Conecte-se agora

Ney Amorim foi mais um enfeite no governo

Publicado

em

A saída do secretário Ney Amorim do governo tem componentes que não podem ficar restritos aos corredores palacianos. A justificativa que saiu num consenso com o governador Gladson Cameli foi a versão cômoda. No popular, o surrado jogo para a platéia. Na realidade, a queda do Ney se dá porque não foi o protagonista político no contexto que lhe foi prometido. Foi um “articulador político” apenas no nome do cargo, mas não na prática. Como é que iria ser o articulador político do governo apenas no surreal, sem o poder de encaminhar numa conversa com os parlamentares uma indicação para nomear nem um vigia? Esperava-se que pelo seu potencial, ele fosse bem aproveitado no governo, depois do belo trabalho que culminou com a eleição do deputado Nicolau Junior (PROGRESSISTAS) para a presidência da ALEAC. Deram-lhe uma salinha sem nenhum poder. Estava mais como um enfeite num espaço próximo ao gabinete civil. Falando para as paredes. Então, o Ney Amorim fez o que deveria ser feito por alguém que se vê subaproveitado e que tenha o sentimento de pudor: pedir para sair. Saiu sem briga e vai buscar novos caminhos no comando de um partido político, onde deverá abrigar o seu grupo e se preparar para a eleição de 2022. Politicamente, este é um governo embaralhado. Alguém pode até não gostar do Ney, mas da nova geração é um dos políticos mais habilidosos que conheço. E governo Gladson Cameli só perde com o episódio.

QUEM É O ARTICULADOR POLÍTICO?

Afinal, quem é o articulador político do governo? É o grande mistério. O Ney Amorim já saiu. O Vagner Sales também pulou fora. O Alysson Bestene não tem este perfil, e seu cargo de secretário Institucional é uma compensação pela perda da Saúde. E a função ficou à deriva.

COMENTÁRIO NADA OFICIAL

A informação que corria ontem nos bastidores, que dou com ressalvas, por não ser oficial, é de que Ney Amorim estaria se filiando ao PR, partido do qual ficaria como presidente, levando consigo vinte vereadores, dois prefeitos e a promessa que sairá a deputado federal em 2022.

NADA MAIS QUE OBRIGAÇÃO

Quando o governador Gladson Cameli promete repassar pouco mais de 800 mil reais para a prefeitura de Sena Madureira não está fazendo mais que a sua obrigação de levar melhorias ao município, onde foi disparado o mais votado. E com o apoio do Mazinho Serafim. Ponto final.

DUPLA DO BARULHO

A articulação para a ida do vereador Emerson Jarude para o MDB formar chapa com o deputado Roberto Duarte (MDB) na disputa da prefeitura de Rio Branco dará uma dupla do barulho. No bom sentindo, são atuantes na Câmara Municipal de Rio Branco e na ALEAC.

ALFINETADA

O governador Gladson Cameli deu uma bela de uma alfinetada na candidatura do deputado Roberto Duarte (MDB), ao soltar de que o Minoru Kinpara é um bom candidato a prefeito.

TERÁ QUE SE ACOSTUMAR

O governador Gladson Cameli terá que se acostumar com a ideia de que um dos principais opositores ao seu governo na ALEAC, deputado Roberto Duarte (MDB), não arredará de disputar a prefeitura da capital, por ser esta uma decisão já tomada pela direção do MDB.

SAIA JUSTA

Os que ficarão numa saia justa serão os peemedebistas do primeiro escalão no governo, Eliane Sinhasique, Maria Alice, Pádua Bruzugu e Roberto Feres. Numa eleição para prefeito da capital, vão com que roupa: apoiar o candidato do Gladson Cameli ou candidato do MDB?

CANDIDATO A FEDERAL

O deputado Jonas Lima (PT) está inclinado em disputar uma das vagas de deputado federal. Cansou da ALEAC. Já teve conversa com a primeira suplente Leila Galvão (PT), para uma dobradinha em 2022. Jonas pode se afastar para a Leila assumir o mandato por um período.

SITUAÇÃO INCÔMODA

O governador Gladson Cameli está numa situação incômoda: não pode fazer uma campanha publicitária sobre sua administração nestes seis meses, porque não tem licitação. E por isso não pode pagar. A disputa pelo pacote publicitário terminou em recursos e o final está longe.

CONFUSÃO DE METRO

A disputa das 14 empresas para ficar com o bolo publicitário do governo ainda vai dar confusão de metro. Enquanto isso a equipe econômica comemora a economia com a mídia. Os senhores empresários da comunicação não esperem uma solução tão cedo. Eu acho é graça.

FIM DO FAROESTE

A equipe da Segurança deu uma bela de uma freada na cidade de Sena Madureira, tirando de circulação as cabeças das quadrilhas que aterrorizavam a cidade. Tinha virado um faroeste.

FUNDADOR DO PT

O Arcebispo Dom Moacyr Grechi, que faleceu em Rondônia, teve uma atuação política ostensiva no Acre, onde foi a pedra basilar para a fundação do PT, patrocinando a criação das Comunidades Eclesiais de Base e condições financeiras para embalar o partido no nascedouro.

PETISTA DE CARTEIRINHA

Dom Moacyr Grechi, nos idos tempos do PT, foi um dos chamados petistas de carteirinha.

GERAR EMPREGOS OU LUCRO?

No governo passado era cobrada uma taxa de donos de restaurantes pelos dias na EXPOACRE de mil reais. Neste governo subiu para dois mil reais. É uma feira para gerar empregos ou para o governo lucrar? Num Estado com alto índice de desemprego foi uma decisão desfocada.

VAMOS COLOCAR NO DEVIDO LUGAR

Vamos colocar a pesquisa da RECORD na verdadeira leitura que deve ser feita. O governo Gladson teve apenas 37% de aprovação. 9% de Ótimo e 28% de Bom. Não se soma numa pesquisa o Regular. Ou seja, houve uma queda no pouco mais de 50% com que foi eleito. Este é um ponto.

HÁ QUE SE SEPARAR

O governo ficou numa avaliação mediana de 37%, abaixo do ideal. Quando uma maioria esmagadora diz que votaria no Gladson Cameli de novo não é uma aprovação ao seu governo, mas uma clara demonstração que o PT continua num inferno astral de popularidade. E que entre ele e o PT continua preferindo ele. É bom deixar a situação bem clara para não misturar.

PARA SE PREOCUPAR

Os números do governo no setor Segurança não foram nada favoráveis ao Gladson Cameli. 50% consideram que a Segurança está igual a do governo passado, que foi um fracasso. E 27% acham que no atual governo é pior. Traduzindo para o popular, a maioria está descontente.

TAMBÉM PARA SE PREOCUPAR

Pouco difere em termos de rejeição a Segurança da Saúde pelos entrevistados. É só ler os números de maneira fria. 52% dos ouvidos acharam que a Saúde está igual ao no governo anterior, que foi um desastre. E 25% que piorou. Os que aprovam são uma minoria.

CORREÇÃO DE RUMO

Ficou assim claro de que o governo Gladson Camelin tem que mudar a estratégia na Saúde e Segurança porque a maioria na pesquisa considerou que não houve uma melhora. É preciso saber ler os números de pesquisa para não ficar divagando no que não é a realidade.

O QUE TEM DE FICAR NA CABEÇA

O que tem ficar na cabeça do Gladson Cameli é que o céu não é de brigadeiro. O seu governo tem apenas 37% de aprovação e a população está descontente com os caminhos da Segurança e Saúde, que prometeu mudar durante a campanha. Isso é que tem que se preocupar.

NÃO POSSO SER AGRADÁVEL

Não vou fazer uma leitura errada inversa só para ser agradável ao governador.

FICOU PATENTE

O que também ficou muito patente na pesquisa da RECORD é que os entrevistados não estão com saudade do PT no poder. O que é uma preocupação para a eleição do próximo ano. Isso fica claro que, com todos os tombos iniciais ainda preferem o Gladson Cameli ao petismo.

PESQUISA É MOMENTO

Pesquisa retrata apenas um momento, é como as nuvens que mudam, vale para o momento.

Propaganda

Blog do Crica

Petecão e Gladson em palanques diferentes

Publicado

em

Esqueça uma candidatura única á prefeitura de Rio Branco no campo do governo no próximo ano. O senador Sérgio Petecão (PSD) sinalizou ontem ao BLOG DO CRICA de que não apoiará o chapa à PMRB chancelada esta semana pelo governador Gladson Cameli, formada por Minoru Kinpara (PSDB) a prefeito e Alysson Bestene (PROGRESSISTAS) de vice. Petecão adiantou de que trabalha com duas vertentes, uma de estar ao lado da candidatura do deputado Roberto Duarte (MDB) e a outra mais robusta, de tentar formar uma aliança com a prefeita Socorro Neri (PSB), numa possível disputa à reeleição. Petecão rebate críticas de dirigentes de partidos aliados de que a prefeita “é do PT”. “Isso é uma bobagem, a militância da Socorro Neri e da sua família sempre foi no MDB, sua mãe Adelaide Neri foi, inclusive, deputada federal do MDB. PT é o Minoru. Aliás, o Minoru é mais PT que o Jorge Viana. O Jorge ainda passou pela ARENA, já o Minoru é petista puro de raiz”, detonou. Petecão vislumbra até uma chapa formada por Socorro Neri (PSB) e Marfisa Galvão (PSD): “uma chapa de mulheres dentro de um eleitorado feminino, que é majoritário no Acre, seria competitiva”, prevê. Mas, ressalva de que este assunto de aliança política só deverá levar ao debate em 2020, este ano a sua dedicação exclusiva é a montagem de uma boa chapa de candidatos a vereadores.

NÃO ESTÁ ERRADO
O senador Sérgio Petecão (PSD) não está errado ao se negar a subir no palanque do candidato à PMRB apoiado pelo governador; ele tem de buscar um caminho próprio, porque se o Gladson sair para o Senado, ele deverá apoiar o vice Major Rocha à sua sucessão, o que bateria de frente com seus interesses, pois, não é segredo que Petecão tem como meta o Governo.

DESLEALDADE ZERO
O fato do senador Sérgio Petecão (PSD) e seu grupo e do MDB do deputado federal Flaviano Melo trilhar caminhos diferentes do Gladson Cameli em 2020, não deve ser visto como deslealdade, a aliança política que o levou ao governo se findou após o resultado eleitoral.

QUESTÃO DEFINIDA
Dentro do MDB é questão definida de que o partido terá candidato próprio a prefeito da capital. E a posição deve ser respeitada como um direito legítimo de escolher seu caminho.

ACABAR COM O AMÉM E SIM SENHOR
E ademais porque o Gladson Cameli foi eleito governador e não capataz dos partidos que lhe elegeram. Com o fim das coligações proporcionais há quase que uma obrigação de que os partidos tenham chapas próprias a prefeito para dar palanque aos candidatos a vereadores.

NINGUÉM É DONO DOS VOTOS
É falsa a idéia de que pelo fato de ter ganhado a eleição no primeiro turno, o candidato que o Gladson colocar a mão no ombro está eleito. Quem votou no Gladson votou pela mudança política, pela sua simpatia, por esperança, mas não necessariamente vota em quem mandar.

ASSUNTO DELICADO
Com quem vai a prefeita Socorro Neri para o palanque se for disputar a reeleição? Com o grupo político do PT que foi varrido nas urnas na última eleição e que continua altamente desgastado, ou vai buscar forças alternativas como o PSD para uma aliança? É o dilema.

OPINIÃO DO BLOG
A prefeita Socorro Neri faz boa gestão. Não se conhece dela um deslize administrativo, mas se ela optar para a direção de aceitar um vice indicado pelo PT, automaticamente, estará colando a sua imagem ao desgaste do último governo. Não escaparia da contaminação política.

 ATÉ AQUI CALADA
Até aqui a prefeita Socorro está em silêncio sobre o que pensa das alianças para 2020. Diz que só discute o assunto no próximo ano. Mas hoje ou amanhã não vai ter como fugir do dilema de optar por uma parceria com quem foi varrido nas urnas ou por forças políticas sem desgaste.

NÃO TEM TERCEIRO TURNO
O pessoal que não votou no Bolsonaro continua a choradeira na rede social. Não tem terceiro turno, vão ter que se acostumar, gostem ou não dos seus seus rompantes, e esperar 2022.

NADA SE RESOLVE ESTE ANO
Na verdade ninguém espere que este ano se conheça como estarão posicionadas todas as pedras no tabuleiro da sucessão municipal, isso só acontecerá na realidade em 2020.

LIMITADOS AOS DISCURSOS
Não embarco na corrente dos que condenam os parlamentares federais que não abriram mão das suas emendas para serem geridas pelo governo. As emendas são os seus orçamentos, se abrirem mão da gerência terão os seus mandatos limitados apenas aos discursos na tribuna.

UNANIMIDADE NA IMPRENSA
Nas conversas com os colegas se chega á unanimidade em relação ao governador Gladson Cameli no tocante à liberdade de expressão. Diferente dos governadores petistas, rancorosos, que derramavam bílis a qualquer crítica e saiam processando, Gladson prima pela democracia.

MESMO COMPORTAMENTO
Nestes dez meses de governo traçou o perfil da tolerância. Não muda o seu comportamento afável com os que o criticam, e isso é muito bom, até porque os que bajulam, em nada colaboram para que o seu governo venha a dar certo. A crítica lhe mostra os fatos negativos.

FALANDO NISSO
Ontem, pipocaram queixas na rede social de que faltava médico no Pronto Socorro. Não pode!

NEM TENTEM ME EXPLICAR
Nem tentem me explicar porque não vão me convencer de que isso é necessário: nos fins de semana um batalhão de fiscais do RBtrans disputando quem mais aplica multa aos motoristas que estacionam os seus carros ao longo do mercado central. É a ânsia de multar e faturar!

O QUE EU POSSO FAZER?
Na última entrevista ao “Boa Conversa”, no ac24horas, o ex-deputado federal Sibá Machado (PT) voltou a defender as teses de que a CIA esteve por trás da derrubada da Dilma e treinou o Sérgio Moro para levar o Lula à prisão. O que eu posso fazer? Só não crer no seu complô.

 PREFIRO O SIBÁ COM SUA CIA
Sinceramente, não creio nas teses mirabolantes do Sibá Machado, mas prefiro o político que tenha idéias, posições assumidas, as mais estapafúrdias que possam ser, do que os dissimulados e que ficam em cima do muro. Na política você tem que ter lado e convicção.

FALTA MARCAR A DATA
Como o BLOG já antecipou é apenas questão de marcar a data para a filiação do ex-deputado Ney Amorim e seu grupo político no PSD. Com força eleitoral na capital, fortalece muito o PSD.

APRESENTANDO RESULTADOS
Continuam os assaltos, roubos de carros, tiroteios, mais a polícia não tem se mostrada omissa no combate aos bandidos, todo dia é carro ou moto roubados recuperados, marginais presos, drogas apreendidas, pelas ações da polícia Civil e pela PM. O que move tudo é a droga.

AINDA FALAM EM SANEAMENTO
O governo Gladson Cameli vai pagar mais de R$ 384 milhões de dívidas deixadas pelos governos petistas, e ainda há quem tenha a coragem de vir dizer que o Estado estava saneado.

OPOSIÇÃO COM RESPEITO
Pode-se afirmar com certeza que a oposição na ALEAC não é formada por um bando de porraloucas, mas por um grupo qualificado e que exerce o papel que a urna reservou, com vigor na tribuna, mas sem ofensas morais ao governo do Gladson Cameli. Isso é certo.

NÃO É OMISO
O deputado federal Alan Rick (DEM) é quem mais tem destinado recursos à Saúde. Ainda agora acaba de encaminhar 400 mil reais ao Hospital do Amor. Colocou R$ 1,7 milhão para o Hospital do Câncer no Acre. Garantiu R$ 10,5 milhões para a reforma e ampliação do Hospital João Câncio Fernandes, em Sena Madureira.  E 500 mil para a UPA da Cidade do Povo. Atua na área.

ELEITOR É DANADO
Na última eleição para vereador o colega Evandro Cordeiro tinha como cabo-eleitoral certo o Chocolate, dono de um forró. Pois bem, na semana que antecedia a eleição, o Evandro tocou atabaque até o amanhecer no forró. Ao final, quase desmaia: o Chocolate pôs a mão no seu ombro e lhe disse em tom choroso que, infelizmente tinha fechado com outro candidato.

VALIDADE VENCIDA
Não há muito ao PROGRESSISITAS para comemorar a filiação de cinco prefeitos na sigla, porque todos estão com prazo de validade vencida, os seus mandatos terminam no fim do próximo ano. E não há a garantia de que serão reeleitos pelo fato de mudarem de partido.

UMA ALIANÇA FISIOLÓGICA
A entrada no PROGRESSISITAS de cinco prefeitos, todos ex-integrantes da Frente Popular do Acre comandada pelo PT, mostra que a aliança que vigorou por 20 anos se sustentou na barganha de cargos e foi só o PT sair do poder, que foi abandonado. Era uma aliança fisiológica.

NENHUM
Se o PT tivesse ganhado a eleição, sabem quantos destes prefeitos iriam para o PROGRESSISITAS? Nenhum! Mas a política é assim: o poder é um afrodisíaco.

FRASE DO DIA
“Em política, se trai o país ou o eleitorado. Prefiro trair o eleitorado”. Charles de Gaulle, estadista francês.

Continuar lendo

Acre 01

Gladson Cameli anuncia chapa Minoru Kinpara com Alysson Bestene para a prefeitura da capital

Publicado

em

Em entrevista ontem ao BLOG DO CRICA, o governador Gladson Cameli fez duas revelações que vão mexer com a composição de forças no seu campo político, na eleição para prefeito da capital, no próximo ano: a primeira é que o PROGRESSISTAS, seu partido, vai fazer aliança com o PSDB. A segunda, é que a chapa deverá ser formada por Minoru Kinpara (PSDB) e Alysson Bestene (PROGRESSISTAS). “Mais na frente vamos discutir quem será a cabeça da chapa”, destacou Cameli. Mas, como o secretário Alysson Bestene (PROGRESSISTAS) não tem nenhuma densidade eleitoral em Rio Branco, a dedução lógica a que se pode chegar é que ele será o vice de Minoru Kinpara. “Esta aliança é para deixar claro que eu e o vice-governador Rocha estamos juntos e afinados para a disputa eleitoral de 2020”, enfatizou o governador. Mas, Cameli descarta a notícia de que está de malas prontas para filiar-se ao PSDB: “Isso não existe, é boato, vou continuar filiado ao partido PROGRESSISTAS,” garantiu o governador Gladson Cameli ao BLOG. A decisão isola o MDB. Que se recusa entrar nesta aliança.

 

CONVERSA COM FLAVIANO MELO

Gladson disse ainda ao BLOG que, viu com ironia de que para reunir com o MDB tem que enviar um comunicado ao presidente e deputado federal Flaviano Melo, e ao líder do MDB na ALEAC, deputado Roberto Duarte “É bem capaz de me reportar a um líder de bancada, se tiver que falar com o MDB, eu falo com o Flaviano Melo”, comentou o governador com ironia.

QUERO QUE SEJA FELIZ

O governador destacou ainda na conversa de ontem com o BLOG DO CRICA que se o deputado Roberto Duarte (MDB) pensar que o atacando na ALEAC vai atrapalhar a sua administração, está enganado, e foi enfático: “Pode criticar quanto quiser, não vai me atingir, que seja feliz”.

QUESTÃO FECHADA

O presidente do MDB, deputado federal Flaviano Melo, já deixou claro que em hipótese alguma o partido deixará de ter candidatura própria á prefeitura da capital. E que o nome fechado é o do deputado Roberto Duarte (MDB). Duarte já disse aceitar a missão do partido.

CANDIDATO INDEPENDENTE

O deputado Roberto Duarte (MDB) deve encarnar na campanha o papel de uma candidatura independente do governo Gladson Cameli e da prefeita Socorro Neri, caso esta dispute a reeleição. Quer com isso se colocar como um projeto político alternativo aos dois pólos.

VOTO VENCIDO

Mesmo dizendo que o deputado Roberto Duarte (MDB) sendo candidato, este terá o seu apoio, o senador Márcio Bittar (MDB) não esconde que gostaria de ver a sigla numa aliança com o governador Gladson na disputa da PMRB. Mas tem a certeza ser voto vencido no MDB.  

QUEBRA A UNIDADE

A decisão fechada do MDB quebra qualquer possibilidade dos partidos do campo político do governador Gladson Cameli de entrarem na eleição á PMRB, com uma candidatura única a prefeito. A meta do MDB é buscar uma aliança com o PSD do senador Sérgio Petecão.

MIRANDO 2022

A aliança do MDB e do PSD é mais provável de acontecer porque, ela mira 2022. Se o Gladson disputar o Senado, Petecão (PSD), automaticamente, por ser um nome muito forte, disputará o governo. E a hipótese acontecendo, o vice Rocha também vai querer ser candidato ao Governo. São projetos conflitantes. Por isso, esqueçam o PSD junto com o PSDB em 2020.

NOVO COMANDO

O presidente da ALEAC, deputado Nicolau Junior (PROGRESSISTAS) é quem vai comandar de agora em diante as relações políticas com os deputados, já tendo deixado isso claro aos parlamentares. Os projetos do governo deverão ser discutidos arduamente antes da votação.

VITÓRIA PELO DIÁLOGO

O deputado Nicolau Junior (PROGRESSISTAS) considera o diálogo com todas as correntes políticas da ALEAC, importante porque pelo diálogo se poderá chegar às vitórias nas votações dos projetos que forem enviados pelo governo. É contra o confronto, para evitar derrotas.

NÃO VAI DESARQUIVAR

Para o presidente Nicolau Junior a meta agora é aprovar o projeto que pede autorização para o governo negociar a dívida estatal. Isso é importante, por o governo ter dívidas a pagar do governo passado. Serão desembolsos de 90 milhões de reais em outubro, 70 milhões em novembro e 90 milhões em dezembro. Sem computar o enviado ao ACREPREVIDÊNCIA.

NADA COR DE ROSA

Nada cor de rosa, mas negra é a situação financeira do PT. O partido tem 1 milhão de reais de dívidas da campanha e sobra ao fim do mês 5 mil reais em caixa para quitar a pendência. Para segurar um abacaxi deste tamanho, só o Cesário Braga para aceitar continuar presidente.

O PT ERROU NA SOBERBA

Em entrevista ao programa “Boa Conversa”, que apresentamos no ac24horas com o Astério Moreira, o ex-deputado federal Sibá Machado (PT) disse que o PT errou na estratégia e por isso foi derrotado. Para ele, a soberba subiu a cabeça do PT ao lançar dois nomes ao Senado.

NÃO DESARQUIVA

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Nicolau Junior (PROGRESSISTAS), não vai desarquivar o projeto do governo que propunha modificações na LDO, decisão tomada pelo presidente em exercício, deputado Jenilson Leite (PSB). Resta ao governo recorrer à justiça.

ATITUDE DESENCORAJADA

O governo está convencido em não recorrer à justiça, pois, dificilmente ganharia a contenda.

BEM HUMORADO E OTIMISTA

Mesmo desfiando um rosário de dívidas, o governador Gladson Cameli se mostrou ontem na coletiva com a imprensa, otimista e bem humorado. Otimismo virou a sua marca registrada.

VÃO TRABALHAR

Estes prefeitos que estão entrando no PROGRESSISTAS não vejam a filiação como a varinha de condão que garantirá as suas reeleições. Vão trabalhar! Se quiserem garantir novo mandato.

APOSTANDO NO SUCESSO

O secretário de Agricultura, Paulo Wadt, acredita que o agronegócio vai deslanchar no governo Gladson Cameli, porque o Acre tem as terras mais ricas do Brasil O governo já deu o seu primeiro passo adotando benefícios fiscais para quem quiser investir na agricultura.

A QUESTÃO É O QUE PENSA A POPULAÇÃO

A última pesquisa mostrou números baixos de aceitação popular para o trabalho das equipes da Saúde e da Segurança. Os avanços acontecidos na Segurança, a que indicam os percentuais, não chegaram ainda à população ao ponto desta considerar que aconteceu alguma melhoria.

CORRENTES DIVERGENTES

Há hoje no PT três correntes com posições divergentes sobre como o partido deve se posicionar na eleição para a prefeitura de Rio Branco: a primeira de apoiar a prefeita Socorro Neri. A segunda, de ter candidatura própria. E a terceira para que fique fora do processo.

MAIS FRACA

A corrente mais fraca é a de que o PT tem que ter candidato próprio á PMRB, porque os nomes com densidade não querem encarar a disputa e ainda pelo fato do poder estar com o caixa baixo e pela primeira vez nos últimos 20 anos, irá para uma eleição fora da força do poder.

OPOSIÇÃO PREPARADA

Esta legislatura tem quatro deputados que, não são só bons oradores, mas conhecedores do Regimento Interno que, quando bem usado serve de contraponto á base majoritária do governo. Daniel Zen, Edvaldo Magalhães, Roberto Duarte e Jenilson Leite, são craques.

SURPRESA

A posição do líder da prefeita na Câmara Municipal de Rio Branco, vereador Rodrigo Forneck (PT), sendo contra o reajuste no preço das passagens de ônibus foi vista com surpresa. Não se sabe se é uma posição isolada, mas se um sinal que a prefeita Socorro não quer o reajuste. 

DISCURSO ESPERADO

Era para ser na quarta-feira o discurso anunciado pelo ex-líder do governo na ALEAC, deputado Luiz Tchê (PDT), falando sobre o episódio dos vetos e cercado de mistério. Tchê não quis dar qualquer pista sobre em que pontos, ele pautará o pronunciamento, na próxima terça-feira.

MAIS LEVE

Ontem. Numa conversa com deputados e a qual este BLOG presenciou, o deputado Luiz Tchê (PDT) se disse bem “mais leve” desde que deixou a liderança do governo na ALEAC.

FALTOU UM NOME

Na última pesquisa sobre a corrida para a prefeitura de Rio Branco faltou inserir nas consultas o nome da deputada federal Vanda Milani (SD), que tem compromisso fechado com a direção nacional que será candidata, e que é um dos nomes mais qualificados postos para avaliação.

FRASE DO DIA

“Podemos escolher o que semear, mas somos obrigados a colher aquilo que plantamos”. Provérbio chinês.

 

  

Continuar lendo
Propaganda

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.