fbpx
Conecte-se agora

A ala da gastança derrubou a Semírames

Publicado

em

A ex-secretaria Fazenda, Semírames Dias (foto), fez o que todo gestor sério faria quando vê o seu trabalho de enxugar as finanças de um Estado ser ameaçado pela ala da gastança desenfreada, sem planejamento, e que pode colocar todo o esforço para o equilíbrio fiscal por terra. A Semírames conseguiu manter o Estado no fio da navalha na contenção de gastos. Só de precatórios o Estado deve 190 milhões de reais. Este ano já pagou 38 milhões de reais. O Estado caminha para chegar em Dezembro acima do limite máximo do gasto com pessoal. Só não explodiu pela sua política austera. Hoje, a folha de pagamento já está em 49%. Em Julho teve uma queda do FPE de 24 milhões de reais. E estão pendentes para pagamentos as titulações, progressões, promoções de servidores efetivos e verbas indenizatórias. O débito do Estado é muito grande. Não temos indústrias e nem uma economia forte. Foi neste contexto de miséria econômica que a secretária Semírames navegou durante o tempo em que comandou a FAZENDA. Mas manteve-se firme. E por outro lado, é deputado pressionando para pagar dívidas de afilhados, outros em causa própria, sindicalista querendo aumento, é o governador Gladson Cameli a toda hora a anunciar pacotes de bondades com contratações e pagamentos de dívidas herdadas, como se o tesouro estadual fosse um saco sem fundo. E a secretária Semírames foi ficando neste festival de cobranças e em meio a um tiroteio para liberar dinheiro a rodo, levando a fama da “Rainha Má” do governo que sentou em cima do cofre e não queria pagar ninguém. O seu pedido de demissão quebrou o pilar que até aqui vinha sendo o equilíbrio deste governo. Traduzindo: foi derrubada pela ala da gastança, que defende um governo perdulário. Ela fez bem ao deixar o barco. Era só ele tirando água da embarcação e os outros jogando água dentro. Quem pariu Mateus, que embale. Diz o ditado.

CONTENÇÃO GARANTIU
Todas as conquistas do governador Gladson em termos de obras e pagamentos de calotes do governo passado só foi possível graças à política séria e de arrocho da secretária de Fazenda.

QUE INTERINO SEJA
O Alysson Bestene é um jovem de caráter bem moldado, mas espera-se que esta sua interinidade á frente da Secretaria da Fazenda seja curta. O Alysson entende tanto deste setor como entendo de energia nuclear. A escolha tem de ser de um técnico acima da politicagem.

É PRECISO EQUILÍBRIO
Num Estado pobre, que na agricultura mal produz o cheiro verde, que não tem indústrias, o gasto tem de ser feito com responsabilidade ou quebra. Abriu a porteira passa uma boiada. Exemplo mais recente foi do último governo, perdulário, que saiu devendo Deus e o mundo.

NÃO É SACO EM FUNDO
O governador Gladson tem que cair na real que comanda um Estado quebrado, deixar a ânsia de lado e aprender a dizer “não” às pressões que sofre de políticos, sindicatos, empresários. Se não fechar este paiol de promessas, aumentarão os gastos, e tempos negros na economia virão.

DE GAIATA NO NAVIO
A PMRB entrou de gaiata no navio, na relação de feitos divulgados pelo governo Cameli, de prefeituras que receberam asfalto e combustível para trabalhar nos ramais. A ajuda foi zero. E ainda teve de assumir áreas do Estado, como Parques Tucumã, Chico Mendes e Maternidade.

ENDEREÇO ERRADO
O asfalto e o combustível anunciados, que teriam sido repassados às 22 prefeituras, no tocante à capital erraram o endereço de entrega. A prefeita Socorro Neri até hoje não recebeu a visita do emissário do governo. Nem protocolo de intenções foi assinado. Certo ou errado?

VERSÃO DA REDE
O Porta-Voz da REDE, Júlio César, diz que quando a Marina foi ministra do Meio Ambiente reduziu em 80% o desmate na Amazônia. E que a produção agroindustrial do Brasil bateu recordes, o que prova ser possível garantir forte produção agrícola com sustentabilidade ambiental. Fica o registro.

NÃO MUDA
Vez por outra chega postagem mostrando macas pelos corredores do Pronto Socorro, pacientes deitados nos corredores, nada diferindo do que acontecia no governo passado. A secretária de Saúde, Mônica Feres, tirou licença de oito dias e se encontra em Brasília.

MALHEIROS EM BAIXA?
O secretário Antonio Malheiros, O Posto Ipiranga do governo, está em baixa? É a pergunta que corre solta nos bastidores, depois da queda de dois dos seus indicados, o Marco Antonio da Licitação e a Semírames da Fazenda. Seria o início do fim da República do TCE?

MURO QUE TE QUERO MURO
Perguntei para a secretária Eliane Sinhasique se na eleição municipal ficaria com o candidato a prefeito do MDB ou com o do Gladson Cameli. Ficou de responder, não respondeu, foi para cima do muro e não teve quem a fizesse descer. Muro que te quero muro.

15 DE CARA NOVA
O Bairro 15 ganhará cara nova. Com uma emenda da deputada federal Vanda Milani (SD) será feita uma urbanização, ao exemplo do calçadão da Gameleira, no trecho que vai do Mercado até à Delegacia de Polícia. Até que enfim alguém olhou para o esquecido Bairro do 15.

“SÓ CAIRÁ PARA CIMA”
Durante a apresentação do programa “Gameleira Connection” no ac24horas, o jornalista Marcos Venicios, em meio a uma discussão se com as últimas demissões era o fim da República do TCE, soltou uma ironia: “o Ribamar só cai se for para cima (sic)”. Ou seja, não tem perigo de ser demitido. Completo, dois secretários imexíveis: Ribamar Trindade e Silvânia Pinheiro.

UM MUQUIRANA ESPERTO
Não pense que o Binho não entrou com recurso judicial contra a perda da pensão de ex-governador por altruísmo. Caso os ex-governadores ganhem na justiça e mantenham as pensões, ele será beneficiado sem gastar um tostão com advogado. Um muquirana esperto.

GASTAR COM RESPONSABILIDADE
O empresário, o político com interesses empresariais, os sindicalistas, querem que o governo abra mesmo o cofre e faça gastança, comprando, fazendo concurso ou dando aumentos, na base do quanto mais, melhor. Se um governador não souber dizer, não afundará a sua gestão.

NÃO FOI PELA SIMPATIA
Os avanços conseguidos até aqui nestes oito meses de governo não foram pela simpatia do Gladson, mas porque teve uma equipe econômica que soube segurar as rédeas do Estado. Por isso é importante que, o novo secretário da Fazenda seja duro na austeridade nos gastos.

ESTADO NÃO É CASA DE CARIDADE
Num governo não se pode ser bonzinho, transformar o Estado numa casa de caridade. O ex-governador Romildo Magalhães serve como exemplo. Vinha pagando normalmente o servidor. Foi entrar na conversa dos sindicalistas, deu um aumento aos professores sem ter como dar, depois não teve como pagar e saiu da gestão devendo dois meses salariais e ainda xingado.

SEM NENHUM SENTIDO
O ARENA DA FLORESTA foi entregue pelo governo passado completamente sucateado. O governo atual fez uma ampla recuperação das suas dependências, deu uma cara nova, enfim, remodelou. Mas é coisa de Sucupira se querer “inaugurar” um estádio que já foi inaugurado.

OUTRA COISA
Inaugurar o novo Pronto Socorro, que não estava concluído, foi justificável. O mesmo pode acontecer com a UPA de Cruzeiro do Sul e com o INTO, inconclusos; com o ARENA, isso não.

EM NOME DA COMUNIDADE
Em nome da comunidade do Jardim Tropical os agradecimentos à prefeita Socorro Neri por restabelecer a energia da Praça do bairro, freqüentada todos os dias por centenas de crianças. Como não prenderam os receptadores que compram fios das redes de energia furtados das Praças, o mesmo agradecimento não pode ser feito ao secretário de Segurança, Paulo César.

AFASTA DE MIM ESTE CÁLICE
Fazem uma avaliação pragmática, os dirigentes do PT com base eleitoral na capital, ao não se colocarem como candidatos a prefeito. O desgaste do último governo e a derrota fragorosa da última eleição contaminou negativamente o partido. O desgaste do PT ainda é muito presente.

DISPUTA POLARIZADA
A briga pela prefeitura de Plácido de Casto vai estar polarizada entre o prefeito Gedeon Barros (PSDB), com desgaste natural, mas com a vantagem de estar na máquina municipal, e o ex-prefeito Francisco Tavares, figura carimbada nos embates pela prefeitura daquele município.

CANDIDATURA DE OPOSIÇÃO
Pode parecer estranho, mas o MDB vai para eleição de prefeito na capital com o perfil de adversário do governo Gladson Cameli, pelo menos na prática é o que vem mostrando, o deputado Roberto Duarte, que será o nome do MDB para a PMRB. E com o aval da cúpula.

DUPLA QUE DEU CERTO
Nicolau Junior (POGRESSISTA) e Luiz Gonzaga (PSDB) é uma dupla que deu certo, se afinou, conduzindo a mesa diretora da Assembléia Legislativa de forma suprapartidária. Nota-se nas conversas com os demais deputados que, se disputarem a reeleição ganham novamente.

DEIXOU DE SER UM ARRAIAL
Quem andou pela EXPOJURUÁ contou que está bem organizada, perdeu a cara de arraial de periferia como a realizada no ano anterior, e com mais presença de público. A secretária de Turismo, Eliane Sinhasique, merece o reconhecimento pelo sucesso, é dela o comando.

Propaganda

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas