Conecte-se agora

Sindicatos e deputados discutem Reforma da Previdência

Publicado

em

A PEC da reforma da Previdência proposta pelo governo Estado está sendo discutida artigo por artigo por deputados, sindicalistas do serviço público e o representante do AcrePrevidência. “Se o governo tivesse nos apresentado essa proposta antes de encaminhar para a Assembleia tudo isso aqui teria sido evitado”, disse a presidente da CUT e do Sinteac, professora Rosana Nascimento. Porém, ela ressaltou que as negociações com o governo intermediada pelos deputados estão avançando.

Os pontos mais polêmicos da reforma são a sexta parte, licença prêmio e base de cálculo para efeito do valor final da aposentadoria. O auxílio funeral tem recebido emendas dos deputados Roberto Duarte (MDB), Edvaldo Magalhães (PC do B) e Gerlen Diniz (Progressista). Mais de dez Sindicatos sentaram a mesa de negociação.

Na avaliação dos deputados de oposição Jenilson Leite (PSB) e Edvaldo Magalhães ( PC do B), o governo sinaliza com mudanças na PEC, mas é preciso aguardar o desfecho do processo. Para Leite, a reforma estadual é muito dura. Já Magalhães considera que, em alguns pontos, chega a ser mais severa do que a do governo federal. Entretanto, ele acredita que o governo pode enviar outra proposta construída em parceria com os trabalhadores.

Segundo o líder do governo, deputado Gerlen Diniz, os avanços nas negociações são importantes. “Estamos fazendo o levantamento das demandas dos Sindicatos para uma análise profunda e seria do que realmente pode ser mudado”, disse alertando para a necessidade de se fazer a reforma ainda este mês.

Propaganda

Acre

Municípios do Acre tem PIB apoiado pela administração pública

Publicado

em

FOTO: PEDRO DEVANIR

O IBGE divulgou nesta sexta-feira (13) o estudo “Produto Interno Bruto (PIB) dos Municípios 2017”, informando que, naquele ano, para 49,2% dos municípios brasileiros, algum desses itens da Administração: defesa, educação e saúde públicas e seguridade social era a principal atividade econômica.

No Acre, Roraima, Amapá, Piauí, Paraíba e Distrito Federal esse percentual ultrapassou 90,0%. Já São Paulo teve apenas 9,3% de seus municípios com essa característica.

Um desses itens: administração, defesa, educação e saúde públicas e seguridade social teve elevada participação na economia dos municípios de menores PIBs. Nos municípios do Norte e Nordeste, os serviços da administração pública tiveram maior peso em suas economias.

Continuar lendo

Acre

FIEAC agradece apoio para avanço das obras da ponte do Madeira

Publicado

em

A grande mobilização feita pela Federação das Indústrias do Acre (FIEAC) e por diversas outras instituições com relação ao atraso nas obras da ponte sobre o rio Madeira tem surtido efeitos positivos. Após a divulgação do relatório da segunda visita técnica e de reunião de lideranças da indústria com parlamentares em busca de apoio, o senador Márcio Bittar (MDB) obteve, junto ao Dnit, a garantia de que a União já assegurou mais recursos para conclusão da obra.

De acordo com o parlamentar, o Dnit informou que o governo federal já garantiu mais R$ 15 milhões para a ponte. “Então fica faltando somente R$ 7 milhões. Mas já fiz um ofício solicitando e, no primeiro semestre do ano que vem, com apoio dos demais, vamos conseguir liberar”, afirma Bittar.

A notícia foi recebida com otimismo pela sociedade acreana e pelo presidente da FIEAC, José Adriano. O empresário faz questão de agradecer o senador pelo empenho em favor da obra, que é considerada essencial para o desenvolvimento do Estado. “Recebemos com muita satisfação o apoio do senador Márcio Bittar, que tem feito um mandato muito propositivo, demonstrando seu compromisso e disposição em colaborar com o setor produtivo e com a sociedade acreana”, acrescenta.

José Adriano ressalta, entretanto, que seguirá monitorando de perto o andamento das obras, pois os projetos para que o aditivo seja liberado pelo Dnit ainda precisam ser aprovados. “A expectativa é de que o Dnit libere semana que vem o projeto da cabeceira do lado do Acre. Mas a empresa responsável pela obra ainda depende de aprovação do Dnit para os dois projetos do lado rondoniense, cuja expectativa é de isso aconteça na primeira quinzena de janeiro, possibilitando assim que a ponte seja entregue em 2020. Vamos continuar acompanhando todos esses trâmites para que não ocorram novos atrasos”, assinalou o presidente da FIEAC.

Assessoria FIEAC

Continuar lendo
Propaganda
Propaganda

Mais lidas