Conecte-se agora

Marilete: “os buracos de Tarauacá foram deixados pelo PT”

Publicado

em

O bom jornalismo não pode deixar de dar espaço ao contraditório. Já publiquei críticas de deputados acusando a prefeita de Tarauacá, Marilete Vitorino, como a “pior” gestora que passou pelo município. Denúncias de vereador chamando Tarauacá de “cidade dos buracos”, também já critiquei a sua administração, mas tinha que abrir o mesmo espaço para ela contestar os ataques sofridos, por o direito de ouvir os dois lados de um fato jornalístico ser obrigação. Na entrevista ao blog, Marilete debita ao prefeito antecessor (o petista Rodrigo Damasceno e a políticos do PCdoB) denúncias que ela diz não terem fundamentos, revela que pegou uma prefeitura quebrada; reclama da crise financeira, e diz que não mudará a forma honesta de administrar para agradar ninguém. Veja o que diz a prefeita, abaixo:

BLOG DO CRICA- Como você recebe as críticas de políticos do PT e PCdoB de que a sua gestão é a pior que já passou por Tarauacá?

MARILETE VITORINO – Essas críticas só me enaltecem. Falam dos buracos que foram em sua maioria deixados por eles. Que no último ano de gestão só se preocuparam com a politicagem a que eram acostumados. Não me importo com a opinião deles e nunca dei importância a isso.

BLOG DO CRICA- Como você recebeu a prefeitura do ex-prefeito Rodrigo Damasceno?

MARILETE VITORINO – Recebemos uma prefeitura endividada, pagamos em dois anos mais de 6 milhões de reais entre salários atrasados de uma cooperativa terceirizada, que trabalhou sem nenhum documento legal, e sobrou para os cofres públicos apenas os débitos trabalhistas, entre outros casos que são peculiares aos governos petistas.

BLOG DO CRICA – Você recebe muitas críticas pelas condições da cidade esburacada. Como responde a isso?

MARILETE VITORINO – Os únicos ataques que sofremos são relacionados às condições das ruas, a maioria delas esburacadas. Na visita do Ministro Helder Barbalho em 2017 (o prefeito era o Rodrigo Damasceno); ele chamou Tarauacá de “cidade tábua de pirulito”, ao vir fazer uma visita durante uma grande alagação, daí já se pode lembrar como a cidade estava quando assumimos.

BLOG DO CRICA – O que falta para acabar com os buracos, recursos?

MARILETE VITORINO – A crise financeira tem dificultado muito o trabalho na maioria das prefeituras, que vivem de repasses federais. Não temos problemas na Educação, Saúde e Promoção Social que usam recursos específicos, mas estamos na esperança de que este ano já colocaremos asfalto em várias ruas. Atualmente, estamos trabalhando em pavimentação de uma rua grande com tijolos. Acho que as críticas são políticas e pela minha forma de fazer a gestão, bem diferente do que estavam acostumados; as críticas em sua maioria, elas se explicam nisso.

BLOG DO CRICA- Como é a sua relação com a Câmara Municipal?

MARILETE VITORINO – Considero o relacionamento Executivo e Legislativo muito bom, começamos a esquecer interesses outros para se tratar de interesses coletivos, dessa forma o povo e a cidade agradecerão aos dois poderes. Respeito todas as autoridades eleitas pelo povo.

BLOG DO CRICA – Você acredita que entregará a prefeitura melhor do que recebeu do PT?

MARILETE VITORINO – Com certeza posso afirmar que no dia que eu entregar Tarauacá, esta estará bem melhor que as condições que eu recebi.

BLOG DO CRICA – Para fechar: disputará a reeleição no próximo ano?

MARILETE VITORINO – É muito cedo para tomar qualquer decisão.

BLOG DO CRICA- Que recado mandaria aos adversários políticos?

MARILETE VITORINO – Não vou mudar a forma correta, legal e honesta que trabalhamos com o recurso público para agradar. A política mudou!!!!!

MOURÃOZETE VERMELHA

A deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB) virou tiete do vice-presidente da República, General Mourão, com quem esteve em audiência recentemente, registrada na revista VEJA desta semana, como “entre risos”. É da Perpétua a frase publicada na VEJA, com elogios a Mourão: “o vice-presidente entende a liturgia do cargo que está ocupando. É um democrata.”

VICE NÃO FALA

Com o título acima saiu uma nota na coluna RADAR da VEJA, edição nas bancas, sobre o encontro do general Mourão e a deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB): “O general Mourão não explode contra Carlos Bolsonaro, mas adora dar uma provocada na turma que vê conspiração em seus passos. Na segunda, 22, ele recebeu a deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB). O encontro com a comunista, claro, irritou o Planalto”.

PESO DA MÁQUINA

O jornalista Wiliandro Derze sentiu o peso da máquina do MDB. Cada vez que completa a sua chapa para registrar a sua candidatura a presidente do diretório municipal, a cúpula partidária coopta nomes. Não sei se conseguirá registrar até sexta com esse jogo bruto do partido.

FRANCO FAVORITO

O deputado Roberto Duarte (MDB), apoiado pelo presidente Flaviano Melo (MDB), é franco favorito na eleição marcada para a próxima sexta-feira, na disputa pela presidência do diretório municipal. Duarte é o nome do MDB na eleição para a prefeitura da capital em 2020.

COMO É QUE PODE DAR CERTO?

Em todo Estado, principalmente a capital Rio Branco, vive uma crise grave de violência, com execuções quase diárias, assaltos e furtos em grande escala. E quando se assiste a essa briga da Associação do Militares da PM com pedido da cabeça do comandante da PM, Coronel Mario Cesar, é de se perguntar: aonde é que querem chegar com este cabo-de-guerra? Enquanto brigam, a população fica à mercê dos bandidos. Estão dando um triste espetáculo para a população.

NÃO IMPORTA QUEM TEM RAZÃO

Quem está com a razão, pouco importa para a comunidade. O que importa é que as forças policiais que eram para estar empenhadas em combater a bandidagem ficam se atacando. Vocês chegaram ao poder prometendo paz para a população e não brigar internamente.

O ABACAXI É TEU, ROCHA!

Este abacaxi é do vice-governador Major Rocha. O governador Gladson Cameli lhe deu carta branca para tocar a instituição. O mais grotesco dessa patuscada é que o grupo que pede a cabeça do Comandante da PM e do sub-Comandante sempre foi e é aliado do Rocha. E o Coronel Mario Cesar foi indicado para o comando da PM pelo Rocha. Dá para entender isso?

CALADO COMO RESPOSTA

Ainda tentei ouvir o comandante da PM, Coronel Mario César, mas deu o calado por resposta.

O ROCHA É QUE TEM DE DESCASCAR

Embora o governador seja o Gladson Cameli, quem tem que descascar este abacaxi é o vice-governador Major Rocha, que inclusive, está como governador em exercício. Vai degolar o comando da PM, como querem seus aliados? Vai manter o Coronel Mario César? Vai que é tua, Rocha! E pelo amor de Deus: dessa vez não dá para culpar pela crise o governo passado.

COBERTO DE RAZÃO

O deputado Daniel Zen (PT) fez ontem uma cobrança da tribuna da ALEAC, coberto de razão: que o governo mande para a casa um projeto resolvendo a situação do Instituto Dom Moacir. Os cuidadores e bolsistas da instituição estão quatro meses sem receber. Que baderna e essa?

ACORDA, COROINHA!

O secretário de Educação, Mauro Sérgio, além de ser coroinha especial do Bispo Dom Joaquim, e rezar diariamente o terço como católico carola que é, fez o que até agora para resolver o atraso do pagamento do pessoal do Instituto Dom Moacir? Vamos pagar o pessoal, Mauro!

COMO É QUE ALGUÉM PODE DEFENDER?

A pergunta que pode ser feita sobre esta situação é a seguinte: com que moral a base do governo poderá ir para a tribuna fazer a defesa de uma situação desta? Pessoal, o governo agora são vocês, ainda não caíram na real? O governo do PT acabou em outubro. Certo?

VERGONHA ESCANCARADA

A rua principal do acesso ao Jardim Tropical é uma vergonha. A reparação do asfalto que o DEPASA fez simplesmente afundou, e com isso ficou uma sucessão de lombadas e buracos. Tem que se cobrar de quem? Do secretário da Infraestrutura Thiago Caetano? Que cobre de quem fez o serviço porco, mas a responsabilidade não é mais do PT, mas da sua secretaria.

TAMANHO DA CONFUSÃO

Para quem assistiu ontem na ALEAC o debate sobre o setor produtivo e com especialidade sobre a pecuária e suinocultura, deu para notar que os empresários do setor e os dirigentes dos órgãos governamentais da área não falam a mesma língua. É uma Torre de Babel.

ALGUÉM TEM DE COLOCAR ORDEM

Alguém tem de colocar ordem em todo este cenário de confusão no governo. É na Segurança, Instituto Dom Moacir, na Secretaria de Agricultura. Isso só prejudica a imagem do Cameli. Se é mesmo que ele está preocupado em acabar com toda esta bagunça de brigas internas.

PÉ ATRÁS

Não dou trela quando depois de sete meses da eleição aparece alguém denunciando deputado pela prática de crime eleitoral. Debito na conta de quem quer tirar uma vantagem financeira.

CALADOS QUE NEM MUDOS

Quando vejo este pipocar de cartas com denúncias contra órgãos do governo é de se perguntar, em que planeta estavam morando nos últimos 20 anos estes briosos valentes?

ALGUÉM COMPRA?

Neste roubo de celulares que passou a ser um crime costumeiro é de se perguntar: quem é que compra? Não é só combater o assaltante, se não prender o receptador é enxugar gelo.

FORA DO PROCESSO

O ex-prefeito Vagner Sales (MDB) não será candidato a prefeito de Cruzeiro do Sul, deverá indicar um nome para a disputa. Sales está com sérios problemas de ordem judicial.

RECEITA PARA COBRIR

Por não ter outra receita para cobrir o valor a ser perdido, não esperem o governo estadual reduzir o ICMS cobrado na tarifa de energia elétrica. É melhor não ficarem sonhando com a possibilidade. Também neste tipo de cobrança tem muito valente, que era calado em governos passados.

MDB NÃO RECUA

Basta alguém conversar com o deputado federal Flaviano Melo (MDB) para sentir que o partido não vai recuar de ter um candidato a prefeito de Rio Branco. O MDB não é protagonista na disputa da PMRB há um bom tempo, a última tentativa com a deputada Eliane Sinhasique (MDB) fracassou. E olhe que a Eliane era uma boa deputada e bem avaliada.

DIFERENÇA ABISSAL

Eleição majoritária difere substancialmente da eleição proporcional. Para deputado você monta um grupo, se estrutura, faz uma campanha organizada e se elege. Para prefeito, governador, senador, tem que ter algo mais, passar ao eleitor uma imagem de equilíbrio.

BANHO DE ARRUDA E EBÓ

O vice-governador Major Rocha tem de tomar um banho de arruda e sal grosso em noite de lua cheia. Enfrenta problemas com o seu grupo na PM e na Secretaria de Agricultura, onde o indicado pela sua irmã e deputada federal Mara Rocha (PSDB) ao cargo, Paulo Wadt, se rebelou. Se o banho de arruda e sal grosso não resolver, apela para um ebó na encruzilhada.

Propaganda

Blog do Crica

Candidatura de Ney derrotou Jorge Viana 

Publicado

em

Numa entrevista em que mostrou muito equilíbrio, durante o programa “Boa Conversa”, no ac24horas, que apresentamos com o colega Astério Moreira, o deputado Daniel Zen (PT), enfim, foi o primeiro petista do primeiro escalão político da Democracia Radical –DR, tendência dominante do PT, a fazer meia culpa de que foi um erro o lançamento da candidatura do ex-deputado Ney  Amorim (ex-PT) ao Senado, e que este fato colaborou para derrota do senador Jorge Viana (PT). “Na época, por serem duas as vagas em disputa, se entendia que poderíamos fazer os dois senadores, mas hoje, tenho que reconhecer que cometemos um erro”, disse numa avaliação sensata. Zen defendeu de que o PT, por ser junto com o MDB os dois maiores partidos do Acre, não pode deixar de pensar em ter uma candidatura própria para a prefeitura de Rio Branco na eleição do próximo ano. Mas ressalvou que, antes o PT tem que ouvir a prefeita Socorro Neri, a quem trata como “aliada”. “Precisamos saber se a Socorro vai ou não querer sair para a reeleição, para então se fazer uma avaliação”, diz Zen, ressaltando que de uma forma ou de outra o partido estará engajado como protagonista na eleição de 2020. Mas defende que a discussão sobre a sucessão municipal na capital somente deverá ser aberta no ano vindouro. Até lá, só especulação.

GOVERNO PARALELO

Mês passado, não me lembro o dia, numa conversa com o vice-governador Major Rocha, este me disse e publiquei em primeira mão no BLOG DO CRICA de que, ele montaria um gabinete político em Cruzeiro do Sul, e no qual trabalharia pelo menos duas vezes por semana. E pelo visto vai começar a montagem do seu gabinete, que funcionará como um governo paralelo.

RECUSOU GABINETE CONJUNTO

O fato pode ser entendido como um governo paralelo pelo fato de que o governador Gladson Cameli chegou a propor ao vice Major Rocha que montassem um gabinete conjunto e não aceitou. Na certa, vai haver colisão com os grupos políticos sediados em Cruzeiro do Sul.

PODE DAR CERTO?

Nisso tudo cabe uma perguntinha básica: pode um governo em que o governador e o vice não têm a mesma linha de pensamento, a mesma linha de ação política, vir a dar certo? Sei não!

NÃO PODE SER CONTESTADO

Nenhum parlamentar do PT ou PCdoB fez mais oposição ao governo do Gladson de que o deputado Roberto Duarte (MDB), nos primeiros sete meses na ALEAC. E agora, nestas suas postagens nas redes sociais, está demolindo a imagem do sistema de Saúde do governo.

RATOS E MORCEGOS

Denunciou de que o forro do Hospital de Feijó virou um ninho de ratos, colocando em risco a saúde dos pacientes. E que, a unidade de Saúde da Vila Santa Luzia, em Cruzeiro do Sul, se transformou em abrigos de morcegos. E não se pode nem contestar: denunciou in loco.

PARA NÃO DIZER QUE NÃO FALOU DE FLORES

E para não dizer que o deputado Roberto Duarte (MDB) não falou de flores, teceu elogios e deu como exemplar o funcionamento da Central de Medicamentos da prefeitura de Tarauacá.

COMO PODE FUNCIONAR?

Como é que algo que está errado, que não funciona, como o denunciado pelo deputado Roberto Duarte (MDB) pode funcionar, se até o momento a secretária de Saúde, Monica Flores, não fez uma visita às unidades de saúde no interior do Estado? Alguém explica?

NÃO É DA BOCA PARA FORA

O prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro, é ousado na política. Por conta disso, não se pense que fala apenas para aparecer na mídia quando diz ser a sua meta disputar o Senado em 2022. É para valer. Também podem apostar: Ilderlei disputará a reeleição no próximo ano.

UM CARA DO BEM

Como jornalista, acompanhei do Governo Wanderley Dantas até o do Gladson Cameli. Tenho um recorde difícil de ser batido: fui secretário de Comunicação de três governadores e três prefeitos da capital. Tenho, por essa experiência, uma visão mais acurada para dizer: o Gladson Cameli é um cara do bem, bom coração, sem rancor, mas peca pela ansiedade.

RASTILHO DE PÓLVORA

Na verdade, a maior inimiga do Governo Gladson – do qual me reservo o direito de ser apenas um expectador, como jornalista – é a sua ansiedade. Quando um Zé Mané fala, é o Zé Mané. Quando o governador fala, é o governador. Uma palavra mal colocada vira rastilho de pólvora.

COMEDIDO, ANTES DE TUDO

O Gladson peca por não ser comedido. A língua, já lhe causou algumas trapalhadas amadoras.

DIFÍCIL É DIFERENCIAR

Os diretores da FUNTAC, Roxinho e Pádua Bruzugu, são as atrações nesta pré-abertura da EXPOACRE. Passam boa parte do tempo dando voltas nas vias internas num quadriciclo. Unidos, como o Batman e o Robin. Quem é o Batman e quem é o Robin? Não sei dizer.

MOEDA DE UM LADO

A deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB) pede que a Procuradoria Geral da República investigue o Ministro da Justiça, Sérgio Mora. É do exercício do mandato. Não me lembro de ter visto a Perpétua pedindo investigação contra o Lula e a Dilma. E deu no que todos sabem.

NÃO É POR OMISSÃO

Quando você olha os números de apreensões de drogas, recuperação de carros e motocicletas roubados, bandidos presos, assaltos e execuções desvendados se chega à conclusão de que, não continuamos uma cidade violenta por omissão das forças policiais. Trabalham e muito!

QUE NÃO FIQUE NO LERO-LERO

Que a implantação de um Batalhão da PM específico para atuar na fronteira contra o tráfico de drogas não fique apenas num protocolo de intenções do governo, ou a polícia vai continuar a enxugar gelo. É a droga que movimenta toda esta matança que ocorre na capital acreana.

DEU UMA SACUDIDA

Problemas existem e muitos, mas alguns já foram resolvidos nestes sete meses da gestão do Lúcio Brasil à frente da Fundação Hospitalar. É um setor da Saúde que deu boa melhorada. 

POR DEDUÇÃO

Nunca nem conversamos. Mas o prefeito de Porto Walter, Zezinho Barbary, só pode ser um bom administrador, porque com todos os políticos com os quais falo, sejam do bloco do Governo ou da oposição, no Juruá, são unânimes em elogiar seu trabalho. Daí, a dedução.

MUITO MAIS DIFÍCIL

No programa “Boa Conversa”, que deverá ir ao ar hoje no ac24horas, o deputado Daniel Zen (PT) reconhece que os atuais prefeitos petistas e os que disputarão prefeituras pela sigla, na eleição do próximo ano, terão mais dificuldades por o partido estar fora do poder.

NOVA EXPERIÊNCIA

Será de fato uma nova experiência política a ser encarada pelos candidatos a prefeitos e a vereadores pelo PT, porque nos últimos 20 anos sempre disputaram com a máquina estatal. 

OUTRA ADVERSIDADE

Outra adversidade que deve ser colocada neste cesto é que ainda está na memória eleitoral da população a fragorosa derrota e a rejeição do petismo na última eleição, que perdeu o governo, não elegeu um deputado federal e perdeu o único senador. É um carma pesado.

NÃO PODE SER A META

A multa não pode ser regra geral, mas uma exceção. Não são poucas as reclamações de que a RBtrans inverteu este princípio, não é possível que a enxurrada de críticas seja um equívoco.

COM A PERMISSÃO

Peço permissão à Promotora Alessandra Marques, para reproduzir uma postagem sua: “Todos aqueles que só enxergam a verdade em seus ídolos estão impossibilitados de ver a grandeza das idéias fora da caixinha em que estão presos”. A carapuça fica no ar.

FICHAS PERDIDAS

O governador Gladson Cameli estará pagando o mês de Julho, uma parcela do 13º que o Tião Viana não pagou e ainda metade do 13º do atual governo, e ainda diziam na campanha que na sua administração os salários iriam atrasar. Quem apostou nesta hipótese perdeu as fichas.

Continuar lendo

Blog do Crica

Ninho de ratos, chama os gatos!

Publicado

em

O deputado Roberto Duarte (MDB) fez uma denúncia pelas redes sociais que, pela gravidade, merece uma apuração e providências imediatas: a de que os pacientes do Hospital de Feijó convivem com os ratos. O forro da unidade virou moradia dos roedores. Quando chovem as fezes dos ratos descem pelas goteiras, principalmente, no necrotério. A questão é que a secretária de Saúde, Mônica Feres, ainda não se dignou a fazer uma visita aos hospitais do interior, pois, se tivesse feito não estaria hoje tomando conhecimento disso pela mídia. A conservação do prédio, pelo que constatou o parlamentar, é de total abandono e, pela sua deterioração não comporta nem uma recuperação, mas sim uma reconstrução. E não se pode dizer ser esta uma denúncia do ouvi dizer, o deputado Roberto esteve pessoalmente no local fazendo uma vistoria. A continuar nesta situação, não será demais se surgir a notícia de que os pacientes estão levando seus gatos para espantar os ratos ou espalhando raticidas no prédio.

UMA PERGUNTA QUE FICA?
Como se exigir de um médico, um enfermeiro, ou outro servidor qualquer do Hospital de Feijó, que trabalhe feliz num ambiente insalubre, e se arriscando a pegar uma leptospirose?

ISSO PODE, GLADSON CAMELI?
Vamos agora para uma unidade especializada de Saúde do governo, que funciona como uma máquina com as suas engrenagens azeitadas. Falo do SAE, da Central de Transplantes, aonde não cabe politicagem. E tentam fazer agora ao querer tirar da chefia a enfermeira Edna Gonçalves, com a experiência em vários transplantes, para por no lugar uma afilhada política. Isso pode, Gladson Cameli? Não se mexe no que está dando certo: política longe da Saúde.

A CARTA DA MANGA É SUA
Pode-se discutir à exaustão entre os aliados do governo a sucessão municipal e até a estadual, mas ficará apenas no campo das ilações. Para a PMRB, é preciso saber, quem é o candidato do Gladson? E para o Governo, se ele será candidato à reeleição ou não. Fora isso é diversão.

O REI DOS GROTÕES
Enquanto alguns políticos falam a língua das elites, o senador Sérgio Petecão (PSD) atua nos grotões, é usa o linguajar do povo mais sofrido. E quando as urnas abrem o Petecão pipoca de votos. E ai, os adversários se indagam, como conseguiu tanto voto? Anote: ele vai mais longe!

UMA PARADA INDIGESTA
O prefeito de Xapuri, Bira Vasconcelos (PT), não vai tão bem na gestão, e ainda terá uma parada indigesta pela frente na campanha para a sua reeleição: enfrentar a candidatura do jovem Ailson, filho do deputado Antonio Pedro, desta feita sendo o candidato do governo.

GRANDE INTERROGAÇÃO
Os prefeitos do PT se elegeram na última eleição com a poderosa máquina do governo estadual a favor, com recursos, estrutura, e os esquemas nas unidades do Estado nos municípios. 2020 é a grande interrogação: disputarão fora do poder e com o PT em desgaste.

O VENTO MUDOU
Foram 20 anos de vento soprando a favor, em 2020 o vento soprará forte ao contrário.

CIDADE VIOLENTA
O número pode até ter aumentado, após o fechamento da coluna: nas últimas 48 horas aconteceram quatro execuções em Rio Branco, que continua uma cidade violenta. Eu não consegui entender, como é que o Gladson declara estar “satisfeito” com a Segurança. Égua!

VANTAGEM AMPLA
A vantagem a favor da PEC da Previdência Social foi tão ampla que, ter os votos ou não do PDT, e no qual se incluiu o do deputado Jesus Sérgio (PDT), favorável, não mudaria nada.

BEM MENOS
O governo do presidente Jair Bolsonaro é uma fábrica de trapalhadas, mas ainda assim a produção é bem inferior que a da Fábrica de Trapalhadas do governo da ex-presidente Dilma.

EXTREMAMENTE COMPETENTE
Uma Secretaria que não dá problemas para o Governo é a da engenheira Maria Alice. Conheço-a desde o governo Flaviano Melo, é turrona, mais extremamente competente.

MAMANDO E CHORANDO
Chega uma postagem de um leitor com comentário de que não sabe por qual razão os aliados em Brasiléia, ainda reclamam do governo. “Crica, a esmagadora maioria está mamando em órgãos estaduais, uns com a mamadeira maior, outros com a menor, mas todos com chupeta”.

PERGUNTA NA BERLINDA
Outro leitor manda uma pergunta sobre o que acho de uma chapa para disputar a prefeitura de Tarauacá, com a vereadora Janaína Furtado para prefeita e o médico Rodrigo Damasceno de vice. Obrigado pelos elogios ao BLOG, mas só quem pode responder é a Janaína e o Rodrigo. Ok?

PODERIA DAR INCERTAS
O governador Gladson poderia adotar como tática para saber como está funcionando o HUERB, fazer visitas incertas. Tivesse visitado a unidade, nos últimos dois dias, veria o sofrimento da população, igual ao que acontecia no governo anterior. Faça isso, governador!

CORTESIA COM CHAPÉU ALHEIO
Longe de estar no Acre, a ponte sobre o Rio Madeira está em território rondoniense. Ainda bem que pararam de discutir nomes para aquela obra, fazendo cortesia com o chapéu alheio.

A META É O DUDU
O PCdoB vai com chapa própria para disputar vagas na Câmara Municipal de Rio Branco, mas com uma prioridade, a reeleição do vereador Eduardo Farias (PCdoB). O resto é conseqüência.

ACABOU A BOQUINHA
Na eleição do próximo ano não teremos a coligação proporcional, que sempre funcionou como um balcão de negócios para maioria dos dirigentes de partidos nanicos se coligarem com partidos maiores. Em 2020, cada sigla será obrigada ter chapa própria para vereador. E, como na eleição estadual, novos nanicos irão desaparecer por não atingir a cláusula de barreira.

POR ISSO SE REBELAVAM
Os partidos de esquerda sempre foram uma espécie de puxadinho do PT. Quando a matéria criando a cláusula de barreira, em que cada partido tem que obter um percentual estabelecido em lei era posta em votação, derrubavam. Sabiam que, sem a muleta do PT, ficariam menores no cenário nacional. Foi o caso do PCdoB. Agora todos têm de caminhar com as próprias pernas. Ou somem. O fim das coligações proporcionais reduzirá o número de partidos.

DIFICULDADE NA FORMAÇÃO
Os partidos que têm vereadores em seus quadros estão querendo se livrar deles, por serem empecilhos quando da montagem das chapas, inibem a vinda de candidatos sem mandatos. Por isso o PSDB está pondo para fora os vereadores Clézio Moreira e Célio Gadelha.

Continuar lendo
Propaganda

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.