Conecte-se agora

Mazinho: “não terão a metade dos meus votos”

Publicado

em

O prefeito Mazinho Serafim em todas as pesquisas realizadas até aqui sempre aparece entre os três prefeitos mais bem avaliados do Acre. Some-se a isso o fato de ser político na essência e saber fazer política como poucos. Não foi por acaso que elegeu a mulher Meire Serafim (MDB) a mais votada deputada estadual do Acre. Mazinho é de conversa franca. Sobre a oposição não teme o movimento de unidade entre seus integrantes, buscando fazer uma frente única para lhe derrotar. É taxativo: “não vão ter a metade dos meus votos”. E tem razão de estar otimista. Dentro do pacote de obras que tem na sua mesa está o asfaltamento este ano de 40 ruas, uma parte com a tecnologia revolucionária de pavimentação usada em Cruzeiro do Sul e o restante com asfalto quente da usina da prefeitura. Sobre a ajuda do governo diz que é um passo, mas os poucos mais de 800 mil reais prometidos e ainda não liberados, são promessa de campanha, mas ressalva que é um montante irrisório perto do que liberaram em emendas parlamentares os deputados federais Flaviano Melo (MDB) e Jéssica Sales (MDB). “A Jéssica em dois anos deixou mais de 8 milhões de reais. O Flaviano passa de 9 milhões, cita.” Dos 878 mil reais a serem repassados para a prefeitura pelo governo, 30% será usado na recuperação de máquinas, e o restante em torno dos 630 mil que vai sobrar dá para comprar combustível para abrir apenas metade dos ramais”, explica. Citou ainda o senador Sérgio Petecão (PSD) que também tem destinado emendas à prefeitura, assim como o Major Rocha quando foi deputado federal. Com os investimentos que virão do governo federal, Mazinho promete transformar Sena num canteiro de obras. Mesmo na crise é um otimista. É este otimismo que o deixa numa situação de não ser nada fácil de ser batido na eleição de 2020 pelos seus adversários.

RELAÇÃO INSTITUCIONAL

Com o Gladson, Mazinho diz querer apenas uma relação institucional e não política.

FESTIVAL DE HIPOCRISIA

Sérgio Moro e o Procurador Dallagnol, cometeram desvio de conduta, e nada justifica a combinação de resultados jurídicos. Só não embarco no festival de hipocrisia de querer que este fato seja mais relevante para a sociedade que a Lava-Jato e seus resultados para o Brasil.

QUE SE PUNA

Que punam o Sérgio Moro e o Dallagnol, mas a Lava Jato tem de ser preservada no todo.

POBRE, PRETO E PUTA

Antes da Lava Jato a tônica era que, só preto, pobre e puta eram condenados. O axioma popular foi quebrado pela Lava-Jato com a prisão de políticos e empresários antes inatingíveis.

SUMIR NA FUMAÇA

Não espere, pois, os que são contra a Lava Jato que esta venha a morrer por conta do ocorrido. Muito embora empresários poderosos e políticos atingidos estejam na torcida.

DEBATE QUE VAI SE ESTICAR

Além dos recursos que ainda caberão no Tribunal Regional Eleitoral do Acre e no TSE, a tese adotada ontem nas cassações do deputado federal Manuel Marcos (PRB) e da deputada Juliana Rodrigues (PRB), de anulação dos votos, vai suscitar debates no TSE. E quanto ao tempo destinado aos recursos, não esperem uma decisão final do caso no TSE para este ano.

FEITIÇO CONTRA OS FEITICEIROS

Na hipótese de mantida a condenação da deputada Juliana Rodrigues (PRB) e a perda dos seus votos pelo TSE, quem assumiria seria o suplente Pedro Longo (PV). Neste caso, os suplentes que montaram um consórcio e contrataram advogado para ajudar a derrubar a parlamentar terão jogado dinheiro no ralo. Seria o típico do feitiço que virou contra os feiticeiros.

COM TODO RESPEITO, MENOS!

Sempre me refiro a ex-prefeito Tião Bocalom como um homem honrado e político sério. Mas não me obriga a embarcar na farsa que encenou ontem de se mostrar emocionado, quase chorando, como se tivesse comemorando a cassação do deputado federal Manuel Marcos (PRB) na defesa da moralidade. Na verdade, comemorava por abrir uma brecha para assumir.

PÉ NO GOVERNO

Falando no ex-prefeito Tião Bocalom, este já colocou o pé no governo Gladson Cameli, emplacando o seu fiel escudeiro Valtim com um cargo de confiança nível CEC-6.

PALAVRA CUMPRIDA

Num ponto, o governador Gladson é impecável: manteve a promessa de campanha de que a imprensa teria liberdade de expressão na sua administração, não seria censurada, e cumpriu. Gladson tem recebido as críticas dentro de uma postura democrática e deve ser registrado.

BARBÁRIE

O que aconteceu ontem com o seqüestro e tentativa de homicídio de dois garis que trabalhavam na limpeza do bairro Aroeira, região do Calafate, ambos sem envolvimento com facções, mostra não só a audácia dos bandidos, mas o quanto a população está desprotegida.

OUTRO CALO

A Segurança Pública é outro calo grande a apertar o sapato do governador Gladson Cameli.

REPONDO A VERDADE

Falando no Cameli, este ainda não liberou um centavo do pouco mais de 800 mil reais prometidos durante a sua visita a Sena Madureira. Até hoje não caiu um centavo nos cofres da prefeitura para a ajuda na recuperação dos ramais. É bom registrar e repor a verdade. Ponto!

NÃO PODE SER ROTULADA

A deputada Meire Serafim (MDB), em que pese o governador Gladson estar rompido politicamente com o prefeito Mazinho Serafim, ela não pode ser rotulada na ALEAC de aliada do bloco de oposição. O único projeto que votou contra o governo foi na criação de CECs.

O QUE É CERTO REGISTRO

Não sou da fila do gargarejo do governador Gladson Cameli, passo longe, e não tenho deixado de criticar o que acho errado. Mas araruta tem seu dia de mingau. Acerta quando planeja criar colégios militares nas principais regiões do Acre. Com a Educação não se gasta, se investe.

JABOTIS NA FORQUILHA

Pelo menos dois deputados estaduais estão como jaboti na forquilha e devem ser julgados em muito breve pelo TRE-AC. Se o tribunal mantiver a batida de não poupar ninguém; já cassou três este ano, ambos, também vão engrossar a lista dos degolados.

NEM UM CENTAVO FURADO

Quem quiser apostar que aposte, eu não aposto um centavo furado que o governador Gladson Cameli vai demitir o secretário Vagner Sales por conta da sua última condenação. Não demite.

CALEGÁRIO NA BASE?

Os dirigentes do SOLIDARIEDADE dão como certa a filiação do deputado Fagner Calegário (PV) no partido e a sua conseqüente entrada na base de apoio ao governo. A conferir a expectativa.

CARENCIA DE LIDERANÇAS

O SOLIDARIEDADE é um partido que orbita só em torno da deputada federal Vanda Milani.

FORA DE CIRCULAÇÃO

O deputado Josa da Farmácia (PODEMOS) não foi mais visto desde que teve o seu mandato cassado pelo TRE-AC. Josa vai apresentar todos os recursos no exercício do seu mandato.

MARCANDO POSIÇÃO

“Sou totalmente a favor da Lava Jato. Foi graças a essa operação que foi desbaratado o maior esquema de corrupção do país”. Frase do deputado federal Alan Rick (DEM), marcando posição contra o movimento pela destruição da maior operação da justiça brasileira.

PROGRAMA DE ENTREVISTAS

A partir desta quinta- feira começa para valer o programa semanal de entrevistas que farei junto com o colega Astério Moreira, no ac24horas. Vamos buscar nos entrevistados os fatos que não são lugar comum, mas os bastidores. Não será um programa para agradar o entrevistado, mas para informar. E para fazer todo tipo de questionamentos.

Anúncios


Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas