Conecte-se agora

Médico acreano aguarda Revalida trabalhando em açougue

Publicado

em

Nascido no município de Marechal Thaumaturgo, interior do Acre, Herisom José Pinho formou-se em Medicina na cidade de Cochabamba, na Bolívia, mas se encontra no município de origem trabalhando com o pai, num pequeno açougue da família. O médico conta que foram sete anos de estudo e muito esforço da família para custear os R$ 3 mil de mensalidade e estadia no país vizinho.

Formado, voltou decidido a atuar no Hospital de Marechal Thaumaturgo e se inscreveu no Programa Mais Médico. Porém, devido à lentidão da internet na cidade, não conseguiu sua lotação. Como seu diploma ainda não foi revalidado no Brasil, Herisom só pode atuar por meio do Programa Mais Médico.

Agora, ele espera uma nova oportunidade de inscrição no Programa ou uma nova edição do Revalida (que não acontece há 2 anos). Enquanto isso, lamenta o fato de ser médico em sua cidade e trabalhar num açougue. “Vejo a necessidade de nossa cidade, a carência de médicos, que não querem vir para cá por ser uma cidade de difícil acesso. Deveria haver uma possibilidade de resolver isso em benefício da sociedade”, explica.

A situação da prima de Herisom, Mariâvangela Lima, é a mesma. Ela é formada em medicina na Bolívia, mas atua como gerente de Assistência à Saúde no Hospital de Marechal Thaumaturgo. “Entrei na justiça e espero uma resposta para conseguir minha lotação aqui em Marechal, porque mesmo pelo Mais Médico ninguém quer vir para cá e nós estamos aqui, somos daqui, queremos trabalhar e a população necessita muito”, conta.

Segundo Mariâvangela, outro primo dela também voltou formado em medicina e trabalha com o pai em um sítio na zona rural de Thaumaturgo.

Déficit de profissionais

No Hospital da cidade, onde os médicos formados na Bolívia não podem atuar na medicina, só há uma médica atendendo. Patrícia Barbino dá plantão, fica de sobreaviso, se desdobra para atender sozinha uma população de 18 mil habitantes. Ela também atua na Atenção Básica, na Unidade Naldi Mariano, da prefeitura.

A médica conta que faz partos e pequenos procedimentos, mas muitos pacientes são enviados para Cruzeiro do Sul ou Rio Branco por meio do Tratamento Fora do Domicílio- TFD.

De acordo com ela, há meses em que são até 20 os casos de TFD. “Me sinto impotente, mas faço o que posso e até já esgotei meus plantões. No último Concurso Simplificado há duas vagas para cá e espero que sejam preenchidas e que os médicos permaneçam aqui porque a necessidade é grande”.

No Hospital da Família de Marechal Thaumaturgo trabalham três enfermeiros e 12 técnicos em enfermagem. O gestor da unidade hospitalar, enfermeiro Ocielio Gomes do Vale, diz que nos dois últimos concursos e processos simplificados, não houve inscrição de médicos para a cidade, situação que ele espera que não se repita no novo Processo anunciado pelo governo do Estado.

Quanto às medicamentos e insumos, segundo o gestor, a situação é diferente. “Desde março não falta nada e temos estoque até dezembro desse ano”.




Propaganda

Acre

Pega-Pega é a campeã do Circuito Junino de Rio Branco 2019

Publicado

em

A Junina Pega-Pega é a grande campeã do Circuito Junino de Rio Branco 2019. O resultado foi divulgado na noite do último domingo, 14, último dia do Circuito Junino, realizado na Casa da Cultura – Quadrilhódromo.

O grupo campeão contou a história da filha de um coronel que não sabia dançar forró, até conhecer um pretendente que era pé de valsa. Já nas danças, a Pega-Pega inovou ao levar o tradicional Cangaço.

Desde 2011 a junina não vencia o campeonato de quadrilha. “A emoção é grande, pois foi um trabalho em conjunto, feito por muita gente. O coração fica a mil, pois é o reconhecimento de que o que fizemos foi bem feito”, destacou Nathy Lima, uma das integrantes do grupo.

O Circuito Junino de Rio Branco promove a competição entre os 10 grupos quadrilheiros da capital acreana. Cada junina leva para a Arena dos Folguedos uma temática diferente. Ao todo, foram 50 minutos de apresentação, cada, sendo divididos em casamento e dança.

Premiação

Os participantes receberam um prêmio de participação, no valor de R$ 1,5 mil, cada. A Prefeitura também concede o prêmio extra para os cinco primeiros lugares. São eles: Junina Pega-Pega (R$ 2,8 mil e troféu); Junina Matutos na Roça (R$ 2 mil e troféu); Junina Malucos na Roça (R$ 1,5 mil e troféu); Sassaricano na Roça (R$ 1 mil e troféu); e Assanhados na Roça (R$ 900 e troféu).




Continuar lendo

Acre

Aberta oportunidade para renegociação de dívidas do FNO

Publicado

em

Produtores rurais da Região Norte estão com a oportunidade aberta para renegociar suas dívidas com o Banco da Amazônia. Essa chance atinge aqueles que possuem operações contratadas até 2011. O prazo para obter até 95% de desconto em juros e multas é até o dia 30 de dezembro de 2019.

De acordo com a gerente de Administração de Crédito do Banco, Mariney Demétrio, esta oportunidade está sendo realizada com base na lei 13.729, que altera a lei 13.340. “O cliente que renegociar terá carência até 2020. O vencimento da primeira parcela será em 2021 e o da última parcela para 30 de novembro de 2030”, explica. Ele acrescenta que em caso de pagamento das prestações em data anterior ao vencimento, o Banco concede bônus por adimplência.

“O Banco espera atingir um público de aproximadamente 180 mil clientes em toda a Região Norte. Somente no Acre, o Banco espera renegociar mais de 7 mil operações”, informou.

A maioria do dinheiro emprestado é do Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar), que financia projetos individuais ou coletivos. O programa possui as mais baixas de juros dos financiamentos rurais, além de linhas específicas em atendimento à igualdade de gênero e oportunidades produtivas para os jovens do campo.

Os interessados devem procurar as agências do Banco da Amazônia e conversar com a gerência.




Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.