Conecte-se agora

O Estado falha, a Igreja não!

Publicado

em

Violência, dividas, desemprego, pobreza, miséria, ruína e fome assolam a população brasileira. Apontamos o dedo para a Venezuela e não vemos o que acontece ao nosso redor. A verdade é que os políticos falharam, o Estado brasileiro falhou. A situação só não é mais grave em função das igrejas que realizam trabalhos espirituais e sociais para aliviar o sofrimento da maioria das pessoas. As críticas são muitas, mas eles estão lá.

A Igreja Batista do Bosque (IBB), sem desmerecer o trabalho das demais, está lá: trabalha com crianças (cinco escolinhas de futebol). São campanhas e mais campanhas para levar roupas, comidas, brinquedos e esperança em tempos áridos, infecundos, difíceis. Porém, o mais importante é feito em seus cultos e nos encontros. Tanto no templo como nas casas (células): fazer com que as pessoas acreditem na eternidade da vida, na paz espiritual, na paz social. Todo sofrimento é passageiro, é preciso aprender a suportá-lo.

A IBB, presidida pelo pastor Agostinho Gonçalves, tem apontado caminhos para jovens a beira do precipício das drogas, da violência e do suicídio. Ensinam que a mudança é de dentro para fora e não de fora para dentro. Que é possível viver bem. Ser transformado e transformar. É no Calafate, no Caladinho, no Belo Jardim, no Santa Inês (nos mais de 200 bairros da cidade) e por todo o interior. Muitas tentativas foram feitas, mas nenhuma sociedade vive sem Deus. O Estado falha, a verdadeira igreja não!

. Tem muita coisa boa acontecendo, gestos de amor ao próximo, de respeito à vida, solidariedade.

. É que geralmente o que ressalta é o que fazemos de ruim, só aparece mesmo o que não presta, o yang (essa fui buscar longe).

. Migrando para a política…

. Havia informado aqui na coluna que o doutor Lúcio Brasil estava para sair da Fundação Hospitalar.

. Resultado da guerra entre o deputado José Bestene e a secretaria de Saúde, Mônica Feres; o governador tem apoiado a Doutora Mônica.

. Se engana redondamente quem pensa que o governador Gladson Cameli é um Zé Mané qualquer na política.

. Faz tudo meticulosamente; aos poucos vai deixando o governo do jeito que ele quer para alcançar o resultado que deseja.

. É só voltar um pouquinho e observar as pegadas (decisões) dele na própria Secretaria de Saúde, passo-a-passo, palmo-a-palmo.

. Disse sexta-feira, no Gameleira Connection, que um dos assessores mais próximos a Bestene me disse que a exoneração de Lúcio da Fundação empurraria Bestene para a oposição aberta ao governador.

. Acompanhar hoje o desdobramento na Assembleia Legislativa.

. “A cobra vai fumar, a jiripoca vai piar e a porca vai torcer o rabo”, é como diz o Sílvio Martinello.

. Os Bancos podem muito, mas não podem tudo!

. A Energisa, também!

. Vai anotando:

. “Perde o cetro, perde os afetos”.

. Frase de Édipo, rei de Tebas, aos filhos que o expulsaram da cidade-estado para brigar pelo trono, pelo poder.

. Não fosse a filha, Antígona, Édipo, cego e velho, teria morrido feio um cão abandonado na rua.

. Os filhos?

. Bom, os filhos se mataram, um ao outro, com lanças, na briga pelo poder.

. Que coisa, hem!

. Deus me livre e guarde!

. Bom dia!

Propaganda

Coluna do Astério

Câmara mantém vetos da prefeita!

Publicado

em

Continuar lendo

Coluna do Astério

Gladson, articular é preciso!

Publicado

em

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.