Conecte-se agora

TCE condena Rafael Almeida a devolver R$ 600 mil e como prêmio, Estado pagará seu salário para trabalhar com Socorro Neri

Publicado

em

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) condenou o ex-diretor do Instituto Sócio Educativo do Estado do Acre (ISE/AC) no dia 31 de agosto, Rafael Almeida de Souza, por unanimidade, por irregularidades cometidas referente a pregão presencial, contrato e a ata de registro de preços. A decisão foi publicada no Diário Oficial do TCE.

Na época, os Membros do TCE, por unanimidade, decidiram condenar Rafael Almeida de Souza, a devolver aos cofres do ISE, a quantia de R$ 641.764,00 referentes à diferença entre a proposta de uma empresa mais vantajosa e os valores contratados com a terceira colocada contratados a época em que ele dirigia a instituição.

O TCE também decidiu aplicar outras duas multas a Rafael Almeida uma correspondente a 10% sobre todo o valor a ser devolvido, no montante de R$ 64.176,40 com base na Lei Complementar Estadual nº 38/93 e outra no valor de R$ 14.280,00 em base do ato praticado com grave infração à norma legal ou regulamentar de natureza contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial.

Nesta sexta-feira, 8, o Diário Oficial do Estado trás um decreto do governador Gladson Cameli (Progressistas) cedendo o servidor Rafael Almeida de Souza, para prestar serviços junto à Prefeitura de Rio Branco.

Segundo a publicação, Rafael deixa o quadro de pessoal da secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (SEJUSP) e, passa a trabalhar até 31 de dezembro de 2019 para a Prefeitura, com ônus para o Estado do Acre.




Propaganda

Cidades

Prefeito de Xapuri diz que parceria com o Independência não terá repasse de dinheiro público

Publicado

em

O prefeito de Xapuri, Ubiracy Vasconcelos (PT), se viu diante de algumas críticas nas redes sociais depois que anunciou uma inusitada parceria com o Independência Futebol Clube para colocar na disputa do Campeonato Acreano de Futebol Profissional, em 2020, uma equipe formada por jogadores do município, vestindo a camisa do tricolor da capital acreana.

Oficialmente é o Independência quem estará em campo, mas com o elenco e a comissão técnica formados em Xapuri. O tradicional e falido time acreano apenas cederá o nome e a camisa, além de cuidar de toda a questão burocrática junto à Federação Acreana e CBF, cabendo à prefeitura a responsabilidade por todos os custos referentes a participação da equipe na competição.

O anúncio da parceria gerou questionamentos e dúvidas a respeito da iniciativa. Alguns condenando o envolvimento do ente municipal com o futebol profissional e outros criticando a destinação de recursos públicos para um fim não prioritário ao invés serem investidos em áreas consideradas essenciais. Houve até quem levasse o tema para a seara política partidária.

Em uma das postagens sobre o assunto, o advogado Gomercindo Rodrigues comentou:

“Não entendi o prefeito de Xapuri, fez acordo com um time cujo presidente e o diretor (técnico?) são duros críticos das administrações petistas, consideram TODOS/AS corruptos/as… (é só ver seus comentários nas redes sociais!) aí, na hora do aperreio, vão buscar apoio de uma prefeitura administrada pelo PT… vá entender esse pessoal… interessante, muito interessante os interesses”.

O professor xapuriense Carlos Estevão Ferreira Castelo completou:

“Cara, vc falou o mesmo que pensei quando vi essa notícia. Dois “bolsominions juramentados” – desculpem, não deu para segurar kkkk – na foto com o Prefeito de Xapuri, do PT. É por essas e outras que o PT tá pagando caro… sigamos”.

Atento às críticas, o prefeito Bira Vasconcelos optou por não polemizar o teor político dos comentários e explicou que a parceria feita com o clube não envolve repasse de dinheiro público para a instituição esportiva. Segundo ele, os custos se resumirão ao pagamento das taxas referentes às inscrições dos jogadores, transporte – a Fundação Municipal de Cultura e Desportos dispõe de ônibus próprio – e alimentação dos atletas nos dias de jogos.

“Essa é uma oportunidade para que os nossos atletas disputem uma competição em nível estadual e isso será uma espécie de vitrine para eles, que podem ter oportunidades futuras no próprio Independência, no Atlético Acreano, no Rio Branco ou em outros clubes”, disse ele.

O gestor afirmou ainda que os gastos referentes a participação dos atletas xapurienses no campeonato defendendo a equipe do Independência serão custeados “pela cidade de Xapuri, por meio de várias pessoas, amigos e amantes do futebol”. De acordo com ele, não há nenhum convênio firmado pela prefeitura e não haverá a destinação de dinheiro público para um time de futebol.

“Não se trata de aplicação de dinheiro público da prefeitura em um time de futebol. É uma parceria da cidade de Xapuri, por meio de várias pessoas, amigos e amantes do futebol, inclusive eu, que estou capitaneando isso na condição de prefeito, em uma gama de esforços de muita gente para que os jovens de Xapuri disputem o campeonato acreano com a tradição do Independência”, afirmou.

Outro detalhe explicado pelo prefeito é sobre os salários dos jogadores. Ubiracy diz que os atletas assinarão um termo de “doação” do seu trabalho, ou seja, não haverá pagamento mensal aos jogadores que atuarão apenas pelo amor ao ofício, o que não impede que eles venham a ser premiados por outros meios o resultantes do sucesso na participação no campeonato.




Continuar lendo

Extra Total

Em reunião secreta e com todos offline, governador do Acre dá “puxão de orelhas” em secretários e cobra mais eficiência na gestão

Publicado

em

FOTO: SECOM/ACRE

“Pull the rug“ essa seria a expressão “puxar o tapete” em Inglês. Mas não foi esse o idioma cobrado no primeiro escalão da gestão do governador Gladson Cameli. Ao pedir fim do “fogo amigo”, o chefe do executivo disse que esperava estar falando em português.

Ao chegar praticamente uma hora atrasado no prédio da biblioteca pública de Rio Branco na manhã desta quinta-feira (16) para participar do encontro com o primeiro e segundo escalão de sua gestão, o governador Gladson Cameli deixou de lado toda simpatia peculiar e falou grosso ao cobrar unidade de seus secretários e diretores e pedir o fim das famosas puxadas de tapete entre o grupo.

Cameli desceu do carro pela avenida Getúlio Vargas, entrou sorridente no hall principal do prédio recém-inaugurado, cumprimentou todos os servidores e sem conceder entrevistas entrou no auditório da Filmoteca onde já acontecia o encontro de alinhamento de seus principais assessores.

Ele foi o único a entrar com celular nas mãos. Os demais comissionados foram surpreendidos no primeiro encontro de planejamento, com o confisco do aparelho celular, gentilmente colocado em uma bandeja.

O cartão de visita parecia anunciar o cardápio que seria oferecido pelo governador que após agradecer o empenho de todos, mesmo sem sair do salto, engrossou o cangote e pediu unidade entre os que estão à frente de secretarias e autarquias.

“É um querendo puxar o tapete do outro”, desabafou o chefe do executivo.

Com olhar firme em direção aos subordinados e mãos inclinadas, ele disse que esperava estar falando em português, deixando muito bem claro que não vai mais admitir picuinhas no grupo que o ajuda a governar o Estado.

O tom já era esperado. O governo enfrentou uma séria crise no final do ano, saindo das paredes de sua gestão o desafino entre os secretários de planejamento [Maria Alice], fazenda [Semírames Plácido] e infraestrutura [Thiago Caetano].

Antes do Natal, Cameli ainda teve que administrar uma rebelião comandada pelo chefe da Casa Civil, Ribamar Trindade, que chegou a lhe entregar uma carta de demissão.

Nem mesmo contornou as cismas com o homem de maior confiança no governo, a secretaria de empreendedorismo e turismo emplacou um debate sobre dinossauros, se sobrepondo aos aspectos de desenvolvimento do estado. O carão parece ter servido, Sinhasique voltou atrás no projeto do pórtico com dinossauros.

Cameli disse o que há muito tempo queria, em seguida, optou por não sair pelo tapete estirado pelos servidores da biblioteca, mas, as portas do fundo, acesso principal a Filmoteca, onde o evento acontecia. A estratégia era para driblar a imprensa. Deu certo.

Fora a expressão “puxar o tapete” pouco ou quase nada se sabe do que foi conteúdo na reunião secreta da manhã desta quinta-feira em Rio Branco. Sabe-se através de assessores mais próximos que um pacto foi feito entre os secretários e diretores.

O estado tem meio milhão de reais para investir no primeiro semestre do ano, a maioria do aporte financeiro é de operações de crédito. O governo aposta alto nas obras de infraestrutura para recuperar a economia, gerar emprego e renda.




Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required
Propaganda
Propaganda

Mais lidas