Conecte-se agora

Ingratidão e decepção: Bolsonaro ignora o estado que lhe deu a maior vitória em 2018

Publicado

em

Quando 100% das urnas foram contabilizadas no 2º turno das eleições presidenciais de 2018, os acreanos eram uma euforia só. Não era para menos, além de muitos comemorarem a derrocada da esquerda no estado, Bolsonaro tivera aqui a maior votação proporcional dentre todos os estados da federação brasileira.

Os mais afoitos ousavam dizer que logo esse Brasil poderia se tornar uma espécie de Estados Unidos da América do Sul, uma alusão ao modelo Trump, ignorância ao quadrado; que foi adotado por Bolsonaro e que se difundiu a partir de milhares de Fake News nas redes sociais Brasil a fora.

Passados esses 09 meses, uma pergunta que ainda não foi respondida pelos políticos e lideranças que apoiam o governo; o Bolsonaro retribuiu ao Acre, tudo que os acreanos lhe deram nas urnas em 2018?

Essa pergunta tem que permear e uma hora chegar até o mito que se transformou em Mico, aliás nunca se viu um governo para protagonizar tantas confusões e atacar tanto os direitos daqueles que mais necessitam de proteção do estado brasileiro; os mais pobres.

Em um estado longínquo e sem arrecadação para ser autossuficiente como o Acre, a mão do governo federal para as grandes obras e investimentos é primordial. O governo estadual tem uma bancada de apenas 08 deputados federais e 03 senadores, estes reunidos somam apenas R$ 250 milhões em emendas parlamentares anuais, sendo este valor insuficiente para alocar aos diversos prefeitos e garantir injeção nos principais projetos do governo.

Como o Bolsonaro usa os jargões da honestidade e valores humanos, deveria saber que, a gratidão é um dos maiores valores que um ser pode ter.

Não pense nossos representantes federais, que adoram um self com Bolsonaro, que as Pontes, Hospitais, Rodovias e outras grandes promessas de campanha do governo Gladson Cameli, irá sair do papel, se não tiver essa parceria de perto e carinhosa do governo federal.

Pela decepção que tem sido os números comprovam, Jair Bolsonaro registrou a pior avaliação para um presidente do Brasil em início de primeiro mandato desde a eleição de Fernando Collor, em 1990. As reclamações, aliás, se reproduzem nas redes sociais, sendo um retrato da insatisfação dos brasileiros com o jeito cruel e escroto de relações sociais deste governo

Um percentual muito grande de pessoas que votaram no Bolsonaro o fizeram não por concordar com suas ideias e com suas propostas de governo, mas porque o encararam como uma rejeição à política tradicional e esse foi também um voto de protesto contra os governos de esquerda, contra o Partido dos Trabalhadores. Ou seja, foi um voto mais baseado em não querer outros candidatos do que propriamente na adesão a Bolsonaro.

Eu se fosse parlamentar da base de sustentação de Bolsonaro, me sentiria constrangido em ver a Universidade e Instituto Federal prestes a regredir nas ofertas aos milhares de jovens, por medidas conservadoras e ideológicas desse governo Cruel e sem Piedade com as conquistas históricas do povo.

Se eu fosse Parlamentar da base de Sustentação de Bolsonaro, me sentiria constrangido em ver que a entrega das Obras da Ponte sobre o Rio Madeira, por cortes nos repasses para sua conclusão final.

Se eu fosse Parlamentar de sustentação de Bolsonaro, me sentiria constrangido, de ver o estado sendo um dos maiores corredores de tráfico de drogas do País, porque nosso perímetro de fronteira estar desguarnecida.

Se eu fosse Parlamentar da Base de sustentação de Bolsoaro, me sentiria constrangido, ao ver as obras da tão sonhada Ponte de Rodrigues Alves, não ter emendas alocadas; por falta de recursos no DNIT, para o projeto de viabilidade da obra.

Se eu fosse Parlamentar de sustentação do Bolsonaro, faria uma reflexão sobre o rumo que o País estar trilhando, pois se ele cair o buraco do descrédito político, eu também poderia ir junto.

Ainda há tempo para Bolsonaro rever o débito político que tem com os acreanos.


Por: Francisco Panthio

Ativista do Movimento Social e Político do Acre

Propaganda

Destaque 3

Revista de visitantes em presídios tem que ser feita por equipamentos eletrônicos

Publicado

em

Não precisa ser especialista em segurança para saber que esse tipo de produto ilegal só é encontrado na unidade prisional porque alguém entrou com ele no local de forma criminosa. E a tecnologia tem sido uma grande aliada da segurança pública para evitar a entrada de produtos ilícitos como armas, explosivos e drogas dentro dos presídios.

O Instituto de Administração Penitenciária do Acre (IAPEN) acaba de normatizar por meio de uma portaria que a revista pessoal com fins de segurança, em todas as pessoas que pretendem ingressar em locais de privação de liberdade, seja visitantes de presos, particular, servidores e demais Agentes Públicos e que venham a ter contato direto ou indireto com pessoas privadas de liberdade ou com o interior do estabelecimento, deve ser por uso de equipamentos eletrônicos detectores de metais, aparelhos de raio-x, scanner corporal Body Scan, dentre outras tecnologias e equipamentos de segurança capazes de identificar armas, explosivos, drogas ou outros objetos ilícitos, ou, excepcionalmente, de forma manual.

A portaria deixa claro que todos que queiram ter acesso aos estabelecimentos penais devem se submeter aos aparelhos detectores de metais, independentemente de cargo ou função pública.

A determinação acaba com a vexatória situação da tal revista íntima. Quem já foi visitar um parente ou amigo em um presídio sabe o que é o constrangimento de muitas vezes ter que tirar toda a roupa na frente de desconhecidos.

A portaria afirma que são vedadas quaisquer formas de revista vexatória, desumana ou degradante, tais como desnudamento parcial ou total, qualquer conduta que implique a introdução de objetos nas cavidades corporais da pessoa revistada, uso de cães ou animais farejadores, ainda que treinados para esse fim e os famosos e constrangedores agachamento ou saltos.

Leia a portaria:

PORTARIA N.º1.431, DE 15 OUTUBRO DE 2019

O DIRETOR PRESIDENTE DO INSTITUTO DE ADMINISTRAÇÃO PENITENCIÁRIA DO ESTADO DO ACRE – IAPEN/AC, no uso de suas
atribuições legais, Considerando que a dignidade da pessoa humana é princípio fundamental do Estado Democrático de Direito, instituído pelo art. 1º, inciso III, da Constituição Federal; Considerando o disposto no art. 5º, inciso X, ab initio, da Constituição Federal, que estabelece a inviolabilidade da intimidade e da honra das pessoas; Considerando a necessidade de coibir qualquer forma de tratamento desumano ou degradante, expressamente vedado no art. 5º, inciso III, da Constituição Federal; Considerando a necessidade de manter a ordem, segurança e integridade física e moral de toda pessoa que pretenda adentrar ao Sistema Penitenciário do Estado do Acre, seja visitantes de presos, particular, servidores terceirizados, temporários ou efetivos, administrativos ou operacionais, demais Agentes Públicos; Considerando o disposto no art. 3º da Lei nº 10.792/2003, que determina que todos que queiram ter acesso aos estabelecimentos penais devem se submeter aos aparelhos detectores de metais, independentemente de cargo ou função pública; Considerando que o art. 74 da Lei de Execução Penal determina que o departamento penitenciário local deve supervisionar e coordenar o funcionamento dos estabelecimentos penais que possuir; Considerando que a necessidade de prevenir crimes no Sistema Penitenciário não pode afastar o respeito ao Estado Democrático de Direito; RESOLVE Art. 1º. A revista pessoal é a inspeção que se efetua, com fins de segurança, em todas as pessoas que pretendem ingressar em locais de privação de liberdade, seja visitantes de presos, particular, servidores terceirizados, temporários ou efetivos, administrativos ou operacionais, demais Agentes Públicos, e que venham a ter contato direto ou indireto com pessoas privadas de liberdade ou com o interior do estabelecimento, devendo preservar a integridade física, psicológica e moral da pessoa revistada. Parágrafo único. A revista pessoal deverá ocorrer mediante uso de equipamentos eletrônicos detectores de metais, aparelhos de raio-x, scanner corporal Body Scan, dentre outras tecnologias e equipamentos de segurança capazes de identificar armas, explosivos, drogas ou outros objetos ilícitos, ou, excepcionalmente, de forma manual. Art. 2º. São vedadas quaisquer formas de revista vexatória, desumana ou degradante. Parágrafo único. Consideram-se, dentre outras, formas de revista vexatória, desumana ou degradante:

I – desnudamento parcial ou total;
II – qualquer conduta que implique a introdução de objetos nas cavidades corporais da pessoa revistada;
III – uso de cães ou animais farejadores, ainda que treinados para esse fim;
IV – agachamento ou saltos.

Art. 3º. O acesso de gestantes ou pessoas com qualquer limitação física impeditiva da utilização de recursos tecnológicos aos estabelecimentos prisionais será assegurado pelas autoridades administrativas, observado o disposto nesta Resolução.

Art. 4º. A revista pessoal em crianças e adolescentes deve ser precedida de autorização expressa de seu representante legal e somente será realizada na presença deste.

Art. 5º. Cabe à administração penitenciária estabelecer medidas de segurança e de controle de acesso às unidades prisionais, observado o disposto nesta Resolução.

Art. 6º. O controle de radiação, especificamente do equipamento de scanner corporal Body Scan, se dá mediante prévio cadastro de todos que se submeterão ao procedimento, o qual automaticamente impossibilitará a revista caso tenha atingido o limite permitido pelo Conselho Nacional de Energia Nuclear.

Art. 7º. Os Diretores dos Estabelecimentos Penais poderão regulamentar a operacionalização das ações em cada Unidade Penal.

Art. 8º. Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

Registre-se
Publique-se, e
Cumpra-se.

Rio Branco – AC, 15 de outubro de 2019.

JOSÉ LUCAS DA CRUZ GOMES
Diretor Presidente

Continuar lendo

Destaque 3

Socorro diz que não é honesto cobrar prefeitura por problemas que se arrastam há anos

Publicado

em

A prefeita de Rio Branco, Socorro Neri, divulgou em sua página no facebook nesta quarta-feira, 23, a programação da Emurb de tapa buracos espalhados pela cidade. Pelo menos 24 pontos da capital estão sendo passando por manutenção hoje.

Além do tapa buracos, Neri enfatizou que existem outras equipes em campo cuidando da revitalização de praças, limpeza das vias públicas, coleta de lixo, paisagismo, sinalização viária. “O trabalho é grande”, ressalta a gestora.

Mesmo divulgado o trabalho, Socorro aproveitou para alfinetar quem critica a sua gestão. “Infelizmente, há quem só enxergue onde a Prefeitura ainda não conseguiu resolver. Este ano, a Prefeitura já fez o dobro do que fez em anos anteriores, e com recursos próprios e sozinha, sem parcerias. Tudo isso num momento em que a crise financeira tem se agravado”, esclareceu.
Socorro destacou que “não reconhecer isso e cobrar da Prefeitura que resolva, num verão só, problemas que se arrastam há anos, não é honesto”.

“Sigamos fazendo o melhor possível com as condições financeiras que temos. Essa é nossa obrigação e compromisso”, finalizou a prefeita em sua publicação.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.

welcome image