Conecte-se agora

Jenilson diz que secretária foi infeliz nos seus posicionamentos

Publicado

em

O deputado estadual Jenilson Leite, médico infectologista e vice-presidente da ALEAC, utilizou a tribuna do parlamento para reprovar algumas palavras proferidas pela secretaria de saúde, Mônica Feres, durante audiência na Comissão de Saúde, na terça-feira (09).

O parlamentar salientou em sua fala na tribuna, que a secretária tem um olhar interessante sobre alguns aspectos da gestão, mas faltou com respeito com os profissionais de saúde ao afirmar que apenas 20% dos servidores da pasta trabalham, enquanto 80% fazem corpo mole. “A secretária de saúde foi bastante infeliz na suas palavras, quando afirmou que apenas 20% dos servidores trabalham, pois os profissionais saúde pessoas comprometidas, agora não podem fazer milagre sem o Estado dar as mínimas condições de trabalho. Os profissionais de saúde tem o meu apoio e minha confiança. Eu sou médico e sei o quanto essas pessoas se dedicam”, afirmou o deputado.

Para o deputado, a secretária também foi infeliz ao dizer que a falta de medicamentos, materiais hospitalares e a falta de recursos humanos, é apenas um grão de areia em meio ao oceano. “Como vamos melhorar a saúde do estado sem remédios, materiais para procedimentos e profissionais?. Pode ter a gestão que tiver, mas sem isso não terá funcionamento. Pois quando alguém vai ao hospital ele quer ser atendido, medicado. E sem material ou remédio o médico não poderá fazer muita coisa. Isso não apenas um grão de areia, é um grade problema e precisa de solução urgente”, afirma o parlamentar que é médico.

Outro ponto contestado na fala da gestora, foi que ela disse que montará uma equipe exclusivamente técnica. Sempre falando num tom de voz de autossuficiência, segundo o legislador. ” A secretária utiliza um tom de voz auto-suficiente ao se dirigir aos profissionais. Um gestor precisa saber dialogar e com respeito aos seus comandados. Além disso, não existe nenhuma pasta sem pessoas ligadas ao campo político. Qual é a pasta formadas apenas por técnicos?”.

Propaganda

Acre

Pega-Pega é a campeã do Circuito Junino de Rio Branco 2019

Publicado

em

A Junina Pega-Pega é a grande campeã do Circuito Junino de Rio Branco 2019. O resultado foi divulgado na noite do último domingo, 14, último dia do Circuito Junino, realizado na Casa da Cultura – Quadrilhódromo.

O grupo campeão contou a história da filha de um coronel que não sabia dançar forró, até conhecer um pretendente que era pé de valsa. Já nas danças, a Pega-Pega inovou ao levar o tradicional Cangaço.

Desde 2011 a junina não vencia o campeonato de quadrilha. “A emoção é grande, pois foi um trabalho em conjunto, feito por muita gente. O coração fica a mil, pois é o reconhecimento de que o que fizemos foi bem feito”, destacou Nathy Lima, uma das integrantes do grupo.

O Circuito Junino de Rio Branco promove a competição entre os 10 grupos quadrilheiros da capital acreana. Cada junina leva para a Arena dos Folguedos uma temática diferente. Ao todo, foram 50 minutos de apresentação, cada, sendo divididos em casamento e dança.

Premiação

Os participantes receberam um prêmio de participação, no valor de R$ 1,5 mil, cada. A Prefeitura também concede o prêmio extra para os cinco primeiros lugares. São eles: Junina Pega-Pega (R$ 2,8 mil e troféu); Junina Matutos na Roça (R$ 2 mil e troféu); Junina Malucos na Roça (R$ 1,5 mil e troféu); Sassaricano na Roça (R$ 1 mil e troféu); e Assanhados na Roça (R$ 900 e troféu).

Continuar lendo

Acre

Aberta oportunidade para renegociação de dívidas do FNO

Publicado

em

Produtores rurais da Região Norte estão com a oportunidade aberta para renegociar suas dívidas com o Banco da Amazônia. Essa chance atinge aqueles que possuem operações contratadas até 2011. O prazo para obter até 95% de desconto em juros e multas é até o dia 30 de dezembro de 2019.

De acordo com a gerente de Administração de Crédito do Banco, Mariney Demétrio, esta oportunidade está sendo realizada com base na lei 13.729, que altera a lei 13.340. “O cliente que renegociar terá carência até 2020. O vencimento da primeira parcela será em 2021 e o da última parcela para 30 de novembro de 2030”, explica. Ele acrescenta que em caso de pagamento das prestações em data anterior ao vencimento, o Banco concede bônus por adimplência.

“O Banco espera atingir um público de aproximadamente 180 mil clientes em toda a Região Norte. Somente no Acre, o Banco espera renegociar mais de 7 mil operações”, informou.

A maioria do dinheiro emprestado é do Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar), que financia projetos individuais ou coletivos. O programa possui as mais baixas de juros dos financiamentos rurais, além de linhas específicas em atendimento à igualdade de gênero e oportunidades produtivas para os jovens do campo.

Os interessados devem procurar as agências do Banco da Amazônia e conversar com a gerência.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.