Conecte-se agora

Bestene, Gerlen e Flaviano lideram ranking de cargos comissionados

Publicado

em

Os deputados estaduais José Bestene e Gerlen Diniz, ambos do mesmo partido do governador, o progressistas, são os primeiros colocados no ranking de distribuição de cargos comissionados na atual gestão. Em terceiro lugar está o deputado federal Flaviano Melo que lidera uma das alas do MDB.

O levantamento vem sendo feito por deputados que estão descontentes com os critérios definidos para contemplar a base no legislativo. Eles cobram um modelo transparente de distribuição dos cargos. A Casa Civil esconde o jogo.

Essa têm sido a maior dificuldade encontrada pelo novo líder do governo, deputado Luiz Tchê, para conseguir as 13 assinaturas que vão desarquivar o pedido de nomeação de Mayara Cristine Bandeira para a Agência Reguladora dos Serviços Públicos do Estado do Acre (Ageac).

De olho nos mais de 300 cargos que deverão ser criados no ajuste da reforma, o grupo de descontentes que pediu para não terem nomes revelados, vai apresentar esse levantamento para o governador antes da aprovação da reforma que deve chegar a qualquer momento na Casa do Povo.

Entre os deputados estaduais, a surpresa na repartição do bolo é Neném Almeida, do Solidariedade, que surge como o grande vilão nas negociações feitas com Ribamar Trindade. O sindicalista é o quarto da lista de maiores contemplados.

Neném parece que ainda não está satisfeito, além de encabeçar o grupo de parlamentares que pediu a cabeça de André Hassen do Instituto de Meio Ambiente do Acre (Imac), foi o porta-voz do Bloco Unidos pelo Acre, o Bupac, no pedido de mais 40 nomeações em reunião feita com o vice-governador Major Rocha.

Na esfera federal, se Flaviano Melo anda contente e sorrindo com o tempo, emplacou duas “super secretarias” (Planejamento e administração) e ainda, uma terceira, comandada por Eliane Sinhasique (Empreendedorismo e Turismo), o mesmo não se pode falar do senador Sérgio Petecão, do PSD.

O líder da bancada federal confessou para um assessor próximo do governador no final de semana, que vai continuar longe do governo. De fato, Petecão deixou de ser visto nos cerimoniais organizados pelo Palácio.

A cisma pode ser ampliada. A Casa Civil sofre pressões das deputadas Mara Rocha (PSDB-AC) e Vanda Milane (SD) em situações distintas. Enquanto a tucana exige a exoneração do secretário de agricultura Paulo Wadt, Vanda luta pela permanência de André Hassen no Imac. Até o veterano e ex-deputado estadual Walter Prado gravou vídeo exigindo mais respeito ao legado político da família Milane.

Após a exoneração de Raphael Bastos do planejamento, Alan Rick preferiu o silêncio como resposta. O democrata não interferiu até agora na postura adotada por Bastos que se aproximou dos deputados Edvaldo Magalhães (PCdoB) e Fagner Calegário (PV), prometendo um balde cheio de informações que começam a ser reveladas nesta quarta-feira (15). Assim prometeu Calegário.

Quem também resolveu sair do armário usando as redes sociais foi a filha de Antônia Lúcia, a radialista Gabriela Câmara. Ela escreveu em sua página de facebook que Cameli deixou de responder pergunta feita durante o programa Fale com o governador questionando exatamente, o porquê do grupo Câmara, do PR não ter sido contemplado com nenhum cargo na estrutura de governo.

“O PR foi a luta, levantou a bandeira, fez caminhada, sonhou e batalhou junto, mas passada a eleição, o partido foi esquecido” postou Gabriela.

O tom da aspirante de missionária talvez fosse mais agressivo se ela soubesse que o deputado e Pastor Wagner Felipe é um dos últimos no ranking de contemplados com cargos no governo. É esperar os próximos capítulos.

A Casa Civil ainda não encontrou a fórmula para administrar egos e facções políticas. Assim se apresenta o MDB de Flaviano Melo, Wagner Sales, Roberto Duarte e Mazinho Serafim; o Solidariedade de Vanda Milane e Neném Almeida, o Progressistas de José Bestene e Gerlen Diniz; o PR de Antônia Lúcia e Wagner Felipe; e assim sucessivamente.

O governador Gladson Cameli ainda não disse se vai chamar para si a responsabilidade pelas novas negociações. As deliberações em torno do ex-deputado Ney Amorim e do novo líder Luiz Tchê não encontram unanimidade na base, na chamada pacificação, mas os resultados das aprovações de projetos ontem (14), animaram o Palácio Rio Branco. O chefe do executivo viajou mais aliviado para Dallas, nos Estados Unidos, onde cumpre agenda com o presidente Jair Bolsonaro.

Propaganda

Acre

Programa Ensina Brasil capacita jovens para a docência

Publicado

em

Selecionados atuarão como professores remunerados

Capacitar participantes para atuar como professores remunerados em escolas públicas ou órgãos governamentais durante dois anos. Esse é o principal objetivo do programa Ensina Brasil, que realiza formação intensiva sobre educação, didática e gestão escolar com aulas presenciais em sala de aula e acompanhamento de tutores experientes. 

O processo seletivo do Programa abrange cinco etapas. A primeira dela é preenchimento de um formulário online, informando dados sobre histórico acadêmico e atividades extracurriculares. As demais etapas envolvem um teste de múltipla escolha, perguntas dissertativas, dinâmica em grupo e entrevista. Para participar do programa o candidato deve cumprir algumas exigências estabelecidas, como possuir disponibilidade para morar fora de sua cidade. 

Requisitos

Ser brasileiro(a) nato(a) ou naturalizado(a), ter português fluente e ensino superior completo ou com previsão de graduação até dezembro de 2019, neste último há possibilidade de inscrição caso sua data de graduação tenha sido postergada para o primeiro semestre de 2020 em função de greve na sua universidade. Estes casos serão analisados posteriormente. 

Além disso, é necessário ter concluído a primeira graduação há, no máximo, 10 anos, ter disponibilidade para participar da formação inicial de 5 semanas (300 horas): 1 – Módulo presencial em São Paulo de 4 semanas em janeiro de 2020; 2 – Módulo online de 40h em Dezembro de 2019. 

Os participantes também terão que possuir disponibilidade para participar do programa de fevereiro de 2020 até dezembro de 2021 (trabalho remunerado) e morar fora de sua cidade por 2 anos, a partir de fevereiro de 2020. O participante deve estar apto para mudar de Estado caso não seja alocado no seu local de residência; os estados parceiros serão divulgados no momento da oferta.

Capacitação 

Se você já atua na área da educação e deseja se tornar um profissional mais completo, conte também com o apoio do Educa Mais Brasil. O programa possui 15 anos de atuação no mercado e já beneficiou mais de 1 milhão de pessoas com bolsas de estudo para várias modalidades de ensino. Acesse o site parceiro do programa e confira as oportunidades disponíveis na sua região. É possível encontrar pós-graduação e cursos profissionalizantes com até 70% de desconto.  

Fonte: Agência Educa Mais Brasil 

Continuar lendo

Acre

Empresa de bolacha usa Gladson como garoto propaganda; internautas condenam

Publicado

em

Se o governo não der certo, Gladson Cameli já tem uma opção no mercado de trabalho. Modelo de fábrica de bolacha.

É que a ida do governador dias atrás à Assembleia Legislativa e a sua “merenda” degustando bolacha com café tornaram Gladson Cameli garoto propaganda.

A empresa produtora da bolacha usou um print da matéria divulgada pelo ac24horas para dizer em seu Facebook que o governador acreano se rendeu ao seu produto.

Desde que apareceu comendo a bolacha fabricada no Pará que o governador Gladson Cameli tem recebido mensagem pelo face desaprovando a sua atitude. Na maioria das vezes os internautas condenam a forma como trata o produto acreano fabricado pela Miragina. Para a maioria, Gladson faz propaganda da Papaguara porque quer incluí-la na lista de produtos da merenda escolar. O governante tem ficado calado sobre as críticas.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.