Conecte-se agora

Final de semana macabro com seis assassinatos no Acre

Publicado

em

O final de semana foi daqueles que comprovou que o discurso da diminuição da violência e a prometida sensação de segurança se restringem muito mais aos discursos das autoridades do que realmente presente na vida das pessoas.

De sábado para domingo, foram registrados nada mais, nada menos do que seis assassinatos na capital, Rio Branco, e em Cruzeiro do Sul.

Um dos crimes choca pela barbaridade e pela falta de sentimento com a vida humana. Edison Abreu dos Santos, de 44 anos, matou e esquartejou a namorada, Graciane Prado da Silva, de 24 anos, na frente de sua mãe e irmãos. O assombroso crime aconteceu no Km 36 da Estrada de Porto Acre.

O motivo da execução teria sido uma discussão por ciúmes. O acusado encontra-se foragido.

Já a guerra de facções é apontada como a causa da morte do ex-presidiário Siney da Costa Raulino, de 30 anos, morto com quatro tiros na frente da esposa e dos filhos em sua residência no bairro Taquari.

Já na Cidade do Povo, uma das regiões mais violentas de Rio Branco, uma jovem, que não teve o nome identificado matou o padrasto com 17 facadas. Segundo o boletim de ocorrência, Sérgio Grossklags, de 49 anos, era marido da mãe da acusada e tinha um histórico de agressão contra a esposa. Depois de uma bebedeira, ao presenciar mais uma agressão, a jovem se apossou de uma faca e resolveu defender a mãe, resultando na morte de Sérgio.

Na manhã deste domingo, 15, o corpo do ex-presidiário Raimundo da Costa Silva, de 35 anos, foi encontrado morto boiando nas águas do Rio Branco. A polícia ainda não sabe a motivação do crime, mas o tráfico de drogas é apontado como principal motivo, já que Raimundo era dependente químicos e já tinha passagens pela polícia por tráfico.

Mortes em Cruzeiro do Sul

Já em Cruzeiro do Sul, segunda maior cidade do Acre, o final de semana também foi sangrento.

O sentimento tão nobre da maternidade fez com que uma mãe morresse no lugar do filho. Na noite deste domingo, 15, no bairro Miritizal, Maria Enilsa Pereira, 39 anos, morreu ao jogar seu corpo na frente do filho para impedir que cinco homens que tinham invadido sua casa o matassem.

Maria Enilsa levou vários tiros e facadas. O filho conseguiu escapar.

Já Antônio Cleisson Oliveira da Silva, 22 anos, foi morto com uma facada após um desentendimento. O acusado é ter cometido o crime é conhecido na região como Raimundo Bochecha e ainda não foi encontrado pela polícia. O crime aconteceu na Vila São Pedro, também na noite deste domingo.

Anúncios

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Mais lidas