Conecte-se agora

Família diz que jovem baleado por policial não tinha nada a ver com briga em festa

Publicado

em

O estudante de medicina Mateus da Silva Bernardo, de 19 anos, foi ferido com um tiro nas costas por um agente da Polícia Federal identificado até o momento por Felipe, na noite deste sábado (2) durante a festa de “Halloween Costume Party” no Clube República de Minas (antigo supremo) no município de Epitaciolândia, distante 217 km de Rio Branco.

De acordo com informações do irmão da vítima, na festa ocorreu várias confusões e durante uma briga generalizada dentro do clube, o seu irmão Mateus resolveu sair do local e já na porta ele foi ferido com um tiro nas costas pelo suposto policial federal.

O irmão chegou a afirmar ainda a reportagem do ac24horas que Mateus em momento algum se envolveu em briga.

“Meu irmão não é aquele que aparece brigando em um vídeo que está rolando nas redes sociais, ele não entrou em confusão nenhuma, quando percebeu a briga resolveu sair e foi baleado por este policial federal com um tiro nas costas, não sabemos o porquê do tiro, o policial federal do nada atirou nele, a policia está tentando abafar o caso”, disse o irmão da vítima.

Testemunhas que estavam na festa chegaram afirmar ao ac24horas, que é comum os policiais federais chegarem armados nas festas na região atrás de mulheres para curtir, e afirmaram ainda que o jovem Mateus não tinha nada a ver com a briga generalizada que aconteceu dentro do clube.

O jovem Mateus foi transferido do hospital do município pelo Samu até Pronto-Socorro de Rio Branco. Segundo irmão, o estudante de medicina será cirurgiado ainda pela manhã deste domingo, 3, e corre o risco de ficar tetraplégico, pois a bala ficou alojada na vértebra, próximo ao pescoço.

Mateus é natural de Mâncio Lima, filho do escrivão aposentado José Ernandes Bernardo, estudante de medicina em Cobija. na Bolívia, e reside no município de Epitaciolândia.

A reportagem do ac24horas tentou contato com assessoria da Polícia Civil, Militar e Federal para saber mais sobre o caso e não obteve êxito.

Veja o vídeo que circula nas redes sociais:

Propaganda

Cotidiano

Fiscais que aplicariam provas do concurso à tarde cobram pagamento da FUNDAPE

Publicado

em

Como se não bastasse a série de problemas ocasionados com o cancelamento do concurso público da Secretaria Municipal de Educação (SEME) aos mais de 20 mil inscritos na prefeitura de Rio Branco, um novo impasse foi gerado após anúncio da anulação das provas. Os fiscais de sala que iriam aplicar as provas na tarde deste domingo, 17, alegam que a Fundação de Apoio e Desenvolvimento ao Ensino e Pesquisa e Extensão (FUNDAPE), empresa contratada para realização do certame, estão se negando a pagar a diária aos aplicadores, no valor de R$ 80.

Segundo um dos fiscais que estava lotado no Instituto Federal do Acre (Ifac), que preferiu não se identificar, mesmo que eles não tenham mais que aplicar o certame na tarde de hoje, houve um encontro preparatório na última quarta-feira, dia 13, em que eles tiveram que gastar com o descolamento e ainda disponibilizar tempo para a reunião. “Estávamos todos presentes no horário combinado”, afirma um dos fiscais.

Até mesmo os funcionários da limpeza, cuja a empresa se comprometeu em pagar a diária no dia do certame, também não sabem mais se irão receber. “O pessoal da limpeza chegou bem cedo aos locais de prova. Resolveram que não vão pagar”, ressalta o denunciante.

A secretaria municipal de Educação confirmou no início da tarde o cancelamento do concurso, que seria destinado à contratação de mais de 500 profissionais. As provas que seriam aplicadas na tarde foram anuladas.

Segundo o secretário Moisés Diniz, a prefeitura irá divulgar no decorrer da próxima semana uma nova data para o concurso da Educação.

Continuar lendo

Cotidiano

Candidatos inscritos no turno da tarde ainda não sabem se provas serão aplicadas

Publicado

em

Os candidatos inscritos para fazer a prova do concurso da Secretaria Municipal de Educação (SEME) marcada para ser aplicada à tarde ainda não sabem se o certame será normalmente realizado, após as denúncias que apontam suspeitas de fraude.

Os participantes reclamam que a banca organizadora e aplicadores contratados, assim como representantes da prefeitura de Rio Branco, omitem todas as informações referentes ao concurso. “Ninguém sabe de nada. Está todo mundo [sic] querendo saber se vai haver prova ou não e eles não falam nada”, reclama um candidato.

No final da manhã deste domingo, 17, equipes da Fundação de Apoio e Desenvolvimento ao Ensino e Pesquisa e Extensão (FUNDAPE) se reuniram para levantar informações sobre suspeita de fraude no concurso.

Desde as primeiras horas de hoje, candidatos alegam prejuízos devido à troca de provas, provas fora de malote lacrado, uso de celular em sala e leitura de prova em dupla e até trio.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.