Conecte-se agora

Guerra entre partidos pode decretar implosão do governo

Publicado

em

Mesmo sendo os dois partidos mais beneficiados com cargos com a chegada de Gladson Cameli ao poder, a guerra entre o PSDB e Progressistas poderá gerar uma crise descontrolada que poderá implodir o governo antes de 2020. A briga por cargos e também pelo protagonismo nas eleições municipais na capital do ano que vem fez com que tucanos e militantes do partido do governador fossem para as redes sociais expor toda ânsia de poder que geralmente são tratadas em gabinete.

O estopim para essa guerra foi o fato do governador Gladson Cameli prometer que exoneraria o secretário de Agricultura e Pecuária, Paulo Wadt, mas não cumprir e ainda afirmar que não aceitará pressão para tal ato. Isso fez com que a deputada federal Mara Rocha, (PSDB) acenasse com a possibilidade de abandonar a base de apoio do governo do Acre em Brasília e até mesmo a mudar o seu voto na Reforma da Previdência. Cameli quer contar com pelo menos sete votos dos oito deputados acreanos na Câmara e inclusive já teria usado esse argumento para conseguir benefícios com o presidente Jair Bolsonaro (PSL), como a manutenção de seu cunhado e irmão da primeira-dama, Ana Paula Cameli, Paulo Roberto Correia, na Superintendência da Sudam.

No último dia 17 a comitiva acreana liderada pelo governador se encontrou com o presidente da república Jair Bolsonaro (PSL), no Palácio da Alvorada, em Brasília (DF), e fez o pedido pelo seu cunhado causando desconforto nos parlamentares presentes. O ac24horas apurou que o presidente já estava com o decreto de exoneração de Paulo Roberto Correia, assinado sob a argumentação de que ele “era comunista”.

Durante a audiência, na presença dos parlamentares, antes de falar dos problemas do Estado, Gladson foi direto ao ponto. “Presidente, antes de mais nada, quero aqui, diante da minha bancada, lhe pedir um grande favor. O meu cunhado – Paulo Roberto Correia – não é comunista; é um profissional capacitado, que está sendo vítima de interesses de políticos que querem o seu cargo de superintendente. Por favor, mantenha ele na sua equipe que saberei lhe agradecer”, disse o governador ao se referir aos votos dos deputados e senadores em favor da reforma da previdência.

Bolsonaro, de fato, de acordo com os presentes na reunião demonstrou saber do que se trata e sorrindo falou que o governador salvou o cunhado da degola aos 45 minutos do segundo tempo e de imediato pediu a um assessor que estava na reunião que fizesse uma ligação para ele. E no telefone – não se sabe com quem falou -, determinou ordem expressa. “Olha, a demissão do comunista da Sudam eu quero que cancele. O cunhado dele está me garantindo que ele não é comunista e sim simpatizante do nosso modelo de governo”, teria afirmado o Chefe do Palácio da Alvorada. Depois de atender o pedido de Gladson, Bolsonaro continuou rindo e começou a despachar sobre os assuntos relacionados ao Estado.

O fato é que a manutenção de Paulo Wadt comandando o setor de agropecuária do Estado por decisão de Cameli gerou reações que vão além da guerra por espaço, mas sim pelas eleições do ano que vem, tanto que militantes dos Progressistas vendo uma brecha, resolveram atacar simultaneamente o vice-governador e sua irmã, a deputada Mara Rocha.

O ainda Superintendente do Ministério de Agricultura e Pecuária do Acre, Luziel Carvalho, que se lançou recentemente com suposto apoio de Cameli como pré-candidato a prefeito de Rio Branco, usou as redes sociais para espalhar vídeos lembrando o episódio em que uma Bíblia foi queimada na Universidade Federal do Acre, no período em que Minoru Kinpara era o reitor da instituição, com o objetivo de responsabilizá-lo pelo ocorrido. Esse caso gerou um bate-boca pelo WhatsApp com o vice-governador que foi exposto pelo ac24horas.

Outro fator para a crise entre as siglas ficar mais intensa foi o fato de pescadores fazerem um protesto em frente a Sede do Ministério de Agricultura e Pecuária pedindo a manutenção de Luziel no cargo. A informação que circulou é que Mara teria indicado o seu irmão, Pang Rocha. O ac24horas apurou que de fato o cargo foi disponibilizado pelo governo federal para a deputada, mas quem foi indicado teria sido um advogado identificado como Sérgio. A manifestação deixou o clima ainda mais tenso entre PSDB e Progressistas.

Momentos depois da divulgação das conversas entre Rocha e Luziel, Mara Rocha divulgou uma nota acusando membros do partido do governador de atacá-la nas redes sociais devido ela aparecer bem colocada na última pesquisa de intenção de votos realizada pelo Instituto Real Time Big Data, contratado pela TV Gazeta. No levantamento, Minoru e Mara aparecem liderando a preferência das intenções dos eleitores e isso teria causado a furia de Luziel e seu grupo que registraram apenas 1%. Outro ponto exposto por Mara para revolta de Progressistas seria o fato de ela cogitar ser candidata ao senado federal nas eleições de 2022, ameaçando assim a coalizão que poderia se formar em nome da senadora Mailza Gomes, que certamente será candidata a reeleição.

Mesmo com os ânimos entre governistas exaltados, o vice-governador Major Rocha tem ido a Assembleia Legislativa diariamente conversar com deputados no intuito de unir a base. Rocha informou a imprensa que “essa guerra exposta não é bom para ninguém. Devemos trabalhar para o governo dá certo”. Já Gladson, após a últimas declarações que não aceitaria pressões, resolveu não comentar mais o assunto.




Propaganda

Acre

Rio Acre vaza: volume da água desce 90 cm em Rio Branco

Publicado

em

A Coordenadoria Municipal de Defesa Civil (COMDEC) ampliou a distribuição do boletim do nível dos rios da Bacia Hidrográfica do Rio Acre com o avanço do período chuvoso na região.

O último boletim, divulgado na manhã deste sábado (7) mostra que todos os rios da BHRA estão vazando desde as cabeceiras, na Aldeia dos Patos, até as zonas mais altas. Houve falha de leitura em Porto Acre, última estação medidora da bacia em território acreano.

O Rio Acre desceu 90 centímetros nas últimas 24 horas em Rio Branco, maior vazante acumulada no período. Na Aldeia dos Patos vazou apenas 19 centímetros.

Veja:




Continuar lendo

Acre

Secretário de Educação, Moisés Diniz surpreende no Acre 2050

Publicado

em

Foto: Douglas Barros

O ex-deputado e atual secretário de Educação do município de Rio Branco, Moisés Diniz, foi a grata surpresa do Fórum Acre 2050, organizado pelos jovens Rodrigo Pires e Marcelo Zamora.

“Pra cocaína chegar em Londres ou Paris, ela tem que percorrer 13.400 km, incluindo 9.400 km de mar, mas, pra chegar ao Acre ela percorre apenas 100 km. Por isso, antes de discutir qualquer tema, precisamos vencer essa tragédia que tomou conta do Acre”, iniciou Moisés a sua fala.

O ex-deputado disse que os parlamentares federais do Acre precisam atuar como bancada e exigir as três forças armadas na fronteira.

“Todos nós estamos aguardando uma grande reunião da bancada federal, governador e prefeitos, Judiciário e MP, movimento social e igrejas e que envolva o Peru e a Bolívia. E só quem pode liderar isso é quem tem mandato”, cobrou Moisés.

Moisés Diniz também debateu assuntos ligados à Educação, pasta que ele dirige na capital.

“A prefeita Socorro Neri investe 16% da folha de pagamento dos docentes com educação especial, pra cuidar de nossas crianças com deficiência. O problema é que o FUNDEB não cobre essa despesa, já que garante recursos para pagar um professor para 20 a 30 alunos, da creche ao fundamental, mas, temos que colocar um professor mediador para uma ou três crianças. Quem paga essa conta? A sociedade sabe disso?”, questionou o secretário.

Moisés informou ainda que há um planejamento e um esforço para, até o final de 2020, ter todas as salas de aula com ar condicionado.

“Isso vai aumentar ainda mais nosso custo com energia. Hoje já gastamos 2,3 milhões de reais por ano. Por isso, estamos dialogando com a prefeita Socorro Neri sobre a possibilidade de instalar energia solar nas escolas”, informa o secretário.

Moisés diz que é possível instalar energia solar nas escolas gastando apenas o que já se gasta mensalmente e, após sete anos, ter energia gratuita nos estabelecimentos de ensino, durante dezoito anos, já que a validade do sistema fotovoltaico é de vinte e cinco anos.

O ex-deputado disse, ainda, que as escolas municipais estão no cinturão de periferia de Rio Branco, ressaltando a importância da merenda escolar que, em muitos bairros, é a principal e, às vezes, a única alimentação das crianças.

“Nossa merenda tem carne, leite, frango, ovos, uva, pera, banana, maça e melão, sendo uma referência de qualidade e nutrição, porque antes de aprender a ler, escrever e contar, nossas crianças precisam se alimentar com qualidade”, argumentou.

Moisés fez questão também de ressaltar sua independência ideológica com regimes ou com líderes autoritários, seja de direita, seja de esquerda.

“Não conheço nenhum regime autoritário que tenha sobrevivido na história. Os povos guardam melhor os exemplos de tolerância com o contraditório, de capacidade de diálogo e de construção de consensos, do que a truculência política e a arrogância ideológica”, concluiu.




Continuar lendo
Propaganda
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.