Conecte-se agora

Rocha busca desenvolvimento sustentável para o Acre

Publicado

em

O vice-governador do Estado, major Rocha e o secretário de Estado do Meio Ambiente, Israel Milani, participaram nesta quarta-feira, 10, de uma reunião com o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, em Brasília, a fim de discutirem uma agenda de desenvolvimento sustentável comum aos estados da Amazônia. O convite foi feito pelo próprio ministro a todos os governadores da Amazônia e seus respectivos secretários de Meio Ambiente.

“O governo Federal pretende mudar a sistemática adotada anteriormente, quando se jogava para a torcida e nada de efetivo se fazia. Pretendemos estabelecer uma linha direta com todos os estados da Amazônia para que eles encontrem um caminho para o desenvolvimento com controle ambiental”, esclareceu o ministro Ricardo Salles.

Major Rocha disse que o estado do Acre precisa de um olhar especial, já que as restrições impostas ao homem do campo e/ou da floresta o impedem de promover um sustento familiar condigno. “Tenho certeza de que melhores dias virão, já que os pensamentos de desenvolvimento do governo Federal se coadunam com os do governo do Acre”.

Israel Milani disse que o trabalho na gestão ambiental tem sido pautado pela desburocratização. “Visando eficácia das ações do Estado em benefício da sociedade acreana, precisamos desburocratizar algumas ações. O fluxo do licenciamento ambiental foi melhorado e estamos empenhados em trazer o desenvolvimento para o Acre, respeitando as leis ambientais”, esclareceu Milani.

O ministro se colocou à disposição dos governadores e secretários, e de todas as secretarias do ministério que cuidam desde a preservação ambiental aos contatos com órgãos internacionais, para que todas as ações tenham uniformidade na Amazônia.

Propaganda

Destaque 7

Gladson Cameli desiste do nome Expoacre Rural Show

Publicado

em

Ao que tudo indica, o governador Gladson Cameli andou pensando melhor e desistiu da ideia de dar um novo nome à maior Feira de Agronegócios do Estado do Acre, a Expoacre 2019. No final do mês de maio, Cameli acenou, após visitar a maior feira de agronegócios da Região Norte, a Rondônia Rural Show, que também gostaria de alterar o nome do evento local para ‘Expoacre Rural Show’.

Entretanto, a ideia ficou somente na parte da programação mesmo, já que o nome permaneceu como era, o tradicional Expoacre. Questionada pelo ac24horas, a assessoria do governo negou que houve descontentamento ou desacordo entre as equipes organizadores do evento e garantiu que quem decidiu permanecer com a nomenclatura tradicional foi o próprio governador.

“A tradição do nome Expoacre é defendida pela população. E por isso, o governador optou por manter o nome devido à preferência das pessoas”, informou a assessoria governamental.

Anteriormente, Cameli pretendia mudar o atual projeto da feira do Acre, incluindo o nome, para torná-la mais parecida com a feira do estado vizinho. Agora, a equipe afirma que ele apenas “ventilou uma possibilidade de mudança”.

“O governador é quem toma as decisões, assim a decisão de manter Expoacre também foi dele”, reiterou a assessoria de imprensa.

Continuar lendo

Destaque 7

Abastecimento de combustível é normalizado em cidades do Juruá

Publicado

em

Somente no final da tarde desta sexta-feira, 12, 38 dias depois do acidente de barco em Cruzeiro do Sul, que matou 6 pessoas, o abastecimento de combustível para as cidades de Porto Walter e Marechal Thaumaturgo foi restabelecido.

O prefeito Zezinho Barbary, de Porto Walter, usou suas redes sociais, para agradecer aos envolvidos na solução do problema, como o governador Gladson Cameli, senador Sérgio Petecão, deputados Jesus Sérgio e Jéssica Sales, prefeitos Ilderlei Cordeiro e Isaac Piyãko, Antaq, Marinha e a imprensa.

“Agradeço a mobilização de todos e destaco em especial o trabalho da imprensa”, ressaltou o prefeito Zezinho Barbary na postagem.

Na postagem, Barbary também fez uma homenagem especial às vítimas da explosão do barco: 6 mortos e 12 feridos.

O abastecimento dos barcos, que estavam proibido desde o dia da explosão, só pode ser feito em um local determinado pela Agência de Transportes Aquários – Antaq e fica próximo à travessia de Rodrigues Alves. As empresas fornecedoras, distribuidoras e transportadoras terão 60 dias para se adequarem às regras e normas dos órgãos fiscalizadores.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.