Conecte-se agora

Privatizar a Saúde é a solução?

Publicado

em

Essa semana o governador Gladson Cameli (Progressista) não se conteve e apontou para um suposto cartel dentro da Saúde, que impede o Estado de avançar no atendimento as demandas da população. O secretário Alysson Bestene também fez o mesmo desabafo, mas ponderou a questão do cartel. Governo anteriores faziam a mesma reclamação. A saída apontada pelo governador é o processo de privatização que divide as opiniões.

Sabe-se que a Saúde está em crise e não é de hoje. São problemas por todo o pais que se arrastam há anos sem solução enquanto cerca de 30% da população não é assistida. Números do IBGE. Portanto, verossímeis. No Acre, a situação não é diferente dos demais Estados. Ao longo dos 20 anos houveram muitos avanços em todos as áreas. Baixa, média e alta complexidade. Porém, desde 2015 que se a conjuntura vem se agravando. A crise econômica empurrou a Saúde para o caos, mas não é só isso.

O sistema está corrompido, contaminado pelo jeitinho brasileiro, por manobras, troca de favores, pelo congestionamento, sobrecarga de trabalho para alguns enquanto outros só querem se dar bem. A demanda por atendimento também é muito alta porque os atores não cumprem suas posições constitucionalmente, como por exemplo, as UPAS lotadas de atendimento básico.

“Há um consenso entre boa parte dos economistas, e uma grande variedade de estudos aponta para a mesma conclusão, de que privatizar companhias estatais leva a ganho de produtividade, melhora dos resultados e maior qualidade nos serviços prestados à população. Isso, porém, nem sempre é verdade, em especial para os países emergentes. É o que indica uma série de estudos feitos pelo economista Saul Estrin, pesquisador e professor da universidade britânica LSE (The London School of Economics and Political Science), uma das principais escolas de economia do mundo”.

“Na média, a privatização não melhora a performance [nos países em desenvolvimento], quer dizer, a gestão privada é muitas vezes tão ruim quanto a pública”, disse Estrin, que é especializado em economias emergentes e pesquisa os efeitos das privatizações no que chama de “países subestudados”…

Ser prefeito em um tempo de crise econômica, política e social (e muito mais) é a pior coisa do mundo.

.É sujar o nome, negativar o CPF, passar o resto da vida enrolado nos órgãos de controle, na justiça Federal e Estadual.

. É o que dizem!

. Entretanto, faltando apenas um ano, quatro meses e alguns dias para a escolha dos novos prefeitos e vereadores, a cada dia aumenta o número de pretendentes aos cargos.

. Os que estão no mandato não querem largar o osso.

. Os de fora também querem roê-lo.

. C’este la vie!

. Em conversa com a coluna o prefeito Mazinho Serafim (MDB) disse que sua esposa, a deputada Meire Serafim, vai voltar livremente.

. Se ela achar que o projeto é bom para a população vota a favor, do contrário vota totalmente contra.

. Mazinho diz que foi deputado juntamente com o líder Luís Tchê, mas as coisas não mudaram em relação ao que ele pensa do governo.

. O presidente da Câmara, vereador Antônio Morais (PT), fica a frente da prefeitura até segunda feira.

. Rodrigo Forneck (PT), “os municípios devem ser prioridade no novo Pacto Federativo do Brasil”.

. Ele participa da 7ª Mobilização Nacional de Vereadores, realizada de 21 a 24 em Brasília, onde representa o Parlamento de Rio Branco.
. De acordo com uma pesquisa, no Brasil, apenas 16% do orçamento público é destinado aos municípios.

. Entretanto, as gestões municipais respondem por mais de 60% dos serviços ofertados nas cidades.

. No popular quer dizer que o cidadão amarga o abandono por que a União concentra recursos; desse jeito a vaca pro brejo.

. De acordo com o projeto de lei para o Novo Pacto Federativo, o Brasil precisa repensar o a distribuição do orçamento público como forma de garantir um espaço mais justo aos Estados e Municípios.

. Ainda na tarde desta quarta-feira, 22, Rodrigo Forneck participou de um seminário na Câmara Federal sobre “Os Impactos da Extinção do Ministério da Cultura”.

. O evento reúne parlamentares brasileiros, o ex-ministro da Cultura, Juca Ferreira, artistas e ativistas culturais.

. Antes que eu me esqueça, a CPI da Energisa vai começar a fazer muito barulho nos corredores da Assembleia Legislativa.

. No portão de entrada do subsolo da Casa do Povo tem uma casa de caba de oco; aprendi desde criança a passar longe.

. Rsrsrsrsr…

. Bom dia, o verão chegou pra valer!

Propaganda

Coluna do Astério

“Operação Arquiva” na Aleac

Publicado

em

Continuar lendo

Coluna do Astério

Rocha cresce na política!

Publicado

em

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.