Conecte-se agora

Petecão: “quem manda nas emendas são os deputados e senadores”

Publicado

em

O coordenador da bancada federal acreana, senador Sérgio Petecão (PSD), disse ao BLOG DO CRICA ontem que, os deputados e senadores estão com razão ao não aceitarem a proposta do governador Gladson Cameli para que as suas emendas parlamentares sejam transferidas para serem geridas pelo governo. “Cada deputado e senador manda nas suas emendas, quem quiser destinar os valores ao governo que destine, não pode fazer parte de uma decisão coletiva”, explicou Petecão. Cada parlamentar tem compromissos políticos assumidos com obras para as prefeituras da capital e do interior. À medida que você fica sem o poder de movimentar as suas emendas, falta com a palavra e se queima não só com os prefeitos, mas com a população desses municípios, ponderou o senador ao BLOG. Deu um exemplo das prefeituras das comunidades isoladas como Jordão, Santa Rosa e outras que estão esperando os recursos das emendas para atender as reivindicações dessas comunidades: e com que cara o deputado federal ou o senador vai chegar nestas áreas e dizer que os recursos não virão mais porque foram dados para o governo? A população mora é nos municípios, diz ele. Indagado se não temia que, por conta desta recusa o governador Gladson Cameli venha a baixar um decretão, como fez com os deputados estaduais para demitir os indicados da bancada federal como forma de pressionar para abocanhar as emendas parlamentares, o senador Sérgio Petecão (PSD) foi pragmático: “ele não ficou doido para fazer isso”.

SALTO NO ESCURO

Caso o Gladson atenda os falcões da sua gestão e como represália demitir os indicados da bancada federal no seu governo estará ando um perigoso salto no escuro e complicando a sua administração. A bancada federal, em sua maioria, não volta atrás nesta questão das emendas. Prego batido.

NÃO TEM CONVERSA

Conversei ontem com alguns integrantes da bancada federal e nenhum disposto abrir mão das suas emendas para serem geridas pelo governo. No total chega a 250 milhões de reais. “Nunca no chamou para discutir a aplicação do Orçamento do Estado e agora quer interferir no que é da nossa alçada”? Esta posição ouvida ontem de um deputado federal é a de quase toda a bancada. 

POUCOS ABRIRAM MÃO

A informação que chegou à coluna foi a de que apenas os deputados federais Manuel Marcos (PRB), Vanda Milani (SD) e a senadora Mailza Gomes (PROGRESSISTAS) teriam aceitado abrir mãos dos valores de suas emendas para repassar ao Estado. Os demais teriam se recusado.

SEIS E MEIA DÚZIA

O Gladson calou a oposição pagando os salários em dias (diziam que não pagaria) e quitando as dívidas deixadas pelo último governo, inclusive, o calote salarial dos servidores. Mas, na Saúde, não serei agradável: no governo do PT o atendimento era ruim e no atual a direção da SESACRE se nivela na ruindade. E olhe que os gestores ganharam um PS novo. Se o Gladson conseguir extirpar o calo da Saúde do sapato, coloca uma trava total na língua da oposição.

NO MAIS VAI TOCANDO BEM

Nas demais áreas, numas melhor e em outras nem tanto, o Gladson Cameli está tocando o governo nestes dois meses de gestão de forma positiva. Os equívocos administrativos não foram de grande potencial destrutivo para minar o trabalho realizado até o momento.

SE NÃO ATRAPALHAR, AJUDA

Sobre nota do BLOG, de que o secretário da Agricultura, Paulo Wadt, tem se limitado até aqui a teorizar sobre o campo, uma das figuras que mais conhece a área do agronegócio e a livre iniciativa, fez um comentário liberal: desde que não atrapalhe, já estará ajudando.

ENGANADOS COM A COR DA CHITA

A penca de prefeitos que está se mudando de malas e cuias para o PROGRESSISTAS, por ser a sigla de filiação do Cameli, está enganada com a cor da chita: não é a mudança de sigla que os ajudará na reeleição, mas como suas administrações chegarão avaliadas em outubro de 2020.

VOTOS PESSOAIS

Os prefeitos que estão indo para o PROGRESSISTAS, não esperem que o Gladson Cameli tenha o poder de transferir votos para eles. O voto dado no Gladson para o governo foi pessoal, não foi por causa do seu partido. Tratem de trabalhar se quiserem se reeleger em 2020. E ponto.

AS VELHAS CARAS DO GLORIOSO

O MDB – o Glorioso do Dr. Ulysses Guimarães – não renova os seus dirigentes há décadas. Basta dar uma olhada na foto dos que foram votar na convenção nacional, em Brasília, e se verá que são as mesmas velhas caras manjadas de outros carnavais políticos. Não muda.

UMA TABA DE DOIS CACIQUES

O MDB é uma taba de dois velhos caciques, que dividem as aldeias do Alto Acre e Juruá: deputado federal Flaviano Melo (MDB) e o ex-prefeito Vagner Sales (MDB), respectivamente.

E MAIS NINGUÉM

Falando em liderança no sentido mais exato da palavra, fora o deputado federal Flaviano Melo (MDB) e Vagner Sales (MDB), não tem outro nome de densidade que tenha o cacife de ambos.

NÃO CONTA

O senador Márcio Bittar (MDB) não conta porque não foi gestado no MDB.

IMAGEM DE DEFENSORA

Tenho respeito e admiração pelo trabalho da Promotora Alessandra Marques, mas a sua ação ao contrapor uma lei oriunda de um projeto do deputado Roberto Duarte (MDB), que regula cortes de energia, a impressão que ela passou, falsa ou não, foi a de defensora da ENERGISA.

NADA MAIS DETESTADO

Não há nada mais detestado hoje no imaginário do acreano do que a ENERGISA.

CARTA BRANCA DOBRADA

Já tinha ouvido esta frase há meses de uma das figuras das mais representativas do MDB. E voltei a ouvir ontem, e desta feita num tom de revolta: “Lhe disse que o Roberto Duarte tinha carta branca para não ficar atrelado ao governo do Gladson, agora tem carta branca dobrada”.

CURIOSIDADE

Continuo a dizer que a grande curiosidade da eleição de 2020, é como se comportará o MDB? Os secretários e diretores do MDB no governo vão apoiar o deputado Roberto Duarte (MDB)? Ou apoiarão o candidato à PMRB do Gladson Cameli? A roleta girou, façam os seus jogos.

ENTENDIMENTOS CONFIRMADOS

O senador Sérgio Petecão (PSD) confirmou ontem a notícia dada por este BLOG de que o grupo do ex-deputado Ney Amorim está com entendimentos avançados para se filiar ao PSD. Isso ocorrendo, o PSD chegará á mesa das discussões sobre candidatos à PMRB dando as cartas.

DISTORÇÃO A SER CORRIGIDA

O Gladson Cameli tem investido na PM na compra de materiais de segurança pessoal como coletes, armas, veículos, munição, fardamento, mas tem uma distorção que tem de corrigir: promover uma equiparação salarial com a polícia civil. A PM é o primo pobre da Segurança.

 NADA REPRESENTATIVAS

A eleição para a escolha dos Conselheiros Tutelares não foi nada representativa. 91% do eleitorado não se fez presente aos locais de votação. Não despertou o interesse popular.

TORCIDA DO CONTRA

O prefeito Ilderlei Cordeiro diz que a “torcida do contra” tem perdido tudo no que aposta contra a sua administração. Cita que a última foi espalharem que no último dia 27 teria o mandato cassado pelo TSE. “Torcida do contra” á qual se refere é o grupo do ex-prefeito Vagner Sales. 

VANDALISMO CONTINUA

O vandalismo continua a atingir a administração da prefeita Socorro Neri. Domingo pela madrugada furtaram os fios da iluminação pública na Rua Benjamin Constant. Derrubaram os postes para arrancar os fios. O que prova que a rede de receptação continua a agir, em que pese a ação policial contra empresas do ramo de compra de alumínio e cobre. Caberia uma nova ação policial nos estabelecimentos. Isso está virando uma fonte de renda de malandros.

DINHEIRO NA SEGURANÇA

O deputado federal Alan Rick (DEM) vai destinar 600 mil reais para a compra de equipamentos para as delegacias policiais, principalmente, para as áreas de perícia e investigação criminal.

PETISTA LÚCIDO

Não levo em conta a ideologia nas minhas amizades. Um velho amigo petista de cabeça lúcida fez ontem uma observação, parecida com a que já fiz neste espaço: “se o Gladson chegar em 2022 no mesmo no tom atual do seu governo, se reelege. Não é fácil derrotar um governador no primeiro mandato. Tem que ser um desastre. E o Gladson não está sendo até aqui”.

OLHANDO O PANORAMA

O ex-senador Jorge Viana tem sido cauteloso com a mais justa razão quando fica de fora do cenário político este ano. Só vai emergir em 2020, para apoiar o candidato à PMRB do PT. No mais ficará na torcida para que o governador Gladson Cameli dispute a reeleição em 2022.

EXPLICAÇÃO SIMPLES

A análise é de fácil explicação. O Jorge Viana sabe que com o Gladson Cameli disputando o Senado como candidato único, comandando a máquina estatal, seria muito forte e a sua chance de voltar a ser senador diminuiria. O JV conhece o peso da máquina estatal.

INSTRUMENTO PODEROSO

No final da década de 70, o então governador Geraldo Mesquita usava as ondas poderosas da Rádio Nacional de Brasília para se comunicar com os mais distantes rincões do Acre. Se o Gladson colocar um transmissor de 25 quilos na Difusora dá um salto na comunicação oficial. 

PARADA NO MP

Denúncia foi endereçada ao MP contestando a nomeação de Jheice Amorim da Silva Mendonça no cargo de diretora executiva da CAGEACRE, sob alegação de não preencher os requisitos para o cargo, que são 10 anos de experiência profissional, ter curso superior, entre outros atributos essenciais para a nomeação. Supostamente, ela não poderia ser nomeada.

PEDIDO DE DEMISSÃO

O João Paulo, filho do senador Márcio Bittar (MDB), apresentou à Secretaria de Ação Social o seu pedido de demissão de uma diretoria que ocupava no órgão. Não se trata de briga do Márcio com o Governo. É que, João Paulo tem outros projetos profissionais em mente.

Anúncios

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas