Conecte-se agora

Repórter da Globo é o convidado especial para o Prêmio Jorge Said de Comunicação

Publicado

em

Uma noite de muita emoção, memórias e histórias é o que se pode esperar desta quinta-feira (05) quando acontece o evento de entrega do Prêmio Jorge Said de Comunicação, realizado pela Prefeitura de Rio Branco e que vai premiar as melhores reportagens de TV, Rádio e Web sobre as políticas públicas municipais.

Criado na gestão da prefeita Socorro Neri, além de homenagear o jornalista que dá o nome ao prêmio, o objetivo é reconhecer e valorizar o trabalho da imprensa local, conforme explicou a diretora de comunicação, Socorro Camelo, que convidou para participar do evento o repórter, Francisco José.

Com 44 anos de reportagens na Rede Globo de Televisão, ele desembarcou em Rio Branco na madrugada desta quinta-feira (05) trazendo muita bagagem para compartilhar.

“A ideia é contar histórias. Eu envelheci fazendo reportagens e sempre com superação. Vou mostrar as dificuldades que a gente tem para fazer uma reportagem. Na maioria das vezes parece impossível, como por exemplo ir ao topo das montanhas na África ou procurar os maiores tubarões do planeta sabendo que eles podem te atacar e eu consegui filmar dentro da boca de um tubarão de 4 metros que é o que mata na minha cidade [Recife]. Mas eu desmistifico essa história do tubarão porque ele não é um vilão, não é um matador. Ser humano não é comida de tubarão. Ele é atraído por peixes. Nas Bahamas, para filmarmos os grandes tubarões, jogaram mais de 300 quilos de peixe na água para eles virem.”, disse dando uma prévia do que será sua palestra durante o evento, no restaurante La Nonna.

Renomado por suas reportagens especiais, Francisco José, que já esteve a trabalho nos cinco continentes da Terra, vai falar também sobre os desafios que superou sendo repórter do interior do Nordeste brasileiro, como por exemplo abrir mão do seu sotaque.

“É a mesma dificuldade que existe aqui no Acre, ao mesmo tempo eu tive um exemplo para conquistar espaço. Tem um acreano que, para mim, foi o maior jornalista de todos os tempos: Armando Nogueira. Foi quem me levou para a Globo, me ensinou, que cobrou, me deu oportunidades todas.”. lembrou.

Chico José, como é chamado informalmente e como assina seus perfis nas redes sociais, irá exibir um vídeo sobre superação. Nesta sexta-feira (06) irá ao ar com uma matéria especial sobre a Serra do Roncador, localizada no interior do Mato Grosso. Será seu 102º Globo Repórter.

“É como se eu tivesse feito sozinho três anos de programa. O que eu quero dizer com isso é que, apesar das dificuldades não podemos nos acomodar. Quem tem talento basta desenvolver para vencer e isso todos tem. Além disso, é preciso ter responsabilidade. Se eu não encarasse com seriedade e pudesse voltar aos lugares onde já fui fazendo reportagens, eu não teria como sobreviver tanto tempo no ar. Seria desacreditado.”, destacou.

Novos e velhos desafios

Sendo um repórter que atravessou gerações, acompanhou o avanços das tecnologias e as transformações nas ferramentas do jornalismo, Francisco José traça um paralelo entre as tecnologias disponíveis antes e as de atualmente.

“Na primeira eleição, no período da democratização quando veio a Constituinte, a Globo instalou uma repetidora no interior do sertão de Pernambuco para eu conseguir gerar minhas matérias. Hoje a gente faz reportagem com o celular. Manda tudo, recebe também das pessoas. Eu sou de um tempo em que se fazia jornalismo investigativo sem computador, sem telefone celular.”, lembrou.

Neste contexto, Francisco José relata o que considerava desafio nos tempos em que começou. “O repórter tinha que botar a cara e no Nordeste, uma terra sem lei que é até hoje. Mas na época era todo mundo armado, tiroteio nas cidades, família destruindo família. Na cidade de Exu [interior de Pernambuco] foram mais de 50 mortos entre duas famílias. Era uma verdadeira guerra. Tinha pistoleiros e a gente tinha que denunciar isso e mostrar sem ‘disque denúncia’, sem nada. Era metendo a cara na época em que era difícil também trabalhar com os equipamentos que nós tínhamos.”, ressaltou.

Nos tempos atuais, com o apogeu das redes sociais, Francisco José pondera que há mais possibilidades de acesso da sociedade às informações e destaca a importância da TV nesta conjuntura. “Esse caso da favela de São Paulo [Paraisópolis], por exemplo, não tem nenhuma imagem feita pela Globo. São todas imagens da comunidade e isso contribui muito. Então é o imediatismo e as emissoras tem que aproveitar que ainda há credibilidade para ee adaptar a isso porque a rede social dá uma notícia e não se sabe se é Fake News ou se é verdadeira. Quando aparece nas televisões é que se tem a comprovação de que aconteceu de fato.”, ponderou.

Francisco José concorda que as redes sociais proporcionam a democratização da comunicação e impõem uma nova dinâmica. “O maior incentivo é que essa é a melhor geração de todos os tempos. Os jovens que estão surgindo são melhores que os jovens da minha época e a televisão está fazendo uma renovação total. Há uma renovação geral. Os veículos de comunicação precisam acompanhar a dinâmica das redes sociais e estão fazendo isso.”, concluiu.

Anúncios

Cotidiano

Ministério Público Federal alerta para golpe com e-mail da PGR

Publicado

em

O Ministério Público Federal emitiu nota para esclarecer à sociedade que o procurador-geral da República, Augusto Aras, não encaminha e-mails individuais aos membros do Ministério Público da União, aos servidores ou a quaisquer cidadãos com informações sobre andamento de procedimentos do sistema do próprio Ministério Público Federal e do Judiciário. Alerta, ainda, que os endereços de e-mails oficiais do Ministério Público têm domínio próprio e não são finalizados em “.com.br” e sim em “.mp.br”.

Caso de uso indevido de endereço eletrônico supostamente atribuído ao procurador-geral oferecendo um link para consulta de andamento de processos assemelha-se aos já conhecidos e-mail phishing, que buscam violar o sigilo de dados de usuários da internet, e está sob investigação.

Consultas processuais devem ser efetuadas por meios oficiais e direcionadas à Central de Atendimento ao Cidadão do MPF ou – no caso dos veículos oficiais de imprensa – à própria Secretaria de Comunicação da Procuradoria-Geral da República e Assessorias de Comunicação das Procuradorias Regionais e Procuradorias da República.

Continuar lendo

Cotidiano

Xapuri assina ordem para a continuidade da reforma do museu Casa Branca

Publicado

em

Data que marcou o início do fato histórico mais relevante do Acre, esse 6 de agosto de 2020 não terá celebrações em Xapuri, local onde eclodiu, há 118 anos, a Revolução Acreana. No entanto, um ato alusivo ao movimento armado liderado pelo gaúcho José Plácido de Castro será realizado pela prefeitura local. Será assinado nesta quinta-feira, 6, a ordem de serviço para a continuidade da reforma do museu Casa Branca.

A obra de restauração do antigo prédio está parada há 5 anos, desde a gestão do ex-prefeito Marcinho Miranda, por conta de problemas com o convênio firmado junto ao Ministério do Turismo. A reforma previa melhorias do patrimônio e da praça Plácido de Castro, que fica ao lado, além de adaptações estruturais para garantir o acesso de portadores de necessidades especiais, como a inclusão de um elevador no projeto original.

Inicialmente, foram destinados R$ 495 mil oriundos de emenda do senador Sérgio Petecão para a restauração do espaço cultural. O contrato de repasse tem a interveniência da Caixa Econômica Federal. De acordo com a assessoria da prefeitura, vários “gargalos” burocráticos vinham adiando a retomada dos serviços, que, finalmente, foi anunciada nesta quarta-feira, 5, pelo prefeito Ubiracy Vasconcelos.

Farsa histórica

Apesar de ser considerado como a sede da antiga Intendência Boliviana de Mariscal Sucre, onde Plácido e Castro teria travado com o intendente Juan de Dios Barrientos o célebre diálogo: “És temprano para la fiesta; não é festa, é revolução”, para alguns historiadores, como o acreano Marcos Vinícius Neves, a atribuição não passa de uma farsa histórica. Segundo ele, em 1902, o prédio sequer existia. Foi construído em 1910 para funcionar como hotel e restaurante.

“Até hoje a fraude da Casa Branca de Xapuri continua sendo ensinada às novas gerações de acreanos e prejudica enormemente a compreensão da formação de uma das cidades mais importantes da história do Acre. Afinal, na verdade, a Intendência boliviana ficava abaixo da boca do rio Xapuri (e não acima como está a Casa Branca) para viabilizar a cobrança de impostos sobre a borracha produzida nos seringais desse rio além dos seringais do rio Acre. Assim turistas acreanos, brasileiros e estrangeiros seguem sendo enganados por um verdadeiro estelionato histórico”, escreveu certa vez na coluna Miolo de Pote, que assinava no jornal Página 20.

Continuar lendo

Cotidiano

Cerca de 56 quilos de maconha são apreendidos em Cruzeiro do Sul

Publicado

em

Dois homens tentaram fugir na manhã desta quinta-feira, 6, após serem pegos transportando 56 quilos de maconha em uma caminhonete próximo ao aeroporto de Cruzeiro do Sul. A ação policial, realizada pelo Grupo Especial de Fronteiras (Gefron) da PM no Juruá, conseguiu prender os suspeitos.

A dupla que carregava a droga no veículo, um homem de 31 anos e outro de 37, tentou escapar dos policiais, mas foram seguidos e capturados com a droga, que estava escondida em sacos de estopa.

Os dois foram conduzidos à delegacia geral da cidade para procedimentos cabíveis.

Continuar lendo

Cotidiano

Academias e realização de eventos continuam proibidas durante a faixa amarela

Publicado

em

Diversos outros serviços voltaram a ter permissão para funcionar no Acre após a reclassificação de risco da pandemia que, segundo o Comitê de Acompanhamento Especial da Covid-19, coloca o Estado na fase de atenção (Bandeira Amarela). No entanto, outras atividades seguem proibidas nesta faixa, sendo necessário passar para a Bandeira Verde, quando, só então, estarão liberadas.

De acordo com o plano do Pacto Acre sem Covid e o governo do Acre, continuam fechados durante a Bandeira Amarela: espaços públicos entre parques, quadras poliesportivas, campos de futebol comunitário, espaços destinados para atividades físicas e similares que ocasionam aglomeração de pessoas; academias de ginástica, clubes esportivos e de lazer e similares; além de não ser permitida a realização de eventos, feiras, seminários e congressos.

Ainda segundo o governo, o enquadramento dos estabelecimentos de ensino educacional regular (escolas de ensino fundamental e médio, universidades e centros universitários) e creches será́ realizado por meio de resolução específica do Comitê̂ de Acompanhamento Especial da Covid-19.

No momento, templos religiosos, restaurantes, pizzarias, lanchonetes, sorveterias e bares voltam a funcionar com capacidade limitada, de pelo menos metade do total, além de determinar distância mínima de 2,5 metros entre o público.

O Via Verde Shopping, que já vinha funcionando, passa a poder receber até 60% de sua capacidade. O cinema que funciona no local também recebe autorização para reabrir com 30% da capacidade. Assim como hotéis, pousadas e motéis que já estavam reabertos ampliam de 30 para 60% da capacidade.

Centros e escolas de formação e capacitação, estúdios de dança, escolas/estúdios de música, centro de formação de condutores de veículos automotores e similares também voltam a abrir com capacidade reduzida de 30%.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas