Conecte-se agora

Tribunal do Júri em Xapuri avança à fase dos debates

Publicado

em

Com mais de 32 horas de duração, caminha para os momentos decisivos a maior reunião do Tribunal do Júri de Xapuri nos últimos trinta anos.

Com a leitura de um trecho de um célebre discurso do cônsul romano Marco Túlio Cícero, a promotora de justiça substituta da comarca de Xapuri, Bianca Bernardes, iniciou a acusação contra 10 dos 17 acusados de promover o linchamento do pedreiro Almir de Moura Silva, em frente à casa noturna Palhoça, no dia 3 de setembro de 2017.

“Até quando, Catilina, abusarás de nossa paciência?”, indagou a representante do Ministério Público.

A promotora buscou convencer os jurados de que o complexo crime contra o pedreiro foi resultado de uma ação coletiva.

“Não há como separar quem fez isso ou aquilo, todos fizeram tudo”, afirmou.

Bianca Bernardes afirmou que o julgamento do Caso Almir representa o momento de guerra pelo qual atravessa um estado onde se morre mais por violência do que no Oriente Médio.

Em um dos intervalos da sessão, ela afirmou que o MP não tem dúvidas de que Almir morreu por afirmar ser membro de uma facção criminosa. Durante a sua acusação, no entanto, não reforçou essa afirmação.

Após Bianca Bernardes foi a vez do promotor titular do município de Brasiléia, Ocimar da Silva Sales Júnior, complementar a argumentação do Ministério Público.

“Não estou aqui para acusar, mas para defender. Defender a sociedade”, falou.

Também compõe o parquet no júri o promotor substituto de Brasiléia, Carlos Augusto da Costa Pescador, que é filho de Xapuri. Durante a sua fala, foi mostrada a imagem de Almir caído sobre uma poça de sangue momentos após ser morto. Mãe e viúva do pedreiro choraram copiosamente no momento mais forte do julgamento.

O tempo destinado à tese da acusação foi de 2 horas e 30 minutos. Os 10 advogados de defesa dividirão tempo igual.

Propaganda

Acre

Homem é encontrado morto após cair de motocicleta na BR-364

Publicado

em

Um homem identificado como Antonio Claudio de Oliveira Silva, foi encontrado morto na altura do km 7 da BR-364, sentido Sena Madureira a Rio Branco, na tarde desta sábado (14). Uma equipe do corpo de bombeiros esteve no local e en caminhou o homem ao hospital para os procedimentos de praxe.

O Tenente bombeiro Gustavo Marinho, que passou no local disse que o homem estava caído na lateral da estrada. “A vítima já estava com ausência de pulso carotídeo, parada cardiorrespiratória, foi realizada a tentativa de reanimação, mas não houve êxito”, lamentou o oficial.

Segundo consta, o mesmo estava trafegando em uma moto tipo Pop 100 vermelha, da marca Honda. Não há vestígios de que ele tenha sido atingido por outro veículo. Tudo indica que o condutor tenha caído sozinho. Testemunhas afirmaram que não sentiram odor de bebida alcoólica no mesmo.

Pelas fotografias é possível notar um sangramento no rosto do homem que estava trajando uma calça jeans e botas.

Por Aldejane Pinto, do grupo radar 104

Continuar lendo

Acre

Dupla em motocicleta atira contra homem na Cidade do Povo

Publicado

em

A guerra entre facções não cessa e mais uma tentativa de homicídio foi registrada na capital. Raimundo Queiroz dos Santos, 31 anos, foi ferido com dois tiros em via pública no início da tarde deste sábado (14). O crime aconteceu na quadra “8B”, no Conjunto Habitacional Cidade do Povo.

De acordo com informações da polícia, Raimundo estava caminhando na rua, quando dois homens não identificados se aproximaram numa motocicleta e o garupa de posse de uma arma de fogo efetuou vários tiros. Queiroz foi atingido com dois tiros, um no peito e outro no abdômen. Mesmo ferida, a vítima ainda conseguiu correr e caiu num terreno de uma residência e pediu ajuda.

Populares acionaram a ambulância do suporte avançado do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) que prestou os primeiros socorros e conduziu o paciente ao Pronto Socorro de Rio Branco em estado de saúde grave.

Policiais Militares estiveram no local, e após colher as características do dos autores saíram em busca de prendê-los, mas ninguém foi encontrado. O caso segue sob investigação da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Continuar lendo
Propaganda
Propaganda

Mais lidas