Conecte-se agora

Guilhotina de Gladson vai passar pela Sesacre e deputados já articulam possível CPI do Cartel

Publicado

em

Nos próximos dias, o governador Gladson Cameli deve anunciar importantes mudanças na Secretaria Estadual de Saúde. O atual gestor da pasta, Alysson Bestene, continua prestigiado e deverá se mantido no comando de uma das pastas mais importantes e complicadas do governo do Acre.

Mas, a guilhotina do governador vai agir com força. Fontes do ac24horas do governo do estado garantem que uma das primeiras cabeças a rolar deve ser a do atual Diretor de Assistência à Saúde, Wilson Dias, que comanda a pasta, que entre outras atribuições é responsável pela contratação de médicos. A falta de profissionais que compromete a qualidade no atendimento, principalmente do Huerb, é um dos principais motivos para a iminente queda.

Junto com Wilson, o governo deve promover também a mudança na direção do Huerb. O atual diretor, Welber de Lima, com a relação desgastada com os médicos por causa de uma declaração onde afirmou que 40% dos problemas da unidade são provocados pelos próprios colegas de trabalho e sem as condições mínimas para gerir o hospital, não deve resistir.

Outra mudança importante é na direção das Unidades de Pronto Atendimento (UPA). O governo não está satisfeito com os resultados até o momento e deve fazer também a substituição dos atuais gerentes.

Se engana quem pensa que as mudanças afetam Alysson Bestene. O atual secretário continua prestigiado, inclusive o próprio Gladson disse isso na manhã desta quarta-feira, 29, durante entrevista a TV 5. As mudanças devem fortalecer Alysson, já que parte da atual equipe que vai ser substituída não foi uma escolha sua, mas uma decisão da Casa Civil.

Quem aposta na substituição Erisson Calixto, conhecido como “China”, e que atualmente é diretor administrativo da Sesacre é melhor aguardar os próximos capítulos. Prestigiado por Alysson, tem chances de ser mantido no cargo e até ser nomeado secretário-adjunto na saúde acreana.

DEPUTADOS JÁ ARTICULAM POSSÍVEL “CPI DO CARTEL”

Paralelo as mudanças que devem ocorrer na Sesacre, os deputados da oposição e também alguns da base de governo iniciaram nesta semana um debate a cerca das declaração do governador Gladson Cameli, que em entrevista recente, voltou a reafirmar que existe um cartel que ainda não se sabe se é composto de servidores ou empresários, ou ambos -, que atua na pasta e prejudica o andamento dos trabalhos.

Com as declarações contundentes de Cameli, o deputado Jenilson Leite (PCdoB) afirmou no plenário da Assembleia Legislativa que o governo precisa provar que o cartel realmente existe. “O governador voltou com esse assunto polêmico que precisa ser esclarecido o mais rápido possível. Eu o desafio a mostrar o cartel e a desmontá-lo. Também a comprar medicamentos para os hospitais e contratar mais servidores para a saúde. Se existe um cartel e é ele que está inviabilizando as ações da saúde, que isso seja resolvido. O governador precisa mostrar para que veio. Ele precisa fazer com que os serviços púbicos funcionem”, pontuou.

O parlamentar solicitou para a próxima semana uma reunião da Comissão de Saúde da Casa, presidida pelo deputado José Bestene (Progressistas), para tratar de ouvir os responsáveis dos setores da saúde que atuam no Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb) para tentar entender as demandas da Unidade de Saúde e tentar apontar soluções.

A mesma comissão de saúde deverá abrir uma sindicância para apurar as denúncias do governador sobre o Cartel. Os deputados Jenilson Leite (PCdoB), Antônia Sales (MDB) e Roberto Duarte (MDB) já sinalizaram em apoiar a apuração dos fatos. Nos bastidores, alguns parlamentares afirmam que caso a Comissão de Saúde não consiga respostas satisfatórias, existe a possibilidade de uma nova Comissão Parlamentar de Inquérito ser aberta na casa e será batizada com o nome de “CPI do Cartel”.

Propaganda

Acre

Corretora tem WhatsApp clonado e criminosos tentam aplicar golpe

Publicado

em

Antigamente eram as famosas ligações ou mensagens por sms dizendo que o dono do aparelho tinha ganhado uma grande quantia de dinheiro e para acessar o prêmio precisava de um depósito com um valor bem menor.

A tecnologia evoluiu e a bandidagem também. A moda agora é clonar o aplicativo de WhatsApp, que é o mais comum usado por quase todo mundo atualmente.

É o que está passando a corretora de imóveis Rosilene Bruno. Bastante conhecida por trabalhar em uma das principais imobiliárias de Rio Branco, ela teve o WhatsApp clonado por criminosos. A tática, após a clonagem, é entrar em contato com amigos e familiares e tentar conseguir dinheiro por meio de um “empréstimo”. Em uma das tentativas do golpe, o bandido tentou se passar por Rosilene e afirmou que precisava fazer uma transferência, mas não tinha mais limite.

“Clonaram o telefone da minha mãe e estão pedindo pela cidade transferência bancária. Ela desinstalou o aplicativo, mas mesmo o WhatsApp ainda está funcionando”, afirma Catarina Pinheiro, filha de Rosilene.

A vítima do golpe já registrou queixa em uma Delegacia de Polícia.

Catarina conta que o mais importante é alertar para que amigos e parentes saibam que se trata de um golpe. “Queremos alertar que quem receber esse tipo de mensagem não é a minha mãe. É alguém que está se passando por ela para aplicar golpes. É um alerta para que não façam nenhum tipo de transferência bancária ou coisa parecida”, finaliza.

Continuar lendo

Acre

Sinteac de Xapuri cobra deputados sobre Reforma da Previdência

Publicado

em

O núcleo do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre (Sinteac) em Xapuri cobrou, em uma nota divulgada em sua página no Facebook, o posicionamento dos deputados estaduais Antônio Pedro (DEM) e Manoel Moraes (PSB) sobre a proposta de Reforma da Previdência encaminhada pelo governo à Assembleia Legislativa.

Os dois parlamentares possuem base eleitoral no município de Xapuri e não teriam, segundo núcleo do Sinteac no município, se pronunciado a respeito da intenção do governo de extinguir direitos dos trabalhadores, como regra de transição, licença-prêmio, auxílio funeral, sexta-parte e pensão por morte, entre outros.

“O Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Xapuri vem através deste solicitar o pronunciamento dos deputados estaduais Antônio Pedro e Manoel Moraes, representantes do povo de Xapuri e do Acre, as suas posições sobre a Reforma da Previdência que se encontra na Assembleia Legislativa para ser votada. Os senhores deputados são contra ou a favor da retirada dos direitos trabalhistas adquiridos”, questiona a entidade em nota subscrita pelo presidente Erivélton Soares.

O deputado Antônio Pedro disse ao ac24horas que é plenamente favorável à PEC e votará pela aprovação da proposta do governo porque entende que ela é extremamente necessária, e afirmou que alguns pontos cruciais para os servidores, como a licença-prêmio, a sexta-parte e o auxílio-funeral não serão alterados ou extintos.

“Eu vou votar pela aprovação da reforma porque não sou irresponsável de me posicionar contra uma coisa que eu sei que não é desejável, mas é necessária. O estado não tem saída, pois o déficit da previdência cresce a cada dia e isso já está mais do que explicado, além do que o diálogo está acontecendo e os sindicatos estão sendo ouvidos”, garantiu.

Já o deputado Manoel Moraes disse que acompanha o desenrolar das discussões em torno do tema, afirmando que sua posição é pelo diálogo aberto e que o momento não é de divergências políticas, mas de se discutir o futuro do estado.

“Estamos acompanhando com muita atenção os debates sobre a Reforma da Previdência Estadual. Nosso posicionamento é pelo diálogo aberto, técnico e amplo com todos os setores envolvidos. Entendemos que seria prematuro emitir qualquer opinião fechada, decidida. O momento é de diálogo, de buscar uma convergência, de descer do palanque e discutir a situação financeira do Estado e o futuro da nossa previdência”, afirmou.

Nesta terça-feira, 12, a direção estadual do Sinteac convocou trabalhadores da capital e do interior para protestar em frente ao Palácio Rio Branco. Eles também foram à Assembleia Legislativa acompanhar a discussão sobre o projeto apelidado de “pacote de maldades”, enviado pelo governo à Aleac.

A presidente do Sinteac, Rosana Nascimento, afirma que vários pontos do projeto da reforma prejudicam os servidores públicos do Acre. Os manifestantes dizem que podem perder o reenquadramento no ato da aposentadoria, licença-prêmio, o auxílio funeral e a aposentadoria por licença médica após os 24 meses de afastamento e com aposentadoria proporcional.

Em Cruzeiro do Sul, o governador Gladson Cameli disse à jornalista Sandra Assunção, na manhã desta quarta-feira, 13, que o assunto foi politizado e que a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação, Rosana Nascimento, usa a situação para se promover politicamente.

“Virou uma palhaçada, politizaram tudo e não aprovaram. Inclusive pessoas que querem ser candidatas, como a Rosana do Sinteac, usaram a situação para se promover. Agora vou chamá-la para me ajudar a resolver a questão da falta de dinheiro e convocação dos professores”, desabafou.

A votação do Projeto de Emenda Constitucional (PEC) que trata da Reforma da Previdência, que seria votada nesta terça-feira, 12, foi adiada para o dia 26 de novembro. A decisão foi do governador Gladson Cameli, que resolveu atender os apelos do presidente da Assembleia Legislativa, Nicolau Júnior e do líder do governo Gerlen Diniz, ambos deputados do Progressista para que as negociações fossem esticadas.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.