Conecte-se agora

Bombeiros acreanos participam de treinamento na Bahia

Publicado

em

Em época de queimadas urbanas e rurais, os homens e mulheres do Corpo de Bombeiros do Acre são acionados todos os dias para combate aos focos de incêndio.

O que pouca gente sabe é que apagar esses incêndios não basta boa vontade. Os militares são altamente treinados para evitar que as chamas se espalhem, o uso adequado dos equipamentos e até os modos diferentes de combater na floresta e em áreas urbanas.

Para que cada vez a qualidade do serviço prestado pelos militares do Acre no salvamento de vidas seja ainda mais competente, a aposta é na qualificação. Foi o que aconteceu com o 2º Ten BM Freitas Filho, 2º Ten BM Athos, 2º Sgt BM Hildebrando, Sd BM J. Nascimento e Sd BM Danilo que retornaram ao Acre após participar do IV Curso de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais – CPCIF, promovido pelo Corpo de Bombeiros Militar da Bahia.

No curso, os militares foram capacitados com técnicas de prevenção e combate a incêndios florestais em diversos biomas brasileiros, além de outras disciplinas, como perícia de incêndios, orientação e navegação, busca de pessoas perdidas, resgate de vítimas nos planos vertical e horizontal, atividades em ambiente aquático, atendimento pré-hospitalar, sobrevivência, dentre outras atividades, desenvolvidas explorando as particularidades do ambiente silvestre/mata. Por meio dessa capacitação, a instituição inicia uma nova era nas atividades de incêndios florestais, bem como no atendimento a ocorrências em áreas de mata, tão comuns em nossa região.

A intenção é que esses militares sejam multiplicadores dos conhecimentos adquiridos e responsáveis pelo desenvolvimento de uma nova doutrina de prevenção e combate a incêndios e busca/resgate de vítimas em regiões inóspitas.
.
Fotos: Assessoria Corpo de Bombeiros

Propaganda

Destaque 7

Mailza Gomes busca recursos no DNIT para obras no Acre

Publicado

em

A senadora Mailza Gomes (Progressistas-AC) se reuniu nesta quarta-feira, 16, com o diretor de Planejamento e Pesquisa do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), Luiz Guilherme Rodrigues de Mello, para tratar da busca de recursos e apresentação de projetos de obras estruturantes para o estado do Acre.

Na pauta, esteve a conclusão da ponte sobre o Rio Madeira, a reconstrução da BR-364, o contorno Rodoviário de Brasiléia e Epitaciolândia, a restauração da BR-317 e a construção de rodovias para acesso aos municípios distantes – Santa Rosa do Purus, Porto Walter, Jordão e Marechal Thaumaturgo.

Acompanhada do secretário estadual de Infraestrutura e Desenvolvimento Urbano (SEINFRA), Thiago Caetano, a senadora defendeu a importância da construção de uma estrada de acesso aos municípios isolados do Acre, cujo acesso é somente marítimo ou aéreo. Mailza lembrou que esse é um sonho antigo dos moradores daquela região do estado.

“Apresentamos ao diretor o quanto essa estrada é importante e vai facilitar a locomoção via terrestre. Já existe um projeto em andamento para construção e vamos continuar lutando para a concretização desse sonho”, destacou.

Rodovia para os municípios distantes

Pensando na infraestrutura logística do Acre, Mailza também reiterou que os novos investimentos em mobilidade urbana para o Acre vão trazer desenvolvimento e garantiu que os acreanos podem esperar por mais obras do Governo do Estado.

“Nosso governador tem olhado com carinho para os municípios. Em parceria com o governo, DNIT e Seinfra, vamos construir grandes obras”, frisou a parlamentar.

Ponte Rio Madeira

O diretor Luiz Guilherme explicou à senadora que para acelerar a conclusão da ponte do Madeira, cujo projeto de ampliação de 400 metros está quase pronto, a área a ser construída deverá ser qualificada como “Obra de Arte Especial”, o que dispensa nova licitação e poderá ser feita em forma de aditivo, faltando apenas aprovação da diretoria executiva. Orçada em R$ 128 milhões, a ponte que ligará o estado de Rondônia ao Acre terá 1 km de extensão, com um vão livre de 170 metros e 19 metros de altura.

Anel Viário de Brasiléia/Epitaciolândia

Com o anel viário, a BR-317 terá um novo traçado, contornando as cidades de Epitaciolândia e Brasiléia. Os investimentos para construção estão previstos pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Orçada inicialmente em R$ 50 milhões, segundo o DNIT, com os ajustes, o custo total pode chegar a R$ 100 milhões. No encontro, o diretor assegurou que o Anel Viário do Alto Acre é prioridade no governo e ficou de fazer uma visita na BR 364 ainda este ano.

*Com informações da Assessoria da senadora Mailza Gomes (PP-AC).

Continuar lendo

Destaque 7

Grupo católico não sustenta denúncias contra padre em Xapuri

Publicado

em

O grupo católico “Amigos de São Sebastião”, uma associação informal de filhos de Xapuri que na sua maioria residem fora do município, criada para auxiliar o projeto de revitalização da igreja, não referendou as denúncias feitas ao site ac24horas na semana passada por dois dos seus membros contra o chefe da paróquia de Xapuri, o padre Francisco das Chagas.

O que se pôde apurar após a publicação da reportagem foi que o religioso foi acusado levianamente de comprar uma caminhonete Amarok para a paróquia sem que houvesse necessidade para tal, com o agravante de a aquisição ter sido feita sem a autorização da Diocese de Rio Branco.

As afirmações feitas por ambos os informantes também colocavam em dúvida a boa gestão financeira da paróquia de São Sebastião.

Todas as situações levantadas foram desmentidas pelo Conselho Paroquial da Igreja em Xapuri e pelo Vigário Geral da Diocese, o padre Leôncio Asfury, maior autoridade da igreja católica acreana após o bispo Dom Joaquim, que se encontra em Roma participando do Sínodo da Amazônia.

O Conselho Paroquial informou que a decisão de se adquirir o veículo foi tomada por unanimidade dos participantes depois de mais de um encontro realizado para apreciar o assunto. O padre Asfury afirmou que o bispo Dom Joaquim foi informado da deliberação do Conselho Paroquial e assinou os documentos referentes à compra e ao emplacamento do carro.

Apesar de nenhuma nota haver sido divulgada publicamente, fontes garantem que a decisão de tornar pública uma mera insatisfação com medidas administrativas do padre e de seu conselho gestor, travestindo-se isso em acusações infundadas, não agradou a maioria dos membros do grupo, que ensaiam a divulgação de uma nota pública esclarecendo que os denunciantes não os representam e manifestando solidariedade ao sacerdote.

Em trechos de manifestações internas do grupo aos quais tivemos acesso, fica claro que não há contestações ao pároco e sua equipe senão àquelas voltadas para discordâncias com a maneira do vigário gerenciar a paróquia de São Sebastião, uma das mais históricas e representativas do Acre.

A reportagem foi publicada depois de o site ter sido procurado por uma pessoa cuja participação na linha de frente do grupo era notória. Pedindo sigilo de identidade, informou o desejo dos demais componentes para que o assunto fosse veiculado sem que os nomes dos responsáveis fossem citados, o que não foi atendido pela redação do jornal.

O professor José Cláudio Mota Porfiro, terminou por assumir as afirmações e críticas feitas ao sacerdote na publicação. Depois de ser desautorizado por vários participantes do grupo nas redes sociais, José Cláudio recuou do tom de denúncia que havia usado inicialmente dizendo que na verdade não há acusações contra o padre, e que a intenção do grupo agora é a de se preservar a idoneidade moral do pároco de Xapuri.

“Não há, exatamente, muita coisa contra o padre, não. Na realidade, depois de muitas informações encontradas e outras desencontradas, a minha intenção, ou a nossa intenção, pode ser dita que é, exatamente, preservar a idoneidade moral do padre. Ou seja, não houve acusação, e se houve alguma acusação não foi, exatamente, da nossa parte. O que a gente quer é a gente quer é que exista uma prestação de contas muito substanciada”, afirmou em mensagem enviada pelo aplicativo Whatsapp.

A reportagem do ac24horas teve grande repercussão tanto em Xapuri quanto em Rio Branco. Nas redes sociais, a revolta contra as acusações e o apoio de internautas ao padre Chagas foram unânimes. Até o site e o jornalista autor da matéria, no exercício da liberdade de imprensa, foram alvos de críticas de uma legião de fiéis e admiradores do líder religioso, que é tido como uma forte referência espiritual na cidade.

Consultados, alguns membros do Conselho Paroquial e fiéis da paróquia de São Sebastião afirmaram que jamais existiu qualquer dúvida em Xapuri quanto à idoneidade e ao equilíbrio de Chagas. Muitos disseram não entender como foi possível surgir denúncias dessa natureza contra um pároco que administra a igreja rodeado de uma extensa equipe de paroquianos que o assessora tanto administrativa como financeiramente.

Quando consultado pela reportagem, o padre Asfury reconheceu o direito de os membros do grupo contestarem a direção da paróquia a respeito de qualquer decisão tomada, mas garantiu que não havia anormalidades na administração da igreja em Xapuri. Ele lembrou que a autonomia do Conselho Paroquial é prevista no Código de Direito Canônico e afirmou que o padre Chagas é um homem extremamente íntegro.

“Não se pode desrespeitar a autonomia do Conselho Paroquial e Econômico, que conduzem a administração da paróquia junto com o padre. E nós temos grande respeito e admiração pelo padre Chagas. A simplicidade dele esconde muita sabedoria ali dentro, muita responsabilidade e muito respeito com a paróquia, muita decência”, afirmou.

O Padre Chagas

Homem simples, ex-seringueiro da região do Purus, alfabetizado já adulto e ordenado aos 40 anos de idade, o padre Francisco das Chagas Monteiro dos Santos, 67 anos, se tornou com o passar do tempo uma das figuras mais carismáticas de Xapuri e com uma forte presença na vida das comunidades mais necessitadas do município, onde está desde o ano de 2005.

Mostrando-se sereno e inabalável durante os momentos em que a reportagem do ac24horas se tornou um dos assuntos mais comentados da cidade, o pároco colocou todas as informações sobre a aquisição do veículo e ainda sobre as prestações de contas da igreja à disposição dos membros de toda a comunidade xapuriense, católicos ou não.

O site ac24horas ressalta que procurou checar com rigor a procedência das informações recebidas, tendo constatado a ligação das fontes citadas na reportagem com o grupo em questão, estando todos os áudios e mensagens devidamente gravados e arquivados. Acrescenta o veículo de comunicação que continua no seu firme propósito de bem informar a sociedade acreana, se pondo à disposição para qualquer esclarecimento que se faça necessário.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.