Conecte-se agora

Folha destaca suspensão de fiscalização em Resex após denúncias contra o ICMBio

Publicado

em

Reportagem do jornal A Folha de São Paulo, publicada nesta quarta-feira, 4, resume o que o ac24horas vem acompanhando nos últimos meses sobre a polêmica que envolve ocupantes da Reserva Extrativista Chico Mendes e o órgão ambiental federal que leva o mesmo nome da unidade de conservação, o ICMBio.

De autoria do correspondente para a Amazônia, Fabiano Maisonnave, que tem base em Manaus, a reportagem faz um resumo do embate que fez com que o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, determinasse a suspensão das ações do ICMBio na Resex acreana e acatasse ao pedido de realização de uma audiência pública na UC.

A audiência foi proposta pela deputada federal Vanda Milani, do Solidariedade do Acre. Outros quatro congressistas acreanos têm dedicado atenção ao assunto: os senadores Márcio Bittar (MDB), Sérgio Petecão (PSD) e Mailza Gomes (PP), além da deputada federal Mara Rocha (PSDB).

Márcio Bittar e Mara Rocha, inclusive, preparam projetos de lei para reduzir a Resex Chico Mendes, excluindo de seus limites uma área localizada entre a BR-317 e o rio Acre, onde, segundo os pleiteantes dessa medida, não existe mais o chamado “perfil extrativista”, imperando a pecuária e a agricultura familiar.

Lei a reportagem completa da Folha: Após se reunir com infratores ambientais, Salles suspende fiscalização na reserva Chico Mendes

O debate em torno da Reserva Extrativista Chico Mendes tem como pano de fundo uma dura e incontestável realidade. A Floresta Amazônica está sucumbindo a olhos vistos ao desmatamento, segundo mostram os dados do Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD) do Instituto do Homem e do Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) divulgados no começo de novembro.

A organização que realiza o monitoramento independente da cobertura florestal na Amazônia Legal detectou 802 quilômetros quadrados de desmatamento na Amazônia Legal em apenas 30 dias, durante o mês de setembro deste ano. O aumento foi de 80% em relação a setembro de 2018, quando o desmatamento somou 444 quilômetros quadrados. Em setembro de 2019, o desmatamento ocorreu no Pará (53%), Rondônia (13%), Amazonas (11%), Acre (11%), Mato Grosso (10%) e Roraima (2%).

As florestas degradadas na Amazônia Legal somaram 1.233 quilômetros quadrados em setembro de 2019, enquanto em setembro de 2018 a degradação florestal detectada totalizou 139 quilômetros quadrados, um aumento de 787%. Em setembro de 2019 a degradação foi detectada no Mato Grosso (55%), Pará (33%), Rondônia (6%), Acre (3%) e Amazonas (3%).

A maioria do desmatamento (48%) ocorreu em áreas privadas ou sob diversos estágios de posse. O restante foi registrado em assentamentos (31%), unidades de conservação (14%) e terras indígenas (7%).

A Reserva Extrativista Chico liderou o ranking de Unidades de Conservação mais desmatadas em setembro, com 22 km² de desmatamento. No Acre, o desmatamento atingiu 86 quilômetros quadrados nesse período.

Propaganda

Cidades

Polícia investiga morte de homem encontrado sem marcas de violência na própria cama

Publicado

em

A Polícia Civil de Cruzeiro do Sul investiga se José Francisco da Silva, encontrado sem vida em cima da própria cama, na tarde desta segunda-feira, 27, no bairro Cruzeirão, morreu de infarto.

O diarista não era visto pela vizinhança desde sexta-feira, 24. Nesta segunda-feira, 27, um parente arrombou a porta da casa de José Francisco e encontrou o corpo já em estado de decomposição.

O corpo está passando por exame no Instituto Médico legal.

O delegado Marcos Vinicius, disse que o homem tinha problemas de saúde e há informação de que bebia muito. “Ele morreu em cima da própria cama sem sinais de violência e estamos investigando”, contou o delegado.

Continuar lendo

Cidades

Professores cruzeirenses aprovados em concurso vão protestar pelo não chamamento

Publicado

em

Nesta segunda-feira, 27, um grupo de professores aprovados no concurso público, mas não convocados, procurou a coordenação do Núcleo de Educação de Cruzeiro do Sul para saber quando serão chamados para trabalhar.

Como não houve definição sobre data, eles garantem que na quarta-feira da semana que vem, dia 5 , vão fazer um grande ato de protesto no Núcleo de Educação, em parceria com o Sinteac.

Eliane Neri, professora de história, aprovada em 6° lugar no certame, destaca que professores provisórios vão passar por formação para iniciar o ano letivo no dia 10 de fevereiro. “Nós que devíamos ir pra Formação pra começar as aulas”.

Segundo Eliane a coordenadora do Núcleo de Educação em Cruzeiro do Sul , Ruth Bernardino, disse ao grupo que o governo do Estado aguarda um relatório da secretaria de Fazenda sobre o número de servidores e a Lei Responsabilidade Fiscal para definir a data de convocação dos aprovados.

Aos jornalistas, Bernardino afirmou que as convocações “serão feitas a qualquer momento”.

Em Cruzeiro do Sul são cerca de 196 aprovados no Concurso Público realizado ainda no governo Sebastião Viana. O governador Gladson Cameli chamou cerca de 200 professores em todo o Estado, sendo 50 de Cruzeiro.

Em Rio Branco houve protestos dos aprovados no Concurso da Educação em frente à Casa Civil.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required
Propaganda
Propaganda

Mais lidas