Conecte-se agora

Gato escaldado tem medo de água fria

Publicado

em

A posição cautelosa do professor Minoru Kinpara (foto) em não ter se filiado ao PSDB, mesmo com os convites nos bastidores e os de público, como o de ontem num café da manhã, que lhe foi oferecido pelos tucanos, tem um sentido de preservação: gato escaldado tem medo de água fria, diz o ditado. É que as regras entre os partidos aliados ao governador Gladson Cameli não são claras. Mudam ao passar do vento. Resta lembrar o episódio em que, ele foi convidado para ser o secretário de Educação do Estado e desconvidado em seguida. A primeira pergunta que poderia ser feita neste episódio de puxa e encolhe com o seu nome é saber se, ele sendo candidato à PMRB, teria o apoio do Gladson, afinal, com a máquina estatal nas mãos, é o maior eleitor entre os partidos aliados? Se não tiver, já é um complicador. Um argumento que pesa contra é chegar de um partido que foi oposição na eleição governamental já sentando na poltrona da janela. E esse questionamento, com certeza, vai sofrer dos aliados. Até que ponto pode confiar nos tucanos? É outro ângulo a ser ponderado. A eleição somente será no próximo ano. Até lá, muita coisa pode acontecer. Quem é que lhe assegura que o vice-governador Major Rocha não chegará no próximo ano e dirá que resolveu disputar a PMRB? Do Rocha não duvido de nada! Por tudo isso, o Minoru Kinpara está certo em não ser açodado numa filiação. Porque depois de estar filiado e ser rifado, ficaria difícil sair para procurar outro partido. E existem outras perguntas a serem respondidas: Como ficaria o DEM do deputado federal Alan Rick, nesta novela? E o SOLIDARIEDADE da deputada federal Vanda Denir? O PSD do Sérgio Petecão e o seu caminhão de votos entrarão onde neste contexto? São componentes importantes que têm de ser consultados. Minoru, quando a esmola é grande demais o cego tem de desconfiar. Já diz o antigo, mas sempre aplicável ditado. E o valor dessa esmola é alto.

OUTRO CONTEXTO
Um aspecto que ninguém está discutindo é que a boa votação do professor Minoru Kinpara se deu num contexto diferente de uma disputa do Senado, onde o PT estava rachado no meio, e que muitos dos seus votos carreados vieram deste racha. Não se tira os méritos da sua votação, mas a disputa da PMRB tem componentes próprios e é disputada no sistema bruto.

O BURACO É MAIS EMBAIXO
Na disputa do Senado o Minoru Kinpara não sofreu fustigação, correu em raia livre e sem ataques dos adversários. Para a prefeitura o buraco é mais embaixo, é pau para lamber sabão e pau para saber que sabão não se come. Pode preparar o lombo, se candidato vier a ser.

“É VENDER GELADEIRA NO POLO NORTE”
Liguei ontem para uma figura do andar de cima do governo e perguntei o que achava do episódio, e se o PSDB conseguiria fazer o professor Minoru Kinpara o candidato único da aliança que elegeu  o Gladson Cameli ao governo. Riu e respondeu: “é mais fácil vender geladeira no Polo Norte”.

PONDERAÇÕES FEITAS
E durante a conversa, ele fez uma série de ponderações. Uma delas: “como o Gladson Cameli conseguiria explicar que o seu candidato a prefeito da capital é alguém que foi presidente do PT e disputou o Senado por um partido de oposição, a REDE da Marina Silva”? E concluiu que, isso seria o mesmo que reconhecer que nos aliados há não nomes capazes para a missão de tentar ganhar a eleição para a  prefeitura da capital.

MUITO PREMATURO
Tudo o que se conversar este ano sobre candidaturas a prefeito é muito prematuro.

PASSO IMPORTANTE
O café da manhã de ontem do governador Gladson Cameli com a sua base de apoio era um ponto que estava faltando para que tenha uma maioria folgada e fiel na Assembléia Legislativa. Diálogo, muito diálogo! É que até aqui estava tudo solto. O governo vai chegar aos 16 deputados no grupo.

FATOS A SEREM RESSALTADOS
Dois fatos devem ser ressaltados no café da manhã dos deputados com o governador: o secretário Ney Amorim passa até que enfim a ter um papel na interlocução do governo com a ALEAC e os secretários serão enquadrados para buscar uma afinação com os parlamentares.

ESTAVA VIRANDO UMA BAGUNÇA
O pouco caso dos secretários com os deputados tinha chegado a um ponto que estava virando uma bagunça. Não respondiam aos requerimentos com pedido de informação, não atendiam telefonemas, e quando atendiam ficavam de retornar a ligação e não retornavam. Não pode!

MÁQUINA NA PISTA
O secretário de Infraestrutura, Thiago Caetano, foi o verão chegar e colocou as máquinas na pista e deu inícios aos trabalhos de recuperação da estrada que liga a capital à Senador Guiomard. Aliás, pedido que vinha sendo feito pela senadora Mailza Gomes (PROGRESSISTAS).

APOSTA A SER FEITA
Se existe uma aposta a qual o Gladson deveria bancar, dando-lhe uma estrutura de mídia para divulgar os seus trabalhos, é o secretário de Infraestrutura, Thiago Caetano, porque as grandes obras do Estado passam pela sua secretaria. E se tudo der certo, ganha a imagem do governo.

NOMES
O empresário Hugo (PDT) e o vereador Lauro Benigno (PCdoB) estão na longa lista de nomes que são falados para disputar a prefeitura de Tarauacá na eleição do próximo ano.

NEM TEM DE FALAR
A prefeita Socorro Neri nem fala sobre se será candidata à reeleição ou não. E não tem mesmo que falar quando falta bem mais de um ano para a sua sucessão. O foco central tem de ser na recuperação das ruas de Rio Branco. Candidatura é para discutir no meado do ano eleitoral.

UMA OBSERVAÇÃO
Numa conversa política com o senador Márcio Bittar (MDB), que sabe fazer leitura de campanha; avaliou que, se a prefeita Socorro Neri pegar um vento crescente, tiver o apoio do PT e PCdoB, ela é um nome que pode chegar ao segundo turno da eleição, por estar no poder.

SEM OLHAR A QUEM
O senador Márcio Bittar (MDB), inclusive, destinou 4 milhões de reais de emendas à PMRB.

CURIÓ DE MUDA
O senador Sérgio Petecão (PSD) me disse ontem que sobre eleição para a prefeitura de Rio Branco está igual “curió de muda”, não dá um pio.  Diz que a sua preocupação este ano é a de montar chapas fortes de vereadores em todos os municípios, principalmente, na capital.

NÃO TENHO MAIS IDADE PARA ERRAR NA POLÍTICA
Com uma chapa competitiva de vereadores na capital, eu vou me sentar à mesa bem mais forte de que se sentar agora, avaliou ontem o senador Sérgio Petecão (PSD). “Por isso, Luis Carlos, é que ninguém vai arrancar um gesto meu de apoio a qualquer candidato a prefeito de Rio Branco este ano”, avisou. E completou irônico: “esses meninos estão apressados demais e eu não tenho idade de jovem para ficar errando na política”. Até escuto, mas não falo, avisou

ALGUÉM RESPONDE?
E concluiu Petecão: “quem é que de fato o Gladson vai apoiar para a prefeitura de Rio Branco? Eu não sei! Por isso é muito cedo para estar se falando em nomes para a eleição no outro ano”.

NÚCLEO DURO
O núcleo duro da oposição na ALEAC, pelo que se escuta nos discursos contra o governador Gladson Cameli, já está formado, é experiente e bom de debate: deputados Edvaldo Magalhães (PCdoB), Roberto Duarte (MDB), Daniel Zen (PT) e Jenilson Lope (PCdoB).

NADA ANÔNIMO
As informações sobre supostas propinas pedidas por um assessor da Saúde tinham chegado à coluna, mas coloquei na gaveta porque não podia sustentar nada com o denunciante anônimo. Por qual razão não fez a denúncia logo em seguida do suposto ato de pressão por  propina?

NOME REVELADO
Como é que se vai abrir um processo de investigação se não se sabe o nome da suposto vítima de extorsão? Não existe corrupção sem corrupto e corruptor. Tem que chamar o denunciante para depor, se é que existe de fato e colocar tudo em pratos limpos para a opinião pública.

MUITO COMPLICADA
A situação da oposição em Brasiléia é complicada, porque as suas principais cabeças estão quase todas sofrendo processos judiciais, o que torna grupo de opositores frágil. Nenhum dos nomes antigos da oposição no município tem cacife para derrotar a prefeita Fernanda Hasem.

NÃO FAZ MÁ GESTÃO
O que torna a missão de derrotar a prefeita de Brasiléia Fernanda Hassem mais difícil para a oposição, além de estar espatifada, é que ela faz uma administração que alia as ações municipais às ações políticas. A Fernanda tem sido esperta ao não ficar só no gabinete.

OS TRES MOSQUETEIROS
Jorge Viana, Raimundo Angelim e Marcus Alexandre formam hoje dentro do PT o grupo que mais tem conversado sobre política. Na verdade é o que sobrou da última derrota e que pode comandar uma tentativa de reanimar o finado PT. Todos eles, ex-prefeitos de Rio Branco e bem avaliados em suas gestões. Pergunta: já pediram licença ao grupo da DR?

É CEDO PARA FESTA, OS MÚSICO NEM CHEGARAM
As discussões, os lançamentos de candidatos, cafés da manhã, convite para filiações, como pano de fundo para abrir o debate da eleição de prefeito de Rio Branco é como fazer carnaval antes da orquestra chegar, apenas ao som de um bumbo furado. Ninguém sabe de fato quem é que o governador Gladson Cameli vai apoiar na disputa da PMRB. E o seu apoio será importante porque a máquina estatal tem peso numa disputa municipal. A eleição é em 2020. Estamos em 2019. O senador Sérgio Petecão (PSD) é quem está mais certo de somente abrir uma discussão sobre candidaturas à PMRB no ano vindouro e depois de montar a sua chapa de candidatos a vereador. Ficar se declarando agora que é candidato é como dar tiro no pé.

Propaganda

Blog do Crica

Saber o que o Gladson pensa é acertar na loteria 

Publicado

em

O governador Gladson Cameli tem dito de que primeiro vai avaliar os resultados de pesquisas que vai mandar fazer para medir a popularidade dos candidatos a prefeito de Rio Branco, para saber se algum dos nomes que estão se colocando à disposição para disputar a PMRB, aparecerá bem avaliado. Se não aparecer, ele deve sepultar de vez a Ideia da candidatura própria do PROGRESSISTAS, para apoiar. Até ai morreu Nero. Se nenhum nome não decolar vai restar ao governador duas vertentes: a da prudência, não apoiando ninguém do seu campo no primeiro turno, deixando para apoiar no segundo turno, ou o caminho estabanado da contenda com os aliados, já tendo uma candidatura debaixo do braço no primeiro turno. Como o Gladson é um ser político que age por impulso, indecifrável, difícil saber que caminho tomará na eleição municipal para a prefeitura de Rio Branco. A eleição de 2020 tem reflexos em 2022. Agora, saber o que o Gladson pensa para esta eleição, é tão difícil de acertar como na MEGA.

O FILHO É DO ROCHA

O governador Gladson Cameli abriu mão da sua autoridade e fez do vice Major Rocha o tutor da Segurança, com carta-branca para nomear e demitir. A violência desandou sem controle na capital. E o Rocha tem fugido deste debate, mas é dele que as soluções devem ser cobradas.

PASSOU DO TOLERÁVEL

Todo mundo sabia que a questão da violência não dizia respeito a partido político, mas a chapa Gladson-Rocha vendeu para a população na campanha que o crime organizado tinha tomado conta da cidade por culpa do governo do PT. E a gestão atual não difere em nada da que saiu.

CONTINUA PERDENDO

O governo passado perdeu a guerra contra o crime organizado, e a gestão atual também está perdendo. Vamos cruzar os dedos para que a estratégia de mais presença policial nos bairros dê certo. Quem tem de resolver é o Estado. Intervenção federal é apelar para o populismo.

NÃO SOU EXPERT, MAS SOU POVO

Não sou expert em segurança pública, mas não é preciso ser para se sentir que a violência na capital está deixando a população acuada. Os assaltos já são na cara limpa e durante o dia. Não se quer milagres, mas apenas que as ações levem à população a sensação de segurança.

NÃO PODEMOS PERDER A INDIGNAÇÃO

O que aconteceu com o jornalista Rogério Venceslau e um grupo de pessoas, vítimas ontem de um arrastão em frente a um restaurante, às 10 horas da manhã, é algo que virou rotina. Para completar, uma família foi fuzilada em casa. Não podemos perder nunca a indignação.

AFASTANDO O DESGASTE

A prefeita Socorro Neri deu mostra de que quer uma solução para o transporte público que não seja o reajuste das passagens, por isso a iniciativa de se discutir o assunto em Audiência Pública com os envolvidos e a população. Um reajuste seria um baque na sua popularidade.

NADA MAIS ANTIPÁTICA

Não haveria medida mais antipática à população e com reflexos na imagem da prefeita Socorro Neri do que ela sancionar o aumento do preço das passagens num ano eleitoral.

SERIA A FESTA

Não extrapola o deputado Daniel Zen (PT) no seu artigo quando diz que, os dois projetos da deputada federal Mara Rocha (PSDB) – que reduz o tamanho da Reserva Chico Mendes e o que transforma em APA o Parque Nacional da Serra do Divisor, se aprovados, seriam a festa para grileiros e latifundiários transformarem as duas unidades em regiões devastadas.

O QUE MOVE ISSO?

 A manutenção do Parque da Serra do Divisor em nada impede a rodovia Cruzeiro – Pucallpa.

QUE NÃO SEJA FOGO DE PALHA

A SESACRE está com um mutirão de cirurgias em Senador Guiomard e levando os serviços para o Alto Acre. Aos poucos o secretário Alysson Bestene vai derrubando entraves antigos e que emperram a gestão, como a fila de cirurgias. Tomara que não seja o chamado fogo de palha.

NÃO PODE IR ALÉM DISSO

A ASSECOM deu á Agência de Notícias do Acre uma dinâmica com farto material de atos do governo, bem escrito, mas não pode ir além, porque não há com os órgãos de imprensa da iniciativa privada nada que os obrigue ao aproveitamento do material. E assim caminha.

PROTETOR DO CPF

Há segmentos políticos que torcem a cara para o chefe do gabinete civil, Ribamar Trindade, mas a sua permanência no cargo tem como um dos princípios pontos básicos, não deixar que o CPF do governador pegue alguma nódoa por conta de ato administrativo errado. Cumpre bem.

VERDUREIRO SEM VERDURA

Enquanto o pré- candidato a prefeito da capital, secretário Thiago Caetano, não conseguir que o governador Gladson se manifeste publicamente a favor da sua candidatura, o Thiago vai continuar a ser o verdureiro que oferece verduras sem ter nem cheiro-verde na sua banca.

MEMÓRIA FRESCA

Seja com qual for o nome o PT vai ter dificuldade na campanha deste ano para a prefeitura de Rio Branco. Não só pela falta de um nome forte para a disputa, mas também por estar muito vivo na memória do acreano da capital, principalmente, o fraco último governo dos petistas.

NÃO PODE FICAR FORA

Mas, ainda com toda a dificuldade de rejeição que vai enfrentar, o PT não poderá deixar de ter candidato próprio para a prefeitura de Rio Branco. É o maior partido da oposição e com certeza deverá vir orientação da direção nacional para que nas capitais o PT tenha candidato.

DEBANDADA CONTINUA

Continua forte a debandada de lideranças do PT. Agora foi a antiga militante, Socorro Lima, que foi presidente do partido, a pular do barco, e anunciar a entrada no PSB. Socorro sentiu na pele quando foi candidata a rejeição interna de apoio, por não integrar os grupos dominantes.

QUEBROU TODAS AS PONTES

A avaliação do grupo mais fechado do poder é de que pela sua belicosidade com o governo, o deputado Roberto Duarte (MDB) quebrou todas as pontes para vir a ter um apoio do governador Gladson Cameli na eleição. Duarte não deu trégua em 2019 e não vai dar em 2020.

CUMPRINDO AS METAS

O secretário do Meio Ambiente, Israel Milani, chegou ao cargo rotulado como representante do agronegócio e com desconfiança dos setores ambientais. Quebrou todos os paradigmas, não protege setores, segue a lei, e virou um dos destaques do governo do Cameli.

PESQUISAS VÃO NORTEAR

O que vai nortear se o prefeito de Senador Guiomard, André Maia, disputará ou não a reeleição serão as rodadas de pesquisas próximas da convenção partidária. Se aparecer com boa aceitação tem o aval do senador Sérgio Petecão (PSD) para disputar pelo PSD.

SHOW DE AMADORISMO

A oposição está dando um show de amadorismo em Xapuri ao lançar vários candidatos a prefeito, porque com a enxurrada de nomes só vai favorecer o prefeito Bira Vasconcelos (PT).

É QUEM VAI DITAR

Sites, ZAP, BLOGS, enfim, as redes sociais, se usados com inteligência, serão os instrumentos mais poderosos da campanha para a prefeitura da capital e para a Câmara Municipal de Rio Branco. Uma notícia nestes espaços atinge em tempo real milhares de internautas.

 TUDO TEVE SEU TEMPO

Tudo teve seu tempo. Ainda peguei o tempo em que o jornal impresso fazia o poder tremer e tinha uma importância eleitoral grande, hoje sucumbiu a modernidade e é pouco lido.

MAIS UMA CHACINA?

Os quatro baleados na SOBRAL estão em estado gravíssimo no PS. Caso venham a falecer se terá a segunda chacina somente neste mês de janeiro. A guerra entre as facções recrudesceu.

FLUACRE

Torcedores do time mais seletivo do Brasil, o nosso glorioso tricolor das laranjeiras, o Fluminense, fará no próximo dia 9, na capital, um encontro da torcida FLUACRE, com feijoada, e poderá ter a presença do eterno ídolo Romerito. Falar com o Eduardo no ZAP 99997-3153.

ONDE O PT FOR

Em Rio Branco, o destino do PCdoB na eleição não tem muito mistério. Edvaldo Magalhães e companhia limitada deverão estar no mesmo palanque em que o PT estiver. E, ponto final.

PARA TODOS OS GOSTOS

A eleição para a prefeitura de Rio Branco terá profissionais para todos os gostos. Entre os candidatos estarão professores, advogados, engenheiro, jornalista e deputado.

CANDIDATURA CONFIRMADA

Confirmado que o ex-deputado Jamil Asfury disputará a PMRB pelo PSC.

NÃO APOSTE NA HIPÓTESE

O presidente regional do PSB, César Messias, é um “vianista juramentado”, mas não esperem que na reunião programada pelo PT com ele, vá desautorizar a candidatura da prefeita Socorro Neri (PSB), como sonha segmento petista. Não há como brecar uma candidatura legítima.

 APOSTANDO EM 2022

A mira do deputado Jenilson Lopes (PSB) é a reeleição da prefeita Socorro Neri e, com isso alavancar uma candidatura sua a deputado federal em 2022. Sonha com vôos mais altos.

CURIÓ EM MUDA

Depois da trombada com a prefeita Socorro Neri o ex-senador Jorge Viana deu uma recuada nas articulações para a formação de uma chapa próprio do PT para a eleição de prefeito da capital. Deve deixar a poeira baixar, ver a posição oficial do PSB, para emergir novamente.

FRASE DO DIA

“Nada mais cretino e mais cretinizante do que a paixão política. É a única paixão sem grandeza, a púnica que é capaz de imbecilizar o homem”. Nelson Rodrigues, dramaturgo e jornalista.

Continuar lendo

Blog do Crica

Secretário quer polícia próxima da comunidade 

Publicado

em

A nova estratégia da secretaria de Segurança Pública, anunciada pelo secretário Paulo Cézar, de regionalização das atividades, prevê os policiais civis e militares numa maior interação com as comunidades dos bairros. O secretário explica que esta é uma iniciativa que vem dando certo e será aplicada no sistema, uma espécie de gestão em que os problemas na área da segurança passem em primeira mão pelos delegados que comandam as Delegacias Regionais e pelos comandantes dos batalhões da PM. A delegação de competência – explica – fará com que os policiais atuem com um maior conhecimento da área em que trabalham, sabendo quem são os que comandam o crime na região e atuando de forma mais imediata para barrar estes criminosos. Acha que com isso a polícia passa a ficar mais próxima dos moradores e ganhando a confiança de que está na área para lhes dar proteção. Paulo Cézar disse que, assim vai se conhecer a causa dos problemas e que a afinação polícia-povo é o modelo mais moderno do mundo, porque o policial passa a se inteirar dos problemas daquelas localidades e buscar resolver no local. O policial tem de conhecer os criminosos dos territórios em que atuam, diz Paulo Cézar, e para isso terão uma delegação de competência para prevenir e resolver os crimes. Também promete agregar ao plano a tecnologia, para permitir que os policiais façam os registros nas delegacias regionais. O principal de tudo, diz Paulo Cézar, é buscar uma aproximação em que os moradores dos bairros conheçam os policiais e os policiais os moradores. É uma forma também do policial ganhar a confiança da população. O secretário espera com isso dar mais agilidade na descoberta dos infratores e ter uma ação eficaz.

A CONFIANÇA É ESSENCIAL

Alguma coisa tinha de ser feita para mudar a estratégia de combate ao crime organizado, vinha defendendo neste BLOG. E a iniciativa do secretário Paulo Cézar de regionalizar as ações, uma espécie de polícia comunitária, mais próxima do povo, merece de pronto a credibilidade.

BRECAR NA ORIGEM

Dando certo, poderá prevenir muitas das ações comandadas pelo crime organizado na cidade.

UMA FORMA DE INIBIÇÃO

Com as equipes de policiais limitando a sua atuação aos bairros em que trabalham, isso vai lhes proporcionar detectar com maior rapidez os pontos em que se cometem os ilícitos penais.

RETORNO DIFÍCIL

Os dirigentes petistas esperam a chegada do presidente regional do PSB, ex-deputado federal César Messias, para ouvir dele a sua posição sobre o afastamento da prefeita Socorro Neri de uma aliança com o PT. Mesmo sendo vianista juramentado, não creio que o César trombará com a decisão da prefeita. E, ninguém se engane: o PT trabalha a candidatura própria à PMRB.

PLANO A

O PT nunca teve outro plano que não fosse a candidatura própria à PMRB, por ser o maior partido da oposição da capital, só que a meta era a prefeita Socorro Neri não ser candidata, e apoiar um nome como o do ex-prefeito Angelim, que na verdade sempre foi a plano A do PT.

QUEM É COXO PARTE CEDO

O PSL foi o primeiro partido a se mobiliar na rua na disputa da PMRB. Quem é coxo parte cedo, diz o ditado. Por não ter a estrutura dos grandes partidos, está certo em ir ao corpo a corpo.

FORÇA DA LEGISLAÇÃO

O recorde de candidaturas já anunciadas para a prefeitura de Rio Branco era esperado, principalmente, entre os pequenos partidos que precisam ter um patamar de votos, chegar ao teto da Cláusula de Barreira, para não sumirem e virarem  siglas cartoriais. 

MOTIVO TEVE NO PASSADO

O deputado Jonas Lima (PT) não vai deixar o partido, é inclusive, o seu coordenador na região do Juruá. Não saiu quando teve a sua presença barrada pelo ex-governador Tião Viana numa reunião com sua base na ALEAC, fato humilhante, não seria agora que deixaria sem motivo.

“MUITA MERDA”

Fonte política não se revela quando a conversa é informal. Um amigo da alta cúpula petista comentou esta semana num papo que tivemos que, debita a saída de petistas importantes, ex-prefeitos, ex-deputados, o que qualificou: “muita merda que fizemos na última campanha”.

O PROBLEMA É O BLEFE

Não deve demorar muito para que o deputado Luiz Tchê (PDT) anuncie que o seu partido terá candidato próprio a prefeito de Rio Branco. Dentro do contexto da legislação seria a lógica, o problema é que o Tchê costuma a blefar com lançamento de candidaturas majoritárias.

DUPLA AFINADA

Não será surpresa se o prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro, bisar na reeleição uma chapa tendo de companheiro o seu atual vice Zequinha, por estarem afinados na gestão.

SABE O CAMINHO DAS PEDRAS

Ouvi de quem conhece bem o eleitorado de Marechal Taumaturgo, que a candidatura do ex-prefeito Itamar de Sá (PT), na disputa daquela prefeitura, é competitiva, por conhecer o eleitorado da região, e saber quem são as suas maiores lideranças. A pergunta: terá estrutura?

FATO EMBLEMÁTICO

Na política, os adversários de hoje poderão ser os aliados de amanhã. É o caso do petista de raiz, ex-prefeito Zé Maria, que disputará este ano a prefeitura de Porto Acre pelo MDB.

NADA IMPROVÁVEL

Uma chapa formada por Roberto Duarte (MDB) como candidato a prefeito de Rio Branco, tendo Marfisa Galvão (PSD) de vice, não é nada improvável. Até porque jogaria o senador Sérgio Petecão (PSD) de cabeça na campanha. E a aliança MDB e PSD tende a acontecer.

POLARIZAÇÃO CERTA

Em Sena Madureira, a polarização é certa entre o prefeito Mazinho Serafim (MDB) e a ex-prefeita Toinha Vieira (PSDB). O PT tende a não ter candidato próprio a prefeito, e neste caso a escolha de apoio difícil de acontecer é com o PSDB, pela versão ao vice-governador Rocha.

FATURA SER COBRADA

O deputado Gerlen Diniz (PROGRESSISTAS) não é nenhum amador em política. Sabe que ficando na liderança do governo na ALEAC poderá em 2022, cobrar a fatura de apoio do governador Gladson Cameli a uma candidatura a deputado federal, que vem a ser o seu sonho.

DESAFIO A SER ENFRENTADO

Fora do poder o PT não terá muitos atrativos para montar uma forte chapa de candidatos vereadores de Rio Branco por não ter o que a oferecer, como tinha nos últimos 20 anos, onde escalava secretárias para bancar candidaturas. É um desafio a ser enfrentado pelo partido.

CANDIDATURAS SETORIZADAS

Não se sabe como será composta a chapa do PT para a Câmara Municipal de Rio Branco, mas seja qual for terá os vereadores Antonio Moraes (PT) e Rodrigo Forneck (PT), como favoritos. Moraes por ter redutos sedimentados, e Rodrigo porque será prioridade do comando do PT.

PODE FECHAR EM 20

O MDB pode fechar em vinte os candidatos disputando prefeituras, inclusive, tendo nos dois maiores colégios eleitorais do Estado, Cruzeiro do Sul e Rio Branco. O MDB deve sair desta eleição maior do que entrou. E neste caso, estará com cartas para pôr na mesa da sucessão em 2022.

NADA ALÉM DA PROMESSA

O governador Gladson Cameli prometeu que a partir de agora irá fazer política, porque entramos no ano eleitoral. Mas, até o momento ficou na promessa, por não ter feito nenhum movimento que possa a vir modificar o quadro da disputa da PMRB no seu campo de aliados.

SERÁ PERFUMARIA

O MDB, PSDB e SD já definiram que terão candidatos próprios à prefeitura de Rio Branco. Isso o Gladson não vai conseguir mudar. O que poderia ser uma novidade seria a de anunciar que o seu partido também terá candidato a prefeito da capital. Fora isso será perfumaria.

 FRASE DO DIA

“Que continuemos a nos omitir da política é tudo o que os malfeitores da vida pública mais querem”. Bertolt Brecht.

 

 

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required
Propaganda
Propaganda

Leia Também

Mais lidas