Conecte-se agora

PIB do Acre cresceu 77,2% em quinze anos, mostra dados do IBGE

Publicado

em

FOTO: INTERNET

Mesmo com um crescimento de somente 0,2% em 2017, o Produto Interno Bruto (PIB) do Acre, no período de 2002/2017, cresceu a uma taxa média de 3,9% ao ano, ocupando a 6ª posição dentre os nove Estados que conseguiram fazer o PIB crescer no período. Na soma, o PIB acreano cresceu 77,2% em quinze anos, período que coincide com os governos da extinta Frente Popular do Acre no Estado.

“No Brasil, após dois anos consecutivos de queda, 2015 (-3,5%) e 2016 (-3,3%), o PIB voltou a crescer em volume: 1,3% em 2017 na comparação com 2016. Já no período 2002/2017 a variação em volume acumulada do Brasil foi de 42,5%, com uma média anual de 2,4% ao ano”, informa o economista Orlando Sabino, do Fórum Permanente de Desenvolvimento do Acre.

Os dados foram publicados nesta quinta-feira (14) pelo IBGE estão sendo avaliados pela equipe técnica do Observatório do Fórum Permanente de Desenvolvimento do Acre.

O IBGE estima em R$14. 271.000.000,00 o PIB do Acre, 23º no ranking de valor nominal. Os salários tem grande peso na composição da riqueza acreana. No Norte, a participação da remuneração de empregados também foi mais expressiva em Roraima (60,3%); Acre (54,5%); e Amapá (55,1%), estados caracterizados pela baixa participação no PIB nacional e pelo peso relativamente alto da atividade de Administração, defesa, educação e saúde públicas e seguridade social em suas economias.

O Nordeste, que ao longo da série detinha o maior peso da remuneração dos empregados no PIB, saiu de 47,3% em 2016 para 46,8% em 2017, foi superado pelo Centro-Oeste (47,0%). No Piauí, Paraíba e Sergipe, o valor relativo da remuneração de empregados foi superior a 50%, o que se justifica em grande medida pelo peso da administração pública nestes estados.

Propaganda

Destaque 6

Escola SENAI inova com concurso Chef Padoka

Publicado

em

Alunos do curso Programa de Aprendizagem em Alimentos têm técnicas colocadas à prova na competição

Açaí, banana e cupuaçu, esses foram os principais ingredientes utilizados pelos cinco finalistas no 1º Concurso Chef Padoka entre os alunos do Programa de Aprendizagem em Alimentos da Escola SENAI, na tarde desta segunda-feira, 9 de dezembro.  A competição foi disputada para finalizar o módulo de confeitaria, ministrada na Escola SENAI. 

A disputa teve início com dez alunos do programa e todos eram obrigados a utilizar pelo menos três ingredientes regionais. Eles executaram receitas que haviam sido instruídas durante o curso e aquelas que mais utilizaram produtos regionais e melhor efetuaram as técnicas da confeitaria seriam os finalistas. Ao final da primeira etapa, restaram apenas cinco competidores. 

Para o instrutor do curso, Tarcísio Futerko, o objetivo do Concurso Chef Padoka era finalizar o módulo e incentivar mais os alunos. “Nós, da coordenação da escola, ficamos pensando em como finalizar esse módulo e incentivar mais os nossos alunos. Com isso, surgiu o Chef Padoka. Um forma de cada aluno mostrar que dominou as técnicas das receitas que foram ensinadas durante o decorrer dos módulos”. 

O corpo de jurados era composto pelo diretor regional do SENAI, João César Dotto; a empresária da Panificadora Pertutti, Didicaele Dalamaria; o superintendente da FIEAC e do IEL, Jorge Luiz Vila Nova; a chef Izanelda Magalhães, do Jannu’s Bistrô; e Letícia Mesquita, chef do Chalé do Trigo. Dotto ressaltou que essa competição é mais uma inovação da Escola SENAI. “A cada ano, o SENAI vem inovando e o Chef Padoka é uma prova disso. É o primeiro experimento, mas queremos que cada finalização de módulo tenha uma competição como essa, isso ajuda os alunos a crescerem”. 

HORA DO JURI

Após longas três horas de competição, com suor e muita correria, numa cozinha perfumada com produtos regionais, era hora de levar a finalização de cada receita aos jurados.

Foram saboreados pelos jurados iguarias como tortellet com creme de cupuaçu com farofa de castanha-do-Brasil, rocambole com brigadeiro de açaí, brownie de açaí com mousse de cupuaçu, pastel de nutella com banana, mas o naked cake de cupuaçu com castanha-do-Brasil e banana da terra, apresentado pela aluna Bruna Lopes de Almeida, foi o grande vencedor.

Bem emocionada com o resultado do concurso, Almeida revela que seu grande sonho é participar do programa Master Chef. “Quando o professor passou nas salas de aula anunciando esse concurso, logo eu fiquei animada e meus amigos me ajudaram a escolher a receita. Essa competição é o início de várias outras que quero participar, pois meu sonho é um dia estar entre os chefs que participam do Master Chef”, almeja a jovem.

Continuar lendo

Destaque 6

Safra de grãos deve ser 2,8% maior em 2020 no Acre, diz CONAB

Publicado

em

A produção de grãos no Acre deve crescer 2,8% em 2020, prevê a Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB). A área plantada está saindo de 47,5 mil hectares para 47,9 mil hectares com estimativa de aumento de 1,7% na produtividade.

No País, em novembro, o segundo prognóstico para a safra 2020 aponta um recorde de 240,9 milhões de toneladas, com crescimento de 33,6 mil toneladas (0,0%) em relação a 2019.

Entre os cinco produtos de maior peso na safra, são esperados três recuos na produção: milho 2ª safra (-9,8%), milho 1ª safra (-0,8%) e feijão 1ª safra (-0,3%). Já as variações positivas serão: algodão (2,0%), arroz (1,0%) e soja (6,7%). Com relação à área, as variações positivas são: algodão (6,4%), soja (1,8%), milho 1ª safra (0,5%) e milho 2ª safra (0,3%). Espera-se reduções de área no feijão 1ª safra (-0,3%) e no arroz (-2,1%).

Continuar lendo
Propaganda
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.