

Evolução patrimonial dos candidatos em Brasiléia

Fernanda Hassem (PT)

2012 – R$178.500,00

2016 – R$ 366.595,00

2020 – R$ 341.925,90

Manoel Prete (PSDB)

2016 – R$ 1.120.703,94

2020 – R$ 3.455.380,03

Leila Galvão (MDB)

2008 – R$ 340.164,76

2014 – R$ 504.110,53

2018 – R$ 914.685,22

2020 – R$ 921.788,61

Continuar lendo

Destaque 4

Mailza parabeniza Cruzeiro do Sul e fala dos mais de R$ 6 milhões enviados para o município

Publicado

em

A parlamentar destinou mais de R$ 6 milhões em emendas; R$ 2, 5 milhões já foram pagos à saúde

No dia que Cruzeiro do Sul completa 116 anos, a senadora Mailza Gomes (Progressistas-AC) usou as redes sociais para falar do seu trabalho pelo município e destacar seu comprometimento com a população cruzeirense. Ao todo, Mailza destinou mais de R$ 6 milhões para a saúde, assistência social e pesca.

Desse total, R$ 2,5 milhões (dois milhões e quinhentos mil) já foram pagos para a saúde, distribuídos assim: R$ 1,2 (um milhão e duzentos mil) foi para humanização e acolhimento da Maternidade e Hospital do Juruá; a segunda, no valor de R$ 1 milhão, para combate ao coronavírus e outra de R$ 350 mil para a Ufac – Campus Floresta fabricar máscaras e Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

Esse montante já pago se soma aos mais de R$ 4 milhões destinados pela parlamentar para as áreas da assistência social, combate a violência contra mulher e pesca, sendo R$ 1,6 (um milhão e R$ 600 mil) para construção da Casa da Mulher Brasileira, R$ 1 milhão para construção de casas populares; R$ 250 mil para Casa de Acolhimento Lar Ester Cameli, R$ 220 mil para compra de um veículo para Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Cruzeiro do Sul (APAE); R$ 200 mil, compra de um veículo e custeio Lar Vicentino e R$ 100 mil para Casa Abrigo do Juruá.

Já a Colônia de Pescadores de Cruzeiro foi contemplada com R$ 150 mil para compra de uma camionete e R$ 260 mil, compra de uma fábrica de gelo.

“Ano passado estive presente numa uma linda festa, cheia de energia, junto com a população. Quero dizer que nesse momento de dificuldade que ainda estamos passando, temos procurado ajudar por que Cruzeiro mora no meu coração. Sinto uma felicidade imensa saber que contribuo diariamente no Senado para a melhoria da vida das pessoas. Passo aqui para deixar meu abraço fraterno a cada cruzeirense, renovar meu compromisso de servir a população e dizer da honra e satisfação em contribuir com essa cidade, lugar de gente do bem, aconchegante, uma das mais lindas do Juruá”, disse a senadora Mailza.

Continuar lendo

Destaque 4

Adesão da bancada do Acre ao governo federal é de 89% na Câmara e 95% no Senado

Publicado

em

De acordo com levantamento do Congresso em Foco, os deputados federais de Santa Catarina formam a bancada mais alinhada às propostas do governo federal. Em 89% de todas as votações nominais da Casa, os catarinenses votaram de acordo com a orientação do líder do governo.

A bancada do Acre é a 6a que mais se alinha ao Palácio do Planalto na Câmara dos Deputados mas é 1a no Senado, segundo esse levantamento.

Em 80% das votações na Câmara, os acreanos se posicionaram favoráveis ao governo. No Senado, essa adesão é de 95%.

O cálculo, explica o Congresso em Foco, é feito a partir da comparação entre a orientação do líder do governo e o voto dos deputados.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas