Conecte-se agora

Walter Prado defende mandados de busca e apreensão coletivos onde o crime domina

Publicado

em

A sensação que vive hoje a população da capital é que estamos numa guerra urbana sangrenta, na qual os números de execuções aumentam com uma velocidade espantosa. Assaltos a motoristas, seqüestros, assaltos a ônibus, bairros onde somente se entra com ordem da quadrilha que domina a área, a cidade loteada entre facções, e, por último, briga pelo domínio de bairros e deixando a população aterrorizada. Pois, bem, procurei o Delegado Aposentado, Walter Prado, que foi Secretário de Polícia no governo Jorge Viana, com bons resultados, ex-deputado estadual, para saber de um expert em Segurança Pública, o que acha deste quadro de violência extremado na cidade.

BLOG DO CRICA- Delegado Walter Prado, porque viramos uma cidade de faroeste?

WALTER PRADO- A capital é um bairro de São Paulo. Na capital paulista os índices da criminalidade baixaram muito. Por que não acontece aqui? O que falta é um projeto de segurança pública. O Estado está perdendo a guerra para um bando de adolescentes calçando sandálias de borracha. Não há elucidação em grande escala dos crimes em sua maioria. São mais de mil crimes sem elucidação de autoria nas prateleiras.  Não havendo elucidação o bandido se sente motivado a praticar novos crimes porque sabe que a sua autoria não será descoberta. A polícia não pode entrar nos bairros mais violentos com flores, tem de entrar mesmo com toda a sua força para mostrar quem manda. O bandido só obedece a polícia quando sabe que se reagir vai morrer. Direitos Humanos é para o cidadão de bem.

BLOGO DO CRICA- Mas a polícia está ocupando bairros inteiros?

WALTER PRADO – De que adianta? Passa uma semana, deixa o bairro e volta tudo de novo. É uma paz aparente. A presença policial tem que ser constante nos bairros e não eventual. O marginal tem que sentir que se aprontar vai se dá mal, pois, as forças de segurança estão presentes. Bandido só respeita polícia forte. Tem que tem uma força específica para colocar todos os chefes de facções presos. Tem que ser na base da pressão, que é a linguagem que o bandido entende. Ou vão continuar enxugando gelo. Se não mudar a guerra continuará perdida.

BLOG DO CRICA – Como conseguir montar uma grande operação nos bairros para prender os chefões do crime?

WALTER PRADO- Usar a inteligência. É só conseguir na justiça, mandados coletivos e entrar nos bairros de maior incidência criminal, cercar, fazer uma uma varredura e vão prender todos. A polícia sabe o onde moram as cabeças do crime. Com este tipo de pressão tudo que é bandido espirra do Acre porque sabe que será preso. A polícia tem que estar presente em todos os momentos da população. Temos excelentes policiais militares e civis, mas o que está faltando é um comando de verdade. O secretário de Segurança, Coronel Paulo César, é bem intencionado, mas, não está dando conta do recado. Tem que ter humildade e reconhecer isso.

BLOG DO CRICA- Passamos a ter uma nova modalidade de violência nas duas últimas semanas. Bairros são invadidos por facções rivais numa guerra na qual, quem fica no meio é a população. O que fazer? A impressão é que o Afeganistão é aqui?

WALTER PRADO- E vai continuar acontecendo. Os bandidos só invadem bairros dos bandidos adversários porque sabem que não vão encontrar nenhum policial. E se vangloriam nas redes sociais. Acabam dando um exemplo aos seguidores como se fossem heróis. A minha opinião é que o combate ao crime continua tão ruim como foi nos últimos quatros do governo do PT.

BLOG DO CRICA- Quando deputado você disse na Assembléia Legislativa que o maior empregador do Acre era as boca de fumo. Continua com a tese?

WALTER PRADO-O maior empregador disparado, uma triste realidade. Hoje domina tudo.

BLOG DO CRICA – Para fechar a conversa, dois pontos: roubos de carros e roubos de celulares, o que fazer?

WALTER PRADO- Montar barreiras nos principais acessos à Bolívia, onde os carros são trocados por drogas e o veículo só passar se estiver sendo dirigido pelo proprietário. Isso funciona no Peru, lá ninguém entra com um carro se não provar que é o proprietário. Sem barreiras é um convite para o bandido roubar camionetes e ir trocar por cocaína na Bolívia. Quanto ao roubo de celulares, é simples: todo mundo sabe onde ficam os pontos de vendas e consertos de celulares na cidade. É conseguir um mandado de busca e apreensão coletivo dar uma batida é quem não tiver a nota fiscal do celular perde o aparelho e terá que se explicar na polícia. Só há roubo de celular porque tem quem compre. Sem isso, o bandido continuará a festa.

AUDIÊNCIA DE CUSTÓDIA
Nada mais revoltante, nada mais comentado na cidade do que a prisão de um grupo de bandidos que tentou assaltar a GAZIN; feriu um policial, e na famosa Audiência de Custódia foi para a rua liberado pelo Juiz de Plantão. Hoje, já devem estar assaltando e rindo dos policiais.

DISCUTINDO A LEI
A Audiência de Custódia é uma lei tosca. Mas, mesmo assim o magistrado é obrigado a cumprir e tratar os presos nas operações policiais como se eles fossem bons meninos, mesmo os com extensa ficha criminal. A questão é: que quem fez esta lei não foi o magistrado, mas o político.

SE COLOQUE NA FIGURA DO POLICIAL
Agora, você se coloque na figura do policial que prende um bandido perigoso e no outro dia dá de cara com ele na rua todo debochado. Qual o incentivo que os policiais militares que prenderam o bando da GAZIN vão ter para novas operações? Foram todos desmoralizados.

SENADORES E DEPUTADOS
Passou da hora de um senador ou deputado federal da bancada acreana entrar com um projeto acabando com a Audiência de Custódia ou criando uma nova regulamentação que a torne mais rígida para a soltura de marginais. Ou a festa da soltura de presos vai continuar.

BOLA DENTRO
A deputada federal Vanda Denir (SD) trabalha para tentar trazer a prefeita de Brasiléia, Fernanda Hassem (PT), para se filiar ao SOLIDARIEDADE e ser candidata à reeleição pelo partido. Se conseguir, o SD estará marcando um trunfo, é uma prefeita bem avaliada.

LUIZINHO EM BRASILÉIA
O ex-prefeito de Epitaciolândia, Luizinho Hassem, deve ser o candidato do SOLIDARIEDADE á prefeitura do município. Em Plácido de Castro será o Diego Paulista e, a surpresa: o dirigente do SD, Israel Milani, me disse ontem que pode disputar a prefeitura de Senador Guiomard.

TIRO NO PÉ
Com o movimento de apoio nacional ao Juiz Sérgio Moro e à Lava Jato em todo Brasil ficou patente de que, os que apostavam no desgaste do magistrado da Operação deram um tiro no pé. O povo foi às ruas dizer que apóia Moro e a Lava Jato.

DONA MUDINHA
Não é nenhuma falta de respeito, mas o apelido de “Dona Mudinha” se aplica como uma luva à nova secretária Mônica Feres, que até hoje não disse o que veio fazer no cargo, não visitou um hospital do interior, e o sistema de saúde não avançou após sua chegada em nada.

ORIENTADOR POLÍTICO
O seu orientador político é o conhecido nacionalmente Ricardo França. Por sinal, um péssimo orientador. Dona Mônica se tranca no gabinete viaja no seu mundo e não dá satisfação a ninguém. Essa senhora deve estar pensando que o cargo é dela para não dar satisfação.

A GRANDE PERGUNTA
O deputado Roberto Duarte (MDB) aceitará ou não a cooptação para a base do governo?

PALAVRAS AO VENTO
O governador Gladson Cameli não pode reclamar de ninguém de que pontos positivos do seu governo não estão sendo divulgados. A culpa é exclusiva dele, que não providenciou uma licitação cedo para legitimar campanhas publicitárias na mídia sobre as suas conquistas.

LEMBRA A HISTORINHA DO CAPOTE E A GALINHA
O capote coloca uma dúzia de ovos e ninguém sabe por não fazer alarde. A galinha bota um ovo sai cacarejando e todos sabem. É o governo do Gladson. Faz mas não divulga. E não pode nem culpar a assessoria de imprensa: sem licitação, estão de mãos amarradas na mídia.

IMPRESSÃO QUE PASSA
E a impressão que passa é a de que o governador Gladson Cameli está gostando disso.

ONDE ESTAVA DONA PERPÉTUA?
Uma pergunta que cabe. A deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB) desancou o governo Gladson Cameli no café da manhã que ofereceu ontem à imprensa. Onde estava dona Perpétua que não viu o fiasco do governo antecessor? Estava em Marte ou em Júpiter?

PERDEU A HEGEMONIA
É só acompanhar as redes sociais para notar que o Gladson perdeu a majestade onde reinava durante a campanha eleitoral. Esta petezada posta no seu governo machucou muito aliado.

QUE MATEMÁTICA É ESTA, ROCHA?
Uma matemática que não me entra na cabeça esta do vice-governador Major Rocha. Diz que a Segurança não está na cota do PSDB. Foi ele quem indicou todos os ocupantes de cargos de confiança (que são em grande número), sendo técnicos ou não. Isso virou uma grande piada.

CONTINUA A PORCARIA
A via principal do Jardim Tropical continua com uma grande faixa de barro no meio e não se toma a providência de mandar arrumar. E ninguém ousa punir quem fez aquela porcaria.

QUEM GOSTA DE CHEIRAR MERDA?
Tem cada uma: queriam que o Ministro do Meio-Ambiente, Ricardo Salles, cheirasse a merda do Canal da Maternidade e falasse à imprensa que tinha odor de perfume francês. Cada uma!

Propaganda

Acre 01

Festa no Quadrilhódromo: Pega-Pega é a campeã do Circuito Junino de Rio Branco 2019

Publicado

em

A Junina Pega-Pega é a grande campeã do Circuito Junino de Rio Branco 2019. O resultado foi divulgado na noite do último domingo, 14, último dia do Circuito Junino, realizado na Casa da Cultura – Quadrilhódromo.

O grupo campeão contou a história da filha de um coronel que não sabia dançar forró, até conhecer um pretendente que era pé de valsa. Já nas danças, a Pega-Pega inovou ao levar o tradicional Cangaço.

Desde 2011 a junina não vencia o campeonato de quadrilha. “A emoção é grande, pois foi um trabalho em conjunto, feito por muita gente. O coração fica a mil, pois é o reconhecimento de que o que fizemos foi bem feito”, destacou Nathy Lima, uma das integrantes do grupo.

O Circuito Junino de Rio Branco promove a competição entre os 10 grupos quadrilheiros da capital acreana. Cada junina leva para a Arena dos Folguedos uma temática diferente. Ao todo, foram 50 minutos de apresentação, cada, sendo divididos em casamento e dança.

Premiação

Os participantes receberam um prêmio de participação, no valor de R$ 1,5 mil, cada. A Prefeitura também concede o prêmio extra para os cinco primeiros lugares. São eles: Junina Pega-Pega (R$ 2,8 mil e troféu); Junina Matutos na Roça (R$ 2 mil e troféu); Junina Malucos na Roça (R$ 1,5 mil e troféu); Sassaricano na Roça (R$ 1 mil e troféu); e Assanhados na Roça (R$ 900 e troféu).

Continuar lendo

Acre 01

MP investiga acúmulo de cargos e irregularidade em processo licitatório em Mâncio Lima

Publicado

em

O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), por meio da Promotoria de Justiça Cumulativa de Mâncio Lima e Rodrigues Alves, instaurou um procedimento preparatório para investigar uma suposta acumulação irregular de cargos públicos em Mâncio Lima.

De acordo com informações que chegaram ao órgão ministerial, três secretários municipais estariam recebendo salários de dois entes públicos, apesar de a prestação dos serviços se dar apenas ao município.

No procedimento, instaurado pelo promotor de Justiça substituto Vanderlei Batista Cerqueira, com fundamento no art. 2º, § § 4º, 5º, 6º e 7º da Resolução CNMP n.º 23/2007 e artigos 3º e 25 da Resolução CPJMPAC n.º 28/2012, foi determinado o agendamento das oitivas com os acusados e com o responsável pelo controle interno do município.

O promotor de Justiça determinou ainda que sejam tomadas todas as demais medidas necessárias à apuração dos fatos, realizando-se as diligências indispensáveis à instrução do procedimento.

Irregularidade em processo licitatório

Também em Mâncio Lima, o promotor de Justiça Vanderlei Batista prorrogou o prazo para a notícia de fato instaurada pela Promotoria de Justiça Cumulativa de Mâncio Lima e Rodrigues Alves, que apura possíveis irregularidades em processo licitatório da Câmara Municipal, referente ao Edital de Pregão Presencial – Sistema de Registro de Preços – SRP Nº 001/2019, pelo regime de menor preço global.

De acordo com o promotor de Justiça, “existe a possibilidade de direcionamento explícito do procedimento licitatório, advindo de restrição indevida a limites territoriais, com participação no certamente condicionada ao fato de o interessado possuir estabelecimento comercial no Estado do Acre”.

O promotor determinou o envio de uma cópia do procedimento licitatório completo oriundo do edital pela Câmara Municipal de Mâncio Lima, bem como a coleta de outros elementos necessários à apuração dos fatos e conclusão do caso.

Continuar lendo
Propaganda

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.