Conecte-se agora

Saldo do fim do empreguismo barato 

Publicado

em

FOTO: SÉRGIO VALE

Não se pode falar da inauguração da nova ala do Pronto Socorro de Rio Branco – obra que ficou abandonada e inconclusa nos últimos dez anos dos governos petistas – da contratação de concursados da PM e Polícia Civil do governo passado, da abertura de novo concurso para a SESACRE e da retomada de outras obras paradas de gestões passadas, como o INTO e UPA de Cruzeiro do Sul, pagamento de cerca de 200 milhões de reais de dívidas herdadas, não tivesse o governador Gladson Cameli  reduzido o gigantismo do Estado, aparelhado ao longo dos últimos 20 anos com cargos de confiança sem necessidade, apenas para abrigar os afilhados políticos da FPA. A decisão do fim do empreguismo em larga escala tomada pelo atual governo chegou a ser contestada por dirigentes do MDB, que defendiam a manutenção do tamanho da máquina estatal recebida da gestão passada. O resultado da Reforma Administrativa feita pelo governo Gladson, somente agora passou a ser entendida como uma mudança de rumo que permitiu novos investimentos no Acre. Ficou patente neste contexto que, para um governo ser eficaz não precisa de um Estado gigante e politiqueiro. É a lição a ser tirada.

CHEGOU A HORA DA VERDADE

A festa foi grande, teve bolos ironizando os 10 anos em que a obra do Pronto Socorro esteve abandonada, discursos, comemorações, mas chegou a hora da verdade: saber se a nova unidade de Saúde vai funcionar bem com médicos, enfermeiros suficientes, e medicamentos.

UM DESAFIO QUE ESTÁ POSTO

Não me lembro de um governo – e nisso não se inclui só as administrações petistas – que tenha conseguido fazer do Pronto Socorro da capital um modelo de atendimento ao público. Sempre foi o calcanhar de Aquiles. Este é o desafio que está posto aos novos gestores da Saúde.

FIM DAS BOCAS GULOSAS

Em recente conversa com uma figura do governo, esta ressaltou que, a principal mudança na condução da Saúde não é o reinício de obras paradas, mas a quebra do monopólio da venda de medicamentos, que fez fortunas no Acre. Citou as compras fora deste círculo fechado de empresas, como “quebra do privilégio”. “Se mantida a decisão, o Estado vai economizar milhões de reais”, previu. Este é um monopólio que vem desde o governo Nabor Júnior.

PROFISSÃO DE RISCO

Ainda não foi solucionado o sequestro e execução do motorista de UBER, na semana passada. Ser motorista deste aplicativo virou profissão de risco na capital. Recente publicação nacional revelou que, apenas 27% os crimes cometidos no Acre são solucionados, o que preocupa.

MAIS PRESENTE É IMPORTANTE

Com a anunciada vinda de cem novas viaturas para a secretária de Segurança Pública espera-se que a polícia se faça mais presente de forma efetiva, não somente nos bairros da periferia, mas principalmente nos bairros considerados nobres, que é onde os bandidos vêm assaltar.

O ESTADO É LAICO

Algo que não combina com a gestão pública é a mistura com o fanatismo religioso. Um gestor, não pode tomar decisões a favor ou contra, em cima de uma crença religiosa. O prefeito Ilderlei Cordeiro, evangélico, dá um bom exemplo ao ajudar através da prefeitura, a realização do Novenário de Nossa Senhora da Glória, padroeira de Cruzeiro do Sul. O Estado é laico.

DISPUTA DE PESO-PESADO

Uma das disputas mais duras por uma prefeitura deve acontecer em Cruzeiro do Sul. O grupo do ex-prefeito Vagner Sales (MDB) é forte. Mas desta feita vai enfrentar um prefeito que vem mostrando trabalho, que terá no palanque o governador, além de ter a máquina municipal.

BOI DE PIRANHA NOVAMENTE

Ao não ser que tenha gostado de ser boi de piranha, como na última eleição ao governo, o ex-prefeito Marcus Alexandre, que considero como um político sério, ele comece a pensar em ser candidato a deputado estadual ou a deputado federal na eleição de 2022, esqueça o governo.

FORTE CANDIDATO

Caso o governador Gladson Cameli faça as pontes de Brasiléia, Xapuri, Sena Madureira, as orlas do Bairro 15 e da cidade de Cruzeiro do Sul, com os recursos que virão para os ramais faça um trabalho de recuperação de vergonha, se tornará nada fácil de ser batido nas urnas.

LEVA VANTAGEM

Quando se disputa um governo estando no poder e tendo uma boa aceitação popular, dificilmente, um candidato de oposição tem alguma chance de sucesso. E ainda mais que, quem está no poder estará na disputa com a chave do cofre da máquina estatal na mão.

ACERTOU NO MILHAR

A vereadora Janaína Furtado (REDE) acertou ao procurar um partido grande para disputar a prefeitura de Tarauacá, ao anunciar a sua filiação em breve no PROGRESISTA. É um nome palatável, mas sem estrutura de campanha, num partido nanico, iria somente competir.

NOME A SER TRABALHADO

Caso for para valer a decisão de ter um candidato a prefeito de Rio Branco do seu partido a prefeito de Rio Branco, na eleição do próximo ano, o governador Gladson Cameli tem que começar a dar visibilidade a este nome a partir de agora, para não agir de afogadilho.

JV SÓ DE BUTUCA

O ex-senador Jorge Viana está só de butuca nas movimentações para a disputa do Senado, em 2022, no campo dos partidos do governo. Se sair Mara Rocha, Ilderlei Cordeiro, Jéssica Sales e Mailza Gomes, com os votos do poder divididos, o JV vai só correr para o abraço de senador.

CARNE DE PESCOÇO

Mas, caso o Gladson Cameli resolva sair para o Senado como candidato único do seu campo de aliados, neste caso a disputa fica complicada para o Jorge Viana voltar a ser senador, porque disputará fora do poder e enfrentará um adversário no comando da máquina do governo.

SEMPRE NA LUTA

Ninguém pode se arvorar de ser mais defensor da causa dos médicos formados na Bolívia do que o deputado federal Alan Rick (DEM) Não perde de foco a luta para que possam trabalhar no país. É o caso do seu projeto incluindo esses médicos nos programa Médicos pelo Brasil.

SEM ARGUMENTO

A inauguração da nova ala do Pronto Socorro, obra que se arrastou por 10 anos, deixou os petistas sem discurso. Foi preciso chegar um governo adversário para a sua conclusão. Conseguiu inaugurar o novo PS em sete meses, algo que o PT não conseguiu numa década.

LAMENTO PETISTA

Sobre o novo PS, ouvi ontem de ex-deputado do PT um comentário que transcrevo, e que acho pertinente: “Luis Carlos, se o Jorge Viana estivesse no poder nos últimos oito anos, ele teria concluído a obra e o Gladson Cameli não teria feito a festa que fez e que lhe rendeu louros”.

ATÉ QUE ENFIM

Até que enfim uma cabeça lúcida no governo para saber que, quando uma obra porca feita por um órgão governamental não é refeita, o desgaste cairá no próprio governo. O secretário Thiago Caetano entendeu e começou a recuperar a rua principal do Tropical, destruída pelo DEPASA.

DISCURSO DO ATRASO

O PT teve 20 anos para provar que o caminho do desenvolvimento do Acre passava pela exploração sustentável da floresta e sua biodiversidade. Fracassou. A economia não melhorou. Continuamos tão atrasados como nas duas décadas passadas. Que venha o agronegócio.

NEM UM PALMO

E não precisará ser desmatado nem um palmo de floresta, basta explorar as áreas degradadas.

RESTOU O LAMENTO

O que vários governos tentaram e não conseguiram, o governo do presidente Jair Bolsonaro conseguiu agora com a aprovação da PEC da Previdência, e tendo votos de sobra. Foi uma vitória política importante. E aos que foram contra por ideologia, restaram os lamentos.

PRINCIPAL EMPECILHO

Para o professor Carlos Coelho ter uma campanha sem embaraços para a prefeitura de Tarauacá tem de primeiro resolver um problema interno do seu partido: afastar a prefeita Marilete Vitorino (PSD) do seu palanque ou começará a disputa perdendo. Não há saída.

EMPURRA PARA BAIXO

Um candidato ser mostrado no palanque como apoiado pela prefeita Marilete Vitorino é pedir para perder a eleição. Com uma gestão que fracassou, não é uma boa cabo-eleitoral.

CONDENAÇÃO CERTA

Com as provas colhidas e ter virado manchete do Fantástico, dificilmente, os matadores de onças no Acre, deixarão de sofrer condenações na Justiça Federal, até como exemplo ao Brasil. 

Propaganda

Blog do Crica

Marcus Alexandre: “Não tenho como pagar as dívidas da campanha”

Publicado

em

O ex-prefeito Marcus Alexandre, candidato do (PT), derrotado na última eleição para o governo do Estado, disse ontem ao BLOG DO CRICA que, não tem como pagar a dívida de campanha contraída com a Companhia de Selva, no valor de 350 mil reais, valor divulgado pela empresa, através do marqueteiro David Sento-Sé. “Não tenho bens, vivo do meu salário como funcionário do Estado. Nós perdemos a eleição e ficou tudo mais difícil. Você sabe como as coisas funcionam quando não se ganha uma eleição”, enfatizou.  Marcus revelou que este desequilíbrio nas contas da campanha petista tem um componente que não pode ser esquecido, o de que foi feita uma programação de gastos, e que depois foi reduzido o repasse pela direção nacional do PT, o que gerou problemas no fluxo do caixa da campanha. Na sua avaliação o PT tem co-participação na dívida, mesmo os gastos tendo sido computados no CPF do candidato. Diz que não sabe como este montante será resolvido. “O que eu sei é que o presidente do PT, Cesário Braga, vem negociando com credores com dívidas de menor valor, os valores altos, não sei como serão acertados”, pontuou Marcus. Pelo visto, o desfecho será na justiça. O PT não viveu o seu calvário na última derrota, está começando a viver agora fora do poder.

NÃO SOU DO QUANTO PIOR MELHOR  

Perguntei ao ex-prefeito Marcus Alexandre o que estava achando do governo Gladson. “Ninguém vai me ouvir atacando o governo, criticando por criticar, como morador no Estado não sou do quanto pior melhor, torço para que dê certo”, revelou ao BLOG DO CRICA, na sua primeira entrevista depois da derrota petista na campanha. Não definiu o seu futuro político.

VISÃO SEM RANCOR

Diferente da maioria da cúpula petista, que no poder babava rancor contra adversários, eu não avalio os políticos pelo seu partido, pela sua ideologia, posso até contestar, mas respeito quando vejo qualidade numa pessoa que tem idéias diferentes da minha. A minha visão do Marcus é que ele é um cidadão honrado. Pouco importa a sua ideologia. Ou de que partido é.

SEM O DUALISMO IDIOTA

A política não pode ser vista pelo dualismo idiota que a maioria da cúpula do PT pregou quando estava no poder: “é do meu lado, presta; não é do meu lado, não presta”. Em todos os partidos têm pessoas de caráter e pessoas canalhas. E os partidos são compostos por pessoas.

O JOGO BRUTO DE CRUZEIRO DO SUL

A eleição para a prefeitura de Cruzeiro o Sul deve ser uma das mais conturbadas e disputadas do próximo ano, com um componente diferente: a briga pelo poder não será com um candidato dos partidos da aliança do PT, mas, ela será travada no campo dos aliados do governo estadual, entre os grupos do ex-prefeito Vagner Sales e do prefeito Ilderlei Cordeiro.

CAMELI NÃO FICA NO MURO

 E neste contexto de acirramento o governador Gladson Cameli tem sido muito firme na sua posição política: “o meu candidato a prefeito será o Ilderlei Cordeiro, por ser do meu partido e por estar realizando um bom trabalho na prefeitura”. A declaração do governador tem um peso fundamental, por dois aspectos: Cruzeiro do Sul é um dos seus principais redutos e está à frente da máquina estadual, com tentáculos naquele município.

APOIO QUE FORTALECE

O posicionamento público do Cameli é sim um fato a ser comemorado pelo prefeito Ilderlei Cordeiro, tê-lo no seu palanque é um ganho político que lhe fortalece. Disputar a reeleição com o apoio do governo e no comando da máquina municipal é uma situação que, não decide a eleição a favor do Ilderlei, mas favorece. A sua gestão se recuperou do desgaste inicial e pode chegar em 2020, ainda melhor avaliada. Já o grupo do Vagner, depois de muitos anos disputará uma eleição fora do poder. Será, talvez, o maior desafio político da sua carreira.

É MUITO NATURAL

E na composição de forças para a disputa eleitoral será natural que os partidos aliados do campo do governo se engajem no apoio ao prefeito Ilderlei. Todos estão com cargos na máquina estatal e vão formar no pelotão comandado pelo governador, até para lhe agradar. 

FUMACEIRO INCENTIVADO

Nos anos anteriores, nesta época, a cidade estava tomada pela fumaça, é hipocrisia dizer que isso é novidade este ano. O erro foi a secretária do Meio-Ambiente e o IMAC terem alardeado anistia aos multados por crimes ambientais, o que incentivou o aumento das queimadas.

INÊS É MORTA

Não adianta agora, depois da porta arrombada, o secretário Israel Milani vir para a imprensa anunciando medidas de combate às queimadas, pedindo que se denuncie, pois, Inês é morta.

O QUE É POLÍTICA!

Vi muitas vezes a correria de pessoas querendo uma foto o lado do Jorge Viana e para pedir autógrafo. Quando chegava a um lugar era um Pop-Star. Nada mais dinâmico do que a política. O seu nome aparece em recente pesquisa interna para a PMRB, como o de maior rejeição.

RECUPERAÇÃO LENTA

E olhe que o Jorge Viana é ainda o nome de maior projeção do PT, no Acre. A alta rejeição, a maior entre os nomes simulados, e a aceitação baixa, na pesquisa encomendada por um partido político, mostra que a aversão ao PT continua forte e sua recuperação será lenta. O JV paga sem culpa o preço, pelo fracasso dos últimos quatro anos do governo petista. Colou nele.

EXPLICANDO O FATO

O vice-governador Major Rocha disse ontem ao BLOG DO CRICA que, no episódio da cassação do ex-prefeito Vagner Sales e do prefeito Ilderlei Cordeiro, não armou a gravação, ressaltou que a sua participação foi a de um cidadão que viu um crime eleitoral e denunciou à PF.

PODEM GUARDAR A CERVEJA

Falando neste episódio, os dirigentes do MDB podem guardar a cerveja para comemorar a realização de uma nova eleição para a prefeitura de Cruzeiro do Sul como alardeiam, porque esta é uma briga jurídica que ainda vai longe e pode até acabar na absolvição do Ilderlei.

VÃO LEVAR UM PAU

Tenho ouvido dirigentes dos partidos do campo do governador Gladson Cameli anunciar candidaturas para disputar a prefeitura de Xapuri no próximo ano. As últimas pesquisas mostram o prefeito Bira Vasconcelos (PT) bem avaliado. Se a oposição não se unir leva pau.

EQUAÇÃO FÁCIL

Além do PT ter uma boa parcela dos eleitores de Xapuri que sempre vota em seus candidatos a prefeito, perdendo ou ganhando, ter vários candidatos a enfrentar é tudo que o prefeito Bira pede a Deus. A equação é fácil: com vários candidatos a oposição enfraquece e o fortalece.

NÃO APOSTEM EM RUPTURA

O governador Gladson Cameli tem ressaltado com quem conversa que está numa afinação política perfeita com o vice Major Rocha. “Tudo o que faz, ele me consulta”, revela Cameli.

APOSTA PERDIDA

No início do governo o que mais se via no meio político eram apostas em quantos meses o vice-governador Major Rocha iria brigar com o governador Gladson. E davam como argumento o gênio explosivo do Rocha, mas pelo andar da carruagem, quem apostou na briga, perdeu.

O TEMPO ENSINA

O vice-governador Major Rocha vem de mandatos de deputado estadual, de deputado federal e, embora combativo, amadureceu muito e hoje veste o paletó do “Rochinha Paz e Amor”. Mas, o adversário não pise nos seus calos, nem tente lhe pôr no canto do ringue.

QUEM NÃO ESTÁ DO MEU LADO, NÃO COME DO MEU PIRÃO

O prefeito de Plácido de Castro, Gedeon Barros agiu de forma certa ao demitir os ocupantes de cargos de confiança do MDB da sua administração. O MDB terá candidato próprio a prefeito do município, manter seus dirigentes na gestão, seria como criar cobra para ser picado.

PRINCÍPIO POLÍTICO

É uma das máximas da política: quem não está comigo, está contra mim. Foi aplicada ao MDB.

MELHOR ENTREGAR AO ADVERSÁRIO

Caso o Gladson atenda o pedido ou pressão de empresários do MDB, partido que na ALEAC é um dos mais ferozes algozes da sua administração, para tirar o secretário Thiago Caetano da SEINFRA e pôr alguém do grupo, se enfraquece, e é melhor entregar o governo ao adversário.

COMANDANTE FORTE, EXÉRCITO FORTE

Um secretário não deve ficar no cargo quando não está dando conta do recado, quando chovem reclamações contra ele, quando não se afina nas pautas do governo, agora, tirar do cargo por politicagem, por pressão, isso não deve ser feito. Comandante forte, exército forte.

NÃO É NADA PESSOAL

Por favor, não é nada pessoal, nem a conheço, mas a secretária de Saúde, Mônica Feres, causa tanta confusão para o governo que não há como deixar de comentar. Como no caso da demissão do psiquiatra que dirigia o HOSMAC, sem nenhum sentido. Se falta de tudo naquele hospital a culpa é da Secretaria de Saúde, que é quem teria de passar recursos à unidade.

 

  

Continuar lendo

Blog do Crica

Devo não nego, mas só pago quando puder

Publicado

em

Diz um ditado político que, no poder tudo pode. Na verdade, o contexto da frase significa que quando você tem a chave do cofre na mão tudo se torna mais fácil. A derrota fragorosa do PT, a maior dos últimos 20 anos no Acre, é um episódio que está longe de ter sido o último capítulo para o partido. A ressaca da derrota ainda está por vir. A cobrança pública do marqueteiro petista das duas últimas décadas, David- Sento-Sé, repleta de ironias, querendo receber do PT e dos ex-candidatos majoritários pela campanha do ano passado, é um sintoma da pindaíba que o partido vai começar a enfrentar daqui em diante. Os empresários amigos dobram a esquina, não estão mais no governo para fazer arranjos financeiros, e o marqueteiro David terá mesmo que esquecer o Whisky americano Jack Daniels e continuar bebendo a cachaça Ypióca, porque não vai receber o dinheiro tão cedo. Ficou claro na declaração do presidente do PT, Cesário Braga, ao BLOG DO CRICA, ontem, a respeito desta cobrança: “Desde que assumi direção do PT não fui procurado por ele, porém nunca o procurei também”. Diz que vai pagar, mas ressalva: “Não vou saber precisar agorinha o valor, e nem com qual empresa dele é, mas está devidamente registrado junto ao TRE”. Pode ser traduzido da seguinte forma: eu devo, não nego, mas pago quando puder. O certo é que o PT tem que ir se acostumando que terá que disputar a eleição do próximo ano sem as benesses do poder, sem recursos fartos para dar aos candidatos, sem cargos para oferecer, e, pelo visto, terá de procurar outro marqueteiro. Os novos tempos políticos serão de pindaíba para o PT, sem banquete, no máximo, no menu, cachorro-quente. E implorando para montar as suas chapas.

VÃO SENTIR A BARRA

Os dirigentes do PT já vão sentir a barra pesar já na eleição do próximo ano. Antes, no poder, estalavam o dedo e chovia de candidato a vereador, porque em troca sempre tinha um cargo para oferecer em caso de derrota, agora, sem pau para dar no gato, o buraco é mais embaixo. 

PELOS ARES DO ACRE

Um leitor me fez no fim de semana uma observação real: “Estão criticando o Gladson Cameli pela contratação de um jatinho. Nada novo. Esquecem os críticos que, o ex-governador José Augusto comprou um avião DC-3 para o Estado e batizou de “Dim Araújo”, e o Flaviano Melo, quando governador, contratou um jato Lear-Jet que ficava à sua disposição no aeroporto”.

PS, PRÉDIO NOVO, PRÁTICAS VELHAS

Duas situações divulgadas semana passada no Face, e que retratam que o Pronto Socorro não mudou. A de um cidadão que chegou 1 hora no PS com dores abdominais e não foi atendido pela falta de um clínico-geral, que só chegaria às 7 horas da manhã, e a de um médico otorrino que fez um atendimento humanitário para atender uma criança, porque no PS não resolveu.

NÃO CAIU A FICHA

Foram rejeitados nas urnas, saíram do poder como o governo mais impopular dos últimos vinte anos, e ainda se acham com o direito de apontar rumos? Agora, só em 2022.

O QUE MELHOROU DE CONCRETO?

Fora o seu esforço em inaugurar o novo PS, cujas obras se arrastavam há 10 anos e a compra programada de 74 milhões de reais de medicamentos, cabe uma pergunta ao governador Gladson Cameli: o que mudou para melhor no atendimento, com a vinda da médica Mônica Feres para ser a sua secretária de Saúde? Nada! Continua tão ruim como no governo passado.

DIFÍCIL DE SER BATIDO

O deputado federal Flaviano Melo (MDB) fez uma observação ao BLOG DO CRICA, sobre a eleição municipal do próximo ano em Sena Madureira: “será muito difícil que os adversários consigam derrotar o prefeito Mazinho Serafim, não tenho dúvida de que ele será reeleito”.

ATAQUE LIBERADO

Conversei com o deputado federal Flaviano Melo (MDB). O que observei claramente é que deu carta-branca para os ataques do deputado Roberto Duarte (MDB) ao governo do Gladson Cameli. Quando perguntei se os ataques tinham seu aval, desconversou e riu. Alguma dúvida?

SEM LEGENDA

O deputado federal Flaviano Melo (MDB) adiantou ao BLOG DO CRICA que, a aliança do vereador Rogério Pontes (MDB-Brasiléia) com a prefeita Fernanda Hassem (PT), a persistir, vai redundar no partido lhe negar legenda para disputar a reeleição e nem facilitar a sua saída.

CASOS RECENTES

O MDB já conseguiu recentemente na justiça a cassação dos mandatos dos vereadores Cruzeirenses Marivaldo da Várzea e Lucila Brunetta, com base na infidelidade partidária.

O PREJUÍZO SERÁ CERTO

A prefeita Socorro Nery ainda não disse se disputará a reeleição no próximo ano. Mas caso entre na disputa deve ficar atenta, para um fato: se colocar no seu palanque figuras do governo passado o seu prejuízo político será certo, pela transferência de desgaste.

IMAGEM DESCOLADA

O seu melhor caminho é manter uma imagem descolada do governo passado e construir uma rota política própria, que tenha a sua cara. Principalmente, com a sua imagem popular melhorada em muito com a sua intervenção na cidade, que recebeu com as ruas esburacadas.

NEM MAIS E NEM MESMO

Todos os anos nesta época o ar da capital fica tomado pela fumaça das queimadas. Não é nenhuma novidade. Nem mais nem menos do que aconteceu em anos anteriores. Não foi a patuscada do IMAC e Secretaria do Meio-Ambiente de prometer facilidades ambientais, anistia de multas, que causou isso.

POSIÇÃO CORRETA

Os governadores da Amazônia Legal, inclusive o Gladson Cameli, estão certos ao não endossar a posição do presidente Jair Bolsonaro de ironizar o corte de recursos da Noruega e Alemanha para a preservação ambiental. O Acre, um Estado pobre, não pode dispensar os recursos.

MESMA BATIDA

O deputado federal Alan Rick (DEM) fez um produtivo primeiro mandato. No segundo mandato segue a mesma batida de liberar recursos aos municípios sem olhar partidos.

MDB SE ARTICULANDO

O MDB já tem alguns nomes definidos para disputar prefeituras no próximo ano. Roberto Duarte em Rio Branco. Francisco Tavares em Plácido de Castro, em Sena Madureira o Mazinho Serafim. Falta definir nomes em Cruzeiro do Sul e Brasiléia. O Glorioso estará ativo em 2020.

O ACRE É UM ESTADO POBRE

O Diretor da EMATER-ACRE, Tião Bocalom, indaga quais os benefícios concretos dos 90 milhões de reais recebidos pelo Acre de países como Noruega e Alemanha. Se não teve resultado é passado, o certo é que o Acre, um Estado pobre, não pode abrir é mão de recursos na ordem de 70 milhões de reais. Bocalom, o PT já era: é hora de esquecer o retrovisor.

VAMOS PARAR COM O CHORO

Que os últimos quatro anos do governo do PT foram um fracasso, as urnas confirmaram, lhes impondo uma derrota histórica. O que o acreano quer saber o que o atual governo vai fazer para desenvolver o Acre. Bocalom, quem casa com a viúva, cria os filhos. Chega de choro.

QUEREMOS VER A PRODUÇÃO

O que queremos ver é a revolução prometida para o campo, o produzir para empregar.

 VINGANÇA, UM PRATO QUE SE COME FRIO

O culpado por este processo eleitoral que condenou o ex-prefeito Vagner Sales e o prefeito Ilderlei Cordeiro, é o vice-governador Major Rocha, que armou a gravação de um diálogo com um candidato a vereador de compra de votos, para ajudar o seu então candidato a prefeito, Henrique Afonso, na época do PSDB. Por isso, o Rocha não espere de ambos, apoio em 2022.

SONHO DO MDB

O sonho dos dirigentes do MDB é formar uma chapa para a disputa da prefeitura da capital, no próximo ano, tendo o Roberto Duarte (MDB) para prefeito e a Marfisa Galvão (PSD) de vice.

VEIA HUMORÍSTICA

O deputado federal Flaviano Melo (MDB) tem uma veia humorística. Com o governador Gladson Cameli apanhando de chicote de couro do deputado Roberto Duarte (MDB) na ALEAC, e assim mesmo ainda acha que o Duarte será o candidato ao governo. Só se for masoquista 

CONSOLIDAÇÃO NA ÁREA RURAL

Os 94 milhões de reais que estavam quase perdidos estão garantidos pela Caixa Econômica Federal para a recuperação de ramais. Se o governo selecionar os ramais mais produtivos, fizer um trabalho de vergonha nestas vias, vai se consolidar na zona rural. Se pulverizar se queima.

MUDANDO DE BASE

O casal Dêda e deputada Maria Antônia (PROS), ao que indica, em 2022 não ficarão restritos ao colégio eleitoral de Rodrigues Alves, que sempre foi o seu reduto principal. Estão investindo pesado politicamente em Brasiléia, Acrelândia e Epitaciolândia, formando novas bases.

Continuar lendo
Propaganda

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.