Conecte-se agora

Duarte diz que é absurdo Gladson colocar a culpa do desequilíbrio das contas públicas nos deputados

Publicado

em

FOTO: SÉRGIO VALE

Após a derrota histórica imposta pela Assembleia Legislativa ao governo Gladson Cameli com a derrubada de oito vetos de projetos aprovados no parlamento estadual, a comunicação oficial do governo anunciou que Gladson vai readequar gastos para garantir o equilíbrio fiscal do Estado.

A matéria, veiculada pela página de notícias do governo acreano na internet, afirma que “devido aos vetos dos deputados estaduais referentes à proposta discutida com membros do Poder Executivo na semana passada, afetando diretamente o equilíbrio das contas públicas, uma vez que o Governo do Estado vem trabalhando no sentido de cumprir suas obrigações financeiras com a folha de pagamento, inclusive com a antecipação do décimo terceiro salário e o saneamento de dívidas da gestão anterior.

Essa decisão do governo parece que vai se tornar mais um round dessa “briga” entre executivo e legislativo do Acre. É que os vetos impostos pelos deputados não geraram despesas ao governo do estado, já que o orçamento vai dar entrada no final deste mês, deve ser votado, como é de praxe, em dezembro, e ser executado no ano de 2020.

O deputado estadual Roberto Duarte (MDB) foi um dos primeiros parlamentares a se pronunciar após o anúncio da posição do governo e classificou a medida como absurda.

“Um absurdo o governo querer colocar a culpa do desequilíbrio das contas públicas nos deputados. A LDO foi encaminhada pelo executivo ao legislativo e construída em conjunto através das emendas apresentadas pelos parlamentares após a aprovação do próprio executivo. Ademais, a L.D.O estabelece a regra da construção do orçamento. Orçamento que ainda será encaminhado pelo executivo no final de setembro e que deverá ser votado em meados de dezembro para ser executado no próximo ano”, afirmou Duarte.

Anúncios

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Mais lidas