Conecte-se agora

Projeto Criança Feliz promove grande bazar solidário neste sábado

Publicado

em

Imagine você comprar produtos de qualidade, se alimentar de pratos e doces deliciosos por preços incrivelmente baixos e além do mais, saber que todo o dinheiro gasto será revertido em benefício de crianças e famílias carentes.

Essa tem sido a proposta do bazar solidário do projeto Criança Feliz, que será realizado neste sábado, 6 de julho, na Rua Vicente Paula de Lucena, número 271, conjunto Procon, bairro Vila Ivonete, próximo à malharia Ponto Sem Nó. O evento, que chega à sua oitava edição neste ano, terá início às 10 horas e se estenderá até o início da noite.

Roupas novas (na etiqueta) e usadas, sapatos, utensílios domésticos, eletrodomésticos e peças de decoração são alguns dos produtos que serão comercializados durante o bazar. Os visitantes também terão inúmeras opções de pratos para o almoço: feijoada, rabada, estrogonofe, galinha picante, costela, charuto e outras delícias. Refeições de qualidade e baratas, com valor máximo de R$ 15.

Serão vendidos, ainda, doces, sucos, refrigerantes, salada de frutas e picolés. Durante a programação, haverá rifa em que o ganhador levará R$ 300 em dinheiro. Leilões de produtos novos prometem movimentar o evento. Já para as crianças, além de variedade de roupas e calçados infantis, terá pula-pula e a tradicional pescaria com uma série de brinquedos.

“Esperamos receber um grande público neste sábado em nosso bazar. É importante que todos entendam que não se trata de uma iniciativa para beneficiar ou promover qualquer membro do projeto. Tudo que temos feito nesses cinco anos tem como único objetivo levar alegria, amor e esperança às crianças e famílias de bairros carentes. E, com a graça de Deus, temos conseguido cumprir esse propósito a cada ano”, ressalta Karen Araújo, coordenadora do projeto Criança Feliz.

Os recursos arrecadados no bazar solidário serão utilizados para a compra de brinquedos e na realização das atividades do projeto em comunidades carentes no 12 de Outubro, Dia das Crianças. A outra parte do dinheiro será para aquisição de sacolões. Os donativos serão doados para famílias de baixa renda no período natalino.

Confira algumas imagens dos produtos do bazar:

Propaganda

Extra Total

Governo e sindicatos divergem em pelo menos oito pontos de 3 propostas que tramitam na Aleac

Publicado

em

FOTO: DIEGO GURGEL

Pelo menos três projetos de iniciativa do poder executivo e que estão tramitando nas comissões da Assembleia Legislativa desde a semana passada estão sendo o fio condutor de uma crise entre governo e servidores públicos que gera um desgaste sem precedentes. De um lado, a atual gestão de Gladson Cameli busca modificar o sistema de previdência social dos trabalhadores por meio de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) e por meio de dois Projetos de Lei Complementar tenta alterar a lei que institui o Regime Próprio de Previdência Social e também o Estatuto dos Servidores Públicos Civis, das Autarquias e das Fundações Públicas.

O Palácio Rio Branco usa como justificativa o rombo mensal do Acreprevidência, órgão responsável por gerir aposentadoria e pensão de mais 12 mil beneficiários, que gera uma despesa extra de quase R$ 50 milhões por mês ao Tesouro, ou seja, para manter o pagamento dos inativos em dia, todos os meses o Estado precisa utilizar recursos próprios que poderiam ser usados na saúde, educação e segurança pública. Até dezembro, período em que se fecha a gestão financeira, o Estado deverá ter desembolsado mais R$ 600 milhões para pagar somente aposentados e pensionistas.

O ac24horas apurou que a previdência do Estado do Acre apresenta déficit atuarial de 16.5 bilhões, a ser amortizado nos próximos 35 anos. O déficit financeiro do exercício de 2018 foi de R$ 385 milhões. No exercício de 2019 já foi realizado prejuízo de R$ 480 milhões, de janeiro a outubro, e deve fechar o ano em R$ 610 milhões. A previsão para o exercício de 2020 é de R$ 621 milhões; 2021, R$ 710 milhões; e 2022, R$ 808 milhões. Além disso, o déficit financeiro representava, em 2015, 1,5% do orçamento do Estado; em 2018, saltou para 5,8% do orçamento do Estado; e até outubro de 2019, o déficit financeiro já representa 6,8% do orçamento do Estado.

Por outro lado, pelo menos 15 sindicatos estão em pé de guerra e externam que as mudanças que o atual governo quer adotar tiram direitos e prejudicam os que ganham menos. De acordo com sindicalistas consultados por ac24horas, a PEC da previdência aumenta a idade mínima de 60 para 62 anos nas mulheres e de 65 anos para os homens. Outro ponto é no aumento do tempo de contribuição dos professores, que antes se aposentavam somente pelo tempo de serviço (30 anos para Homens/25 anos para mulheres), deverão cumprir também a idade mínima de 62 anos para homens e 57 anos para mulheres. Nesse ponto, especialistas ouvidos pelo ac24horas esclarecem que a PEC 6/2019 só admite distinção de regimes para carreiras policiais, servidores com deficiência e servidores que trabalham em condições insalubres. Para os professores que comprovem tempo de efetivo exercício das funções de magistério na educação infantil e no ensino fundamental e médio, a PEC nacional garante apenas a redução da idade mínima em cinco anos em relação aos demais servidores.

Sindicalistas aceitam acordo com o governo na Aleac – Foto: Sérgio Vale

Para os sindicalistas as propostas que tramitam na Aleac também piora o cenário para o servidor público. Eles alegam uma mudança para pior no cálculo da aposentadoria, que vai reduzir o valor da aposentadoria, uma vez que deixa de usar a média dos maiores salários em 80% do tempo, para a usar a média simples dos salários em 100% do tempo. Além disso, a integralidade somente com 40 (quarenta) anos de contribuição o servidor fará jus a integralidade (100%) do valor calculado da aposentadoria, mesmo que já tenha cumprido idade e tempo. Outro ponto espinhoso, é a redução de 100% para 50% do valor de Pensão por Morte, podendo gradativamente chegar a 100% do valor da pensão caso o servidor tenha pelo menos 5 filhos.

Outro ponto que causa divergência pesada entre sindicalistas e governo são as extinções do auxílio-funeral e da licença-prêmio. Sobre a retirada da licença-prêmio de servidores, a exemplo do que já foi feito com os servidores públicos federais, será transformada em licença para capacitação, ou seja, o servidor pode tirá-la para fazer cursos de especialização. A Licença deixará de ter caráter indenizatório, para os servidores que não usufruir deste benefício. Atualmente, isso gera muito prejuízo aos cofres públicos por ocasião das aposentadorias dos servidores. A reportagem apurou que uma grande parte da dívida deixada pelo governo de Sebastião Viana com rescisões, cerca de R$ 22 milhões são oriundos de aposentadoria de servidores que não gozaram de licença-prêmio. Já o auxílio funeral ainda está vigente, mesmo com reforma da previdência promulgada pelo Congresso Nacional.

As entidades de classe também reclamam da retirada da sexta-parte da Constituição estadual, um benefício que não existe no âmbito federal, mas apenas em alguns outros Estados e municípios. Trata-se de uma vantagem pecuniária concedida aos servidores públicos que completam 25 anos de efetivo exercício. A vantagem representa o acréscimo de 1/6 (um sexto) do valor calculado sobre os vencimentos integrais do servidor e também está sendo alvo da nova reforma de Cameli.

As tratativas sobre eventuais mudanças no texto original do governo se restringem apenas às negociações entre sindicatos e deputados estaduais. Nada do que foi debatido na mesa ainda foi levado ao conhecimento do governo e nem mesmo existe uma sinalização de mudanças por parte do Palácio.

Continuar lendo

Extra Total 2

Homem é decapitado, dois são mortos e mais dois ficam feridos em guerra de facções na Capital

Publicado

em

As guerras entre facções não dão trégua e a onda de violência voltou a assustar a população de Rio Branco. Em menos de três horas, moradores testemunharam as ações das facções que atuam na capital, 3 pessoas foram mortas e 2 ficaram feridas a tiros na noite desta quarta-feira (13). Os crimes ocorreram nos bairros João Eduardo, Belo Jardim, São Sebastião na Baixada da Sobral e na Vila Custódio Freire em Rio Branco.

A primeira ocorrência aconteceu na rua da Hosana, no bairro João Eduardo, o mototaxista Antônio Cavalcante Serra, de 24 anos, mais conhecido como “Luquinha” foi ferido com 3 tiros na noite desta quarta-feira (13) enquanto seguia para buscar uma cliente.

 

De acordo com informações de mototaxistas, Antônio recebeu uma ligação no celular parar ir pegar uma cliente na rua da Hosana, ao parar a moto aguardando a mulher dois homens não identificados numa motocicleta Bros de cor branca se aproximaram e o garupa efetuou 5 tiros a queima roupa. Antônio foi atingido com 3 projéteis, no braço, peito, e na cabeça. Após a ação os criminosos fugiram do local. Antônio deu entrada no Pronto Socorro de Rio em estado de saúde grave.

A segunda tentativa de homicídio aconteceu no bairro Belo Jardim I, no Ramal da Judia, um homem identificado como Vanilson da Silva Lima, de 29 anos, ferido com dois tiros após sair do bar do amor.

De acordo com a polícia, Vanilson estava bebendo com os amigos e ao sair do estabelecimento foi abordado por dois homens não identificados numa motocicleta que efetuaram vários tiros. A vítima foi ferida com um tiro no peito direito e outro braço e encaminhado pelo Samu ao Pronto Socorro em estado de saúde estável.

Já na região da Baixada da Sobral, na rua 15 de julho, no bairro São Sebastião, o detento monitorado por tornozeleira eletrônica, Mateus de Lacerda Freitas, de 22 anos, foi morto com um tiro na cabeça na frente da namorada.

Segundo informações da família, Mateus estava em casa quando dois homens não identificados pararam uma moto Bros de cor branca na frente da residência da vítima e o chamaram. O jovem saiu de casa com a namorada e um dos criminosos efetuaram um tiro a queima roupa na cabeça de Mateus.

E por fim, um crime bárbaro foi registrado na região da Vila Custódio Freire, no Ramal da Castanheira. Dois homens não identificados ainda pela polícia foram encontrados amarrados e mortos.

Segundo informações da polícia repassadas a reportagem do ac24horas, as duas vítimas foram amarradas e levada até a Vila Custódio em um carro e foram executados com tiros na cabeça. Um dos homens teve a cabeça arrancada do corpo pelos membros da facção.

A área foi isolada pela Polícia Militar para os trabalhos dos peritos em criminalística.

Os corpos foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML) para os exames cadavéricos e identificação.

Agentes da Delegacia de Homicídios e proteção à Pessoa (DHPP) já iniciaram as investigações.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.