Conecte-se agora

Júri: Membros de facção criminosa são condenados a mais de 196 anos de prisão

Publicado

em

O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), representado pelos promotores de Justiça Ildon Maximiano e Whashington Medeiros, obteve a condenação de onze integrantes de uma facção criminosa perante a 1ª Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Rio Branco em julgamento que durou três dias e foi encerrado nesta quinta-feira, 07. Somadas, as penas ultrapassam os 196 anos de prisão.

Inicialmente, o MPAC havia denunciado 12 réus pelos crimes de homicídio, integração em organização criminosa e corrupção de menores.

Adais Evangelista Gonçalves, Rodrigo Barros da Silva, Creuza Ferreira de Oliveira, Ana Cláudia de Souza Alvão, Eliézio Duque da Silva e Cleiverton da Silva Rufino foram condenados pelos três crimes, com penas que somam 144 anos de prisão, todas em regime fechado.

Anderson Conceição de Araújo foi condenado a 22 anos e 6 meses em regime fechado por homicídio e participação em organização criminosa.

Rafael Luz foi condenado a 12 anos de prisão em regime fechado por participação em organização criminosa, assim como Francisco Miller de Oliveira, que foi condenado a 5 anos e 10 meses pelo mesmo crime, porém em regime semi-aberto.

Durante o julgamento, o MPAC pediu a absolvição de Mario Jorge da Silva e Adeilson da Silva pelos crimes de homicídio e corrupção de menores. Eles foram condenados, entretanto, pela participação em organização criminosa, com penas de 5 anos e 10 meses e 6 anos, respectivamente, ambas em regime semi-aberto.

Já Gleyciane Damasceno, que também havia sido denunciada, foi absolvida em todos os crimes a pedido do MPAC.

O MPAC ainda irá recorrer para buscar o aumento das penas.

Sobre o homicídio

O crime ocorreu no dia 4 de maio de 2017, no Bujari. De acordo com a denúncia do MPAC, quatro indivíduos foram até a casa da vítima, Valdeci Oliveira Nascimento, cumprir uma ordem de execução dada pelo conselho da facção criminosa a qual pertenciam. Um dos denunciados ficou do lado de fora, enquanto outros seguraram a vítima, filmaram e efetuaram o disparo, empreendendo fuga em seguida. A vítima ainda teve uma de suas orelhas decepadas enquanto estava viva.

Os acusados foram presos dias depois e, após terem sido reconhecidos por uma testemunha, confessaram a participação no crime e na organização criminosa. A arma foi encontrada enterrada no quintal do local onde estavam escondidos. Ainda de acordo com a denúncia, no decorrer das investigações, após análise dos dados do celular apreendido de um dos denunciados, foi demonstrada a participação de outros indiciados com diferentes papéis no ordenamento, planejamento, apoio e execução do homicídio, além da corrupção de uma menor de 17 anos que participou dos crimes.

Propaganda

Cotidiano

Detento foragido que cortou tornozeleira eletrônica é recapturado em Brasileia

Publicado

em

João Nascimento Pereira morava no bairro Cidade do Povo, em Rio Branco, quando cortou a tornozeleira eletrônica que o colocava em situação de preso monitorado, em 07 de setembro de 2019. Desde então, policiais penais estavam à procura do foragido.

Até que policiais Penais da Unidade de Monitoramento Eletrônico de Presos de Brasileia conseguiram recaptura-lo na tarde deste sábado, 25. Segundo a equipe de plantão, a unidade recebeu a informação de que João Pereira atuava como monitor de uma clínica de recuperação no município em que foi recapturado.

Os policiais se dirigiram até o local indicado pelos denunciantes e encontraram o foragido, momento em que realizaram a prisão. Devido a evasão, a Vara de Execuções Penais de Rio Branco expediu mandado de prisão em 04 de outubro de 2019, que foi cumprido neste sábado.

De acordo com o documento, o reeducando teve a regressão cautelar para o regime fechado e deverá ser conduzido ao Complexo Penitenciário de Rio Branco. Uma audiência de justificação será agendada, com urgência, efetivando as necessárias requisições e intimações.

Com informações Ascom/Iapen

Continuar lendo

Cotidiano

Família afirma que morte de empresária ocorreu por complicações pós-operatórias

Publicado

em

A proprietária de uma das lojas de moda feminina mais conhecidas da capital acreana morreu nesse sábado, 25. Ao contrário do que havia sido divulgado anteriormente, Karol Andrade, dona da Karol La Belle, faleceu devido a complicações pós-operatórias depois de ser submetida a uma cirurgia bariátrica. A informação foi confirmada por uma familiar da empresária, que preferiu não ter o nome divulgado.

Segundo informou a fonte ao ac24horas, Karol já havia realizado a cirurgia e continuava internada, mas estava prestes a receber alta médica. Ela fez uma caminhada ainda nas dependências do hospital. Após algumas horas – acredita a família que devido a algum esforço mais intenso- um dos pontos na região do intestino acabou rompendo.

Foi então que a paciente passou a sentir grave mal estar, ânsia de vômito e chegou à falência múltipla dos órgãos. “Foi tudo muito rápido. Não deu tempo para quase nada”, explicou a fonte.

A loja Karol La Belle foi uma das pioneiras de sucesso nas redes sociais em Rio Branco e conta com mais de 21 mil seguidores em sua conta oficial no Instagram.

A informação da morte da empresária foi divulgada hoje cedo por amigos mais próximos e colegas de trabalho de Karol. A loja está fechada há pelo menos cinco dias devido a um recesso. Na web, muitos amigos e empresários publicaram mensagens de conforto à família de Karol. “Luto. Em solidariedade à família e amigos de uma grande pessoa, empresária e amiga, que hoje nos deixou. Que Deus conforte o coração de todos que a amam”, escreveu uma das amigas.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required
Propaganda
Propaganda

Mais lidas

welcome image