Conecte-se agora

Mais de 70 pacientes aguardam por uma cirurgia no Pronto-Socorro

Publicado

em

A situação de quem precisa de uma cirurgia ortopédica no pronto-socorro de Rio Branco passou do que se pode chamar de aceitável. Isso é dito por quem está lá dentro da unidade a espera de uma cirurgia.

Para se ter uma ideia de como se encontra o atendimento no local, os pacientes que esperam pelo procedimento cirúrgico fizeram um grupo de WhatsApp para discutir estratégias para tentar pressionar a Secretaria Estadual de Saúde a resolver o problema.

A situação é tão grave que os próprios pacientes relatam que existem mais de 70 pessoas internadas com algum tipo de fratura a espera de uma cirurgia ortopédica. Em sua maioria, são pacientes que esperam há mais de 20 dias internados sem saber quando vai acontecer a cirurgia. “Meu joelho pegou 21 pontos, ficou faltando apenas uns 7 centímetros para eu perder minha perna. Para completar tive perda de ossos no joelho. Segundo os médicos, minha cirurgia e umas das mais complicada.

O problema é que ninguém diz nada, não há uma previsão, deixam a gente aqui sem ser informado de nada. Temos que nos submeter a essa humilhação”, diz um paciente que pede para não ser identificado.

Outro paciente afirma que está há 26 dias esperando por uma cirurgia. “Cai de moto dia 25 de outubro em Senador Guiomard. Sou da zona rural de Plácido de Castro e estava fazendo uma entrega quando bati em um cachorro e me acidentei. Até agora não há previsão para a minha cirurgia”, diz.

Quase 80 pacientes

Mas qual o motivo para que tenha tanta gente na fila em uma espera agoniante, desesperadora e desumana?

O diretor geral do Pronto-Socorro de Rio Branco, Areski Peniche, aponta alguns fatores para a demora na realização das cirurgias. “Primeiro é que tem entrado mais pacientes do que o normal vítimas de acidentes de carro e fraturas. Tem sido bem acima do comum. A outra coisa é que essas cirurgias represadas são as que devem ser feitas na Fundação Hospitalar. Como eu não consigo mandar pacientes para a Fundação, eles acabam ficando aqui no pronto-socorro. O nosso centro cirúrgico é destinado aos pacientes de primeiro momento. Se ele precisar de um novo procedimento, uma cirurgia definitiva tem que ir para a Fundação. Problema é que lá existe uma capacidade limitada de oferta de procedimentos, hora por falta de anestesista, hora por falta de ortopedista”, diz.

O ac24horas teve acesso a uma conversa de WhatsApp de um grupo de médicos do pronto-socorro onde afirmam que cirurgias não foram realizadas na última terça-feira, 19, por falta fio de sutura e luva estéril. A falta de material também foi identificada duranta visita do deputado estadual Jenilson Leite (PSB), da comissão de saúde da Assembleia Legislativa.

Após o ac24horas entrar em contato com a direção do hospital e a visita do parlamentar, os pacientes informaram que há uma movimentação para realização de  cirurgias dos que aguardam pelo procedimento na manhã desta quinta-feira, 21.

Propaganda

Destaque 5

Morre Nino, professor da UFAC e ex-craque do futebol acreano

Publicado

em

Morreu na noite desta segunda-feira, 20, em Goiânia, o professor da Universidade Federal do Acre (UFAC), José Aparecido Pereira dos Santos.

O nome de batismo pouca gente conhece, mas basta dizer o apelido, Nino, para saber que se trata de uma figura que faz parte da história do futebol acreano e da UFAC, especialmente o curso de educação física.

Nino estava na capital goiana em tratamento de saúde acompanhado da esposa e da filha quanto teve um infarto no hotel onde estava hospedado. Levado à hospital, não resistiu e acabou morrendo.

Nino tinha 65 anos e era natural de Santo Expedito, interior de São Paulo. Como jogador de futebol teve passagens pelo Guarani de São Paulo, onde contava com orgulho ter enfrentado o Santos de Pelé, e também jogou no Londrina do Paraná.

Chegou ao Acre em 1979 contratado pelo Rio Branco, onde foi campeão do Copão da Amazônia. No ano seguinte, foi contratado pelo Juventus onde jogou mais duas temporadas, encerrando a carreira em 1982.

Depois de pendurar as chuteiras, foi treinador do Internacional, Independência e Rio Branco.

Após largar os gramados, Nino se tornou professor do curso de Educação Física da UFAC. Com sua voz rouca e mansa e a mesma ginga que o tornou um craque nos gramados era uma figura extremamente querida da universidade.

A família não informou ainda se o corpo será transladado para Rio Branco e horários e local de velório e sepultamento.

Continuar lendo

Destaque 5

Golpistas anunciam venda de vagas residuais da Ufac na internet

Publicado

em

Desde a semana passada um anúncio de origem, até então, desconhecida circula por meio das redes sociais informando supostas vendas de vagas residuais na Universidade Federal do Acre (Ufac). O informe destaca preços cobrados para quatro cursos: Nutrição, Jornalismo, Medicina e Engenharia Civil, cada um com um preço distinto e até com possibilidade de parcelamento.

O número que começou a divulgar a informação possui DDD de outro estado. Temendo que pessoas pudessem se atrair, o Diretório Central dos Estudantes (DCE) da instituição procurou a Pró-reitora de graduação e recebeu a confirmação de que o caso se trata de um golpe.

“Não existe esse edital, não existe essa cobrança, não sabemos de onde partiu. Inclusive algumas pessoas da Ufac já estão perguntando”, afirma o presidente do DCE na Ufac, Richard Brilhante.

Procurada pelo ac24horas, a professora responsável pela Pró-Reitoria de graduação disse que a orientação é que as pessoas, ao verem esse tipo de publicação, denunciem imediatamente, uma vez que a Ufac não faz esse tipo de cobrança. “Com certeza se trata de um golpe. A única coisa a se fazer é denunciar para a Polícia Federal”, diz Ednaceli Damasceno, responsável pelos editais de residuais.

Esta não é a primeira vez que a Ufac se torna alvo desse tipo de publicação. “Sempre surge algum tipo de tentativa de ganho em cima dos processos da universidade por estelionatários alheios a universidade. No ano passado denunciamos a PF um caso de uma pessoa que cobrava por supostas vagas de estágio e enganava jovens”, destaca Brilhante.

Vagas residuais fazem parte de um processo seletivo destinado a alunos da própria Ufac, alunos de outras instituições de ensino superior e aos portadores de diploma de nível superior que queiram fazer um curso de graduação na Ufac. Porém, o processo só ocorre a partir da publicação de um Edital específico no qual constam todos os procedimentos, como os relativos às inscrições.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required
Propaganda
Propaganda

Mais lidas