Conecte-se agora

Febraban alerta para golpe virtual em compras para o Dia dos Namorados

Publicado

em

Na proximidade de datas comemorativas, como o Dia dos Namorados, na próxima quarta-feira (12), aumenta o número de golpes nas compras online, alertou no sábado (8), a Federação Brasileira de Bancos (Febraban).

Segundo a Febraban, quadrilhas se especializaram em aproveitar momentos de grande volume de compras online, como nesta data, para aplicar golpes e roubar dados pessoais.

A federação alerta que é importante tomar cuidado com as informações compartilhadas, especialmente na internet. Ofertas tentadoras escondem, às vezes, links maliciosos que capturam dados pessoais. “Desconfie das promoções com preços muito menores do que o valor real do produto. Os criminosos aproveitam a empolgação dos consumidores, com a oportunidade de um bom negócio, para aplicar golpes”, alertou o diretor da Comissão Executiva de Prevenção a Fraudes da Febraban, Adriano Volpini.

Sites e e-mails falsos, ligações e mensagens são algumas das artimanhas usadas pelos golpistas para enganar as pessoas e ter acesso a informações pessoais, como nome completo, CPF, número de cartões de crédito e dados bancários.

Como os golpes são realizados

A pessoa recebe um e-mail ou mensagem com ofertas tentadoras. Ao clicar, é direcionada para um site falso. Acreditando ser uma página confiável, ela fornece dados sigilosos, como número de cartão de crédito e senhas. Com essas informações, os bandidos realizam transações, burlam bloqueios de segurança, desbloqueiam novos cartões e realizam a confirmação de dados pessoais da vítima.

Outro esquema muito utilizado pelas quadrilhas, diz a Febraban, envolve aplicativos maliciosos. O golpe também começa com o envio de um e-mail suspeito com um link. Ao clicar, um vírus se instala no dispositivo dando acesso total aos bandidos. Com essa técnica, comumente chamada de phishing, eles conseguem acessar dados como nomes de usuário e senhas e realizar transações.

Segundo a Febraban, as quadrilhas de phishing também costumam usar as redes sociais para ter acesso às informações das vítimas. Os criminosos usam perfis falsos com ofertas tentadoras de produtos mais baratos, promoções para ganho de pontos e milhagens e recadastramentos de segurança, usados como artifício para a captura de dados dos clientes.

Outro ponto que merece atenção são os celulares. A grande popularidade dos smartphones despertou a atenção das quadrilhas que passaram a criar golpes específicos para essa plataforma. É o caso do golpe da clonagem de WhatsApp, em que os criminosos enviam mensagens para os contatos da pessoa, fazendo-se passar por ela, pedindo dinheiro emprestado.

Uma medida simples para evitar que o WhatsApp seja clonado é habilitar, no aplicativo, a opção “Verificação em duas etapas” (Configurações/Ajustes > Conta > Verificação em duas etapas). Desta forma é possível cadastrar uma senha que será solicitada periodicamente pelo aplicativo.

Seguem mais algumas dicas:

· Ao receber um e-mail não solicitado ou de um site no qual não esteja cadastrado para receber promoções, é importante verificar se o remetente é, de fato, uma empresa idônea. Não clique em links. Digite os dados no navegador para acessar;

· Ao utilizar sites de busca, verifique cuidadosamente o endereço (URL) para garantir que se trata do site que deseja acessar. Fraudadores utilizam-se de “links patrocinados” para ganhar visibilidade nos resultados de buscas;

· Dê preferência a sites conhecidos e verifique a reputação de sites não conhecidos, lendo comentários de clientes que já utilizaram as plataformas;

· Nunca use um computador público ou de um estranho para efetuar compras ou inscrever seus dados bancários;

· Sempre utilize, em seu computador ou smartphone, softwares e aplicativos originais e mantenha sempre um antivírus atualizado;

· Caso seu celular seja roubado, entre em contato com a central de atendimento de seu banco para comunicar a ocorrência e bloquear as operações que podem ser feitas via smartphone;

· Não repasse nenhum código fornecido por SMS e nem qualquer outra informação sem confirmação com o setor responsável das empresas através dos canais de atendimento;

· Como regra, as grandes empresas de compra e venda na internet não mantém contato com o cliente através de aplicativos de mensagens, portanto sempre desconfie

Propaganda

Cidades

Uma mera questão de bom senso

Publicado

em

A alteração dos limites territoriais dos municípios acreanos estabelecida em 2006 nunca foi consenso entre os seus representantes político-administrativos e menos ainda para as populações rurais das áreas afetadas pela mudança. Problemas resultantes dessa medida causam até hoje enxaqueca a prefeitos, vereadores, líderes comunitários e populações rurais. 

Comunidades historicamente ligadas a um determinado município passaram a fazer parte de outros, gerando dúvidas a respeito de que prefeitura teria responsabilidade administrativa sobre determinada região. Por conta da situação algumas localidades passaram a sofrer os efeitos do isolamento e da falta de investimentos em áreas essenciais como saúde, educação e transportes, considerando-se que os municípios não podem fazer aplicação de recursos fora de sua, digamos, jurisdição administrativa.

A insatisfação com a alteração é mais nítida na regional do Alto Acre, onde foi criada recentemente uma comissão intermunicipal formada por representantes das câmaras de vereadores e prefeituras de Brasiléia, Epitaciolândia e Xapuri, com o intuito de discutir critérios para uma nova redefinição. Como de costume, a iniciativa caminha a passos de cágado, mas, ao menos, uma passada importante já foi dada: os municípios pediram e o Tribunal de Contas do Estado do Acre elaborou uma instrução normativa para a celebração de um termo de cooperação técnica entre as três unidades administrativas. 

A data para a formalização do termo ainda não foi marcada, mas o objetivo é fazer um minucioso levantamento das situações e peculiaridades que envolvem cada uma das comunidades prejudicadas pela alteração territorial de 2006 – ou de outras que, supostamente, a tenham antecedido. Depois disso, será a hora de convencer os deputados estaduais da Comissão Provisória de Limites Territoriais a ressuscitar o assunto na pauta da Assembleia Legislativa. 

Brasiléia, que alega ter perdido cerca de 10% de seu território com a última reforma, reclama para si a condição de um dos mais prejudicados. A prefeita Fernanda Hassem se queixa de prestar atendimento a comunidades não localizadas nos limites do município. 

Xapuri e Epitaciolândia também têm suas pendengas. Exemplo disso é a região do seringal Cachoeira, berço do ativismo sindical do seringueiro Chico Mendes, que chegou a ser disputada no voto entre os dois municípios, em 2007, quando uma consulta popular foi realizada pela então Comissão dos Limites Geográficos e Territoriais do Alto Acre, na comunidade Chora Menino. Ali, as mais de 120 famílias existentes nas várias localidades adjacentes se dividiam entre a vontade de pertencer a um ou a outro território municipal.

Àquela época existia o hoje finado Condiac – Consórcio Intermunicipal do Alto Acre e Capixaba -, que auxiliava os municípios na elaboração de mapas dos limites municipais na regional desde 2002. Naquela ocasião, o geólogo Pável Jezek, que trabalhava para o consórcio, já alertava que a nova reforma dos limites no Acre faria com que algumas comunidades compreendidas por um município passariam a ser atendidas por outro território. Acreditou-se que não haveria problemas.

É válido lembrar que bem antes disso, ainda na década de 1980, a comunidade do seringal Cachoeira já havia decidido por meio de audiência pública que pertenceria a Xapuri. A decisão chegou a ser levada à justiça. Não me recordo do desfecho, mas os acontecimentos que se seguiram nos anos que estavam por chegar consolidaram uma espécie de cordão umbilical entre o cerne do Cachoeira e a cidade chamada de Princesa do Acre.

Desejo todo o sucesso à Comissão Intermunicipal dos Limites Territoriais do Alto Acre e sou entusiasta da cooperação não apenas para um objetivo único – há muito a se discutir de interesse comum entre municípios tão próximos geograficamente, porém distantes em colaboração mútua -, mas resta claro que não é por falta de comissões ou consórcios intermunicipais e de representantes políticos que a celeuma dos limites territoriais se arrasta por tanto tempo sem uma solução. Aparenta que a dificuldade resulta mesmo é da falta de determinação e força política – porque apenas vontade de fazer não basta – e da incapacidade de se perceber que decisões que afetam nas pessoas a maneira de viver devem ser tomadas sempre considerando a tradição e a história construídas no curso do tempo. Nada mais do que uma mera questão de bom senso.

Continuar lendo

Cidades

Em Xapuri, prefeitura investe na qualidade da merenda para alunos da rede municipal

Publicado

em

Os 1.307 alunos matriculados na rede municipal de ensino de Xapuri – zonas urbana e rural – estão tendo acesso a uma alimentação nutritiva e de qualidade, com cardápio balanceado e índices nutricionais adequados às diferentes faixas etárias atendidas.

Só em 2018, mais de R$ 300 mil, frutos de recursos próprios e do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), foram investidos na merenda escolar do município. Grande parte veio da contenção de gastos com pessoal, segundo a Secretaria Municipal de Educação.

A secretária da pasta, Fernanda Pinheiro de Abreu, explica que o valor aplicado resultou numa distribuição de mais de 477 mil pratos, em 32 escolas e espaços alternativos, sendo 27 na zona rural e 5 na zona urbana.

“As refeições são preparadas nas próprias escolas, por profissionais capacitados, e servidas frescas, seguindo cardápios balanceados e desenvolvidos pela nutricionista contratada pela Secretaria Municipal de Educação”.

A secretária diz ainda que o procedimento de preparo dos alimentos cumpre todas as normas e exigências legais, atendendo às necessidades nutricionais dos estudantes.

A fiscalização e o controle de qualidade do processo são realizados pelo Setor de Alimentação Escolar da Secretaria, com o apoio do Conselho de Alimentação Escolar (CAE).

Agricultura familiar

Boa parte das frutas, legumes e verduras servidos pela merenda escolar em Xapuri são adquiridas diretamente da agricultura familiar. Iniciativa quebcontribui tanto para a alimentação saudável dos alunos quanto para a dinamização da economia local, por meio do incentivo à organização e associação das famílias agricultoras.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.