Conecte-se agora

Além de 450 CECs, Gladson quer criar mais 20 diretorias e 32 chefias de departamento

Publicado

em

 

Reforma administrativa do governo dá superpoderes a Ribamar

A reforma administrativa protocolada nesta quarta-feira, 15, na Mesa Diretora da Assembleia Legislativa pelo vice-governador Major Rocha e o Chefe da Casa Civil, Ribamar Trindade, traz mudanças significativas em relação as mudanças ocorridas na lei em dezembro do ano passado.

Além de criar 450 cargos em comissão e 10 secretarias-adjuntas, o governo pretende abrir mais espaço para aliados ao querer criar mais 20 diretorias e 32 chefias de departamento. Esses cargos se somarão as 34 diretorias e 80 chefias de Departamento, totalizando 166 cargos de terceiro escalão. Os 10 cargos de Assessoria Especial foram extintos, porém foram criadas 10 secretarias-adjuntas com o mesmo salário pago aos atuais assessores: R$ 19 mil. Os valores dos vencimentos pagos aos cargos comissionados, diretores, chefes de departamentos e as funções gratificadas continuam inalterados, segundo a proposta governamental.

Outro ponto que chama atenção na reforma são as intervenções de conflitos entre entidades, que passam agora também pela Casa Civil. Antes era somente a Procuradoria-Geral do Estado (PGE) e pela Controladoria-Geral do Estado (CGE). Com isso, o chefe da Casa Civil, Ribamar Trindade, terá mais poder dentro do governo.

LEIA MAIS: Reforma de Gladson Cameli criará 450 novas CECs e dez cargos de secretário-adjunto

Ainda nem outro trecho, a Secretaria de Estado de Polícia Civil do Acre apenas aparece como Polícia Civil do Estado do Acre. O projeto não informa o que será exatamente, se departamento ligado a Secretaria de Segurança ou uma diretoria.

O projeto traz ainda a fusão da Secretaria de Estado de Planejamento com a Secretaria de Estado de Gestão Administrativa, dando notoriamente superpoderes para Maria Alice, que comandará a pasta. Além disso, está sendo criadas as Secretarias de Estado de Relações Políticas e Institucionais, da Mulher, de Assistência Social e de Direitos Humanos. Essa última Secretaria existia no governo do PT e será comandada por Claire Cameli, prima de Gladson e filha do ex-governador Gladson Cameli.

Na área de segurança, a proposta governamental coloca a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança como coordenadora das atividades da segurança pública para integrar ao conjunto que compõem o sistema integrado de segurança pública. Na prática, isso daria mais poderes a essa Secretaria deixando definitivamente a Polícia Civil de lado. A Polícia Civil do Estado do Acre disporá de dotação orçamentária própria, competindo ao seu Delegado-Geral a gestão de sua organização administrativa e financeira.

As demais secretarias do governo passam a ter mais atribuições e com isso mais poderes de decisão. O Instituto de Medidas Climáticas (IMC) também foi recriado.

A Secretaria de Estado de Infraestrutura Hidroviária e Aeroportuária do Acre passa exercer a supervisão de mais um órgão: a Agência Reguladora de Serviços Públicos do Estado do Acre – AGEAC. Já a pasta da Educação passa exercer a supervisão de mais alguns órgãos. São eles: Fundação de Desenvolvimento de Recursos Humanos, da Cultura e do Desporto do Estado do Acre – FDRHCD e Instituto de Ensino Profissionalizante.

A nova proposta ainda extingue as seguintes entidades: Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Acre – FAPAC, Instituto de Pesos e Medidas do Estado do Acre e a Escola do Servidor Público do Acre.

Propaganda

Acre

Filho de Bolsonaro nos EUA divide bancada acreana: Mailza e Bittar são a favor e Petecão está “indeciso”

Publicado

em

A  bancada do Acre no Senado não é unânime quanto a indicação do deputado  Eduardo  Bolsonaro para embaixador do Brasil nos Estados Unidos. Segundo o placar produzido pelo jornal O Estado de São Paulo, Marcio Bittar e Mailza Gomes votam a favor de Bolsonaro mas Petecão se declara “indeciso”.

Até este domingo (26) o placar do Estadão dizia o seguinte: há 15 senadores favoráveis, 29 contra e 37 deram outras respostas. Para emplacar seu nome, Bolsonaro tem de ter 41 votos favoráveis.

O Estadão explica: o Senado poderá aprovar ou rejeitar a indicação do filho do presidente ao cargo em Washington; para que Eduardo seja confirmado como embaixador, são necessários 41 votos dos 80 senadores que votam (maioria simples); o presidente da Casa não vai votar

Caso seja indicado, Eduardo Bolsonaro  será sabatinado na Comissão de Relações Exteriores. Independentemente do resultado na comissão, o nome segue para o plenário do Senado, que fará uma votação.

 

 

 

Continuar lendo

Acre

Durante jogo da Série C, internauta flagra fogo e fumaça em mata perto do Estádio Florestão

Publicado

em

Uma parte considerável dos moradores de Rio Branco tem se dedicado a registrar flagrantes das queimadas na região. Neste domingo (25) o torcedor  Sidney Farney postou em seu perfil as imagens de pontos de incêndio na área de mata próxima do estádio Florestão, na Via Verde. Seria mais um flagrante da grave situação vivida pelos moradores não coincidisse o fogo e o fumaceiro com o jogo entre Luverdense e Atlético Acreano pela Série C do Campeonato Brasileiro.

 

 

 

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.