Conecte-se agora

“O Gladson é muito afável, mas falta parcerias”, diz Socorro Neri

Publicado

em

A prefeita Socorro Neri (PSB), diferente de muitos políticos que falam de forma estabanada, mede as palavras. Articula bem o discurso. Na entrevista aos jornalistas Luís Carlos Moreira Jorge e Astério Moreira, no programa Boa Conversa, ela deixou claro para os aliados do PT e do PCdoB que só trata de candidatura à reeleição ano que vem. Disse que soube do desejo da secretária de Saúde, Mônica Feres, de municipalizar as UPAS pela imprensa. “A prefeitura não tem a menor condição de assumir isso”, declarou. Cobrou do governador parcerias para a capital, já que mais da metade da população do Estado concentra-se aqui. Reclamou da virulência das críticas e agressões sofridas. “Ataques a minha honra até”, lamentou, mas avaliou que essa fase está superada. Trabalha em 40 bairros na operação tapa-buracos, mas tem muito verão pela frente. Assista!

video

Propaganda

Acre 01

Edivan Azevedo é empossado como novo secretário de Produção e Agronegócio

Publicado

em

O médico veterinário e servidor de carreira do Estado há 32 anos, Edivan Azevedo, tomou posse na tarde desta quinta-feira, 14, no cargo de secretário de Produção e Agronegócio. Durante seu discurso, o gestor afirmou estar honrado pelo convite feito pelo próprio governador Gladson Cameli e enfatizou ainda que usará toda sua experiência na área para alavancar o setor rural, uma das grandes apostas da atual gestão para promover o verdadeiro desenvolvimento econômico e social do Acre.

“Assumo esse novo desafio com muita responsabilidade e vontade de trabalhar. O produtor rural precisa de uma resposta do setor público e estamos aqui para implementar a política agrícola do governo Gladson Cameli para que chegue até o setor rural todas as condições para que o homem do campo possa produzir e comercializar o seu produto”, argumentou o novo secretário.

Graduado em 1988 pela Faculdade de Medicina Veterinária do Ceará, pós-graduado em produção de ruminantes pela Universidade de Lavras, Azevedo executou no Acre os programas nacionais de Saúde Animal e Inseminação Artificial. Foi ainda presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Acre.

Questionado sobre os seus principais planos no comando da Sepa, o secretário respondeu que “a nossa primeira meta é assegurar o Acre como área livre de febre aftosa sem vacinação a partir do próximo ano. Queremos também concretizar a criação da zona de desenvolvimento que denominamos de Amacro e estabelecer o cultivo de grãos dando a estrutura de secagem e armazenamento desses grãos ao produtor. Vamos incentivar ainda a cadeia produtiva da mandioca com a instalação de uma fábrica de fécula.”

O vice-governador Major Rocha lembrou que a produção agrícola do Acre estava abandonado pelo poder público há muitos anos. O gestor afirmou também que isso faz parte do passado e o Estado voltará a produzir como antes e será referência do agronegócio sustentável na Amazônia.

“O Acre vive a pior crise de sua história e isso é herança de desacertos que foram cometidos ao longo de muitos anos e entendemos que uma das principais alavancas para tirar o Acre dessa crise e fazer com que possamos voltar a crescer é a produção rural. O Acre tem pressa de produzir e a nossa vocação é a produção rural e o Estado está pronto para dar total apoio”, observou.

Dirigindo-se ao servidores da secretaria de Produção e Agronegócio, o governador Cameli pediu a união e apoio de todos em prol de um Acre próspero e cheio de oportunidades. Agradeceu a contribuição dada pelo antigo gestor da pasta, Paulo Wadt, e desejou sucesso para Edivan Azevedo. O chefe do Executivo revelou ainda que em breve anunciará a ordem de compra de R$ 50 milhões em máquinas pesadas para impulsionar a produção rural.

“O sucesso do nosso estado depende da união de todos nós e aqui quero pedir o empenho de vocês para revolucionarmos o setor rural do nosso estado. O que compete a nós, estamos fazendo e trabalhando para dar todas as condições para que o agronegócio dê certo e gere muitos empregos e riqueza. Vamos investir R$ 94 milhões em ramais e comprar R$ 50 milhões em maquinários para atender os municípios. É desta forma que estamos garantido aquilo que é necessário para que o Acre produza e produza muito. Desejo sucesso ao secretário Edivan e quero dizer que temos muitos desafios e trabalho pela frente”, afirmou o governador.

Além dos servidores públicos e produtores rurais, o evento realizado no auditório da Sepa contou com a presença do diretor-presidente da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), Tião Bocalom, e do presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Acre (Faeac), Assuero Veronez.

 

 

 

Continuar lendo

Cotidiano

Em Cruzeiro do Sul, mulher é encontrada morta; polícia suspeita de enforcamento e estupro

Publicado

em

No final da manhã desta quinta-feira, 14, Maria José Doria Maciel, 46 anos, foi encontrada morta por populares em sua casa no bairro da Várzea. A morte, inicialmente foi tratada como sendo de causa natural, mas a tarde houve a confirmação do homicídio por enforcamento e há indícios de estupro.

As primeiras notícias na vizinhança, eram de que Maria José que seria usuária de drogas, havia morrido por estar com dengue e ter ingerido bebida alcoólica.

Houve desencontro de informações entre a família, o SAMU, polícia e IML. O corpo da mulher passou quase o dia inteiro em cima da cama onde teria sido assassinada.

O caso

O IML só faz o resgate, transporte e necropsia em corpos de pessoas vítimas de morte violenta ou de morte natural de pessoa não identificada. Em caso de morte natural, a família por meio de funerária, cuida do translado.

O técnico de necropsia do Instituto Médico legal de Cruzeiro do Sul, Marcos Barbosa, explica que foi chamado para atender o chamado pela primeira vez as 11 horas da manhã, mas logo em seguida, foi informado pela equipe do SAMU que não havia indício de morte violenta. Só a tarde, um outro médico informou ao IML, a morte violenta e ele, então levou o corpo para o Instituto.

” As 11 horas o médico do Samu falou que não tinha suspeita de morte violenta , mas depois de muitas horas outro médico da unidade do Bairro da Várzea falou que tinha suspeita de violência então toda polícia foi lá de novo e verificamos que realmente ela foi morta por enforcamento”, conta o técnico do IML.

A Assessoria de Comunicação da Polícia Militar de Cruzeiro do Sul, informou que “a equipe do SAMU que esteve no local, suspeitou de infarto, por isso, o perito alegou que não iria ao local” .

Horas depois, segundo a PM, uma médica da família comunicou que a vítima tinha sinais de estupro e somente após essa informação, o perito foi ao local.

O corpo já foi liberado e o caso de feminicídio será investigado pela Polícia Civil.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.