fbpx
Conecte-se agora

Enfim, o governo tem uma base de apoio na Aleac

Publicado

em

O que vinha acontecendo desde a chegada do atual grupo político ao poder era que não tinham conseguido montar na Assembléia Legislativa uma base confiável sólida de apoio ao novo governo. Tanto é que vieram derrotas em votações de matérias governamentais, não havia articulação e a coisa ia andando aos trancos e barrancos. Era tudo muito confuso, sem uma sintonia entre o Legislativo e o Executivo, uma Torre de Babel. Depois da votação de ontem o governador pode dizer que, enfim, tem uma base confiável para aprovar os seus projetos na ALEAC. O teste de ontem foi de fogo, porque a PEC da Previdência causou muitos protestos, era necessária, mas também amarga. E com forte reação dos sindicatos dos servidores contrários à sua aprovação. O governador enfim vai ter nas suas contas saber com quem pode ou não pode contar no parlamento. Até porque, sem parlamento não se governa.

CONVERSA FRANCA

O que se ouviu muito ontem de deputados da base do governo é que a votação serviu para mostrar ao governador que nos momentos mais difíceis o voto que vale para resolver os problemas do Estado, não é dos deputados federais, mas os dos deputados estaduais.

CARGOS ALÉM DA CONTA

A reclamação dos deputados estaduais é que os deputados federais foram aquinhoados com espaços mais generosos no governo, com secretarias inteiras de porteira fechada, enquanto eles estão com espaços reduzidos. Este é um assunto que terá que passar por uma discussão.

OUTRO ASPECTO

Outro aspecto é que o governador poderia estar ajudando a mesa diretora a resolver os problemas financeiros herdados da gestão anterior. O Legislativo está com dificuldades para fechar 2019 no azul e vai precisar de ajuda de contrapartida nas relações com o Executivo.

AGIU COMO PARTIDO

O MDB agiu como um partido organizado. Reuniu sua executiva, deliberou pela votação a favor da PEC da Reforma estadual, e os seus três deputados votaram a favor. Os deputados Antônia Sales, Meire Serafim e até o crítico do governo, Roberto Duarte, cravaram fechados.

PSDB DIVIDIDO

O PSDB do vice-governador Major Rocha deixou a questão aberta. O deputado Cadmiel Bonfim votou a favor e o deputado Luiz Gonzaga foi liberado para uma reunião do partido em Brasília. Na última vez que conversei com o deputado Luiz Gonzaga, ele disse que não votaria a favor.

IRONIA DO DESTINO

Tosca a ação de manifestantes que destruírem os marmitex que eram levados basicamente para servidores da ALEAC. Só que no lote, por ironia do destino, tinha um que seria consumido pela deputada Maria Antônia (PROS), que votou contra a PEC da Previdência. Votou com fome.

MALAS PRONTAS

O deputado Chico Viga confirmou ontem estar negociando com o PODEMOS para conseguir uma carta de liberação, factível de acontecer, para se filiar ao PR da ex-deputada federal Antônia Lúcia. O pacote sendo fechado o PR ficaria com três deputados na ALEAC.

FICA NO PODEMOS

Já o deputado Josa da Farmácia (PODEMOS) nega que pretenda deixar o partido.

TEM QUE TER POSIÇÃO

Na política tem que se ter posição. Quem não tem posição não merece respeito e, dificilmente, conseguirá credibilidade no parlamento. Por isso, o fato dos deputados Fagner Calegário (PR) e Maria Antonia (PROS) terem votado contra o projeto do governo não cabe nenhuma crítica.

DOIS POLOS

Enquanto o deputado Roberto Duarte (MDB) era elogiado no concílio dos cardeais do governo, por mesmo sendo crítico das ações do governador ter votado a favor da PEC, outro comentário foi de que, de hoje em diante o deputado Fagner Calegário (PR) será tratado como oposição.

EIS QUE SURGE O NENÉM ALMEIDA

Ausente do plenário nos debates, a grande interrogação que corria entre os jornalistas que cobriam a sessão era para saber se o deputado Neném Almeida (sem partido) apareceria para votar o polêmico projeto do governo. Na hora da votação apareceu e votou a favor.

FALANDO DE COTAS

Tenho por princípio de que você tem que ganhar espaços profissionais pela competência e não pela cor. Acho que a prefeita Socorro Neri agiu certo ao vetar o projeto do vereador Jackson Ramos (PT), que estabelecia 20% de vagas para negros em concursos da PMRB.

VAMOS TER QUE RECONHECER

Já fiz várias críticas ao deputado Géhlen Diniz (PROGRESSISTAS). Mas sobre o seu papel na condução dos trâmites da PEC da Previdência estadual, este foi impecável. Enfrentou uma oposição renhida e articulada, não se escondeu, mostrou a cara defendeu com convicção. 

SÃO COMPETENTES E PREPARADOS

Não avalio a ação de um parlamentar pela sigla partidária, mas pela competência política. Os deputados Daniel Zen (PT), Jenilson Lopes (PSB) e Edvaldo Magalhães (PCdoB) foram valentes e mantiveram o debate até a hora da votação. Tem que se respeitar sempre o contraditório.

JOGO FOI JOGADO

O desfecho não poderia ser outro ao não ser de prevalecer a posição da majoritária da base do governo, porque no parlamento quem dá o tom é quem tem mais votos. Sempre foi assim quando o PT era majoritário na ALEAC e hoje é a vez dos opositores no poder dar as cartas.

NÃO TINHA GARANTIA

O ideal era que não tivesse a Polícia Militar cercando a Assembléia Legislativa. Mas não havia garantia que com a presença dos manifestantes no plenário a votação não acabaria em confronto. Já no debate anterior só saíram do plenário depois que as luzes foram apagadas, como forma de impedir a votação. Quem vai para um ato pacífico não leva ovos e tomates.

NINGUÉM IA SEGURAR

Empurrados pela oposição, só com o quadro de segurança do Legislativo, com os sindicatos incentivando o protesto, não se seguraria, e a integridade física dos deputados estaria em risco. Isso é que pesou para a mesa diretora pedir segurança da PM.

O PARLAMENTO É VOTO

O debate deve ser sempre de idéias. E no parlamento o que vale é o voto. A democracia ensina que se pode discordar frontalmente de uma decisão, mas tem que se respeitar o que pensam os contrários. Não existe democracia de mão única, mão única é nos regimes ditatoriais.

DEIXOU A BOCA TORTA

Nos governos do PT, o mantra era de que só nos prestamos e a oposição é uma escória. Existem setores do atual governo com o discurso invertido de que somos puros e os petistas os impuros. O debate é o que não foi feito pelo PT e o que este governo poderá fazer. E ponto.

RESPOSTA DURA

O secretário de Segurança, Coronel Paulo César, anunciou ontem que todos os que mostraram a cara como representantes de organizações criminosas serão representados por formação de quadrilha, pedidas as prisões preventivas, algumas já emitidas e a partir de hoje o grupamento do GEFRON já estará atuando em Tarauacá, para uma grande operação regional.

QUEM CONDENA É A JUSTIÇA

As acusações contra o deputado federal Alan Rick (DEM) devem ser vistas como acusações, já que não há Denúncia do MP e nem decisão judicial. E ao seu favor está ser um político ficha-limpa, uma vida regrada, sem uma nódoa, e mais que nunca deve se aplicar a ele a presunção de inocência. Quem condena é a justiça. Não antecipemos, pois, nenhum juízo de valor.

PREFEITURA PARA DAR CONFUSÃO!

Estou para ver prefeitura para ter confusão igual á prefeitura de Capixaba. Entra prefeito e sai prefeito e vira e mexe a PF está lá apurando denúncias. A PF esteve lá de novo. Espera-se que na próxima eleição a população do município avalie bem, antes de escolher o prefeito.

POSTURA DE EQUILÍBRIO

Não se pode comentar os episódios de ontem, na ALEAC, sem falar da conduta dos policiais militares que, mesmo atingidos por ovos jogados pelos manifestantes, não entraram na provocação e se mantiveram incólumes nos seus postos cumprindo ordens superiores.

NÃO HAVIA MAIS O QUE DISCUTIR

A defesa feita pelos deputados Jenilson Lopes (PSB) e Edvaldo Magalhães (PCdoB) de retirada de pauta da PEC da Previdência, de mais tempo para votar, foram mais iniciativas protelatórias. Não havia mais o que discutir, além dos pontos suprimidos nos debates.

SIMULACRO DE DEMOCRACIA

Para o deputado Daniel Zen (PT), o que houve na verdade foi um simulacro de democracia, com a retirada do debate de pautas como a Sexta-Parte, Licença-Prêmio, Auxílio-Funeral, que não eram matérias do eixo da PEC. Disse que, ao falar que houve avanços, na verdade o governo criou uma falsa impressão que cedeu, para posar de bonzinho, enfatizou.

SESSÃO DEVERIA SER ABERTA

Na sua avaliação a sessão deveria ser aberta ao público. A segurança poderia ter sido reforçada, ter acontecido uma revista rigorosa em quem fosse entrar na ALEAC, mas não fechar o acesso às galerias dos manifestantes, destacou o deputado Daniel Zen (PT). 

FICA SEM SABER

Não sei se existe algum jornalista destinado para cobrir as atividades da SESACRE. Mas se houver o secretário Alysson Bestene deveria usar o canal para dizer o que está fazendo, os seus projetos, para mudar a cara do atendimento pela SESACRE. Se fechar é receita errada.

SEJAMOS REALISTAS

A SESACRE foi uma das áreas em que o governo continua patinando no atendimento deficitário é uma verdade. Mas é verdade também que o governador inaugurou o novo Pronto Socorro, a UPA de Cruzeiro do Sul, vai entregar a última ala do Hospital de Brasiléia, o que falta é decolar.

UMA GRANDE VITÓRIA

O deputado federal Alan Rick (DEM) tem o que comemorar. O projeto do REVALIDA, pelo qual tanto lutou para dar condições aos médicos formados no exterior para se regularizar no CRM, foi aprovado ontem na Câmara Federal. O projeto prevê duas provas do REVALIDA por ano.

ISSO PODE, LIBERAIS?

A secretária de Turismo, Eliane Sinhasique, formou parceria com o Instituto Chico Mendes para potencializar a marca Chico Mendes em produtos agroflorestais. Isso pode, Liberais?

 

APURAR DENÚNCIAS

A deputada federal Vanda Milani (SD) está sendo pragmática sobre as denúncias de supostos abusos por órgãos ambientais, contra ocupantes da Reserva Chico Mendes. Requereu na Câmara Federal uma Audiência Pública com a presença do ministro Ricardo Sales, dentro da reserva. Assis vai tirar o caso a limpo.

 

Propaganda

Blog do Crica

Saindo do Purgatório 

Publicado

em

O ex-senador Jorge Viana (PT)  saiu do purgatório político numa longa entrevista ao ac24horas. O que eu penso da volta do JV: é o político mais sagaz da oposição e o de maior representatividade. Não meço a qualidade de um político pela cor partidária. Mudou a cara urbanística de Rio Branco quando prefeito. O seu governo teve avanços, mas não ao ponto de não ter brechas para críticas. Não compartilho das suas idéias políticas e nem da sua adoração mística pelo Lula. Mas respeito o que pensa. Mas, vamos lá: parece que o tempo em que esteve calado não foi suficiente para lamber as feridas da derrota vergonhosa do seu partido, após duas décadas no poder. Até entendo o seu silêncio pelo lado familiar, mas não pode dizer que as administrações petistas foram as maravilhas do mundo, quando o último governo do PT, do seu irmão, passou a administração ao sucessor sem pagar o 13° dos servidores, os terceirizados, e com uma dívida astronômica com fornecedores. As medidas do seu governo com a política da florestania não atingiram o foco principal do seu discurso ambientalista: os chamados “povos da floresta” não saíram da miséria e do abandono que se encontram até hoje. Aquele discurso de libertar economicamente estas comunidades com a exploração dos produtos florestais fracassou. A sua derrota JV, foi uma decisão popular e sobre a qual a então oposição não teve nenhuma influência. Vocês perderem para vocês, essa é a verdade! Não pode dissociar a sua derrota ao desgaste do governo do seu irmão e nem do erro histórico e burro de lançarem dois candidatos ao Senado. O JV coloque na sua cabeça que, embora vocês tenham tido algumas realizações o povo cansou de vocês. Cansou da arrogância e do slogan “só nos prestamos”. Vocês perderam pela empáfia que venceriam a eleição a hora que pretendessem. Quando falo “vocês”, me refiro ao coletivo de 20 anos de mando. A sua tentativa de voltar a ocupar os espaços na política não será ao curto prazo, não espere começar pela eleição municipal. Uma candidatura própria do PT á PMRB vai mostrar, por certo, o tamanho real do prestígio fora do poder. O “Fora, PT” ainda está muito forte na capital. No mais, o contraditório sempre é bom para alimentar o debate político.

CORREÇÃO NA HISTÓRIA

Falo porque vivi a campanha dentro. Não é verdade que ajudava os prefeitos de oposição. O ex-prefeito Isnard Leite, que o diga. Quando você cita que ajudou o então prefeito César Messias, não estava ajudando um oposicionista. O César era oposição na capa, porque comandou junto com o Orleir Cameli a sua campanha vitoriosa no Juruá. Natural que desse o reconhecimento quando chegou ao poder. E ajudou até o César Messias ser vice-governador.

NUNCA FOI IDEOLÓGICA

Outra contestação: fala muito da “Frente Popular” como uma grande conquista política. A FPA nunca foi uma aliança ideológica. Só existiu pelos cargos distribuídos aos partidos nanicos. Tanto é que, quando o PT fechou a comporta de ajuda, pularam para a campanha do Gladson.

O POVO DEFINIU A MUDANÇA

O que o JV tem que entender é que a um governo não se dá a sentença final no seu primeiro ano de administração. Tem que se esperar o último ano. Você fala que o Gladson errou em terceirizar o poder para feudos políticos, cujos indicados, secretários ou diretores, atendem primeiro os seus padrinhos e depois o governador. Nisso concordo, por já comentar no BLOG.

UM NOVO RUMO

Concordo também que o governo Cameli precisa fazer uma nova arrumação no seu secretariado e cobrar resultados. Não pode manter no cargo alguém por ser indicação política. Mas depois do desastre dos últimos quatro anos de governo do PT, seus dirigentes não parecem ser o melhor conselheiro para que aponte os rumos desta correção. 

CONFIRMANDO O BLOG

Em um trecho da entrevista o ex-senador Jorge Viana confirma um furo deste BLOG que o seu sonho era ver o melhor nome do PT do momento, ex-prefeito Angelim, disputar a PMRB, sendo candidato a prefeito no lugar da prefeita Socorro Neri. Não combinou com os russos.

É DA DEMOCRACIA

No mais, o ex-senador Jorge Viana (PT) tem o direito legítimo como político e cidadão de falar o que acha certo ou acha errado do atual governo, por estarmos num regime democrático.

MUDANDO DE ASSUNTO

Vamos parar com esta história que a recente colheita de soja é um marco para o agronegócio do Acre, como tocou trompete o diretor da EMATER-ACRE, Tião Bocalom. O mesmo produtor plantou no governo passado. A diferença é que este governo não inventa dificuldades ambientais a quem opta por esta cultura. E não limitar culturas ajuda no desenvolvimento.

QUAL O PROBLEMA DE CONVERSAR?

Não sei se é problema pessoal, birra, não consigo entender o motivo pelo qual o secretário de Educação, Mauro Sérgio, não senta para conversar com a presidente do SINTEAC, Rosana Nascimento, sobre as reivindicações da classe, até para dizer “não”, se assim for o caso.

NÃO COMENTO

Não vou fazer comentário sobre esta pesquisa a ser publicada hoje, por mais séria que seja, por estar muito longe do quadro que se formará para a disputa da PMRB. Não sei nem como ficarão as alianças, quem o Gladson Cameli apoiará, se a Socorro será candidato com ou sem o PT, sem essas definições fica muito difícil se fazer uma análise com alguma margem de acerto.

PAUTAS FAMILIARES

Não entro em discussão de pautas familiares de cidadãos comuns, mas quando este tipo de debate envolve um político, não há como deixar de fora de uma discussão. O deputado Roberto Duarte (MDB) precisa resolver esta sua situação de herança ou isso será explorada na campanha de prefeito pelos adversários. Numa campanha eleitoral não se pode ter flancos.

NOMES CONFIRMADOS

Vanda Milani (SD), Jamil Asfury (PSC), Minoru Kinpara (PSDB), Roberto Duarte (MDB), Rogério Venceslau (PSL), Socorro Neri (PSB), Jarbas Soster (AVANTE), Pedro Longo (PV), Sanderson Moura, são os nomes até aqui confirmados para a disputa da PMRB. A lista tende a crescer.

FAVORECE O PODER

Não tenho relação, nunca conversei com o prefeito Kiefer de Feijó, mas a oposição ao seu mandato está lhe dando um favoritismo, pela pulverização dos votos neste campo. O PT terá candidato a prefeito, e também; o MDB e PCdoB, esta divisão favorece quem está no poder. Pode mudar no curso da campanha, mas a fragmentação não favorece aos oposicionistas.

PEÇAS IMPORTANTES

Duas peças importantes na campanha de prefeito de Rio Branco ainda não se posicionaram no tabuleiro: deputado federal Alan Rick (DEM), bem votado na capital, e o senador Petecão (PSD), o campeão de votos da última eleição. Apoios importantes a qualquer candidato.

NÃO É POR FALTA DE AÇÃO

Todo dia se noticia prisões de bandidos, apreensões de drogas, elucidação de crimes, mas o patamar da criminalidade continua muito alto em Rio Branco. Não é por falta de ação policial.

APOSTANDO TUDO

O PSDB está apostando tudo numa decisão do Gladson de apoiar o Minoru Kinpara na disputa da PMRB no primeiro turno. Mesmo isso dando uma confusão gigante com os outros aliados.

DO TAMANHO QUE FICOU

A festa dos 40 anos do PT ficou do tamanho que saiu da última eleição, com apoiadores reduzidos. Quando estava no poder, este tipo de festa tinha dirigente partidário disputando espaço para ficar mais perto do governador ou do prefeito. Assim é a política partidária.

CONTINUA NO BARCO

O deputado Manoel Moraes (PSB) avaliou as pesquisas, viu que o prefeito de Xapuri, Bira Vasconcelos (PT) aparece bem avaliado, e decidiu manter a dobradinha indicando o vice.

MAIS DO QUE PARECE

Numa campanha de prefeito é mais importante do que parece o candidato ter o maior número possível de candidatos a vereadores o apoiando. São estes que estarão direto no corpo a corpo nos bairros pedindo votos para a candidatura majoritária. Isso tem um peso fundamental.

FRASE MARCANTE

“Política não é só a arte de engolir sapos. Já defini a política como arte de pedir votos aos pobres, pedir recursos financeiros aos ricos e mentir para ambos depois”. Antonio Ermírio de Moraes.

Continuar lendo

Blog do Crica

“Não temos candidato a prefeito de Rio Branco”, diz Petecão 

Publicado

em

O senador Sérgio Petecão (PSD) negou ontem ao BLOG DO CRICA ter fechado compromisso de indicar a esposa Marfisa Galvão (PSD) como candidata a vice-prefeita numa chapa liderada pelo deputado José Bestene (PROGRESSISTAS), para disputar a PMRB. Não conversei, não dei esperança, e nenhum dos nomes que estão surgindo como postulantes à PMRB pode falar que terá o meu apoio, enfatizou. Também nega de que tenha conversado a este respeito com o governador Gladson Cameli. Petecão diz que vai empurrar a posição oficial do PSD sobre a eleição municipal para pouco antes das convenções municipais, em junho. “Não tenho nenhuma pressa em declarar uma aliança para a eleição municipal, não posso errar, porque tenho projeção para a eleição de 2022, por isso terei muita cautela antes de me pronunciar sobre isso. Quem falar que tem o meu apoio não estará falando a verdade”, advertiu Petecão.

QUER SER CANDIDATO

Muito embora tire o corpo de fora quando o assunto é candidatura a prefeito de Rio Branco é uma cortina de fumaça, o deputado José Bestene (PROGRESSISTAS) trabalha sim para ser candidato à PMRB com a benção do Palácio de Rio Branco. Acha que congregaria aliados.

DOBRADINHA FORTE

Num ponto o deputado José Bestene (PROGRESSISTAS) está certo em sonhar com uma aliança com o senador Petecão (PSD). Uma dobradinha que tenha no mesmo palanque o Petecão, o mais votado da última eleição, com votos e prestígio na capital, seria forte politicamente.

NÃO SERIA POSITIVO

Com o José Bestene, com o Luziel Carvalho, com o Thiago Caetano, ou outro nome descolado da política, o certo é que soaria mal o governador Gladson Cameli não conseguir viabilizar um nome do seu partido para disputar a PMRB. Passaria a imagem de descontrole político.

PARA ENCHER EGO

Fala-se na publicação de uma pesquisa para prefeito de Rio Branco na terça-feira. Não discuto a seriedade. Mas, uma pesquisa em que não se sabe qual será a posição do Gladson; se o PT estará unido com a prefeita Socorro Neri ou não, na base de ilações de nomes, não dirá nada.

NOMES NO TABULEIRO

A primeira pesquisa que pode ser considerada como parâmetro para fazer uma avaliação sobre a eleição para prefeito da capital, só quando se souber como ficará o tabuleiro com as candidaturas. Assim, quem aparecer bem não comemore; quem aparecer mal, não se desespere, porque não se sabe nem quem serão os candidatos para valer nesta disputa.

O CASO DA SOCORRO NERI

No caso da prefeita Socorro Neri só vai se saber da sua real viabilidade para ganhar um novo mandato, após o fim do verão. Tem mais recursos do que teve no ano passado para investir e isso pode ajudar sua imagem, com um grande volume de ações nos bairros. É um dado real

 POLÍTICA É PRAGMATISMO

Uma eleição majoritária deve ser vista pelo lado pragmático, sem emoção na análise. É impossível você ter dados reais para balizar um comentário sobre quem tem maior ou menor chance de chegar à PMRB, se você não conhece como é que estarão as alianças majoritárias.

VIROU PAUTA NEGATIVA

Conversei com a maioria dos candidatos a prefeito da capital, e todos com os quais conversei falam de duas pautas negativas, que vão usar de bandeira para combater na campanha: a zona azul e a ânsia de multar dos guardas de trânsito do RBTRANS. São unanimidades para baterem.

NÃO É BOM PARA NENHUM

O deputado Daniel Zen (PT) é uma das figuras mais lúcidas da nova safra de políticos acreanos, está acima da média. Zen tem um desenho na cabeça de que, se o PT sair com candidato próprio e a prefeita Socorro Neri for candidata descolada do PT, não é bom para nenhum.

QUANDO O CARNAVAL PASSAR

Depois do carnaval vai voltar o programa “Boa Conversa”, que apresentamos no ac24 horas, com o colega Astério Moreira. E com a maioria das pautas voltadas, naturalmente, para o cenário político da eleição municipal. Vamos ouvir todos os candidatos e sem amaciamento. Quem aceitar o convite para ser entrevistado não espere o tradicional mamão com açúcar.

PRECISA ACABAR A CARRANCA

Quando vai à tribuna o deputado Roberto Duarte (MDB) passa a imagem nos seus discursos de um semblante raivoso, mesmo quando defende pautas legítimas. A única carranca que deu certo são as das barcaças do Rio São Francisco, na política se pode ser duro sem ser raivoso.

EXEMPLO DE POSTURA

Vou pinçar três deputados da oposição, na Assembléia Legislativa: Edvaldo Magalhães (PCdoB), Jenilson Lopes (PSB) e Daniel Zen (PT), críticos duros do governo Gladson, mas não perdem a serenidade nas suas falas. O político é mais escutado no tom sereno, que na gritaria.

PAREM DE FALAR BOBAGEM

Parem de falar bobagem! A chance do grupo de aliados que levou o Gladson Cameli ao governo ter um candidato único a prefeito de Rio Branco é zero. Não por rebeldia, mas porque a nova legislação eleitoral leva os partidos a buscarem aumentar suas representatividades.

É OUTRO QUADRO

Quando acaba uma eleição majoritária, acabam as alianças políticas. E os partidos não podem continuar como puxadinho da sigla que chegou ao poder. Ou somem na memória do eleitor. Não estão errados, MDB, PSDB, SOLIDARIEDADE, em terem candidatos próprios para a PMRB.

ERRADO ESTÁ O PROGRESSISTAS

Mais do que errado é o PROGRESSISTAS em estar no poder, e não conseguir até aqui um nome com densidade eleitoral para ser apresentado á prefeitura da capital. Isso é que é vergonhoso para um partido grande e comandando o Estado. Até os nanicos terão candidatos! My God!

OLHAR O ORÇAMENTO

Fala-se na criação de uma Guarda Municipal na PMRB, que na verdade teria como missão proteger os cidadãos que procuram, por exemplo, um lazer numa praça ou numa quadra esportiva do município. Mas a PMRB tem um orçamento capaz de bancar o alto custo?

NÃO CONHEÇO

O caminho é investir pesado na Educação. Não há porto seguro para quem não criar a prioridade. Não é um resultado para amanhã, mas é um investimento para o futuro dessa juventude desgarrada, e que em grande parte foi conquistada pelo crime organizado.

PERDEU O RESPEITO

O crime organizado em Rio Branco não tem mais respeito pela polícia. Os tiros para o alto, o foguetório, acontecido no enterro do membro de uma facção que foi morto pela PM, é um desafio não só à polícia, mas ao Estado de Direito. Se não tem medo da polícia, terá do cidadão comum? Não adianta mascarar a situação, a população da capital vive angustiada e com medo.

O QUE SE COLOCOU EM PRÁTICA?

O que se colocou mesmo em prática no combate à criminalidade depois daquela reunião do governo, do seu aparato de segurança, com os poderes, MP, deputados e senadores? Não pode ficar apenas numa carta de boas intenções, é preciso sair já do campo da teoria.

FALANDO SÓ

O deputado Antonio Pedro (DEM) vai ficar falando só na eleição para a prefeitura de Xapuri, pode tirar o cavalo da chuva que não juntará a oposição para apoiar seu filho Ailson a prefeito.

CLIMA DE GUERRA

O clima dentro do PROGRESSISTAS entre os seus grupos é de troca de acusações, numa briga insana para ver quem será indicado para disputar a prefeitura da capital. Neste tabuleiro não tem cheiro verde. Enquanto o Gladson não se pronunciar, estão brigando por algo fictício.

BOICOTE CLARO

A presidente do PROGRESSISTAS, senadora Mailza Gomes, que assim que assumiu percorreu todos os municípios, reorganizou o partido, sofreu um claro boicote e recuou nas suas ações. Tomavam decisões sem ao menos lhe consultar. Se deixar a presidência o fará com razão.

CASA DE NOCA

O PROGRESSISTAS virou uma Casa de Noca, onde todos querem mandar e ninguém obedece.

ATÉ AQUI

A eleição na capital vai bater o recorde de candidatos a prefeito: pode chegar a onze.

COM DIREITO A BOLO E VELAS

Uma luminária, na Rua das Palmeiras 746, no Jardim Tropical está queimada um bom tempo, moradores preparam a festa de aniversário com direito a bolo e velinhas para soprar.

FRASE MARCANTE

“Os mais fortes de todos os guerreiros são estes dois: tempo e paciência”. Leon Tolstói.

 

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required
Propaganda
Propaganda

Leia Também

Mais lidas