Conecte-se agora

Uma das últimas amigas de Anne Frank recebe carta conjunta de universitários do Acre

Publicado

em

O professor de psicologia Mychael Douglas Souza de Almeida, da Unimeta, sugeriu que seus 25 alunos realizassem a leitura do livro “Eu sobrevivi ao Holocausto: o comovente relato de uma das últimas amigas de Anne Frank”, da autora Nanette Blitz Konig, após a exibição do filme Escritores da Liberdade. O filme, baseado em fatos reais, conta a história de alunos de uma escola estadunidense que enfrenta sérias dificuldades com a violência e drogas e, ainda, o preconceito racial aliada a alta evasão escolar.

No entanto, com a chegada de uma professora recém-formada, a escola começa a ter mudanças benéficas a partir da sensibilização da turma com maiores problemas na escola para a questão do Holocausto, fato que até então era desconhecido para todos os alunos. Com isso, os alunos recebem de sua professora o livro “O diário de Anne Frank” e, a partir da leitura deste, percebem que suas vidas podem ter um caminho diferente do caminho da violência, que estavam acostumados. Ao final do filme, a turma envia cartas para a mulher que deu abrigo e esconderijo a famosa Anne Frank e, posteriormente, consegue trazê-la à escola para fazer uma palestra.

Inspirado na trama, o professor Mychael Douglas convidou os 25 alunos para que escrevessem uma “carta-conjunta”, na qual cada aluno escreveu um comentário, sucinto, sobre a experiência de ter lido o livro, bem como algumas perguntas que surgiram após a leitura.

Feito isso, decidiram enviar para autora do livro Nanette Blitz em forma de carta, por meio do e-mail de seu marido, John Konig, que para surpresa do professor respondeu, dia 30 de Outubro, informando ter lido as cartas junto com sua esposa (Nanette), a qual ficou emocionada e parabenizou pela iniciativa do docente e a mobilização dos alunos.

Em entrevista ao ac24horas, Mychael Douglas contou que os alunos ficaram tão eufóricos que não conseguiram acreditar e pediram a autora pra tirar uma foto com a imagem, em mãos, da carta conjunta dos alunos. “No dia 10 de novembro recebemos a foto da autora Nanette Blitz por meio do e-mail”.

“Eu e os meus alunos estamos eufóricos por nosso projeto ter alcançado nosso objetivo maior de ter um contato com uma sobrevivente do Holocausto e, ainda, amiga de Anne Frank. Apesar dela não ter respondido os questionamentos feitos na carta-conjunta, que deve ser respondida em breve, mas só de saber que ela leu já nos deixa muito felizes”, disse o professor.

Propaganda

Destaque 5

Governadores apresentam Consórcio da Amazônia para a comunidade internacional

Publicado

em

“O compromisso do nosso governo é o de estimular o uso dessas áreas abertas, propondo a regularização do passivo ambiental por meio do Cadastro Ambiental Rural (CAR) e do Programa de Regularização Ambiental (PRA)”, disse o governador do Acre

O Consórcio Interestadual da Amazônia Legal, composto por sete estados da Amazônia além de Maranhão e o Mato Grosso, foi a principal entidade no painel Amazon-Madrid, como parte da Conferência do Clima da ONU, a COP 25, que acontece ao longo de toda esta terça-feira, 10, na sala de convenções do Novotel Madrid Center.

Os governadores Gladson Cameli (Acre), Wilson Lima (Amazonas), Helder Barbalho (Pará), Waldez Góes (Amapá) e os vice-governadores José Atilio Salazar (Rondônia), Octaviano Pivetta (Mato Grosso), Wanderlei Barbosa (Tocantins) lideraram vários painéis que apresentaram estratégias do consórcio para financiar o desenvolvimento com baixas emissões na Amazônia brasileira.

Em seu discurso, Waldez Góes, presidente do Consórcio Interestadual da Amazônia Legal, afirmou que “é preciso reduzir as diferenças na área social e na atividade econômica, viabilizado a sobrevivência dos nossos povos tradicionais, assim como também a venda de serviços ambientais”.

“A integração é necessária porque estamos isolados e precisamos de uma Amazônia Legal dialogando com o Brasil”, afirmou.

Segundo Waldez, existem compromissos assumidos, mas a cobertura de saneamento básico na Amazônia não chega a 25%. “Um contrassenso porque defendemos a cadeia produtiva de baixo carbono e as pessoas que vivem na cidade têm carência de serviços básicos como saneamento, que por não atender a demanda causa prejuízos enormes aos rios e florestas da Amazônia”, ressalta.

Waldez Góes reafirmou os compromissos da Amazônia com a agenda do clima. “Faremos chegar ao ministro Sales a carta dos governadores em que reafirmamos na cúpula do clima e no Vaticano, na COP a realização do Amazon Madri”.

No entendimento do presidente do Consórcio Interestadual da Amazônia Legal, “2020 será um marco para os serviços ambientais que garantem uma floresta em pé”.

“Que se avance e se consolide estratégias, mas que os estados da Amazônia tenham receptividade da comunidade internacional, que valorize o esforço das populações tradicionais”.

Para o governador do Amazonas, Wilson Lima, “é preciso que as ações estratégicas, efetivamente, saiam do papel. As decisões do consórcio estão alinhadas com o governo federal e o congresso nacional”.

“O povo da Amazônia sempre fez sua parte na preservação. Quem mora lá tem maior interesse em preservar. Precisamos que o mundo nos apoie para nos desenvolvermos dentro do viés da preservação ambiental”.

Helder Barbalho, governador do Pará, afirma que é “importante o momento de discussão do equilíbrio climático, sustentabilidade e o futuro da humanidade”.

“É fundamental que possamos compreender a importância do protagonismo dos estados. Isso requer a criação de estratégicas que construam soluções sustentáveis associado a palavra desenvolvimento”.

Acre reafirma incentivo à produção em áreas desmatadas e de manejo comunitário

O governador Gladson Cameli abriu o primeiro tema, intitulado Compromisso para o Desenvolvimento de Baixo Carbono’, com uma explanação de como a sua administração vem tratando a pauta.

Aos integrantes do Consórcio Interestadual da Amazônia Legal, do qual o Acre é signatário com outros seis estados amazônicos e o Maranhão e o Mato Grosso, o governador Gladson Cameli falou do compromisso de incentivar o uso das áreas abertas por meio da regularização do passivo ambiental.

Dos mais de 16 milhões de hectares que formam o estado do Acre, pelo menos dois milhões são de áreas sem floresta, perfazendo 54 mil propriedades rurais, pertencentes a 50 mil pequenos produtores.

“O compromisso do nosso governo é o de estimular o uso dessas áreas abertas, propondo a regularização do passivo ambiental por meio do Cadastro Ambiental Rural (CAR) e do Programa de Regularização Ambiental (PRA)”, disse o governador do Acre.

“Vamos investir na mecanização e na recuperação de pastagens, especialmente para os médios e grandes produtores”, completou Gladson Cameli para uma plateia de ambientalistas de quase 200 países, além de membros da Rede de Governadores Regionais para o Desenvolvimento Sustentável na COP, que reúne 42 governos subnacionais de 20 países em quatro continentes.

Para os presentes, Cameli informou que o Acre tem 85% da cobertura florestal ideais para atividades econômicas de baixas emissões, com potenciais madeireiro e não madeireiro, já excluídos desse percentual os 50% de áreas naturais protegidas.

Por isso, a expansão das áreas de manejo comunitário não madeireiro é uma das metas de sua administração. “Estamos trabalhando para expandir as atividades de manejo florestal sustentável comunitário, que hoje já alcança cerca de 530 famílias nas regionais do Alto Acre, do Juruá e do Tarauacá-Envira”, destacou o governador. Essas pessoas trabalham com o manejo de espécies como o buriti, a castanha do Brasil, o murmuru, a borracha, o açaí, o bambu e as sementes florestais.

A gestão florestal do governo Gladson Cameli trará também benefícios para mais de 500 famílias que ocupam a microrregião do Complexo de Florestas do Rio Gregório, com a destinação de 240 mil hectares de floresta em regime de concessão florestal, além do manejo empresarial.

Parcerias importantes surtem o efeito desejado
No painel seguinte, cujo tema foi Parcerias para o Desenvolvimento de Negócios de Baixas Emissões e o Equilíbrio Climático, o governador Gladson Cameli destacou as parcerias feitas com instituições como o Programa REDD, cujo objetivo é a redução global dos efeitos das mudanças climáticas e com o banco de impulsionamento alemão KfW.

Essas parcerias são fundamentais para acelerar os processos de licenciamento ambiental e de regularização ambiental das propriedades rurais por meio do CAR e do PRA, já mencionados no texto principal desta reportagem.

Cameli citou ainda as ações de melhoramento e de recuperação de pastagem, fortalecendo importantes cadeias produtivas por meio do Programa de Florestas Plantadas, além do suporte às operações de fiscalização coordenadas pelo Instituto de Meio Ambiente do Acre, o Imac, pelo Batalhão de Policiamento Ambiental e pelo Centro Integrado de Operações Aéreas.

Essas instituições monitoram o desmatamento, as queimadas e os incêndios florestais com base nas informações do Centro Integrado de Geoprocessamento e Monitoramento Ambiental da Secretaria de Estado de Meio Ambiente do Acre.

Participaram também do painel Amazon-Madrid, o secretário de Estado de Meio Ambiente, Israel Milani e o presidente do Instituto de Meio Ambiente do Acre, André Hassem.

Continuar lendo

Destaque 5

Jéssica Sales inaugura Conselho Tutelar no Jordão e leva investimentos a municípios

Publicado

em

A deputada federal Jéssica Sales (MDB) passou o último final de semana cumprindo agenda em municípios distantes da capital do Acre. No Jordão, a parlamentar participou da inauguração do primeiro Conselho Tutelar da cidade, um compromisso assumido por Sales por meio de emenda parlamenta de sua autoria. Ao todo, foram investidos R$ 250 mil para construção do espaço, que vai proporcionar aos conselheiros a oportunidade de atenderem a todos, com respeito e dignidade, e, sobretudo, às crianças e adolescentes.

“O município de Jordão precisa de um olhar diferente, é de difícil acesso e carente. Somos nós, políticos, seus representantes, que devemos ir de encontro com a população, para saber da realidade e ajudar, esse é o nosso dever” comentou Sales. Ela também cumpriu agenda produtiva no município de Rodrigues Alves. Lá, a deputada participou da entrega de equipamentos que serão utilizados no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), Centro do Idoso e Secretaria de Assistência Social.

O investimento é proveniente de recurso extra indicado pela parlamentar em 2017, no valor de R$ 100 mil. “Eu sou consciente, nenhum município consegue fazer grandes obras com recursos próprio, tem que ter o apoio de emendas parlamentares. Por isso, eu sou incansável em conseguir os recursos, Rodrigues Alves já conta entre emendas de minha autoria e extras R$ 14 milhões”, diz Sales.

Em Manoel Urbano, participou da solenidade de entrega de micro ônibus e de diversas ruas pavimentadas. O investimento também é fruto de emendas de sua autoria. Para ela, é gratificante fazer parte da construção de uma nova história do município. “O mais importante da política é quando ela traz resultados diretos na vida das pessoas. Por isso, faço questão de conhecer a realidade dos nossos municípios, porque só fazendo política de perto da população é que consigo sentir na pele as dificuldades e problemas que passam as famílias acreanas”, ressaltou.

Durante as agendas, Jéssica Sales aproveitou para colher sugestões dos gestores e dos moradores com objetivo de atender as principais necessidades dos municípios.

“Através do nosso mandato, a população está tendo acesso a importantes obras como: pavimentação, recapeamento das ruas, construção de quadras de esporte, postos de saúde, banheiros domiciliares, construção do CREAS, aquisição de equipamentos e veículos e muitos outros investimentos que mudam de verdade a vida do povo”, declara.

Só em Manoel Urbano, já foram mais de R$ 5,3 milhões destinados ao município em apenas cinco anos. “E terá muito mais, porque eu faço uma política de resultados concretos, onde as famílias acreanas possam se beneficiadas diretamente” comemorou a deputada.

Continuar lendo
Propaganda
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.