Conecte-se agora

Táxi compartilhado: categoria lança serviço com viagem a R$ 5

Publicado

em

Preocupado com a concorrência dos diversos aplicativos de transporte urbano que tomaram conta dos passageiros acreanos, o sindicato dos taxistas do Estado do Acre decidiu inovar. Na próxima segunda-feira, 8, a categoria vai pedir à prefeitura de Rio Branco a liberação para colocar em prática um meio de transporte que já é realidade em capitais como Manaus (AM) e Porto Velho (RO): o táxi compartilhado.

A proposta visa baratear ainda mais o custo do transporte ao passageiro e, ainda, manter a sobrevivência dos taxistas que vêm sofrendo a pouca procura de clientes desde a chegada dos aplicativos. “Também é uma forma de enfrentar a concorrência do transporte clandestino. Assim vamos tentar continuar sobrevivendo no mercado com essa medida e implementar o táxi compartilhado”, afirma o presidente do sindicato da categoria no Acre, Esperidião Teixeira.

O táxi compartilhado funciona da seguinte maneira: uma corrida de qualquer bairro de Rio Branco para o centro da cidade custará R$ 5 (com quatro passageiros no veículo). Uma corrida do centro para qualquer bairro da mesma forma, no valor de R$ 5 (também com o carro completo), ou seja, se num aplicativo comum o cliente paga de R$ 12 a R$ 15 reais para ultrapassar dois bairros, no táxi compartilhado pagará apenas R$ 10.

“O valor de R$ 5 vai ser o mesmo para as quatro pessoas que estiverem no táxi. Vamos fazer esse serviço em todos os bairros e prestar o melhor atendimento possível”, garante Teixeira. Agora, para a categoria, o cliente poderá escolher mais uma opção de transporte seguro na cidade.

Esperidião explica que em Manaus e Porto Velho os taxistas tiveram um pouco de dificuldade e entraves jurídicos até conseguirem efetivar o serviço, mas acredita que em Rio Branco a prefeita Socorro Neri e a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (RBTrans) vão acatar o pedido. “Vamos protocolar a ideia na prefeitura do município, provavelmente na próxima semana. Vamos trabalhar baseados na lei”.

Lançamento com serviço gratuito

Assim que o táxi compartilhado for aceito pela prefeitura de Rio Branco, o sindicato promete fazer as seis primeiras horas do serviço de maneira gratuita. “O transporte mudou muito e vamos seguir essa linha com base numa lei implementada em Porto Velho”, diz o presidente do sindicato dos taxistas.

Por enquanto, os taxistas organizam a reunião com o executivo municipal elaborando adesivos e divulgando o novo serviço à população. Até a noite dessa quinta-feira, 4, mais de 50% dos taxistas já tinham aderido ao lançamento do táxi compartilhado.

A grande aposta é o lançamento do serviço de táxi compartilhado, oferecendo as seis primeiras horas serão gratuitas aos passageiros, como forma de divulgar o novo meio de transporte.

Propaganda

Acre

Federações do setor produtivo são homenageadas na Aleac

Publicado

em

Serviços prestados à sociedade acreana são reconhecidos em sessão solene de apoio às entidades

Em reconhecimento aos serviços prestados pelas federações representativas do setor produtivo do estado do Acre – Federação das Indústrias (FIEAC); Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio) e Federação da Agricultura e Pecuária (Faeac) do Estado do Acre – a Assembleia Legislativa (Aleac) realizou uma sessão solene na manhã desta quinta-feira, 14 de novembro.

O deputado José Bestene foi o autor do requerimento que deu origem à homenagem, aprovado por unanimidade pelos parlamentares.

De acordo com ele, o setor produtivo é o que realmente aquece a economia local. “Nossa intenção sempre foi, desde o início, buscar essa parceria. O governo não pode se furtar de ter essa parceria com o Sistema S e setor produtivo. Conhecemos o trabalho de cada um. Algumas instituições capacitam pessoas de ponta a ponta do estado e muitos ainda ignoram o lado social que elas prestam à sociedade. Eu me coloco como parceiro das federações representativas do setor produtivo do nosso estado”, prontificou-se o deputado.

Presidente da Faeac, o pecuarista Assuero Doca Veronez agradeceu o reconhecimento feito pelos parlamentares, dizendo que o trabalho desempenhado pela instituição exige comprometimento, dedicação e muito compromisso com a causa de representação de um segmento. Ele afirma que o momento inspirou reflexões, uma vez que a Federação da Agricultura do Estado do Acre completou 50 anos no ano passado.

“Nesse tempo, o setor rural do Acre avançou, cresceu, e quando se compara com o passado, a diferença é muito grande em termo de produção. Temos um rebanho de 3,3 milhões de cabeças com muita qualidade genética, e exportamos para outros estados brasileiros 75% dessa carne. É um setor que gera excedentes. Ao eleger o agronegócio como um dos pilares para o desenvolvimento do estado, o atual governo tomou uma atitude extremamente pertinente, pois estudos que nós temos levantado mostram que o Acre, proporcionalmente, tem as melhores terras do país. Quase toda a nossa terra é fértil”, observou Veronez.

Leandro Domingos, presidente da Fecomércio, por sua vez, defendeu as ações desenvolvidas pelas instituições que compõem o Sistema Comércio. “Falar da Federação do Comércio do Acre é reportar a lutas, vitórias e sucesso. Falar em Sesc é falar de saúde, é falar de prazer, é falar do berço da cultura acreana. Falar do Senac é falar de esperança, perspectiva de sucesso na vida profissional. É falar de transformação de vidas. Esta homenagem, portanto, é muito justa e apropriada, pois o Sistema Comércio trabalha com os mesmos objetivos desta Casa Legislativa, que é criar condições para que a nossa sociedade seja mais justa, mais humana, buscando sempre cenários favoráveis para que possa crescer e se desenvolver”.

PACTO PELO DESENVOLVIMENTO

Para o presidente da FIEAC, José Adriano, é senso comum que a Aleac possui grandes desafios – e que estes são os mesmos do setor produtivo. “A minha luta é também a do senhores”, garantiu ele. Educação e inovação foram duas das principais vertentes levantadas pelo empresário para se alcançar o desenvolvimento.

“Hoje venho aqui para propor um pacto pelo desenvolvimento do Acre. Vamos deixar de lado o nosso egoísmo e vamos juntos fazer um novo amanhecer para o nosso estado. O caminho é esse. Precisamos de investimento agora. Sou crítico do atual modelo de ensino do Brasil e venho defendendo a inovação como prioridade há muito tempo. Digo sempre que nossas escolas ensinam nossos jovens para o passado. Nosso desafio na FIEAC, de agora em diante, será dotar as escolas SESI e SENAI de toda a infraestrutura necessária para receber e responder ao entusiasmo da nossa juventude”, assinalou.

De acordo com o secretário de Indústria, Ciência e Tecnologia (Seict), Anderson Abreu, o Governo do Estado está aberto ao diálogo com todas as instituições. “Esta é a nossa forma de trabalhar. Estamos buscando o crescimento, o desenvolvimento do estado, a geração de emprego para a população. Nós sabemos que é o setor produtivo que vai gerar isso. O governador Gladson Cameli não vai medir esforços para que isso aconteça. É questão de vontade. A iniciativa de homenagear o Sistema S e o setor produtivo foi perfeita. Nós reconhecemos a importância que eles têm para a sociedade”, concluiu.

Continuar lendo

Acre

MPAC realiza eleição para escolha de procurador-geral na segunda

Publicado

em

Membros do Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) irão participar, nesta segunda-feira, 18, da eleição para escolha de procurador-geral de Justiça. A eleição será na Sala das Sessões dos Órgãos Colegiados do MPAC, em Rio Branco, no período das 08h às 17h.

Concorrem ao cargo, a atual procuradora-geral de Justiça, Kátia Rejane de Araújo Rodrigues, os procuradores Edmar Monteiro Filho, Cosmo Lima Souza, Rita de Cássia Nogueira Lima e Carlos Roberto da Silva Maia; e os promotores de Justiça Ricardo Coelho de Carvalho, Alessandra Garcia Marques e Francisco Maia Guedes.

Os votos dos membros em exercício nas Promotorias do interior do Estado e daqueles que estiverem justificadamente ausentes, poderão ser encaminhados à Comissão Eleitoral, presidida pelo procurador João Marques Pires. Cada membro poderá escolher até três candidatos.

Também fazem parte da Comissão, os promotores Rogério Muñoz e Maria Fátima Ribeiro (secretária). Como suplentes foram designadas as promotoras Patrícia Paula dos Santos e Vanessa Muniz.

Após a apuração dos votos, uma ata da eleição será remetida à procuradora-geral, a quem cabe encaminhar a lista tríplice ao governador do Estado, que terá quinze dias para fazer a nomeação. O mandato de procurador-geral é de dois anos, podendo ser renovado por igual período, após novo processo eleitoral.

Kelly Souza- Agência de Notícias do MPAC

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.