Conecte-se agora

Cruzeirense é investigado por venda e aplicação da vacina do sapo no Sul do Brasil

Publicado

em

IMAGEM DA INTERNET

No ultimo sábado, 9, a Justiça Federal de Santa Catarina expediu mandado de busca e apreensão contra o comércio ilegal da vacina do sapo  (kambô) , que estava com o cruzeirense conhecido por Abid Ysmirua, que diz ser da “tribo Unicauá”.

O fato é que ele não é índio e a tribo Unicauá não existe.

Adib é acusado de transportar e aplicar o kambô ilegalmente. Nas redes sociais, há anúncios de realização de cerimônias com o uso de Ayahuasca , rapé e kambô, com valor entre R$ 75 e R$ 90, chamado de “energia de troca”.

O mandado de busca foi cumprido pela Polícia Militar Ambiental, com apoio do Ibama. Além do kambô, com o cruzeirense também foram encontrados objetos feitos com ossos, dentes, penas e couro de animais silvestres.

Os índios Katukinas, Huni Kuin e outros do Acre , usam o kambô em práticas ancestrais. Mas em 2004, a Agencia Nacional de Vigilância sanitária- Anvisa proibiu o comércio, uso terapêutico da substância, bem como a propagação de que o Kambô tem propriedades medicinais.

Além disso, segundo o Ibama, o comércio ilegal também ameaça a sobrevivência da espécie, visada por traficantes da fauna silvestre.

A ação da Justiça Federal, Ibama e Polícia Ambiental em Concórdia é resultado de investigações sobre a captura dos sapos, a partir de anúncios veiculados na internet, e em locais onde ocorre a aplicação da toxina.

A Operação Kambô prossegue, tendo como alvo não indígenas que comercializam a vacina do sapo no Brasil e exterior.

Há registros de mortes, que podem ter sido causadas pelo kambô.

Com informações do Ibama de Santa Catarina.

Propaganda

Na rede

Bombeiros suspendem mergulhos, mas seguem buscas pelo corpo de professor desaparecido

Publicado

em

Nesta quinta-feira, 12, o Corpo de Bombeiros de Cruzeiro do Sul, iniciou uma nova fase na procura ao corpo do coordenador do curso de Engenharia Florestal da Ufac, Gleisson Oliveira, em buscas superficiais nas margens do Rio Juruá.

Os mergulhadores, que agiram de ontem, 11, não atuarão mais.

O comandante do Corpo de Bombeiros de Cruzeiro do Sul, Capitão Oliveira, lembra que a partir do terceiro dia do afogamento, corpo submerge, “boia”, na linguagem popular.

Ele acredita que se o corpo não tiver sido consumido pelos peixes, deverá submergir. “Seguiremos as buscas até sexta-feira (13)”, explica o capitão.

Os colegas do professor, por meio de vídeos nas redes sociais, pediram que aos moradores das margens do Rio Juruá, que fiquem atentos a sinais que indiquem a presença de um corpo na região entre Rodrigues Alves e Cruzeiro do Sul.

A Marinha do Brasil, a Colônia de Pescadores de Cruzeiro do Sul, familiares, amigos e voluntários auxiliam nas buscas.

O professor Gleisson Oliveira se afogou no Rio Juruá na madrugada de domingo, 08.

Continuar lendo

Na rede

Linhão entre Rio Branco e Cruzeiro do Sul será licitado dia 19

Publicado

em

Depois da instalação 18 das 22 cidades acreanas passam a ser atendidas por energia de hidrelétrica

Será realizada no dia 19 de dezembro, em São Paulo, a licitação para a construção, operação e manutenção da linha de transmissão de energia elétrica que vai conectar os municípios do Vale do Juruá ao Sistema Interligado Nacional. O linhão sairá de Rio Branco até Cruzeiro do Sul, passando por Feijó e Tarauacá.

As obras deverão ser iniciadas em março do próximo ano e a previsão é que sejam concluídas em 4 anos. O Governo Federal vai investir cerca de R$ 700 milhões na execução, que vai gerar uma economia em torno de R$ 250 milhões por ano com a redução do repasse da Conta de Consumo de Combustíveis (CCC) para a região. As termelétricas funcionam à base de óleo diesel.

Atualmente 11 cidades acreanas já fazem parte do Sistema Interligado Nacional, recebendo energia gerada a partir da hidrelétrica de Itaipu: Rio Branco, Acrelândia, Brasileia, Bujari, Capixaba, Epitaciolândia, Xapuri, Plácido de Castro, Porto Acre, Sena Madureira e Senador Guiomard.

A partir da interligação o número será ampliado para 18. O diretor técnico e comercial da Energisa Acre Ricardo Xavier, explica que o linhão tem 230 kv e que, Manoel Urbano e Assis Brasil serão atendidos por uma linha da Energisa, com 69 kv, como a que já existe entre Rio Branco e Sena Madureira.

A Agencia Nacional de Energia Elétrica (Aneel), confirmou à bancada federal acreana realização da licitação.

Já as 4 cidades isoladas via terrestre: Porto Walter, Marechal Thaumaturgo, Santa Rosa e Jordão seguirão com termelétricas a base de óleo diesel.

Continuar lendo
Propaganda
Propaganda

Mais lidas