Conecte-se agora

Leila Galvão vira sonho de consumo do PDT

Publicado

em

A ex-deputada Leila Galvão (PT)  é o sonho de consumo político do presidente do PDT, deputado Luiz Tchê, que vai lhe propor que assuma o comando do partido no Alto Acre, tendo todos os poderes para a organização da sigla ao seu molde na região. Para Tchê, Leila seria a candidata ideal para disputar a prefeitura de Brasiléia na eleição do próximo ano. “Mas, ela pode escolher também em ser candidata á prefeita de Epitaciolândia, em 2020; a deputada estadual ou deputada federal, na eleição de 2022”, comentou ontem com o BLOG DO CRICA. Tchê disse que, já teve contatos anteriores com a ex-deputada, mas que vai reativar as conversas e reforçar o convite. Até aqui a ex-deputada não se pronunciou oficialmente sobre qual será a sua participação política em 2020. É descartado que venha a disputar a prefeitura de Epitaciolândia, segundo o BLOG DO CRICA pôde apurar junto a seus aliados mais próximos.

NENHUMA CONFIRMAÇÃO

A deputada Juliana Rodrigues (PRB) disse ontem ao BLOG desconhecer qualquer entendimento no sentido de que o ex-deputado Ney Amorim venha a assumir a presidência do PRB, no Acre. O boato passou a circular após comentários na ALEAC feitos por aliados de Ney.

FECHADO EM COPAS

O que o BLOG DO CRICA apurou ontem é que o ex-deputado Ney Amorim continua em Brasília e que, a definição de que partido vai comandar no Acre só será anunciado nesta sexta-feira.

MALANDRAGEM COMEMORA

A malandragem está em comemoração com a aprovação no Senado da Lei de Abuso de Autoridade. Pelo texto aprovado qualquer organização criminosa pode acionar um Juiz, um membro do STF, um Promotor ou Procurador, sob acusação de perseguição em um processo.

FALTA O PERFIL

Seria um nome ideal se fosse isento. Mas, por não ser, o vice-governador Major Rocha (PSDB) não tem no atual contexto o perfil para ser articulador político do governo. Já tem candidato à PMRB, para o Senado, o que lhe tira a imparcialidade nas discussões políticas com os partidos.

BRIGA CERRADA

Briga feia a entre os Rochas – Major Rocha e Mara Rocha – com o postulante a uma candidatura a prefeito da capital, Luziel Carvalho, com trocas de farpas pelas redes sociais e sites, acirrou ainda mais o cenário político. Pau que dá em Chico dá em Francisco, é o tom.

MINORU LONGE

O BLOG ouviu ontem uma das figuras mais ponderadas dos PROGRESSISTAS, sobre uma possível aliança com o PSDB, para disputar a prefeitura de Rio Branco. Pragmática na resposta: “apoiar o Minoru seria apoiar o PT e reconhecer que não temos nomes no partido”, assinalou.

CARA DO PT

Embora o vice-governador Major Rocha tenha declarado que o seu candidato a prefeito Minoru Kinpara esteja num processo de “descontaminação do PT”, a imagem do ex-Reitor continua colada ao petismo, bandeira que defendeu durante quase toda a sua militância.

DIFÍCIL DE ASSIMILAR

O que tenho notado também na conversa com dirigentes de vários partidos é que esta imposição do nome do ex-Reitor Minoru Kinpara sofrerá fortes reações entre os aliados do governador Gladson Cameli. Temem que Minoru ganhe e entupa a PMRB de amigos do PT.

CAVALO DE TRÓIA?

Kinpara é visto como uma espécie de “Cavalo de Tróia” do petismo entre a maioria dos partidos que elegeram o Gladson Cameli. Ou seja, seria uma forma camuflada do PT chegar à PMRB. Muito embora sejam meras ilações políticas, será difícil ser candidato de consenso.

FINA IRONIA

O deputado Marcos Cavalcante (PTB) respondeu ontem ataques do deputado Cadmiel Bonfim (PSDB), numa discussão sobre a Saúde em Feijó, na ALEAC, com uma fina ironia; “Vou chegar a Feijó e falar ao povo que o Cadmiel disse que não faltam médicos, não faltam enfermeiros, o atendimento é ótimo, não faltam medicamentos e que o Hospital não precisa de mais nada”.

ATESTADO DE FRACO

A minha afinidade com o secretário de Agricultura, Paulo Wadt, é zero. Nunca nem foi me apresentado, por isso meu comentário é político: “caso o Gladson aceite a pressão da deputada federal Mara Rocha (PSDB) para lhe demitir, passará atestado de ser um fraco”.

PEDIR PARA SAIR

Ora, ora, dona Aurora, se é para ficar todo o tempo sendo colocado na parede por cargos por políticos e cedendo a cada investida, melhor o Gladson deixar o cargo, porque não terá paz.

A NOSSA “MISTER M”

O “MR M” era um personagem misterioso de um programa da GLOBO sobre mágica, do qual não se conhecia a identidade. O personagem foi comparado ontem pelo deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) à secretária de Saúde, Mônica Feres, tão misteriosa como o Mr M.

PERDIDA NO JURUÁ

Dona Mônica Feres não foi poupada de outras críticas acidas e ironia. A deputada Antonia Sales (MDB), denunciou ontem na ALEAC que faltam médicos; o TFD não funciona, a Saúde não atende bem no interior e a secretária Mônica calada, não dá uma explicação, uma entrevista, não fala nada, como se estivesse tudo bem. E alfinetou: “se soltar a secretaria em Cruzeiro do Sul não sabe o caminho para Taumaturgo, Mâncio Lima, Rodrigues Alves, Porto Walter, porque nunca visitou as comunidades. Se não dá conta, peça para sair”, recomendou.

SERIA A LÓGICA

Qual seria a lógica de quem assume uma secretaria complicada como a Saúde? Se enfurnar no HUERB, nos hospitais do interior, para ver de perto as carências de cada unidade hospitalar. A secretária Mônica Feres simplesmente assumiu o cargo e ficou enfurnada no seu gabinete.

FRASE VERDADEIRA

“Se alguém vier me dizer que a Saúde está funcionando bem, estará mentindo”. A frase foi dita pelo governador Gladson Cameli em uma reunião com os deputados. Foi bem verdadeiro.

COMO OS MARGINAIS GOSTAM

Na Delegacia de Assis Brasil faltam policiais, não tem Delegado, não tem viaturas, telefone, enfim um quadro para o qual a malandragem está batendo palmas. A denúncia do descaso foi feita ontem na tribuna da ALEAC pelo deputado Roberto Duarte (MDB). Santo Antonio!

NÃO SE PODE CALAR

Que a saúde nos últimos quatro anos do governo passado foi uma merda já se sabe. Esperava-se que mudasse o quadro para melhor. Já se foram 6 meses. Se um infartado chegar ao HUERB é precisar de medicamentos trombolíticos morre. Não há no estoque. Não se pode calar. É um descaso. Quem garante é o médico e deputado Jenilson Lopes (PCdoB).

PORTA NA CARA

O presidente da associação dos moradores rurais de Brasiléia, o açucar, reclama que não aguenta mais levar porta na cara do secretário de Agricultura, Paulo Wadt. Quer apresentar um projeto de agregar valor ao açaí. A reclamação foi feita ao deputado Daniel Zen (PT).

PODE ESQUECER

O governador Gladson Cameli pode até ter prometido como revelou ontem na ALEAC, o deputado Cadmiel Bonfim (PSDB), que contrataria os Bombeiros Militares que ficaram no cadastro de reserva do último concurso. Agora, não vai contratar, pois, estouraria o limite de gastos com pessoal, ferindo a Lei de Responsabilidade Fiscal. E responderia por improbidade.

ATÉ QUANDO?

O deputado Gerlen Diniz (PROGRESSISTAS) considera que o sistema de segurança continua precário e fez ontem na ALEAC, a mesma pergunta que já tinha feito ao governo passado, num protesto contra a violência na capital: “Até quando?”. Encaminho a resposta ao Major Rocha.

DISPUTA DE PODER

Para a oposição o que acontece hoje no governo Gladson Cameli é uma disputa interna de grupos de aliados para saber quem tira mais vantagens e manda mais na administração.

SITUAÇÃO SURREAL

O governo Gladson teve alguns avanços nestes seis meses, mas não pode fazer peças publicitárias por falta de amparo legal aos pagamentos, enquanto não se resolver a situação da mídia. Ao não divulgar os seus feitos é o único prejudicado. Incrível, parece que acha é bom.

É A DISCUSSÃO

Não está em discussão a legalidade do fato da empresa Murano ter papado até aqui todos os projetos para a construção de obras no Estado, mas sim não se fazer licitação para empresas do Estado participarem. A Murano tem pegado as obras nas famosas “caronas de licitações”.

Anúncios

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas