Conecte-se agora

Intrigas, ameaças e rebelião na república do TCE

Publicado

em

A demissão anunciada pelo governador Gladson Cameli e depois sustada do Diretor do IMAC, André Hassem, teve como recheio principal um festival de intrigas nos bastidores entre aliados do governo, envolvendo o grupo da deputada federal Vanda Denir (SD) e o deputado Neném Almeida (SD), apoiado por outros parlamentares. A coluna teve a informação de que a demissão de Hassem se deu após um pedido endossado por quase todos os deputados e dos quais, o Neném foi uma espécie de porta-voz, na reunião da base de apoio do governo com o Gladson, no último fim de semana. O fato foi confirmado ontem à coluna pelo vice-governador Major Rocha. Entre as queixas dos parlamentares contra Hassem estaria a arrogância, só prestar contas dos seus atos para o grupo que o indicou e de não seguir as diretrizes governamentais. Após as queixas, Cameli pediu à sua secretária que acompanhava a reunião para que ligasse ao Gabinete Civil com a determinação de baixar o ato de demissão e pedisse à deputada Wanda  que indicasse outro nome para o cargo. Segundo uma fonte do governo (a deputada federal Vanda Denir não confirmou), após receber a comunicação, inconformada, ela reuniu-se com o governador, atribuindo o pedido de demissão a uma perseguição política que sofre do deputado Neném Almeida (SD) que, inclusive, receberá uma carta de autorização para deixar o SD. O argumento que teria usado é que não foi praticada nenhuma ilegalidade pelo seu afilhado Hassem. Chegou na ocasião a anunciar de que, caso a demissão fosse mantida não indicaria substituto e entregaria todos os cargos que seu grupo tem no governo, entre eles, a Secretaria de Meio-Ambiente. Isso fez com que o Gladson voltasse atrás, mas redundou numa rebelião entre deputados da base de apoio ao governo que insistem na demissão. Para hoje foi marcada uma reunião da bancada, para debater o puxa-encolhe no caso do IMAC.

PRECISA MAIS DE QUEM?
Na reunião marcada para hoje da bancada estadual um grupo majoritário de deputados deve se manifestar exigindo do governador Gladson Cameli para que mantenha a demissão de André Hassem do IMAC. “Quem vai votar os projetos do governo na Assembléia Legislativa e a Wanda ou nós deputados? É isso que o governador tem de escolher”, disse um deles à coluna.

MÃOS ATADAS
O governador em exercício, Major Rocha, disse ontem que as reivindicações dos deputados sobre o IMAC são justas. “Não posso é atropelar uma decisão tomada e recuada pelo Gladson”, explicou Rocha. E acentuou: “o pedido de demissão não veio só deputado Neném Almeida, mas de quase todos os deputados”. Este fato pode fazer fracassar as tentativas de unidade da base de apoio.

NOTA DA DEPUTADA WANDA
A deputada federal Wanda Milani (SD) preferiu se manifestar sobre o episódio em uma nota: “Luis Carlos. Até o momento não é do meu conhecimento nenhum ato que desabone a sua conduta (André Hassem) frente ao IMAC, assim sendo, ou até que provem o contrário, ele é o nome que temos para chefiar o Instituto, não podemos seu pautados por grupos políticos sejam eles A ou B. No momento que se tenha prova de cometimento de qualquer ação que não esteja de acordo com as metas propostas por nosso governo, seja ele ou qualquer outro cargo de nossa indicação deverá ser substituído. Fico à sua disposição. Deputada Vanda Milani”

CONFUSÃO ESTÁ FORMADA
O certo é que a confusão entre o grupo da deputada federal Vanda Milani (SD) e o grupo de deputados ligados ao deputado Neném Almeida (SD) está formada. Não dá para se prever a reação dos deputados com o recuo do governador Gladson Cameli, nas votações na ALEAC.

PROJETOS IMPORTANTES
E existem projetos importantes para serem votados na ALEAC, entre eles, a nova reforma administrativa.

MAL DIVIDIDO
Perguntei ontem a uma importante figura do poder o motivo pelo qual alguns deputados da base governista estão descontentes com o governo, e a resposta foi taxativa: “dividiram mal os cargos. Tem deputado com muitos cargos e outros com poucos cargos e não tem mais CECs”.

DOIS GRUPOS
Ficaram na Assembléia Legislativa dois grupos dentro da base do governo, os dos “Gulosos” e os da “Pindaíba”. E o complicado é que os votos de todos os deputados têm o mesmo peso.

FIÉIS E APROVEITADORES
Na “Marcha para Jesus”, uma espécie de carnaval gospel dos evangélicos, que reuniu uma grande multidão, o que se deu para notar é que virou um encontro de aparições políticas. Os que foram por serem evangélicos fiéis e os políticos que não são e foram para aparecer. Os últimos, num bom número.

UM EXPOENTE A CADA MARCHA
Ao longo das “Marchas para Jesus” os grandes homenageados foram sendo trocados. Nas anteriores os Vianas e o Marcus Alexandre foram as estrelas, e na Marcha da semana passada o grande queridinho virou o governador Gladson Cameli. O certo é que os petistas já vinham perdendo a cada eleição o chamado voto evangélico.

REI MORTO, REI POSTO
Quem apareceu na “Marcha para Jesus”, mas de formas discreta, sem o batalhão que o cercava quando era prefeito de Rio Branco foi o ex-prefeito Marcus Alexandre (PT). A velha história do rei morto, rei posto. Se tivesse ganhado a eleição, seria o dono da festa.

SÍNDROME DA RAINHA VERMELHA
Este governo está com a síndrome da “Rainha Vermelha”, a personagem da obra “As Aventuras de Alice no País das Maravilhas; que, quando era contrariada, aos gritos, bradava: “cortem a cabeça, cortem a cabeça…. Nestes cinco meses desta gestão rolaram cinco cabeças do primeiro escalão. E antes de viajar me disse o Cameli que, novos secretários podem rodar na volta.

PREFEITURA NAS RUAS
A prefeita de Brasiléia, Fernanda Hassem, deverá lançar nos próximos dias uma grande ação de verão para a recuperação de ruas, drenagem e limpeza da cidade. O interessante é que o trabalho será bancado por recursos próprios, o que é sinal de uma boa gestão financeira.

PLANEJANDO DÁ CERTO
Ainda recentemente a prefeita Fernanda Hassem promoveu a ação “Brasiléia Mais Saúde”, um programa com médicos especialistas, que atendeu mais de mil pessoas no município, com consultas realizações de exames e distribuição de medicamentos. Não fica a chorar miséria

É CEDO PARA A FESTA
O ex-senador Jorge Viana (PT) vem fazendo a coisa certinha. Sabe que este ano não se resolve nada politicamente, por isso evita entrar na discussão de candidatos a prefeito. Está deixando para entrar no jogo no próximo ano, quando se conhecerá quem será quem para a PMRB.

AFASTA DE MIM ESTE CÁLICE
O vice-governador Rocha alega que não será candidato a prefeito de Rio Branco porque o partido tem de conquistar novos espaços mantendo os atuais. Trabalha firme em fazer do professor Minoru Kinpara o candidato tucano à PMRB. Quase impossível unir todos os aliados. É visto por boa parte dos aliados do Gladson Cameli como “Cavalo de Tróia” da oposição.

EVITANDO CONVERSA
O senador Sérgio Petecão (PSD) tem se recusado atender os acenos do professor Minoru Kinpara para uma conversa sobre a sucessão. Petecão tem fugido desta discussão este ano como o Diabo foge da cruz. Não quer assumir compromisso antes de conhecer o cenário.

MALANDRAGEM PERDE!
O senador Petecão (PSD) conta que o anão Montana Jack, o que tem de pequeno ganhou em malandragem política. Quando sabe que um deputado vai visitar o Petecão, acessa o site do TRE-AC, decora o número do candidato, e o recebe na porta dizendo: “votei em você!”. E, em seguida diz o número com o qual disputou a eleição. O deputado sai alegre e acreditando.

NÃO DISSERAM A QUE VIERAM
Na verdade muitos dos secretários, assessores especiais, não disseram o que foram fazer no atual governo. Se o Gladson Cameli acionar a guilhotina de novo o fará com justa razão. E quem não nota as suas presenças, notará as suas faltas.

STAND BY
Até o fechamento da coluna, a anunciada demissão do secretário de Agricultura, Paulo Wadt, não tinha sido publicada no Diário Oficial. Novo recuo da Gladson Cameli à sua degola?

BICHO NA CAPAÇÃO
A deputada federal Mara Rocha (PSDB), que foi madrinha da indicação, é quem mais pede a demissão do secretário de Agricultura, Paulo Wadt.  Quem pariu Mateus, embale!

PAULADA NO LOMBO
Quem acompanha o trabalho do deputado Roberto Duarte (MDB), a quem respeito como um parlamentar qualificado, e leu sua última entrevista no jornal OPINIÃO, não tem como separar a sua imagem de ser hoje um dos mais ferrenhos opositores ao governo Gladson Cameli. E oposição dura!

É MUITO DESPRESTÍGIO
Sete dos oito deputados federais e os três senadores acreanos não poupam elogios ao presidente Jair Bolsonaro. E este como troco não coloca o Acre entre os Estados prioritários para receber ajuda do governo federal. Isso é porque precisa dos votos para aprovar a PEC da Previdência. Já diz o velho ditado de que, quem muito se abaixa o fundo aparece.

ATÉ QUE ENFIM
Enfim, os donos de Postos de Gasolina serão investigados pelo MP por preços abusivos.

NOVO IMPASSE
Quando as coisas estavam caminhando para uma afinação da base de apoio ao governo na Assembléia Legislativa, que terá votações importantes como a do ACREPREVIDÊNCIA, AGEACRE, nova Reforma Administrativa, após a briga pelo IMAC, tudo voltou à estaca zero.

Propaganda

Blog do Crica

Saber o que o Gladson pensa é acertar na loteria 

Publicado

em

O governador Gladson Cameli tem dito de que primeiro vai avaliar os resultados de pesquisas que vai mandar fazer para medir a popularidade dos candidatos a prefeito de Rio Branco, para saber se algum dos nomes que estão se colocando à disposição para disputar a PMRB, aparecerá bem avaliado. Se não aparecer, ele deve sepultar de vez a Ideia da candidatura própria do PROGRESSISTAS, para apoiar. Até ai morreu Nero. Se nenhum nome não decolar vai restar ao governador duas vertentes: a da prudência, não apoiando ninguém do seu campo no primeiro turno, deixando para apoiar no segundo turno, ou o caminho estabanado da contenda com os aliados, já tendo uma candidatura debaixo do braço no primeiro turno. Como o Gladson é um ser político que age por impulso, indecifrável, difícil saber que caminho tomará na eleição municipal para a prefeitura de Rio Branco. A eleição de 2020 tem reflexos em 2022. Agora, saber o que o Gladson pensa para esta eleição, é tão difícil de acertar como na MEGA.

O FILHO É DO ROCHA

O governador Gladson Cameli abriu mão da sua autoridade e fez do vice Major Rocha o tutor da Segurança, com carta-branca para nomear e demitir. A violência desandou sem controle na capital. E o Rocha tem fugido deste debate, mas é dele que as soluções devem ser cobradas.

PASSOU DO TOLERÁVEL

Todo mundo sabia que a questão da violência não dizia respeito a partido político, mas a chapa Gladson-Rocha vendeu para a população na campanha que o crime organizado tinha tomado conta da cidade por culpa do governo do PT. E a gestão atual não difere em nada da que saiu.

CONTINUA PERDENDO

O governo passado perdeu a guerra contra o crime organizado, e a gestão atual também está perdendo. Vamos cruzar os dedos para que a estratégia de mais presença policial nos bairros dê certo. Quem tem de resolver é o Estado. Intervenção federal é apelar para o populismo.

NÃO SOU EXPERT, MAS SOU POVO

Não sou expert em segurança pública, mas não é preciso ser para se sentir que a violência na capital está deixando a população acuada. Os assaltos já são na cara limpa e durante o dia. Não se quer milagres, mas apenas que as ações levem à população a sensação de segurança.

NÃO PODEMOS PERDER A INDIGNAÇÃO

O que aconteceu com o jornalista Rogério Venceslau e um grupo de pessoas, vítimas ontem de um arrastão em frente a um restaurante, às 10 horas da manhã, é algo que virou rotina. Para completar, uma família foi fuzilada em casa. Não podemos perder nunca a indignação.

AFASTANDO O DESGASTE

A prefeita Socorro Neri deu mostra de que quer uma solução para o transporte público que não seja o reajuste das passagens, por isso a iniciativa de se discutir o assunto em Audiência Pública com os envolvidos e a população. Um reajuste seria um baque na sua popularidade.

NADA MAIS ANTIPÁTICA

Não haveria medida mais antipática à população e com reflexos na imagem da prefeita Socorro Neri do que ela sancionar o aumento do preço das passagens num ano eleitoral.

SERIA A FESTA

Não extrapola o deputado Daniel Zen (PT) no seu artigo quando diz que, os dois projetos da deputada federal Mara Rocha (PSDB) – que reduz o tamanho da Reserva Chico Mendes e o que transforma em APA o Parque Nacional da Serra do Divisor, se aprovados, seriam a festa para grileiros e latifundiários transformarem as duas unidades em regiões devastadas.

O QUE MOVE ISSO?

 A manutenção do Parque da Serra do Divisor em nada impede a rodovia Cruzeiro – Pucallpa.

QUE NÃO SEJA FOGO DE PALHA

A SESACRE está com um mutirão de cirurgias em Senador Guiomard e levando os serviços para o Alto Acre. Aos poucos o secretário Alysson Bestene vai derrubando entraves antigos e que emperram a gestão, como a fila de cirurgias. Tomara que não seja o chamado fogo de palha.

NÃO PODE IR ALÉM DISSO

A ASSECOM deu á Agência de Notícias do Acre uma dinâmica com farto material de atos do governo, bem escrito, mas não pode ir além, porque não há com os órgãos de imprensa da iniciativa privada nada que os obrigue ao aproveitamento do material. E assim caminha.

PROTETOR DO CPF

Há segmentos políticos que torcem a cara para o chefe do gabinete civil, Ribamar Trindade, mas a sua permanência no cargo tem como um dos princípios pontos básicos, não deixar que o CPF do governador pegue alguma nódoa por conta de ato administrativo errado. Cumpre bem.

VERDUREIRO SEM VERDURA

Enquanto o pré- candidato a prefeito da capital, secretário Thiago Caetano, não conseguir que o governador Gladson se manifeste publicamente a favor da sua candidatura, o Thiago vai continuar a ser o verdureiro que oferece verduras sem ter nem cheiro-verde na sua banca.

MEMÓRIA FRESCA

Seja com qual for o nome o PT vai ter dificuldade na campanha deste ano para a prefeitura de Rio Branco. Não só pela falta de um nome forte para a disputa, mas também por estar muito vivo na memória do acreano da capital, principalmente, o fraco último governo dos petistas.

NÃO PODE FICAR FORA

Mas, ainda com toda a dificuldade de rejeição que vai enfrentar, o PT não poderá deixar de ter candidato próprio para a prefeitura de Rio Branco. É o maior partido da oposição e com certeza deverá vir orientação da direção nacional para que nas capitais o PT tenha candidato.

DEBANDADA CONTINUA

Continua forte a debandada de lideranças do PT. Agora foi a antiga militante, Socorro Lima, que foi presidente do partido, a pular do barco, e anunciar a entrada no PSB. Socorro sentiu na pele quando foi candidata a rejeição interna de apoio, por não integrar os grupos dominantes.

QUEBROU TODAS AS PONTES

A avaliação do grupo mais fechado do poder é de que pela sua belicosidade com o governo, o deputado Roberto Duarte (MDB) quebrou todas as pontes para vir a ter um apoio do governador Gladson Cameli na eleição. Duarte não deu trégua em 2019 e não vai dar em 2020.

CUMPRINDO AS METAS

O secretário do Meio Ambiente, Israel Milani, chegou ao cargo rotulado como representante do agronegócio e com desconfiança dos setores ambientais. Quebrou todos os paradigmas, não protege setores, segue a lei, e virou um dos destaques do governo do Cameli.

PESQUISAS VÃO NORTEAR

O que vai nortear se o prefeito de Senador Guiomard, André Maia, disputará ou não a reeleição serão as rodadas de pesquisas próximas da convenção partidária. Se aparecer com boa aceitação tem o aval do senador Sérgio Petecão (PSD) para disputar pelo PSD.

SHOW DE AMADORISMO

A oposição está dando um show de amadorismo em Xapuri ao lançar vários candidatos a prefeito, porque com a enxurrada de nomes só vai favorecer o prefeito Bira Vasconcelos (PT).

É QUEM VAI DITAR

Sites, ZAP, BLOGS, enfim, as redes sociais, se usados com inteligência, serão os instrumentos mais poderosos da campanha para a prefeitura da capital e para a Câmara Municipal de Rio Branco. Uma notícia nestes espaços atinge em tempo real milhares de internautas.

 TUDO TEVE SEU TEMPO

Tudo teve seu tempo. Ainda peguei o tempo em que o jornal impresso fazia o poder tremer e tinha uma importância eleitoral grande, hoje sucumbiu a modernidade e é pouco lido.

MAIS UMA CHACINA?

Os quatro baleados na SOBRAL estão em estado gravíssimo no PS. Caso venham a falecer se terá a segunda chacina somente neste mês de janeiro. A guerra entre as facções recrudesceu.

FLUACRE

Torcedores do time mais seletivo do Brasil, o nosso glorioso tricolor das laranjeiras, o Fluminense, fará no próximo dia 9, na capital, um encontro da torcida FLUACRE, com feijoada, e poderá ter a presença do eterno ídolo Romerito. Falar com o Eduardo no ZAP 99997-3153.

ONDE O PT FOR

Em Rio Branco, o destino do PCdoB na eleição não tem muito mistério. Edvaldo Magalhães e companhia limitada deverão estar no mesmo palanque em que o PT estiver. E, ponto final.

PARA TODOS OS GOSTOS

A eleição para a prefeitura de Rio Branco terá profissionais para todos os gostos. Entre os candidatos estarão professores, advogados, engenheiro, jornalista e deputado.

CANDIDATURA CONFIRMADA

Confirmado que o ex-deputado Jamil Asfury disputará a PMRB pelo PSC.

NÃO APOSTE NA HIPÓTESE

O presidente regional do PSB, César Messias, é um “vianista juramentado”, mas não esperem que na reunião programada pelo PT com ele, vá desautorizar a candidatura da prefeita Socorro Neri (PSB), como sonha segmento petista. Não há como brecar uma candidatura legítima.

 APOSTANDO EM 2022

A mira do deputado Jenilson Lopes (PSB) é a reeleição da prefeita Socorro Neri e, com isso alavancar uma candidatura sua a deputado federal em 2022. Sonha com vôos mais altos.

CURIÓ EM MUDA

Depois da trombada com a prefeita Socorro Neri o ex-senador Jorge Viana deu uma recuada nas articulações para a formação de uma chapa próprio do PT para a eleição de prefeito da capital. Deve deixar a poeira baixar, ver a posição oficial do PSB, para emergir novamente.

FRASE DO DIA

“Nada mais cretino e mais cretinizante do que a paixão política. É a única paixão sem grandeza, a púnica que é capaz de imbecilizar o homem”. Nelson Rodrigues, dramaturgo e jornalista.

Continuar lendo

Blog do Crica

Secretário quer polícia próxima da comunidade 

Publicado

em

A nova estratégia da secretaria de Segurança Pública, anunciada pelo secretário Paulo Cézar, de regionalização das atividades, prevê os policiais civis e militares numa maior interação com as comunidades dos bairros. O secretário explica que esta é uma iniciativa que vem dando certo e será aplicada no sistema, uma espécie de gestão em que os problemas na área da segurança passem em primeira mão pelos delegados que comandam as Delegacias Regionais e pelos comandantes dos batalhões da PM. A delegação de competência – explica – fará com que os policiais atuem com um maior conhecimento da área em que trabalham, sabendo quem são os que comandam o crime na região e atuando de forma mais imediata para barrar estes criminosos. Acha que com isso a polícia passa a ficar mais próxima dos moradores e ganhando a confiança de que está na área para lhes dar proteção. Paulo Cézar disse que, assim vai se conhecer a causa dos problemas e que a afinação polícia-povo é o modelo mais moderno do mundo, porque o policial passa a se inteirar dos problemas daquelas localidades e buscar resolver no local. O policial tem de conhecer os criminosos dos territórios em que atuam, diz Paulo Cézar, e para isso terão uma delegação de competência para prevenir e resolver os crimes. Também promete agregar ao plano a tecnologia, para permitir que os policiais façam os registros nas delegacias regionais. O principal de tudo, diz Paulo Cézar, é buscar uma aproximação em que os moradores dos bairros conheçam os policiais e os policiais os moradores. É uma forma também do policial ganhar a confiança da população. O secretário espera com isso dar mais agilidade na descoberta dos infratores e ter uma ação eficaz.

A CONFIANÇA É ESSENCIAL

Alguma coisa tinha de ser feita para mudar a estratégia de combate ao crime organizado, vinha defendendo neste BLOG. E a iniciativa do secretário Paulo Cézar de regionalizar as ações, uma espécie de polícia comunitária, mais próxima do povo, merece de pronto a credibilidade.

BRECAR NA ORIGEM

Dando certo, poderá prevenir muitas das ações comandadas pelo crime organizado na cidade.

UMA FORMA DE INIBIÇÃO

Com as equipes de policiais limitando a sua atuação aos bairros em que trabalham, isso vai lhes proporcionar detectar com maior rapidez os pontos em que se cometem os ilícitos penais.

RETORNO DIFÍCIL

Os dirigentes petistas esperam a chegada do presidente regional do PSB, ex-deputado federal César Messias, para ouvir dele a sua posição sobre o afastamento da prefeita Socorro Neri de uma aliança com o PT. Mesmo sendo vianista juramentado, não creio que o César trombará com a decisão da prefeita. E, ninguém se engane: o PT trabalha a candidatura própria à PMRB.

PLANO A

O PT nunca teve outro plano que não fosse a candidatura própria à PMRB, por ser o maior partido da oposição da capital, só que a meta era a prefeita Socorro Neri não ser candidata, e apoiar um nome como o do ex-prefeito Angelim, que na verdade sempre foi a plano A do PT.

QUEM É COXO PARTE CEDO

O PSL foi o primeiro partido a se mobiliar na rua na disputa da PMRB. Quem é coxo parte cedo, diz o ditado. Por não ter a estrutura dos grandes partidos, está certo em ir ao corpo a corpo.

FORÇA DA LEGISLAÇÃO

O recorde de candidaturas já anunciadas para a prefeitura de Rio Branco era esperado, principalmente, entre os pequenos partidos que precisam ter um patamar de votos, chegar ao teto da Cláusula de Barreira, para não sumirem e virarem  siglas cartoriais. 

MOTIVO TEVE NO PASSADO

O deputado Jonas Lima (PT) não vai deixar o partido, é inclusive, o seu coordenador na região do Juruá. Não saiu quando teve a sua presença barrada pelo ex-governador Tião Viana numa reunião com sua base na ALEAC, fato humilhante, não seria agora que deixaria sem motivo.

“MUITA MERDA”

Fonte política não se revela quando a conversa é informal. Um amigo da alta cúpula petista comentou esta semana num papo que tivemos que, debita a saída de petistas importantes, ex-prefeitos, ex-deputados, o que qualificou: “muita merda que fizemos na última campanha”.

O PROBLEMA É O BLEFE

Não deve demorar muito para que o deputado Luiz Tchê (PDT) anuncie que o seu partido terá candidato próprio a prefeito de Rio Branco. Dentro do contexto da legislação seria a lógica, o problema é que o Tchê costuma a blefar com lançamento de candidaturas majoritárias.

DUPLA AFINADA

Não será surpresa se o prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro, bisar na reeleição uma chapa tendo de companheiro o seu atual vice Zequinha, por estarem afinados na gestão.

SABE O CAMINHO DAS PEDRAS

Ouvi de quem conhece bem o eleitorado de Marechal Taumaturgo, que a candidatura do ex-prefeito Itamar de Sá (PT), na disputa daquela prefeitura, é competitiva, por conhecer o eleitorado da região, e saber quem são as suas maiores lideranças. A pergunta: terá estrutura?

FATO EMBLEMÁTICO

Na política, os adversários de hoje poderão ser os aliados de amanhã. É o caso do petista de raiz, ex-prefeito Zé Maria, que disputará este ano a prefeitura de Porto Acre pelo MDB.

NADA IMPROVÁVEL

Uma chapa formada por Roberto Duarte (MDB) como candidato a prefeito de Rio Branco, tendo Marfisa Galvão (PSD) de vice, não é nada improvável. Até porque jogaria o senador Sérgio Petecão (PSD) de cabeça na campanha. E a aliança MDB e PSD tende a acontecer.

POLARIZAÇÃO CERTA

Em Sena Madureira, a polarização é certa entre o prefeito Mazinho Serafim (MDB) e a ex-prefeita Toinha Vieira (PSDB). O PT tende a não ter candidato próprio a prefeito, e neste caso a escolha de apoio difícil de acontecer é com o PSDB, pela versão ao vice-governador Rocha.

FATURA SER COBRADA

O deputado Gerlen Diniz (PROGRESSISTAS) não é nenhum amador em política. Sabe que ficando na liderança do governo na ALEAC poderá em 2022, cobrar a fatura de apoio do governador Gladson Cameli a uma candidatura a deputado federal, que vem a ser o seu sonho.

DESAFIO A SER ENFRENTADO

Fora do poder o PT não terá muitos atrativos para montar uma forte chapa de candidatos vereadores de Rio Branco por não ter o que a oferecer, como tinha nos últimos 20 anos, onde escalava secretárias para bancar candidaturas. É um desafio a ser enfrentado pelo partido.

CANDIDATURAS SETORIZADAS

Não se sabe como será composta a chapa do PT para a Câmara Municipal de Rio Branco, mas seja qual for terá os vereadores Antonio Moraes (PT) e Rodrigo Forneck (PT), como favoritos. Moraes por ter redutos sedimentados, e Rodrigo porque será prioridade do comando do PT.

PODE FECHAR EM 20

O MDB pode fechar em vinte os candidatos disputando prefeituras, inclusive, tendo nos dois maiores colégios eleitorais do Estado, Cruzeiro do Sul e Rio Branco. O MDB deve sair desta eleição maior do que entrou. E neste caso, estará com cartas para pôr na mesa da sucessão em 2022.

NADA ALÉM DA PROMESSA

O governador Gladson Cameli prometeu que a partir de agora irá fazer política, porque entramos no ano eleitoral. Mas, até o momento ficou na promessa, por não ter feito nenhum movimento que possa a vir modificar o quadro da disputa da PMRB no seu campo de aliados.

SERÁ PERFUMARIA

O MDB, PSDB e SD já definiram que terão candidatos próprios à prefeitura de Rio Branco. Isso o Gladson não vai conseguir mudar. O que poderia ser uma novidade seria a de anunciar que o seu partido também terá candidato a prefeito da capital. Fora isso será perfumaria.

 FRASE DO DIA

“Que continuemos a nos omitir da política é tudo o que os malfeitores da vida pública mais querem”. Bertolt Brecht.

 

 

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required
Propaganda
Propaganda

Leia Também

Mais lidas