fbpx
Conecte-se agora

Guerra entre partidos pode decretar implosão do governo

Publicado

em

Mesmo sendo os dois partidos mais beneficiados com cargos com a chegada de Gladson Cameli ao poder, a guerra entre o PSDB e Progressistas poderá gerar uma crise descontrolada que poderá implodir o governo antes de 2020. A briga por cargos e também pelo protagonismo nas eleições municipais na capital do ano que vem fez com que tucanos e militantes do partido do governador fossem para as redes sociais expor toda ânsia de poder que geralmente são tratadas em gabinete.

O estopim para essa guerra foi o fato do governador Gladson Cameli prometer que exoneraria o secretário de Agricultura e Pecuária, Paulo Wadt, mas não cumprir e ainda afirmar que não aceitará pressão para tal ato. Isso fez com que a deputada federal Mara Rocha, (PSDB) acenasse com a possibilidade de abandonar a base de apoio do governo do Acre em Brasília e até mesmo a mudar o seu voto na Reforma da Previdência. Cameli quer contar com pelo menos sete votos dos oito deputados acreanos na Câmara e inclusive já teria usado esse argumento para conseguir benefícios com o presidente Jair Bolsonaro (PSL), como a manutenção de seu cunhado e irmão da primeira-dama, Ana Paula Cameli, Paulo Roberto Correia, na Superintendência da Sudam.

No último dia 17 a comitiva acreana liderada pelo governador se encontrou com o presidente da república Jair Bolsonaro (PSL), no Palácio da Alvorada, em Brasília (DF), e fez o pedido pelo seu cunhado causando desconforto nos parlamentares presentes. O ac24horas apurou que o presidente já estava com o decreto de exoneração de Paulo Roberto Correia, assinado sob a argumentação de que ele “era comunista”.

Durante a audiência, na presença dos parlamentares, antes de falar dos problemas do Estado, Gladson foi direto ao ponto. “Presidente, antes de mais nada, quero aqui, diante da minha bancada, lhe pedir um grande favor. O meu cunhado – Paulo Roberto Correia – não é comunista; é um profissional capacitado, que está sendo vítima de interesses de políticos que querem o seu cargo de superintendente. Por favor, mantenha ele na sua equipe que saberei lhe agradecer”, disse o governador ao se referir aos votos dos deputados e senadores em favor da reforma da previdência.

Bolsonaro, de fato, de acordo com os presentes na reunião demonstrou saber do que se trata e sorrindo falou que o governador salvou o cunhado da degola aos 45 minutos do segundo tempo e de imediato pediu a um assessor que estava na reunião que fizesse uma ligação para ele. E no telefone – não se sabe com quem falou -, determinou ordem expressa. “Olha, a demissão do comunista da Sudam eu quero que cancele. O cunhado dele está me garantindo que ele não é comunista e sim simpatizante do nosso modelo de governo”, teria afirmado o Chefe do Palácio da Alvorada. Depois de atender o pedido de Gladson, Bolsonaro continuou rindo e começou a despachar sobre os assuntos relacionados ao Estado.

O fato é que a manutenção de Paulo Wadt comandando o setor de agropecuária do Estado por decisão de Cameli gerou reações que vão além da guerra por espaço, mas sim pelas eleições do ano que vem, tanto que militantes dos Progressistas vendo uma brecha, resolveram atacar simultaneamente o vice-governador e sua irmã, a deputada Mara Rocha.

O ainda Superintendente do Ministério de Agricultura e Pecuária do Acre, Luziel Carvalho, que se lançou recentemente com suposto apoio de Cameli como pré-candidato a prefeito de Rio Branco, usou as redes sociais para espalhar vídeos lembrando o episódio em que uma Bíblia foi queimada na Universidade Federal do Acre, no período em que Minoru Kinpara era o reitor da instituição, com o objetivo de responsabilizá-lo pelo ocorrido. Esse caso gerou um bate-boca pelo WhatsApp com o vice-governador que foi exposto pelo ac24horas.

Outro fator para a crise entre as siglas ficar mais intensa foi o fato de pescadores fazerem um protesto em frente a Sede do Ministério de Agricultura e Pecuária pedindo a manutenção de Luziel no cargo. A informação que circulou é que Mara teria indicado o seu irmão, Pang Rocha. O ac24horas apurou que de fato o cargo foi disponibilizado pelo governo federal para a deputada, mas quem foi indicado teria sido um advogado identificado como Sérgio. A manifestação deixou o clima ainda mais tenso entre PSDB e Progressistas.

Momentos depois da divulgação das conversas entre Rocha e Luziel, Mara Rocha divulgou uma nota acusando membros do partido do governador de atacá-la nas redes sociais devido ela aparecer bem colocada na última pesquisa de intenção de votos realizada pelo Instituto Real Time Big Data, contratado pela TV Gazeta. No levantamento, Minoru e Mara aparecem liderando a preferência das intenções dos eleitores e isso teria causado a furia de Luziel e seu grupo que registraram apenas 1%. Outro ponto exposto por Mara para revolta de Progressistas seria o fato de ela cogitar ser candidata ao senado federal nas eleições de 2022, ameaçando assim a coalizão que poderia se formar em nome da senadora Mailza Gomes, que certamente será candidata a reeleição.

Mesmo com os ânimos entre governistas exaltados, o vice-governador Major Rocha tem ido a Assembleia Legislativa diariamente conversar com deputados no intuito de unir a base. Rocha informou a imprensa que “essa guerra exposta não é bom para ninguém. Devemos trabalhar para o governo dá certo”. Já Gladson, após a últimas declarações que não aceitaria pressões, resolveu não comentar mais o assunto.

Propaganda

Acre

Primeira frente fria de 2020 chega sábado ao Acre, prevê Friale

Publicado

em

A primeira frente fria de 2020 chegará à região no sábado (22). Esse frente fria será sucedida pela incursão de leve massa de ar polar. Assim, pela primeira vez neste ano, a temperatura sofrerá um pequeno declínio no Acre, Rondônia, Amazonas (sul e sudoeste), Mato Grosso (sul, sudoeste e oeste), Bolívia (planícies) e Peru (centro e sul da região de selva).

“Entretanto, é pouco provável que ocorra o fenômeno da friagem. Na sexta-feira e no sábado, devido à chegada dessa frente fria, ocorrerão temporais, com chuvas fortes, raios e ventanias”, adianta o estudioso do clima Davi Friale.

E ele completa: “Estamos acompanhado a formação de uma alta pressão atmosférica no sul do continente que dará início ao deslocamento desta frente fria. Diariamente, estaremos atualizando a informação sobre esta primeira onda de frio a chegar à Amazônia”.

De outro lado, até sexta-feira (21), o calor abafado, com chuvas pontuais, vai continuar predominando no Acre, Rondônia, Amazonas, Mato Grosso, Goiás, Distrito Federal, Bolívia (planícies) e Peru (selva e litoral norte).

Continuar lendo

Acre

Governo institui a Comissão de Riscos Ambientais do Acre

Publicado

em

FOTO: SÉRGIO VALE

O governador Gladson Cameli criou, por meio de decreto publicado na edição desta terça-feira, 18, do Diário Oficial a Comissão Estadual de Gestão de Riscos Ambientais do Acre (CEGdRA). A comissão é resultado do Plano Nacional de Prevenção, Preparação e respostas Rápidas as Emergências Ambientais com produtos químicos perigosos firmado entre governo federal e os estados do país.

No decreto de criação, o governo lembra dos acidentes ocorridos em 2005 em toda a Amazônia em decorrência de secas extremas e baixa umidade do ar que causaram incêndios florestais e morte de animais em decorrência da ausência das chuvas e seca dos rios que atingiram milhares de famílias no Acre. Segundo o governo, há também a possibilidade de aumento de ocorrência de acidentes envolvendo enchentes, queimadas descontroladas, incêndios florestais, secas severas, desmatamentos e acidentes com produtos químicos perigosos e outros eventos de riscos ao meio ambiente decorrentes de atividades antrópicas, desastres naturais e dos efeitos das mudanças climáticas globais.

A CEGdRA é vinculada à Secretaria de Estado de Meio Ambiente (SEMA) e será composta por três Câmaras Técnicas denominadas: Câmara de Produtos Químicos Perigosos, Câmara de Queimadas descontroladas, Incêndios Florestais, Secas severas e Desmatamento e a Câmara de Enchentes.

A comissão será presidida pelo Secretário de Estado de Meio Ambiente, com a participação de representantes de quase todas as secretarias do governo. Prevê também a possibilidade de convite para que o Ministério Público e outros Poderes do Estado do Acre, órgãos e entidades públicas de outros níveis federativos e entidades privadas, que tenham competências sobre o assunto participem da comissão.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required
Propaganda
Propaganda

Leia Também

Mais lidas