Conecte-se agora

Após término com Wagner, Gleici Damasceno quebra o silêncio sobre suposta traição

Publicado

em

Certamente uma das notícias mais comentadas da última segunda-feira (01), a campeã do BBB18, Gleici Damasceno e Wagner não estão mais juntos. O término do relacionamento foi anunciado nas redes sociais da acreana.

Em entrevista ao TV Fama, Gleici desabafou sobre o desmanche: “Tudo passa. Todo fim de relacionamento é bem complicado, mas a gente está bem. Cada um segue seu caminho e a gente tentou até onde deu”.

Sem dar muitas explicações, a campeã do reality da TV Globo tentou dar os motivos: “A gente não estava conseguindo mais se manter, muito por um desgaste natural, acho que das duas partes”

Um dos motivos, segundo burburinhos das redes sociais, é que teria ocorrido uma traição no relacionamento. Questionada sobre isso, Gleici negou: “Não foi traição. A gente se respeitou muito enquanto esteve juntos”.

O término

Um dos casais mais adorados do Brasil chegou ao fim. Campeã do BBB18, a acreana Gleici Damasceno e o ex-participante Wagner não estão mais namorando. A informação foi dada pela própria moça em suas redes sociais no início desta segunda-feira (01).

Através da ferramenta stories de seu Instagram, a campeã do reality Gleici Damasceno fez a revelação e pediu empatia dos internautas… Veja!

Vida após o BBB

A vida de Gleici mudou da noite para o dia após ganhar o ‘Big Brother Brasil’ e como ela mesma diz 2018 foi o melhor ano de sua vida. Em recente entrevista para o jornal ‘Extra’, a jovem que residia no Acre antes da fama disse que para ela está sendo tudo novo.

“Ainda estou na fase de adaptação dessa nova vida. É tudo muito novo…É claro que a gente sonha com isso quando é criança, de ser famosa e tal… Mas eu não estava preparada para isso. Foi um boom muito grande no começo, agora já está tudo mais calmo.

Fonte: Área Vip

Propaganda

Cidades

Oswaldo D’Albuquerque coordena encontro nacional de ouvidores-gerais do Ministério Público

Publicado

em

Conselheiro do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), o procurador Oswaldo D’Albuquerque Lima Neto, apresentou aos ouvidores-gerais do Ministério Público brasileiro as ações inseridas no planejamento da Ouvidoria Nacional do Ministério Público para o ano de 2020.

Ouvidor nacional do MP, Oswaldo D’Albuquerque explicou que o encontro, realizado nesta semana, em Brasília, também teve como objetivo discutir iniciativas para o desenvolvimento e integração das ouvidorias do Ministério Público.

Além dos ouvidores, também estiveram presentes representantes dos colegiados nacionais do Ministério Público, além do secretário-geral do CNMP, Marcelo Andreioulo; o conselheiro Marcelo Elitzel; o ex-conselheiro Antônio Duarte, além do procurador de Justiça do Acre, Sammy Barbosa Lopes, bem como de representantes da Corregedoria Nacional do MP.

“O momento é de buscar fortalecer a unidade ministerial, como um dos princípios basilares da Instituição, por isso, convidamos e agradecemos a presença e a participação dos principais colegiados nacionais do MP, além dos parceiros, como as Ouvidorias da Presidência da República e do Ministério da Justiça, a Associação Brasileira de Ouvidores e Ouvidoria da Educação. Queremos interagir, trocar ideias e somar esforços, e assim, contribuir para o fortalecimento desse órgão tão importante para o Ministério Público brasileiro e para a sociedade”, comentou.

No encontro foram apresentadas algumas iniciativas da Ouvidoria Nacional, como a assinatura de um protocolo entre a unidade e a Corregedoria Nacional; o projeto Ouvidoria itinerante; a formação de rede de ouvidorias do MP; e a aprovação da Política Nacional de Atendimento ao Público no Âmbito do Ministério Público brasileiro. Outros temas também estiveram em pauta, entre os quais, o atendimento a pessoas com transtornos psiquiátricos e a lei geral de proteção de dados.

Com informações do CNMP

Continuar lendo

Cidades

Gestão associada: governo induz municípios a subdelegar serviços do Depasa à iniciativa privada

Publicado

em

Usando o termo “universalização dos serviços públicos”, o governo do Acre realizou nessa quinta-feira, 12, um encontro com representantes da Câmara de Vereadores e Prefeituras Municipais dos 22 municípios, para falar sobre o projeto que amplia a oferta de serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário no estado também para a iniciativa privada.

A ideia, segundo a Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag), é fazer com que a prestação desses serviços também se torne competência dos municípios e, consequentemente, sejam autorizadas a iniciativa privada. Conforme o governo, foi devido a contratos em programas que essa responsabilidade foi delegada ao Estado, que vinha mantendo o serviço por meio do Departamento Estadual de Águas e Saneamento.

Porém, de acordo com a Seplag, diante do cenário atual, onde os índices de perdas e custos de operação resultam na incapacidade do Estado em promover investimentos e manter um serviço de qualidade, o projeto prevê a gestão associada, onde os municípios deverão autorizar a subdelegação dos serviços para a iniciativa privada.

“O projeto é uma questão de saúde pública e o Estado, que conhece a importância do esgotamento sanitário, quer a melhoria da qualidade de vida da população. Encaminhamos a documentação para os municípios para que eles tomassem conhecimento e viessem aqui hoje conhecer o projeto, tirar suas dúvidas e acrescentar com opiniões de acordo com as peculiaridades de cada região”, disse a diretora de parceria público e privada, Kelly Lacerda.

O projeto foi desenvolvido através da contratação de serviços do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, que durante o encontro, também foi o responsável pela apresentação dos resultados.

O governo ressalta que o projeto não é um plano estadual de privatização dos serviços, isso porque o Departamento Estadual de Águas e Saneamento é uma autarquia e continuará responsável pela prestação dos serviços de saneamento básico nas áreas rurais. A proposta visa ampliar o atendimento dos serviços, com o atendimento de 98% da população em até 12 anos.

O encontro aconteceu na sede da Associação de Municípios do Acre (Amac) e contou com a presença da Agência Reguladora de Serviços Públicos (Ageac) e do Banco Nacional Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Fonte: Agência de Notícias do Acre

Continuar lendo
Propaganda
Propaganda

Mais lidas