Conecte-se agora

Vídeo mostra membros do B13 tentando retomar a Sapolândia

Publicado

em

Um vídeo de pouco mais de três minutos ganhou as redes sociais na noite desta terça-feira, 9, onde mostra supostos criminosos fortemente armados ligado a facção Bonde dos 13 tentando tomar o território do bairro Hélio Melo, mais conhecido como Sapolândia, que no final do mês de junho foi tomado pela facção rival Comando Vermelho. A ação teria ocorrido na noite do último domingo, dia 7.

As imagens mostram que os criminosos que se dizem ligados ao Primeiro Comando da Capital (PCC) e Bonde dos 13 invadem casas e atiram para todos os lados com o intuito de intimidar membros do CV. Nas imagens, é possível verificar que os delinquentes invadem a residência de uma idosa e assusta ela inicia uma oração.

 

O local que é tomado por becos e ruas sem asfalto foi tomado pelos bandidos em represália a invasão do Comando que pichou muros e casas para marcar território. O mesmo ocorreu com o B13, que também deixou a marca em cercas, casas e muros.

A invasão ocorreu horas antes de uma troca de tiro que teria acontecido entre Policiais Militares e membros do B13 na manhã da última segunda-feira, 8. no bairro que é considerado zona de cobiça das facções por não ser urbanizada e fazer divisa com uma extensa área de mata, ideal para esconder armas e empreender fugas.

Na ação da polícia, uma submetralhadora e uma escopeta foram apreendidas na rua Edmundo Pinto, a principal via de acesso do bairro.

Segundo informações da PM, vários homens estava em uma região de mata. Na oportunidade, os militares encontraram várias peças de roupas, garrafas de café, pão e outros objetos, caracterizando que estavam acampados na região. Foi feito um cerco pela mata e os policiais encontraram três criminosos bem distante que ao avistarem a PM efetuaram vários tiros com a metralhadora. Na ação houve troca de tiros, mas ninguém saiu ferido. Os criminosos fugiram e a polícia apreendeu uma submetralhadora 9mm MT12A, onde o seletor de tiro estava para disparar com rajada e uma escopeta calibre 20 com um cartucho.

Procurado por ac24horas, o secretário de segurança, Paulo César, diz desconhecer a possível retomada de território por parte do B13 e ressalta que desde a primeira invasão, a polícia vem fazendo uma série de operações na região. Ele informou que analisará o vídeo para um posterior posicionamento.




Propaganda

Acre

Índia Venezuelana mendigando nas ruas de Rio Branco chama atenção

Publicado

em

“Preciso de ajuda para comprar comida e fralda para meu filho”. É com esta frase, escrita em um pedaço de papelão, que uma indígena venezuelana circulou com seu filho nos braços entre os carros e motos nas ruas da capital acreana para pedir ajuda.

A senhora chegou ao Acre fugindo da crise na Venezuela e trouxe o seu único filho. A fotografia foi registrada por Sérgio Vale na manhã desta segunda-feira (14) no Centro.




Continuar lendo

Acre

Secretária chora ao se deparar com burocracia no serviço público

Publicado

em

Chora, pequena! Este parece ser o jargão que mais combina com a situação pela qual a secretária estadual, Eliane Sinhasique, vem passando desde o início da gestão do governo Gladson Cameli. Segundo ela, não foram poucas as vezes em que se pegou chorando, literalmente, em seu gabinete devido às “travas” impostas pela burocracia que impera no andamento dos serviços públicos.

Diante das dificuldades enfrentadas na secretaria de Empreendedorismo e Turismo do Acre, Sinhasique diz chorar. “Já chorei por contas das coisas não estarem andando, aborrecida das coisas não saírem como planejado, etc.”, elencou a gestora.

De acordo com a secretária, é difícil assimilar que seu tempo não é o mesmo tempo da burocracia. “Sinto que o governador Gladson também sofre com isso. Preciso aprender a sentar, repisar e aceitar que as coisas não são como gostaríamos que fossem”, lamentou a secretária durante entrevista na Rádio Aldeia FM nesta segunda-feira (14).

A secretária endossou o assunto esclarecendo que já chegou a passar mal de saúde por não se contentar com a morosidade no serviço público. “Se a gente não se acalmar, adoece. A gente quer que a coisa flua e não flui, então é respirar e dar continuidade”.




Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.