Conecte-se agora

Mineiro cai em ‘golpe do amor’ e resolve voltar a pé para MG

Publicado

em

Desempregado, sem dinheiro e sem moradia fixa, homem apostou a sorte em um namoro virtual para mudar de vida e só depois de viajar 4.441 km descobriu que foi vítima de um golpe.

Júlio Cesar da Silva, de 27 anos, é natural da cidade mineira de Juiz de Fora e conheceu uma mulher em Cruzeiro do Sul no Acre por meio de uma rede social, ele conta que o namoro virtual começou no natal de 2018 e depois de algumas conversas a mulher lhe convenceu a vir embora para a cidade acreana para viverem juntos.

Desde que chegou na cidade em Janeiro de 2019, Júlio conta que nunca viu a mulher com quem falava todos os dias. Quando tentou contato com ela por telefone foi tratado com desprezo e ignorado. Sem ter para onde ir o homem conta que ficou morando na rua até tomar a decisão de voltar para Minas Gerais depois de seis meses tentando conhecer a mulher com quem pensou que ia viver junto

“Ela me prometeu muitas coisas, eu estava confiante que tinha encontrado a pessoa da minha vida, minha vida ia mudar e depois de seis meses vivo esse pesadelo. Ela só falou comigo por telefone me tratou mal e nem quis me ver”, lamenta.

Ainda segundo Silva, chegou a ir até a casa da mulher amada, mas não a encontrou. “Ela me deu toda a segurança que íamos viver juntos, me deu todos os dados juntos de telefone dela, endereço da casa, mas acabou que ela me enganou,” conta entristecido.

Apesar da desilusão, César afirmou que não tem raiva da garota e quer que ela seja feliz. “Apesar do que aconteceu eu quero dizer para todas as pessoas e para a família dela que eu não tenho raiva dela e que nem penso em fazer mal a ninguém, só vim porque ela me chamou. Quero que ela seja feliz e siga a vida dela, apesar de não tê-la conhecido”, disse.

O mineiro não esperou ajuda e resolveu seguir a pé pela BR-364, na esperança de encontrar alguém que lhe dê uma carona para chegar até sua cidade Juiz de Fora.

 

Propaganda

Destaque 6

IPCA: Inflação terá novo cálculo a partir de janeiro de 2020

Publicado

em

A partir de janeiro de 2020, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) vai pesquisar a variação nos preços de 56 novos elementos. Os produtos e serviços usados para medir a inflação oficial do país serão atualizados para acompanhar as mudanças nos hábitos de consumo da população. A divulgação está prevista para início de fevereiro.

Novas tendências, como transportes por aplicativo e serviços de streaming, passando por tratamento e higiene de animais domésticos, até produtos de consumo rápido, como macarrão instantâneo, serão incluídas na lista.

Serviços relacionados à vida saudável e estética, como sobrancelha, cabeleireiro e barbeiro, depilação e atividade física, também passarão a fazer parte do cálculo. Já itens que perderam espaço ou foram excluídos do orçamento das famílias, como aparelhos de DVD, assinatura de jornais e máquinas fotográficas, serão retirados da pesquisa.

A Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) 2017-2018, que atualizou os hábitos de consumo, despesas e renda das famílias, é quem embasa as mudanças nos componentes da inflação. Com 377 produtos e serviços, a nova estrutura de ponderação do IPCA traz seis subitens a menos que no modelo atual, baseado na POF 2008-2009, e em vigor desde janeiro de 2012.

“Ficamos muito tempo sem ter uma POF e temos uma mudança cada vez mais rápida no padrão tecnológico. Tivemos a saída de alguns itens que realmente não encontramos mais. Ao mesmo tempo, tivemos a entrada de produtos que estão no cotidiano de milhões de brasileiros”, explicou o gerente de Índice de Preços do IBGE, Pedro Kislanov.

O IPCA reflete a cesta de consumo das famílias com rendimento mensal de um a 40 salários mínimos e abrange dez regiões metropolitanas do país, além dos municípios de Goiânia, Campo Grande, Rio Branco, São Luís, Aracaju e Brasília.

Transportes passam a ter mais peso no IPCA que alimentação

O grupo transportes será pela primeira vez o principal componente da inflação, com 20,8% do indicador, apesar de reduzir sua representação, que era de 22%. O grupo superou alimentação e bebidas, que diminuiu a participação de 22% para cerca de 19%.

O transporte público apresentou redução, passando de 4,50% para 3,16%. Adicionalmente, foram incorporados bilhetes de integração de transporte público (0,07%) e transporte por aplicativo (0,21%). Também nesse grupo, o peso de 11,66% do veículo próprio indica o comprometimento dos orçamentos das famílias com produtos e serviços como emplacamento, seguro e estacionamento.

Já o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que calcula a inflação das famílias com rendimento de um a cinco salários mínimos, seguiu com alimentação e bebida como o grupo de maior peso, porém reduzindo sua participação de 27,3% para cerca de 21,5%. Assim como no IPCA, transportes teve ganho de participação de cerca de 1,8 ponto percentual, chegando a 20%.

“O aumento no peso do transporte pode ser explicado pela menor quantidade de opções desse serviço, enquanto na alimentação, as famílias tem mais facilidade em trocar alguns produtos por outros, para economizar”, explicou o gerente de Índice de Preços do IBGE.

*Com informações da Editoria Estatísticas Econômicas da Agência IBGE de Notícias.

Continuar lendo

Destaque 6

Semana terá três sorteios da Mega-Sena

Publicado

em

Não houve sorteio da Mega-Sena neste sábado (12), em função do feriado que celebra o Dia de Nossa Senhora Aparecida e o Dia das Crianças.
A próxima semana, em compensação, será recheada: além do prêmio está acumulado, com previsão de R$ 30 milhões para o concurso 2.197, serão realizados três sorteios: na segunda (14), na quarta (16) e no sábado (19).

Como ninguém acertou as seis dezenas no concurso 2.196 , realizado na última quarta, o prêmio para o próximo sorteio acumulou.
Na próxima segunda, as dezenas serão sorteadas às 20h, em São Paulo, no Espaço Loterias Caixa, localizado no Terminal Rodoviário do Tietê.

As apostas podem ser feitas normalmente até as 19h (horário de brasília) em qualquer casa lotérica credenciada pela Caixa em todo o País. O bilhete simples, com seis dezenas, custa R$ 3,50.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.